Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

26/12/2011

O Proibido - Especial - Parte II

N/A: Foi coisas linda da minha vida! *Caah está Very Happy*
Eai? Muitos presentes?! Espero que sim, pois to de mau com o papai noel, ele me esqueceu esse ano gente! (: Normal, nós vamos ficando velhas e é isso que dá.

Adorei escrever o bônus, vai ter mais em breve, com o FLASH BACK da primeira vez \o/

COMENTEEM! (: BEIJOS! ATÉ AMANHÃ TRAGO ALWAYS


POV Edward

Os dias passaram-se tão rápido que quando menos percebi já estávamos desembarcando do avião em Los Angeles.

Olhei para Bella que sorria lindamente. Agarrada em sua mão estava nosso pequeno Eric, olhando assustado para a multidão em nossa frente. Me agachei ficando a sua altura e o puxei para meu colo. Eu amava demais aquele garoto, estava no meu instinto protegê-lo.

- Muita gente, né meninão?

- Né papai.

- Nós só vamos pegar nossas malas com nossas roupinhas e já vamos embora ok?

- Ta.

Passei-o para Bella. Eric coçou os olhos sonolento. Ele nunca havia andado de avião, muito menos ter feito uma viagem tão cansativa.

Peguei nossas malas e saímos do aeroporto. Lembro que a ultima vez que estive ali foi há quatro anos, quando voltei para passar alguns dias com minha mãe, e depois quando fomos embora para morar em Londres.

Assim que saímos avistamos Charlie encostado em uma viatura da policia, uniformizado e pior, com uma arma na cintura. Droga, aquilo é meu pior pesadelo desde... Desde sempre.

- Pai!

- Bobô!

- Bells, Eric... – Ele os abraçou, depois acenou com a cabeça para mim – Edward.

- Sr. Swan.

Bella riu, voltando até mim e enlaçando minha cintura com um de seus braços. Já Eric havia ficado no colo do avô, mexendo em seu bigode e rindo.

- Garoto, coloque as malas no carro. – Ordenou, eu apenas assenti e obedeci. Qual é... Ele tinha uma ARMA!

- Ok.

- Amor, te esperamos no carro, está frio, Eric está quase apagando.

- Tudo bem princesa. – Me aproximei dela e meus lábios nos dela. Charlie pigarreou, e nós nos separamos. Coloquei as malas no  porta mala e entrei no banco de trás da viatura, ao lado do meu filho que estava apagado em uma cadeirinha de bebê.

- Renée comprou – Ele respondeu a pergunta que eu estava prestes a fazer – Disse que não seria seguro nosso neto ficar andando por ai no colo de alguém, além do mais sou um homem da lei.

- Hm... Ok.

Desde que conheço Charlie sei que ele é um velho muito, mas muito ciumento, principalmente quando se tratava de Bella e Renée.

Fiquei calado no banco de trás, enquanto pensava em tudo o que estava acontecendo. De certa forma eu estava feliz em estar prestes a conhecer meus pais, mas eu tinha medo, medo de descobrir o real motivo pelo qual me abandonaram.

- Algum problema amor?

Pisquei algumas vezes e neguei com a cabeça.

- Não Bells.

- Já estamos chegando ok?

- Tudo bem.

Fechei os olhos e encostei minha cabeça no banco. A pequena mãozinha de Eric agarrou meu dedo segurando com força, o que me fez sorrir.

[...]

- Obrigada pai. – Bella abraçou Charlie.

- Que isso filha. Foi bom ver você e Eric.

Suspirei rolando os olhos.

- Pai...

- Ah, sim... Foi bom ver o garotão ali também. Bom, vou indo, esperamos vocês amanhã para o almoço lá em casa.

- Estaremos lá pai.

- Tchau meninão. – Meu sogro beijou a testa de Eric. – Tchau Bells, Edward.

- Charlie. – Acenei com a cabeça.

- Amor, leve Eric para o nosso quarto, vou acompanhar papai.

- Tudo bem.

Peguei meu garoto e subimos rindo as escadas, enquanto eu o levava sobre meu ombro, dando leves tapas em seu bumbum.

- Papai...

- O que?

-Elic fez pum.

- Oh, que nojo! – O retirei do meu ombro “jogando” sobre a cama assim que chegamos ao quarto. – Que ir ao banheiro?

- Nãnão.

- Hm... Então você é porquinho mesmo.

- O que houve? – Bella entrou no quarto, sorrindo ao ver Eric rolando na cama enquanto ria.

- Nos temos um porquinho aqui em casa.

- Oh... Edward, seu nojento, que cheiro é esse? – Rolei os olhos, sempre sobrava para mim – O que já conversamos amor? Sabe, somos marido e mulher, temos intimidade e tudo mais, mas eu e seu filho não temos que dormir em um quarto fedorento como esse.

- Eric. – Olhei serio para meu menino, que parou de rir, começando a chupar o dedo com aquela carinha de bebê abandonado. – Quem foi que fez pum?

- Papai...

- Tem certeza? – Cruzei os braços – Absoluta?

- Edward, não tenta jogar a culpa nele, poxa é seu filho e...

- Mamãe... Foi Elic.

- Oh bebê. – Bella murmurou incrédula.

Ri puxando-a pela cintura e beijando sua boca.

- Viu?

- Me desculpa Edward.

- Tudo bem. – Me afastei, indo até a cama. – Vem filhão, vamos tomar um banho, mamãe, arruma a roupinha do Eric?

- Pode deixar.

POV Isabella

Neguei com a cabeça ouvindo Eric e Edward cantar uma musiquinha infantil no banheiro. Liguei o ventilador, para tentar retirar aquele cheiro do quarto. Ninguém podia dizer que Eric não é filho de Edward, até mesmo hábitos mal educados meu garoto havia puxado do pai.

- Bebê a mãe está indo te buscar.

- AAAAAH NÃAAAAOOO!

Peguei uma toalha e fui em direção ao banheiro. Assim que abri a porta vi Eric no box com Edward, meu marido usava apenas uma de suas boxers, enquanto nosso menino estava pelado.

- Elic não quer!

- Eric quer sim! – Retruquei.

- Papai...

- Garotão, acho melhor obedecer a mamãe, amanhã tomaremos mais banho, pode ser?

Eric torceu os lábios cruzando os braços, encostando-se a parede como se não estivéssemos falando com ele. Suspirei entrando no box para pega-lo, mas fui surpreendida por Edward, que me puxou para debaixo do chuveiro.

- Edward! Seu desgraçado!

