Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

18/08/2011

Dont Forget For Me - Capitulo 5.


N/A: Bom, esse capitulo está pequeno, eu resolvi escreve-lo só para esclarecer a duvida de todas vocês (:

Comentem e "Curtam". Beijos!!!

Capitulo 5

POV Emmett

Suspirei encostado na porta do quarto onde Bella havia se enfornado há horas e até agora não havia saído.

Eu podia imaginar como ela estava se sentindo. Se eu perdesse Rosalie também saberia como reagir.

A porta do quarto da frente se abriu.

- Como ela está? – Carlisle indagou.

- Não está respondendo. – Fechei os olhos – Odeio ver minha irmã sofrer, desde que papai e mamãe morreram prometi que nunca mais a deixaria sofrer, mas eu falhei, duas vezes, quando Edward e ela se envolveram pela primeira vez e agora...


- Não é sua culpa. – Ele tentou me dar um meio sorriso, mas eu via em seus olhos o quanto ele também estava sofrendo.

- E Esme?

- Estava inconsolável, dei calmante a ela e só agora consegui fazê-la dormir.

Assenti, cruzando os braços sobre meu peito.

- Deram mais alguma informação? – Perguntei. Carlisle passou a mão pelos cabelos, negando com a cabeça. – O corpo?

- Não, por enquanto nada. – Sua voz tremeu um pouco – Retiraram o carro de dentro do rio, mas não acharam nada além dos documentos de Edward... – Seus olhos se fecharam – Eu ainda não consigo acreditar que isso está acontecendo. Estive hoje cedo com ele...

- Precisamos ser forte. – Toquei seu ombro – Bella, Esme, Anthony, Margareth e Alice precisam de nós.

- Eu sei, mas... É meu filho.

Abaixei a cabeça enquanto Carlisle se afastava em passos lentos, a única coisa que se podia ouvir no corredor era o começo de seu choro.

Suspirei e voltei a me virar para a porta do quarto. Bati devagar.

- Bells, abre para mim. – Ela me respondeu da mesma maneira... Com seu silêncio. – Eu já volto.

Desci para o andar debaixo.  Rose estava sentada no sofá, Margareth estava deitada de bruços com o rosto nas pernas da minha mulher.

- Tio Emm... – Ela choramingou, com o pequeno rosto vermelho e os olhinhos inchados. – É mentira, não é?

Caminhei até elas, sentando-me ao lado de Rosalie e tocando os cabelos de Meg.

- É o mais provável pequena.

- Mas... mas eu amava tanto ele.

Sorri fraco, enxugando suas lágrimas.

- Eu sei, eu também o amava, porém, às vezes, as pessoas que a gente mais ama são levada de nós, não podemos evitar isso, é a vida princesinha. E você precisa ser forte, Bella precisa de você.

- Eu não quero! – Ela se levantou – Quero minha mãe.

Antes que eu pudesse reagir ela saiu correndo pela escada. Respirei fundo, arrastando-me até Rosalie, deitando minha cabeça em seu ombro enquanto descia minha mão até sua barriga.

- Estávamos tão felizes. – Sussurrei – Descobrimos sobre nosso bebê e iriamos contar para todos hoje, mas acho melhor esperar um pouco agora.

- Eu também acho. Bella está passando por uma barra, precisa de nós.

- Sim amor. – Beijei sua bochecha, abraçando-a.

POV Bella


Enquanto a chuva molha meu rosto
Ela esconde a minha lágrima
Que insiste em encontrar o chão.

Suspirei olhando para o teto. Meus olhos estavam doloridos e inchados, parecia ter areia dentro deles.

Não sei exatamente há quantas horas eu estava ali, naquela mesma posição, mas não estava com a mínima vontade de sair dela.

Os pequenos braços de Margareth estavam ao redor de minha cintura e seu rosto escondido contra meu corpo. Ela havia chorado tanto junto comigo que acabou pegando no sono. Eu queria ter a mesma sorte que ela e dormir... Dormir e quando acordar ver que tudo aquilo foi apenas mais um de meus pesadelos e que Edward estaria atrás de mim, dizendo que me ama.

Enquanto o frio toma meu corpo
Eu aprendi sem a gramática
Que saudade não tem tradução.

Infelizmente a realidade é outra. Em diversos momentos apertei meus olhos com força e os abri novamente, mas eu sempre via a mesma cena... O quarto escuro.

Aspirei o cheiro maravilhoso que estava ali... O cheiro dele.

Novas lágrimas escorriam sem nenhum controle.

Droga, porque isso aconteceu comigo? Eu o amo tanto... Já não havíamos sofrido o suficiente?

Eu preciso tanto de você
O seu amor é o que me faz crescer
E conhece como a própria mão
Cada medo do meu coração.