- ÊEEEE! – Eric comemorou rindo – Eba!

- Eu disse que ela ia cair na nossa pegadinha. – Meu marido piscou para nosso pequeno, enquanto me abraçava com força, mantendo-me sob a água.

- Edward...

- Amor, relaxa. – Seus lábios cobriram os meus, enquanto Eric se pendurava em minha perna, querendo colo. – Oh carrapatinho, deixa o papai namorar a mamãe um pouquinho.

- Não... qué colo!

- Vem meu anjo. - O peguei no colo, colocando-o entre mim e Edward. Beijamos suas bochechas, fazendo nosso pequeno rir.

- Amo demais vocês dois. – Edward sorriu, alisando meu rosto. – Muito mesmo.

Depois de muita farra e diversão, nos secamos e fomos para a cama, exaustos.

[...]

Acordei primeiro que meus dois bebês. Edward e Eric estavam agarrados um ao outro em nossa cama. Me levantei devagar, para não acordá-los. Escovei meus dentes, lavei meu rosto, desci para a cozinha e preparei nosso café, quando tudo já estava pronto subi novamente ao quarto, para acordá-los.

- Meus anjos... – Ela os chamou, ajoelhando-se na cama enquanto inclinava-se para beijá-los. – Hora de acordar.

- Não... – Os dois reclamaram juntos.

Ri, subi sobre o corpo de Edward, beijando seu queixo.

- Vamos amor, hora de levantar, ainda temos um almoço na casa dos meus pais, e depois iremos para a casa dos seus pais. – Ele abriu os olhos verdes, me olhando um tanto tristonho – Não me olha assim anjo, vamos vai, você leu aquele artigo...

- Tudo bem. – Ele sorriu, abraçando-me pela cintura – Coitada, deve ter sofrido muito... – Ele suspirou.

- Sim. Se para nós dois já foi um tanto difícil, imagina ela? Conhecida por todos, filha de um milionário, grávida do motorista e expulsa de casa?

- Eu sei, mas ainda não consigo entender porque a garota e não eu.

- Descobriremos isso hoje meu amor. – Colei meus lábios nos dele, e ficamos assim por alguns segundos.

- Sim. – Ele acabou sorrindo, enquanto apalpava minha bunda – Vamos fazer amor?

- Hm, não dá, Anthony está aqui.

- Vamos tomar um banho... – Beijou meu ombro, erguendo minha camisola – Juntinhos.

- Não, sabe como nosso pequeno é. – Me afastei, rolando para o lado e colocando-me ao lado de Anthony – Bebê, hora de acordar, a mamãe já fez seu mama.

Ele abriu um pequeno sorriso, enquanto esfregava os olhinhos.

- mama?

- Sim bebê, mama.

Edward se sentou bufando.

- Falta um dia para meu aniversario e você não vai mesmo me agradar amor?

- Amanhã você terá seu presente.

- Hm... Espero que compense.

Ri beijando sua boca.

POV Bella

- Ele está meio inseguro... – Confessei a minha mãe, enquanto a ajudava com a lousa. – Edward tem medo de saber por que os pais ficaram com a irmã dele, não com ele.

- E vocês vão para lá agora?

- Sim.

- Tomara que dê tudo certo querida. Edward é um bom menino, merece conhecer os pais.

- Obrigada mãe. – Enxuguei minhas mãos e me afastei da pia. – Vou trocar Eric, ele esta todo sujo de molho.

- Tudo bem querida, já terminamos mesmo.

Ela me seguiu até a sala, onde papai estava sentado em sua poltrona e Edward praticamente do outro lado do modo, com Eric em seu colo.

- Oh, o bebê mais lindo desse mundo já está trocado. – Eric riu com os dedinhos na boca. Meu lorinho trajava uma bermudinha azul, uma camisa pólo, idêntica a do pai, e em seu pequeno pé um allstar. Olhei para Edward que estava quieto – Vamos?

- Hm, sim.

Caminhei até meu pai, beijando sua bochecha.

- Tchau pai.

- Tchau querida.

- Dê Tchau para seu avô filho. – Meu marido pediu, e Eric o obedeceu sorrindo, acenando para papai.

- Tchau garotão.

- Voltem amanhã Bella.

- Eu te ligo se formos vir mãe.

Depois de nos despedirmos fomos para o carro que meu pai havia nos emprestado para usarmos enquanto estivéssemos na cidade. Coloquei Eric no banco de trás, amarrando o cinto em sua cintura e em seguida fui me sentar no banco da frente.

- Pronta?

- Eu quem devia perguntar amor... Você está pronto?

- Você vai estar lá comigo? – Edward indagou, colocando sua mão sobre a minha.

- Sempre vou estar ao seu lado.

- Então eu sempre estarei pronto.

Sorrimos um para o outro. Edward começou a dirigir, enquanto eu pensava no que dizer a minha sogra. Fiquei tão absorta em pensamentos que quando percebi Edward estava me cutucando.

- O que?

- Chegamos... Eu acho.

Mordi os lábios, olhando pela janela, para a pequena casa branca que estava do outro lado da rua.

- Fique no carro, eu vou e já venho te chamar, ok? – Ele assentiu. Inclinei-me, colando nossos lábios e acariciando sua nuca. – Eric, cuide do papai!

- Ta mamãe.

Ri saindo do carro e atravessando a rua. Parei na porta da casa e dei uma olhada para trás, vendo Edward abaixar o vidro do carro. Voltei-me para a porta e bati.

Esperei alguns segundos, até que um homem alto abriu a porta.

- Olá, em que posso ajudar?

Reconheci a voz, e nem era preciso, só de olhá-lo pude perceber alguns traços de Edward. Suspirei... Se meu marido envelhecesse e ficasse assim, eu seria a mulher mais feliz do mundo, claro, se ele ainda estivesse comigo.

Balancei a cabeça espantando aqueles pensamentos.

- Oi, eu sei que é estranho, mas... Posso entrar?

Ele franziu a testa por alguns segundos.

- Me desculpe querida, não quero comprar nada e...

- Oh. – Acabei rindo, mas logo fiquei séria. – Não é sobre isso que eu gostaria de falar, bem... É sobre seu filho.

Carlisle fechou os olhos resmungando.

- O que Emmett fez dessa vez?

- Emmett? – Indaguei confusa, mas logo me lembrei do que Edward disse, sobre seu irmão. – Não, estou falando de Edward.

- Edward?

Dei um passo para frente quando ele se desequilibrou, levando a mão ao peito.

- Está tudo bem?

- Esme! – O loiro não respondeu, entrou na casa enquanto me puxava pela mão.

- Amor, algum problema?

Sorri ao ver a mãe de Edward entrar na sala... Uau, ele era muito parecido com ela.

- Essa moça, ela...

- Ela?

- Bom, posso me sentar? É uma longa historia.

- Carlisle, o que está havendo? Quem é essa mulher?

- Essa mulher quer falar conosco, sobre nosso Edward.

- Edward? – Pela reação dela, eu tive certeza que alguma coisa nessa historia não batia, afinal, que mulher seria capaz de ter dois filhos e ficar apenas com um deles? – Oh Deus... – Seus olhos se inundaram – Onde ele está? Você o conhece? Traga-o para mim, por favor...

- Por favor, acalme-se. – Pedi. – Bom, eu sou Isabella... Swan.

Eu não podia simplesmente dizer que era a mulher de Isabella, o que eles iriam pensar? O filho deles de apenas 26 casado com uma velha como eu, de 36 anos.

- Isabella? Oh Deus... Foi você quem o adotou! – A ruiva caminhou em passos largos até mim, agarrando minhas mãos e puxando-me para me sentar no sofá, agarrou em meu ombro e me sacudiu. – Diga, onde ele está? Porque não o trouxe? Edward... Oh Deus... Procuramos tanto por ele!

- Esme, acalme-se querida.

- Como vocês sabem?

Carlisle se apressou em falar.

- Há alguns anos atrás, o pai de Esme morreu, e acabou confessando que nosso outro filho não havia morrido no parto, mas sim que ele havia o levado para um orfanato... – O loiro passou a mão pelos cabelos e sua voz falhou – Eu... Eu estava trabalhando, não soube que Esme entrou em trabalho de parto, fui saber só no outro dia, e quando cheguei ao hospital...

- Quer dizer que vocês pensavam que Edward estava morto? – Indaguei em choque.

- Sim, até alguns anos atrás sim, quando realmente descobrimos a verdade procuramos ele no orfanato, mas disseram que não podiam nos passar informações, que ele havia sido adotado.

Ficamos alguns segundos em silêncio, enquanto Esme chorava e seu marido a consolava.

- Edward sempre sonhou em conhecer vocês. – Mordi os lábios, vendo os dois sorrirem – Só que ficou um tanto magoado quando descobriu que tinha uma irmã gêmea, e que ela estava com vocês e ele não.

- Oh meu Deus... Traga-o aqui, por favor.

- Tudo bem. – Me levantei – Espere aqui, eu já volto.

- Por favor não vá embora eu...

- Ei, calme. – Sorri – Edward está lá fora, no carro, vou apenas chamá-lo.

- Tudo bem.

Sai da pequena casa e atravessei a rua. Bati na janela e Edward a abaixou.

- Vem amor? – Sorri.

Ele ficou me olhando por alguns segundos e logo assentiu.

- Ok.

O observei sair do carro e abrir a porta de trás, pegando nosso pequeno.

- Quer que eu o leve?

- Não, me sinto mais seguro segurando-o.

- Fique tranqüilo, seus pais são incríveis, vai dar tudo certo. – Fiquei na ponta dos pés, colando nossos lábios. – Vem...

O puxei pela mão em direção a casa. Abri a porta devagar, vendo Esme e Carlisle ainda sentados no sofá, ela continuava a chorar contra o ombro dele, e ele a confortava.

- Esme, Carlisle...

POV Narrador

Assim que o casal ouviu seus nomes sendo chamado, olharam em direção a voz, encontrando Isabella parada próxima ao sofá, com um rapaz alto atrás dela, segurando um pequeno garoto que sorria torto, sugando sua chupeta azul.

- Oh meu Deus...

Esme se levantou, sendo seguida por seu marido. Os olhos da ruiva avaliaram o homem atrás de Isabella... Ela não precisava ouvir, sabia que aquele era o seu Edward, seu pequeno menino que lhe foi retirado.

- É ele. – Foi apenas o que Carlisle conseguiu murmurar.

Isabella virou-se para Edward retirando seu filho do braço dele, e dando-lhe uma piscadela.

Antes que ele reagisse, sua mãe já estava em seus braços, abraçando-o com força. A pequena mulher não chegava ao seu queixo, o que o fez sorrir, já que sempre tentou imaginar como ela seria.

Haviam muitas coisas a serem ditas e explicadas, mas no final, tudo daria certo.

[...]

- Vocês dois... – Esme olhou de Edward para Isabella e depois para Eric. – Hm, está querendo me dizer que...

- Que esse é meu filho sim. – Edward afirmou – E que minha mulher já está aqui, e é Isabella. Pode ser confuso no inicio, mas espero que não nos julguem... E garanto que foi uma das melhores coisas que me aconteceu.

- Só é... Estranho. Desculpe-me... Não queria que ficasse chateado ou bravo comigo.

Edward e Isabella riram.

- Tudo bem. – A morena sorriu – Eu estava preocupada com sua reação, afinal, eu adotei seu filho e ao invés de cuidar dele e amá-lo como mãe...

- Usou e abusou de você! – O irmão mais novo de Edward, Emmett, que havia chego há pouco tempo se intrometeu na conversa – Bom, com uma mãe dessas até eu deixaria ser abusado.

Edward travou o maxilar passando um de seus braços sobre o ombro de Isabella, possessivamente. A morena mordeu os lábios beliscando a coxa dele, enquanto ria.

Já fazia um bom tempo que estavam sentados na sala, conversando animadamente. Felizmente Edward compreendeu os motivos pelo qual foi deixado quando pequeno.

- Você é um bebê muito lindo! – Olhou para Isabella – Será que eu posso?

- Oh, claro. – A morena passou o pequeno garoto para o colo da avó.

- Oi pequeno Eric.

- Diga oi para sua avó querido.

- Oeeee bobó! – Ele olhou para os lados, como se procurasse alguém. – Cadê?

- Cadê o que filho? – Edward tocou o cabelo dele.

- Bobó!

Todos riram.

- Eric, a vovó Renée é mamãe da sua mamãe, já a vovó Esme é... minha... minha mamãe, por isso ela também é sua vovó.

- Oh! – O pequeno abriu a boca surpreso – Ota?

- Sim, agora você tem duas vovós e dois vovôs.

- Doos?

- Sim, dois.

- Uau!

- Ah não se esqueça que você também ganhou dois tios, mas uma nanica chata que ainda não chegou e eu. – Emmett se aproximou de Eric, ajoelhando-se no tapete e olhando o menino de perto. – Ok, seu pai é mesmo meu irmão! – O Jovem sorriu torto, cerrando os olhos para Edward – Seu filho puxou a beleza do tio.