O resmungou de Anthony me trouxe a realidade. Virei-me na cama, acolhendo-o em meus braços.

Seus pequenos olhos estavam abertos. Inclinei-me colando minha boca em sua bochecha.

- Como vou cuidar de você sozinha? – Indaguei a mim mesma, alisando seu rostinho. – Ele não podia ter me deixado... Ele não podia ter feito isso comigo, não, não podia.

Hoje pensei tanto em nós dois
Que não podia deixar pra depois
E eu vim aqui só pra dizer
Que eu sou louco por você.

Suas pequenas mãozinhas puxaram minha blusa. Era normal ele estar com fome, por isso ergui minha blusa para lhe dar de mama.

Ele era a cópia do pai. Seus cabelos, seu nariz, seu sorriso...

Meu coração estava em pedaços só em saber que eu nunca mais veria aquele sorriso, nunca mais provaria de seus lábios, nunca mais sentiria seu toque em meu corpo... Eu nunca mais o veria.

Enquanto a chuva molha meu rosto
Ela esconde a minha lágrima
Que insistem em encontrar o chão.

Enquanto o frio toma meu corpo
Eu aprendi sem a gramática
Que saudade não tem tradução.

Olhei pela janela enquanto deslizava meus dedos pelos cabelos desalinhados de Anthony. Minha vida estava como o tempo, que de uma hora para outra se tornou fria e cinzenta. Eu podia ouvir o som da chuva, dos ventos e dos trovões.

Seria assim agora em diante, eu viveria apenas para cuidar dos meus filhos. As únicas coisas que restaram de Edward... O que restou do nosso amor. Seria difícil, mas eu não poderia me entregar a dor e a escuridão e deixar meus pequenos sem mim.

Eu preciso tanto de você
O seu amor é o que me faz crescer
E conhece como a própria mão
Cada medo do meu coração.

Desde que Edward e eu nos acertamos, nunca parei para pensar o que seria da minha vida se ele saísse dela novamente. E agora... Eu não tinha tempo para pensar ou planejar como viver sem ele... Meu marido partiu, deixando-me sozinha.

Sei que dificuldades não iremos passar, mas Edward era... Meu porto seguro, meu alicerce, meu ar...

Hoje pensei tanto em nós dois
Que não podia deixar pra depois
E eu vim aqui só pra dizer
Que eu sou louco por você.

Uma Semana Depois...

Apertei uma mão na outra, esperando pelo que Carlisle tinha a dizer.

- Bella... - Ele passou a mão pelos cabelos loiros, aquele simples gesto me fez lembrar Edward, meu peito se apertou – Tentei fazer de tudo, mas... Eles realmente irão cancelar as buscas.

- O QUE? – Me levantei do sofá – ELES NÃO PODEM FAZER ISSO!

- Bells, acalme-se. – Emmett também se levantou e veio até mim, segurando-me pelo ombro. – Não podemos fazer mais nada, eles fizeram tudo o que foi possível para achar o corpo de Edward, mas não conseguiram.

- Garanto que não fizeram o suficiente! – O empurrei, retirando suas mãos de mim. – O que aqueles desgraçados querem que eu faça se nem o corpo do meu marido tenho para enterrar.

- Não podemos entender isso como bom sinal? – Alice sussurrou – Se não acharam o corpo, talvez...

- Alice. – Carlisle negou com a cabeça – Na velocidade que Edward estava... Seria quase impossível alguém sobreviver.

Dei as costas para eles, enquanto levava minhas mãos ao rosto. Era doloroso demais ouvir aquilo.

POV Narrador

  O homem estava deitado na cama branca do pequeno hospital de Seattle. Há alguns dias atrás ele não conseguia mover um músculo sequer de seu corpo, não conseguia falar ou abrir os olhos, porém, seus ouvidos conseguiam captar o som que os aparelhos que estavam posicionados ao lado de sua cama.

Ele estava tão perdido, não conseguia raciocinar direito, muito menos pensar. De vez enquanto seu corpo doía e como não conseguia falar tinha que ficar ali, até alguma enfermeira entrar no quarto e aplicar injeções nele.

A porta do quarto se abriu lentamente, o velho senhor passou por ela acompanhado de uma bela moça.

- Bom, você pode ficar tranqüila, Edward está se recuperando rapidamente. – A voz grossa e rouca do doutor soou pelo quarto – Já tivemos ótimos resultados, sabemos que não está em um coma permanente e já está movendo a ponta dos dedos.

- Quando ele vai acordar? – A voz desconhecida pelo rapaz que estava na cama indagou.

- Não sabemos ao certo, pode ser hoje, amanhã, semana que vem... Mês que vem.

- Ok.

- Bom, preciso ir atender mais pacientes, mais tarde passo aqui para ver com ele está.