Edward riu, rolando os olhos. Já havia percebido que seu irmão era um bobão.

- Emmett!

Enquanto os Cullen estavam entretidos com Eric, Edward colou seus lábios no pescoço de sua mulher e a sentiu se arrepiar.

- Eles são incríveis Bells.

- Sim meu anjo. – Ela sorriu – E você não queria vir conhecê-los.

- Apenas estava inseguro, mas agora vejo que foi inútil todo meu medo, eles realmente gostam de mim, não me deixam porque quiseram...

- Eu te disse, não disse? – A morena se encostou nele, suspirando – Que tal fazer algo em casa amanhã? É seu aniversário, podemos convidar seus pais, seus irmãos...

- Hm, é uma ótima idéia. – O rapaz sorriu, olhando para a mãe, de sangue – Vocês já planejaram algo para amanhã? Bom, é o aniversário de... Alice, certo?

- Sim, e seu também. – Esme mordeu os lábios – Bom, vamos fazer um almoço, convidamos alguns de nossos familiares e os pais do namorado de Alice.

- Bom, não planejamos nada para comemorar o aniversário de Edward, poderíamos transferir esse almoço para nossa casa, mas como jantar, que tal amor?

- Por mim tudo bem, vocês aceitam?

- Acho que Alice não vai se importar tanto.

- Falando nela... – Emmett veio andando da cozinha e olhou pela janela – Lice acabou de chegar.

Edward e Isabella se levantaram, olhando para a porta que se abriu. Por ela passou uma mulher branca, de estatura mediana, cabelos longos e preto, parecia uma pequena boneca.

- Boa tarde família! – Exclamou empolgada como sempre. – Boa tarde pessoas desconhecidas... Oh, que bebê mais lindo! – Sem que pudessem reagir, a mulher se aproximou de Isabella, abraçando-a – Oi, prazer sou Alice, OMG, essa sua bolsa não é da Chanel? Tipo... Eu amo Chanel.

Edward continuou parado sorrindo.

- Sou Isabella, e também gosto da Chanel... – A morena riu um tanto envergonhada – Foi presente de Edward.

Alice voltou sua atenção para o homem parado atrás de Isabella.

- Oi. – Driblou Isabella e o abraçou – Sou Alice.

- Edward, prazer.

- Então, família toda reunida... – Emmett se jogou no sofá. – Maneiro.

- Família? – A pequena Alice franziu a testa.

- Alice, querida, esse é Edward... Seu irmão.

POV Edward

Sorri, sentindo o pequeno corpo de Eric se remexer sobre o meu, meu filho estava sem camisa, apenas usando uma frauda e bermuda. Alisei seus cabelos sem olhá-lo, sabia que ainda estava dormindo, assim como sua mãe, que roncava baixinho agarrada a mim.

Inclinei minha cabeça, beijando a ponta pequeno nariz dela. Eu estava acordado desde as 06h00min da manhã, não estava conseguindo dormir direito... Havia passando por tantas emoções ontem e agora estava assim, era um misto de ansiedade e felicidade.

- Hm... Papai... – Resmungou meu pequeno.

Me virei de lado, deitando Eric em meu braço e apertando-o contra mim, por alguns segundos seus olhinhos se abriram... Meu filho ficou me olhando, mas logo voltou a dormir. Beijei seus cabelos que exalava aquele típico odor de suor com leite. Senti um aperto no peito ao imaginar-me na situação dos meus pais... Afastei aqueles pensamentos quando Eric se sentou na cama olhando ao redor um tanto confuso.

- Mamãe...

O peguei, colocando-o entre mim e Bells, meu filho puxou o decote dela, fazendo-a acordar.

- O que foi meu anjo?

- Mama...

-Mamãe já vai fazer.

- Não! - resmungou irritado, jogando-se na cama e chutando o ar. - Qué esse!

Apertou o seio de Bella.

- Nada disso. - o repreendi – O que conversamos aquele dia? Papai e mamãe explicaram que você já esta ficando grandão e não pode mais mama no peito da mamãe.

Eric me olhou irritado, depois se virou para a mãe com um bico enorme, começando a chorar baixinho.

- Oh bebê não chore, vem cá, mamãe vai te dar mama.

Eric olhou para mim e depois para ela, ele negou com a cabeça e saiu engatinhando até os nossos pés, jogando-se ali, choramingando.

Rolei os olhos para a manha dele.

- Bebê. - Bella amoleceu na hora, o que me fez rolar os olhos novamente - Ed não o faça chorar logo cedo... – Minha mulher se sentou e puxou Eric, deitando-se logo em seguida e colocando seu seio para fora. - Mame o quanto você quiser.

Meu garoto voltou a negar me olhando de relance. Bella riu sussurrando algo no ouvido dele. Os dois riram e sorriram cúmplices, logo Bella puxou nosso edredom sobre sua cabeça ocultando o que estava acontecendo sob cobertor. Obvio que ele estava mamando, eu podia ouvir o som da sucção.

- Desse jeito você mata a mãe de arrependimento meu anjo, mame devagar, sem desespero.

Tirei o coberto de cima deles.

- Filho, não precisa mamar assim, escondido, papai só se lembrou do nosso combinado, mas se você quer mama... Mame.

Ele se soltou do seio de Bells e veio até mim, beijando minha bochecha e voltando logo em seguida para o seio da mãe.

- Só não durma meu amor. Já já temos que sair... - Minha mulher sorriu - Hoje é o pique-pique do papai.

Sua mão alisou meu rosto, eu a peguei, beijando seus dedos.

- Obrigado.

- Eu te amo muito meu garoto, eu só desejo sua felicidade, seu bem... E claro, que tudo isso seja ao meu lado, fazendo-me feliz também, mas se um dia...

- Shhh. - inclinei-me colando nossos lábios, calando-a. - Só vou ser feliz ao seu lado, deixa de paranóia. Eu também te amo demais.

Bella sorriu, alisando meus cabelos. Eric resmungou baixinho por conta da atenção da mãe estar voltada toda para mim, mas Bells não deu muita moral para ele e me puxou para um beijo lento. Deixei a ponta da minha língua escorregar por entre seus lábios.

- Estou com saudades de você...

- Eu também princesa, você me deixou de castigo esses dias todos... Sem poder te tocar, te beijar, te sentir.

- Pode ir parando. – Riu, me empurrando – Sabe que não resisto quando fala assim...

- Não precisa resistir, que tal tomar um banho com seu amado marido?

- Melhor não, nosso amado filho está acordado e temos que sair, tome você um banho, vou depois de você.

- Quer que eu aproveite e dê um banho em Eric?

- Por favor.

Nosso pequeno resmungou um pouco, até eu resmungaria... Sabíamos muito bem como era difícil tirar aqueles seios da boca.

[...]

- Acha mesmo que ela irá gostar?

- Bom, pelo pouco que vi da sua irmã. – Bella sorriu, enlaçando minha cintura com um de seus braços enquanto caminhávamos pelo shopping – Ela irá adorar.

- Hm, então está bem. – Dei de ombros rindo – Alice tem estilo de ser perua.

- Edward!

- O que?

- Não fale assim da sua irmã. – Rolei os olhos ajeitando Eric em meu braço. Meu menino riu quando fui socado por minha mulher. – Vamos parar em algum lugar? Estou morta de fome...

Nosso garoto concordou, soltando um grito e apontando em direção ao McDonalt’s.

- Comer ali? Filho, não é boa idéia ficar sem almoçar e comer coisas saturadas.

- Hm, fala o pai com a dieta balanceada. – Bella riu, arrastando-me em direção a lanchonete – Ele nunca come bobeiras, deixe-o se divertir hoje.

- Eu sei amor, só me preocupo ok?

- Eu te entendo, mas uma vez ou outra não vai fazer mal.

Havíamos saído cedo de casa, e primeiro passamos no supermercado, comprando tudo que Bella utilizaria para o jantar, depois voltamos para casa e guardamos tudo, no entanto havíamos nos esquecido do presente de Alice, afinal, ela também era aniversariante.

Observei surpreso Bella devorar um super hambúrguer. Franzi a testa estranhando, ela nunca foi muito chegada naquelas coisas, sempre dizia que envelhecia e etc...

- O que? – Chupou o dedo, indagando – Porque está me olhando assim?

- Nada. – Dei de ombros, desviando os olhos para Eric que se lambuzava todo de ketchup.

- Antes de irmos embora preciso passar na farmácia e comprar mais algumas fraudas para Eric, sabe que não é muito confiável deixá-lo dormir sem, além do mais em nossa cama.

Concordei sorrindo. Passei meu braço ao redor do ombro dela e beijei seu pescoço.

- A senhora que manda.

- Hm, que bom que você já sabe. – Piscou, rindo.

Depois de ficarmos saciados, decidimos que era hora de ir embora. Passamos em uma farmácia e fiquei no carro com nosso filho enquanto Bella entrou e voltou minutos depois.

- O que houve? – Toquei seu rosto pálido.

- Nada, nada. – Suspirou um tanto exasperada, colocando as sacolas no banco de trás, ao lado da cadeirinha de Eric. Não demorou muito para que chegássemos em casa, que ficava próxima ao shopping.

- Ele apagou. – Balancei Eric em meus braços, mostrando que nem uma boa chacoalhada o acordava.

- Edward! – Bella me lançou um olhar de repreensão. – Não faça isso, Eric vai acordar e não vou conseguir fazer o que tenho que fazer.

Encolhi meus ombros, sabendo que ela estava certa.

- Vou colocá-lo no quarto.

- Por favor.

Não respondi. Bella havia ficado irritadinha de uma hora para outra, e a única coisa que eu não queria era brigar com ela hoje, no dia do meu aniversário.

Subi para nosso quarto e o deitei na cama. Retirei sua camiseta e sapatos, deixando-o confortável. Encostei meus lábios na bochecha dele e suspirei.

- Papai às vezes é um moleque, mas ama muito você ok? Muito, muito mesmo, assim como ama sua mamãe, mesmo ela sendo chata às vezes...

Senti olhos queimando minhas costas, quando me virei vi Bella encostada na parede, me olhando com os olhos marejados.

- Seu idiota. – Enxugou as lágrimas – Vai acordá-lo!

Ri me levantando da cama, indo até ela e a abraçando.

- O que está havendo contigo hoje? – Deixei meu corpo prensar o dela na parede. – Está estranha, mal-humorada, chorona...

- Me desculpa. – Se agarrou em mim – Eu só estou confusa.

- Em relação a que? – Me afastei, segurando seu rosto – A nós?

- Não. Jamais.  – Negou. – Eu... Depois conversamos sobre isso, porque não vem me ajudar na cozinha?

- Só vou trocar de roupa e logo estarei lá embaixo. – Beijei sua boca, alisando sua coxa. – Amo você.

- Eu também. Eu não disse com todas as palavras, mas... Feliz aniversário.

- Obrigado amor.

- Agora vou descer, tenho que terminar tudo lá embaixo.

- Tudo bem, logo estarei lá para te ajudar.

Beijei seus lábios mais uma vez e deixei ela descer. Troquei de roupa, ficando apenas com uma bermuda. Encontrei Bella na cozinha, descalça, com os cabelos amarrados em um rabo de cavalo, andando de um lado para o outro.

Eu a abracei por trás, aspirando seu cheiro maravilhoso.

- Em que posso te ajudar?

Ela se virou, abraçando-me.

- Não precisa fazer isso amor. – Sorriu – É seu aniversário, porque não pega uma cerveja e se senta na sala para assistir algo na TV?

- Porque quero ficar com a minha mulher. Qual é amor, não confia nos meus dotes?

Bells riu.

- Ok... Vou te explorar então.

- Sexualmente? – Ela rolou os olhos e eu ri – Brincadeirinha amor.

POV Bella

Pedi para Edward que ficasse na cama com Eric, caso nosso pequeno acordasse não choraria, mas aquilo foi apenas um pretexto para que ele não viesse tomar banho comigo, sem duvida alguma ele entraria em choque quando me visse fazendo testes de gravidez.

Droga... Quando eu entrei naquela farmácia para comprar as fraudas de Eric e dei de cara com um absorvente, logo tentei me lembrar da ultima vez que havia descido para mim.

Como pude falhar assim? Eu devia ter me monitorado melhor, lembrado Edward que suspendi os anticoncepcionais por conta da recomendação do meu ginecologista e usado camisinha quando fizéssemos amor.

Tomei meu banho demorando um pouco até que o resultado ficasse pronto.

Apesar da incerteza de que se Edward gostaria ou não daquilo, eu sorri... Oh Deus, mais um bebê.

Fechei o registro e sai do box, me enrolando em uma toalha. Olhei para os três palitinhos sobre a pia e suspirei.