A porta se abriu e se fechou, restaram apenas o rapaz e a mulher no quarto. A loira caminhou até a cama e tocou a mão dele.

POV Bella

- Estou sendo demitida? – Indaguei.

Aro suspirou, pousando suas mãos sobre a mesa para pegar as minhas.

- Não querida, você está sendo afastada.

- Mas... Eu não quero ser afastada.

- Bella, é o melhor. – Ele me deu meio sorriso – Todos estão vendo que seu desempenho caiu, Deus me livre se algo acontece aqui no hospital por uma falha sua ou algo do tipo. Tire esse tempo para você, fique com seus filhos...

- Ok. – Assenti, mordendo os lábios – Então eu vou indo.

- Tudo bem querida. Sabe que o que precisar pode contar comigo, certo?

- Obrigada.

Sai do hospital e criei forças para ir em casa. Desde que o acidente de Edward ocorreu, eu não havia voltado lá, já que Esme me convenceu que o melhor era que o melhor para nós.

Parei meu carro enquanto esperava o portão abrir.

Era o primeiro dia que eu saia de casa desde que tudo aconteceu.

Deixei meu carro no jardim, destranquei a porta da frente entrei. A casa estava silenciosa. Coloquei minha bolsa no sofá e me sentei ali, colocando meu rosto em minhas mãos e olhando a sala.

Foi difícil impedir meu choro. Naquele instante flash’s de todos nossos momentos juntos se passaram em minha cabeça como um filme.

Eu, Edward, Anthony e Meg rindo no tapete.

Edward e Anthony assistindo a jogos de Baseball.

Edward e eu nos amando... ali.

Me levantei, enxugando minhas lágrimas e subi para o andar de cima. Primeiro passei no quartinho de Anthony para separar algumas peças de roupas para ele, fraudas, etc. Depois fui no de Meg e por ultimo o meu.

Sem duvida aquele era o cômodo mais frio e abandonado da casa. A cama estava um pouco desarrumada, da mesma maneira que a deixamos naquela manhã, quando Edward me agarrou minutos antes de sairmos. No chão estava sua toalha, a tal toalha molhada que sempre era abandonada ali e acabava se tornando motivo de várias brigas nossa.

Caminhei até o sofá e peguei sua camisa, trazendo-a até meu rosto, aspirando seu cheiro maravilhoso. Me deitei na cama, abraçando seu travesseiro.

O que seria de mim sem ele?

Eu sabia que por mais que aquele buraco em meu coração se fechasse, ele continuaria doendo sempre que tocassem na ferida.

Ergui meus olhos para encarar a foto que estava ali, sobre a mesinha que ficava ao lado de minha cama. Nela Edward estava sentado no gramado do quintal de Esme, eu entre suas pernas com nosso pequeno em meus braços e Meg atrás de Edward, abraçando-o pelo pescoço. Eu me lembrava daquele dia, havia sido um almoço no domingo, todos nos reunimos na casa dos meus sogros e Alice bateu a foto e a deu para mim de presente.

Estávamos tão feliz ali... Sorrindo e rindo.

Será que um dia eu voltaria a sorrir?

Como ficaria Margareth? Ela sempre foi tão apegada a Edward...

E Anthony? Ele era esperto, mas o que eu diria para ele quando notasse a ausência do pai?

Bom, essas eram perguntas que eu um dia encontraria respostas... Ou não.



4 comentários:

Anônimo disse...

sniff ,sniiiff....ai tadinha da Bella ....mas se não acharam o corpo ,isso quer dizer que pode haver esperança?!
e essa loira quem será ,de onde ela conhace o Ed ....e se o conhece porquê que não entra em contato com afamília dele????
ansiosa por mais
beijocas
(Helena)

Gabrielly disse...

eita....................
ai....................
eu agora to com vontade de te matar!!!!
rsrsrsrsr
aiii...eu gosto muito da bella..... ver ela assim me da um aperto no peito!!
o cap esta otimo.. super emocionante!
bjs!
Gabi

Anônimo disse...

ADOREI o capitulo. Fiquei muito triste mais nao entendi, porque nao achei o capitulo 4.
Pelo o que eu entendi, Edward esta vivo, nao e?
E essa loira? Eu faco minhas apostas mais se ela conhece o Edward (e de onde conhece?) porque nao avisa a familia? Oque vai ser de Bella a gora?
Ai, so de pensar, como seria se fosse eu no ligar dela, eu ja comeco a chorar. Perder os pais e o marido? Coitada...
Bom, continue sempre!!!
estamos esperando seu proximo capitulo. Respondas minhas perguntinhas no proximo cap. por favor!
Vc e demais!! AMOOOOO as suas fanfic!
(Sarinha)

Anônimo disse...

Adoreii o capitulo... a musica é uma das minhas preferidas ... adoro o Rosa de Saron

Postar um comentário