POV Narrador

Diferente de algumas horas atrás, Isabella estava sorridente, andando de um lado para o outro enquanto tentava dar atenção aos seus pais, os pais de Edward, seu cunhado e cunhada e alguns parentes dos Cullen.

Edward sorriu torto quando sua mãe o puxou em direção a mais um de seus parentes.

- Edward, essa é sua tia Katharine e sua prima Tânya.

- Oi. – Sorriu, abraçando elas. – Prazer.

- O prazer é nosso priminho. – O mediu de cima abaixo.

Edward era o tipo de homem que Tânya procurava. Bonito, jovem e principalmente... Rico, muito rico.

O rapaz torceu os lábios disfarçadamente, odiava mulheres como sua prima, atiradas e vulgares. Porra, ele tinha mulher, e era casado, muito bem casado.

- Bom, fiquem a vontade, vou procurar minha mulher.

Emmett se sentou no sofá com sua namorada, ao lado da mais nova cunhada.

- Ei Bella, não da mole não, olha lá... – Apontou em direção a Edward que conversava com a tia e a prima. – Aquela é a prima piriguete da família, nem sei o que ela está fazendo aqui... Alice quase a deixou careca quando soube que Tânya deu encima de Jasper.

- Eu já volto.

A morena na apressou em se levantar e correr até o marido que acabava de falar para as duas.

- Bom, fiquem a vontade, vou procurar minha mulher.

- Estou aqui amor. – Isabella o abraçou por trás, passando um de seus braços ao redor da cintura dele.

- Katharine e Tânya, essa é minha nora, Isabella... Ela que trouxe meu Edward para mim.

- Prazer. – Acenou para elas.

- O prazer é nosso querida. – Katharine estava sendo sincera, ao contrario da filha que media Isabella de cima a baixo. – Sua casa é linda.

- Ah, obrigada, ela é muito especial para nós, não é amor?

Edward mordeu os lábios assentindo.

- Oh sim, como é.

- Espero que não estejam sendo maliciosos. – Esme os repreendeu rindo. – Droga, vocês estão, não é?

- Não, só que essa casa nos trás boas lembranças. – O rapaz deu de ombros – Vocês não entenderiam... Mas amor, onde está nosso pequeno?

- Sua irmã estava com ele. – A morena olhou ao redor, encontrando o filho se esbanjando no colo da namorada de Emmett, uma jovem loira, bonita, chamada Rosalie. – Olha ele lá.

Edward não evitou um sorriso.

- Meu filho é muito esperto. – Riu, abraçando Isabella por trás, ignorando totalmente a presença da tia e prima que ainda continuavam ali, já Esme havia ido até Carlisle que conversava com os pais de Isabella.

- Puxou o pai...

- Adora mulheres mais velhas.

A morena riu, começando a andar até o filho, sendo seguida por Edward, que permanecia grudado nela.

- Bebê está com fome?

Eric assentiu, abrindo os pequenos bracinhos em direção a mãe.

- Vamos servir o jantar Bells, já são quase 22h00min.

- Ótima idéia maninho. – Alice concordou sorrindo.

Logo todos foram para a enorme sala de jantar, onde teve que unir duas mesas para que todos pudessem se sentar.

O jantar foi confortável, e claro que Eric foi o protagonista, dizendo aquelas palavras que havia aprendido com a discução dos pais, tipo... “Totoza”, “Diota”, “Se Ferrou” e tantas outras, o que fez Isabella se envergonhar até o ultimo fio de cabelo, já Edward, como todo pai, achou engraçado.

O importante é que tudo deu certo e o jantar foi delicioso, repleto de risada.

- Acho que está na hora de cantar parabéns para o seu papai e para a titia, você está quase apagando meu anjo.

Eric tirou a cabeça do ombro da mãe, bocejando.

- Bolo?

- Sim bebê.

Ele sorriu torto igual ao pai.

- Bella, cantar parabéns com bolo não estava no combinado. – Edward torceu os lábios um tanto envergonhado.

- Um aniversário sem bolo não é aniversário.

Cantaram parabéns para os gêmeos que novamente foram ofuscados por Eric, o pequeno cantava fora de ritmo e não seguia a letra, mas suas palminhas e risadinhas encantou a todos.

- E o primeiro pedaço vai para que? – Esme indagou, cortando o bolo e dando um pedaço para Edward e outro para Alice.

- O meu pedaço vai para o homem que espero que seja meu para sempre... – A baixinha saltitou em direção a Jasper, entregando o bolo para ele e o beijando.

- E serei minha linda. – Ele sorriu – Por isso escolhi hoje para perguntar a você... – Todos sorriram ao ver o loiro se afastar da namorada e pegar uma pequena caixinha de veludo do bolso. – Casa comigo?

- Ooown! Claro que sim, meu loirinho.

Todos aplaudiram e parabenizaram aos noivos.

- Bom, não gosto muito de pensar em dar esse pedaço para apenas uma pessoa em especial... – Edward começou a falar assim que a agitação parou. – Tem várias pessoas especiais para mim aqui... Meus pais, meus irmão, meus sogros, meu filho e claro, minha linda mulher, sem duvida alguma, se eu fosse dar a uma pessoa ela seria a escolhida. – O rapaz deu de ombro, sorrindo timidamente – Afinal, o que seria de mim sem ela? Bom, se Bells não tivesse me adotado talvez meus pais tivessem conseguido me encontrar naquele orfanato, mas não me arrependo do que aconteceu em minha vida. Tenho uma família incrível, um filho lindo, um trabalho que adoro, e uma mulher magnífica, que esteve ao meu lado em todos os momentos, me apoiando, me ajudando a seguir enfrente e até me incentivando a vir aqui procurar por vocês... Só que eu sei como vocês mulheres são, se eu entregar esse pedaço de bolo para Bella, minha mãe irá ficar ressentida, assim como se eu entregar a minha mãe Bells me castigaria, então, esse pedaço de bolo vai para meu herdeiro. – O Cullen se aproximou da mulher e do filho, dando-lhe o bolo na boca.

- Hm... – O pequeno mastigou, rindo – Dilicia.

Edward inclinou-se, beijando a mulher, rindo contra seus lábios.

- Amo você. – Ela sussurrou.

- Tanto quanto eu amor. – Se afastou, puxando o filho do colo da mulher e sussurrando em sua orelha – Pegue o presente de Alice.

Isabella assentiu, saindo da sala de estar enquanto todos se dirigiam novamente para a sala, sentando-se nos sofás e conversando animadamente.

Logo a morena voltou trazendo três caixinhas pequenas em mãos, tremulas.

- Alice, não te conhecemos muito bem e nem tivemos muito tempo para encontrarmos o presente perfeito para você, mas Bella, eu e Eric estamos lhe dando algo simples, mas que é de coração... – Edward pegou a caixinha que Isabella lhe deu e entregou a irmã. – Feliz aniversário.

- Oh meu irmão, não precisava. – A pequena desfez o laço e abriu a pequena caixa, olhando admirada para a pulseira de prata com um par de brincos. – Vocês não deviam ter feito isso, deve ter custado cara e... Droga, o que eu comprei para você nem se compara isso.

- Não se preocupe com isso, estamos felizes em saber que gostou. – Isabella a abraçou – Feliz aniversário querida, te conheço há pouco tempo, mas teremos muito tempo para isso.

- Ok. – Alice pegou o embrulho que trouxe e entregou a Edward. – Espero que goste, se não servir, podemos trocar.

Edward passou Eric para Isabella e pegou seu presente, abrindo-o rapidamente e retirando de lá uma linda camisa listrada.

- Obrigado Alice. – Beijou a irmã. Ele realmente havia gostado do presente, não importava que não fosse de marca, mas só de saber que sua irmã se deu o trabalho de procurar algo para ele já o deixava muito feliz.

- Agora é minha vez... – Emmett se levantou deixando a namorada no sofá. – Esse é do Ed e esse é seu Lice, ou esse é da Lice e esse é do Ed? Ah... Tanto faz, abre ai, se for ao contrario vocês trocam.

Edward riu, abraçando o irmão junto com Alice.

- Hm, acho que esse... esse não é o meu. – As bochechas de Alice denunciavam que aquele presente era impróprio.

Edward olhou dentro da sua caixa e viu um lingerie branco.

- Esse aqui até que pode ser meu, mas vai ser Bella quem ira usar.

- Ah, desculpem. – Emmett, apesar de ter apenas 16 anos era enorme, o rapaz pegou os presentes e destrocou – Espero que gostem e usem.

- Emmett! – Alice bufou, batendo nele com sua caixa que continha a lingerie.

- Mostra Alice! – Bella e Esme pediram, curiosas.

Meio constrangida, Alice abriu a caixa, retirando de lá um espartilho branco, com detalhes rosa.

- Oh, a noite vai ser boa. – Edward brincou, vendo Jasper e Alice corarem.

- Abre o seu bundão. – Emmett incentivou.

Edward, meio amedrontado, abriu sua caixa, retirando de lá uma boxer.

Os olhos de todos se arregalaram ao ler o que estava escrito na parte da frente. Ele riu, virando-se em direção a sua morena.

- Eu vou usar ela hoje à noite amor... – Colocou a boxer enfrente ao seu corpo. Charlie não gostou muito quando viu os lábios de Edward se movendo, falando a frase que estava estampada na cueca – Suck me bitch.

- Fico em feliz por espalhar a perversão por esse mundo. – Emmett riu, voltando a se sentar e beijando a bochecha de sua namorada.

Logo começaram a vir mais presentes, Esme, Carlisle, Renée, Charlie e Jasper. Porém faltava mais dois.

- Isso é para o papai? – Edward indagou, quando Eric correu em sua direção segurando uma pequena caixinha.

- É! – Afirmou o pequeno.

- Obrigado, amor do papai. – O Cullen se abaixou, ajoelhando-se e pegando da mão do pequeno o presente que tinha um pequeno bilhete “De: Mamãe e Eric”. Edward abriu a caixinha, encontrando um lindo relógio caro de uma marca famosa. – Vem aqui... – Puxou seu filho para um beijo e um abraço apertado, logo em seguida se levantou com o pequeno nos braços, para beijar Bella. – Obrigado princesa.

- Você ainda tem mais um presente, bom, que de certa forma é meu também... E eu acho que você vai gostar, já que há algum tempo atrás comentou que gostaria de ter isso, só que foi há “algum tempo atrás” pode ser que você já não queria... E... Droga, não tem devolução, muito menos troca.

- Eu vou gostar de tudo o que vier de você. – Sorriu torto. Ainda tremula, Isabella passou a outra pequena caixa que trouxe quando foi buscar o presente de Alice. Todos olhavam atentamente para os dois, que pareciam ter se esquecido que havia mais pessoas ali. Edward olhou para os três palitinhos que estavam dentro da caixinha e voltou a encarar a morena – Isso... Isso é verdade?

- São três testes... E os três deram positivo, então...

- EU VOU SER PAI! – Colocou o filho no chão e girou a mulher no ar.

Para ele, aquele havia sido o melhor presente.

[...]

Todos já haviam ido embora, depois de parabenizar Edward e Isabella pelo bebê que estava a caminho. Eric apagou assim que foi colocado na cama.

A morena deixou seu corpo relaxar no sofá, apreciando o peso de Edward contra o seu. Ele estava meio que sentado entre as pernas dela, de olhos fechados.

- Cansado? – Ela indagou, alisando os braços largos do marido, enquanto apoiava seu rosto no ombro dele.

- Não muito. – Edward riu baixinho abrindo os olhos e olhando para o alto. – E aqui estamos nós, no local onde tudo começou...

- Parece que foi ontem, nem consigo acreditar que já se passou 10 anos desde que você veio morar aqui em casa.

- É. – Edward torceu os lábios – Mas eu fiquei 6 anos sem te ver.

- Eu sei...  – Isabella se ajeitou atrás de Edward, correndo sua mão pelo tórax dele. – Mas nem o tempo apagou da minha memória as lembrança daquela noite.

- Você ainda se lembra? – Ele riu, arrepiando-se com as mãos atrevidas de sua mulher, alisando seu peito.

- Nós estávamos aqui no sofá, dessa mesma maneira... – Os lábios dela escorregaram pela nuca dele. – Estávamos assistindo um filme na TV, e juro que eu não sabia que havia cena de sexo nele...

Edward sorriu torto, sentindo a mão da morena deslizar pelos mesmos caminhos que passaram naquela noite. Ele apertou a coxa gostosa que estava ao lado de seu corpo.

- Eu estava tão excitado... – Gemeu, sentindo seu membro começar a ficar duro. – Eu sabia que era errado, mas eu havia sonhando tantas noites com você me tocando, eu me masturbava imaginando meu pau em você amor.

- Não sabia disso. – Ela sussurrou, alisando o membro duro sobre a bermuda dele. – Me desculpa garoto, não consigo me controlar...

Edward apertou os olhos com força, ouvindo ela dizer o mesmo que disse no dia em que fizeram amor pela primeira vez.

- Bella...

- Você não quer? Eu posso parar.

Edward riu, ela realmente lembrava de tudo o que houve naquela noite.

- N-não. – Fingiu-se tímido, como antes era. – Não pare senhora Black.

- Edward, isso foi broxante.

- Ora, naquele dia você ainda era Sra. Black. – Virou-se, ficando de joelho entre as pernas dela, olhando-a profundamente – Não sabe como eu odiava saber que você era dele... – Sua mão ergueu um pouco a camisola de seda dela. – Eu era obrigado ver vocês se beijando por ai, eu sentia inveja, ciúmes, queria que fosse eu no lugar dele...

- Amor...

- Shh... Eu sei, não vou mais ficar falando nisso, por que eu sei que você me ama, e é só minha, toda minha. – Beijaram-se de forma sôfrega, buscando um a língua do outro. – E eu vou te amar agora, e garanto que ninguém mais fará com você isso, apenas eu, seu marido.

A morena fechou os olhos, quando os lábios dele escorregaram pelo pescoço dela.

- Então me ama amor...

- Pensei que quisesse refazer os mesmo “passo-a-passo” daquela noite.

- Deixa isso para outro bônus

- Hein?

- Edward, me beija.

Embolaram-se de forma linda e perfeita naquele sofá, onde tudo começou, onde eles se amaram da mesma forma intensa e apaixonada de sempre.

Seria sempre assim, como desde a primeira vez.

Isabella mordeu os lábios quando o viu se levantar e abaixar as calças, mostrando sua mais nova boxer.

- Seu irmão...

Riram, enquanto Edward voltava a se deitar sobre.

- Bom, pelo menos pode fazer o que a frase manda? – Moveu as sobrancelhas, vendo-a morder os lábios – Suck me, Bitch.

***

Edward sorriu, ainda ofegante por conta do orgasmo intenso que acabara de ter. Ele beijou a morena devagar, sentindo-a alisar sua nuca.

- Estou tão feliz...

- Que bom meu amor, eu fico feliz quando você está feliz.

Edward desceu beijos pelo corpo nu dela, alcançando sua barriga.

- Oi bebê, papai está ansioso aqui... Louco para saber se vai pegar nos braços mais um menininho ou uma menininha. – Riu, beijando a pele lisa da barriga da morena que ainda não demonstrava nenhuma modificação. – E eu que pensei que sua mãe não podia me fazer mais feliz...

- Vem aqui amor. – Ele voltou a se deitar sobre ela. Beijando-a. – Está mesmo feliz?

- Ainda duvida? – Sorriu, rolando os olhos verdes.

- Que bom, também estou feliz, apesar de saber que irei sofrer... Deus, não tenho mais aquele pique para cuidar de um bebê... Já não consigo seguir o ritmo de Eric.

- O papaizão aqui vai te ajudar. – Apertou seus braços ao redor da morena – Vamos tomar um banho?

- Só banho Edward...

- Ah princesa...

- Nem adianta reclamar, seu filho vai estar no quarto.

- Sim, mas vai estar dormindo.

- Edward...

- Ok, ok, você quem manda. – Sentou-se, puxando-a para seu colo e depois se levantou. – Mas se você mudar de idéia...

Riram, subindo para o quarto. Na enorme cama o pequeno Eric ressonava lindamente, estava sem camisa, apenas de frauda e cueca. Isabella e Edward sorriram ao ver o filho encolhido, com as mãozinhas próximas ao rosto.

A morena foi arrastada para o banheiro pelo marido, onde tomaram um bando demorado e cheio de amasso, mas não passou daquilo. Logo os dois estavam agarrados na cama, junto com o pequeno filho.

- Vou sentir saudades daqui. – Isabella suspirou – Sabe, como eu disse antes, essa casa trás boas lembranças.

- Eu sei, também gosto daqui. – Ele deu de ombros, beijando a bochecha dela, enquanto escorregava sua mão pelas costas nuas da morena. – Sabe, podíamos nos afastar um tempo do trabalho, das confusões de Londres e ficar um tempo aqui, com Eric... Seus pais, os meus.

- Eu estava pensando em outra coisa...

- Tudo bem, não precisamos ficar, eu só queria conhecer mais um pouco dos meus pais, mas se você não quer podemos ir e...

- Ei, calma. – Isabella riu – Eu só ia... sabe, propor para que voltássemos para cá, sabe... Podemos pedir transferência para cá, e quando nosso bebê nascer vou precisar de ajuda, tenho certeza que sua mãe e a minha irão adorar participarem da minha gestação e do crescimento das crianças.

- E eu pensando que você não tinha mais como me surpreender. – Sussurrou sorrindo, apertando-a contra seu peito, soltando o ar com força. – Eu te amo tanto minha linda.

- Eu também amor, meu menino proibido.

Riram, mas logo pararam quando Eric resmungou.

Isabella sabia, que apesar de toda sua insegurança, Edward seria seu até que a morte os separasse, porque é assim, quando o amor é verdadeiro nada  importa, nem idade, nem situação...

13 comentários:

CaahCocenza disse...

Desculpem-me tinha alguns trechos "Anthony" ao invés de Eric KKKK sorry, foi uma semana corrida (:

duda disse...

Fantastico.
Adorei,Parabens.

Thamara disse...

Amei.. Perfeito!!!!

Anônimo disse...

Adorei *.* Muito fofo

evelyn caroline disse...

Own *-* ficou muito lindo! Adorei esse Eric fofo e perfeito; adorei mesmo!

@Thataa_Cristina disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaaaa
amei muito fofo o Anthony (Ops Eric) kkkkkkkkkkk

Vanessa Ruguê disse...

awn, fiquei vyada. Que coisa liiinda *-*

cahcocenza disse...

Que bom que curtiram HASUAH fico feliz \o/

Renata disse...

Fantastico

Raphaella Paiva disse...

Amei o bônus, Caah! Ficou incrivelmente fofo *-*
Toodles honey

Julia disse...

Ahhhhhhhhhhhhh!Que tudo,que perfeito,que magnífico,adorei.Parabéns Caah.bjbj

Carollyne disse...

choreiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii ameiiii loucamenteeeeeeeeeeeeeee Cahh vc é perfeita se sabeeeeeeeeeeeeee

Anônimo disse...

adorei, vc irá fazer um bônus da "primeira vez" deles ? acho q seria bem legal .

Postar um comentário