Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

02/07/2011

Don't Forget For Me - Capitulo 2


Capitulo 2
POV Bella

Peguei meu celular e disquei para casa, não demorou muito para que o telefone fosse atendido.

Quem é?

Reconheci a voz de Amanda.

- Amanda sou eu, Bella. Você poderia passar o telefone para Edward?

Ela suspirou.

Na verdade poder eu não posso, estou conversando com uma amiga a Luiza, que está nesse momento me esperando na outra linha, pode ligar daqui a pouco?

Revirei os olhos. Fechei a porta do meu armário e respirei fundo. Era incrível as coisas que vinham daquela garota.

- Deixe querida, não quero te atrapalhar. Vou ligar para o celular dele.

Então beleza.

Amanda desligou o telefone na minha cara.

Agora eu sabia o porquê das contas de telefone estar chegando tão cara. Isso que da contratar uma babá de 19 anos.

Sai do vestiário, e enquanto percorria o corredor disquei o numero de Edward e esperei ele atender.

Oi Amor!

- Oi. – Um sorriso se formou em meus lábios – Amor, já saiu de casa para pegar Meg?

Eu ia agora, por quê?

- Bem, não se preocupe, sai mais cedo do hospital eu passo lá e pego eles.

Eles?

- Tchau amor, te amo.

Bella o q...

Desliguei o celular rindo. Ele ia me matar, fato!

Sai do hospital, fui para o estacionamento. Entrei em meu carro e manobrei para fora do hospital. A escola de Margareth não ficava tão longe, quando cheguei, ela e Seth estavam com Sue.

Parei o carro no meio fio e sai.

- Demorei muito?

- Mãe? – Meg franziu a testa – Cadê o papai?

- Ficou em casa – Sorri, tocando seus cabelos – Sai mais cedo, aproveitei para vir pegar vocês.

- Bella, tem certeza que não haverá problema em Seth dormir na sua casa? – Sue indagou.

- Claro que não. – Edward só ia surtar, mas tirando isso, tudo estava bem – Vamos crianças?

- Sim! – Os dois responderam juntos.

- Seth, comporte-se.

- Eu sempre me comporto mãe!

Meg puxou o garoto pela mão em direção ao carro.

- Bella se acontecer algo, pode me ligar.

- Fique tranqüila Sue – Sorri – Seth é um ótimo garoto.

- Tudo bem então.

Me despedi dela e voltei para o carro. Olhei no retrovisor, vi Meg e Seth rindo.

Eu não conseguia entender o porquê de toda essa implicância de Edward. Que mal havia ali? Seth e Margareth são apenas duas crianças inocente.


POV Edward


Chris e Mart foram à floresta e acharam um bicho estranho a beça, um pequeno lêmure a saltitar, na mata a brincar...

Tampei meus ouvidos enquanto Amanda continuava cantando a maldita música de abertura daquele maldito desenho. Ao contrario de mim, Thony parecia gostar, já que ria.

- Certo! – Peguei o controle, desliguei a TV e me virei para a baba – Você não tem o que fazer?!

- Pior que não. – Ela deu de ombros – O telefone descarregou, tive que colocá-lo na base para recarregar.

- Mas... Mas Bella e eu mal usamos o telefone, para ele descarregar tem que ficar mais de três horas sem estar na base.

- É, foi mais ou menos isso ai.

O resmungo de Anthony fez com que eu o olhasse, ele queria que eu ligasse a TV. E por ele, liguei e coloquei no desenho estranho que estávamos assistindo.

- Porque eles nunca arrumam a porra desse armário? – Indaguei indignado. Era sempre a mesma coisa, eles cantavam que iam abrir o armário e tudo caia.

- Ia perder a essência.

O programa é bem padrão, começa com os manés Chris e Martim chamando o Zoboo pra comer e dar uma giradinha escrota. Daí sempre aparece um bicho na Conexão Animal. E toca uma musiquinha escrota. Daí vem mais um monte de bobagem. Mais uma musiquinha escrota. Mais um monte de bobagem. Mais uma musiquinha escrota, enfim termina com um depoimento duma guria retardada sobre seu bichinho de estimação.

Resumindo: Desenho para bobo.

A porta da sala de abriu. Girei o pescoço para ver Bella passar pela porta.

- Oi amor. – Fiz bico, esperando meu beijo que ela sempre me dava.

- Ér... – Bella olhou para a porta e voltou a me encarar – Oi amor... hã... eu já volto, vou tomar um banho.

Ela subiu as escadas apressada.

Haha, Seth você é tão engraçado.

Eu sei Baby.

- Mas... – Me levantei do sofá com Anthony em meus braços – Que Porr... – Mordi os lábios contendo o palavrão.

Margareth e Seth entraram na sala e caminharam até mim.

- Oi Sr. Cullen.

- Oi pai.

- O que faz aqui garoto? Confundiu minha casa com uma oca?

- Pai! – Margareth cruzou os braços. – Não fale assim com Seth. Peça desculpas.

Revirei os olhos contrariado.

- Me desculpa garoto.

- Sem problemas Sr Cullen.

- Eu vou... hã... subir e já volto. – Dei um sorriso. Caminhei até Amanda e sentei Anthony em seu colo – Cuide dele.

- Podexa!

Subi as escadas e entrei no quarto. Bella não estava ali. O chuveiro ligou, só podia ser ela.

- Isabella o qu-... – Abri a porta e me desconcentrei.

Porra, porque ela tinha que tomar banho pelada?!

- Oi amor. – Ela deu seu típico sorriso persuasivo.

- Nada de “Oi amor”, não vai conseguir me distrair.

Bella mordeu os lábios e começou a ensaboar o corpo. Merda, o que eu ia falar mesmo?

- Porque você não vem tomar um banho comigo?

Preciso dizer que me despi no mesmo instante? Pois é.

- Muito, muito feio o que a senhora fez. – Entrei no Box e a encostei na parede – Você convidou o garoto para vir a nossa casa sem pedir minha opinião.

Bella riu enlaçando meu pescoço com seus braços.

- Claro que eu te avisei... – Sua boca roçou na minha. – Ontem à noite.

- Claro que nã... – Franzi a testa – Você... você jogou sujo! Veio me falar sobre isso na hora que estávamos transado, sabia que eu estaria mais vulnerável.

- Nós não transamos ok? Fazemos amor! – Ela socou meu ombro depois me deu um chupão no pescoço. Louca. – A culpa foi sua, eu tentei conversar com você, mas ao invés de parar e me escutar não, você se precipitou e...

- Ok, ok. – A calei com um beijo – É minha a culpa agora fique quietinha.

Escorreguei minha mão por seu corpo molhado e quente.

- Se formos fazer amor, vamos fazer rapidinho ok? As crianças estão nos esperando para almoçar.

- O almoço ainda não está pronto. – Ergui seu corpo, fazendo suas pernas abraçarem minha cintura. – Tem que ser mesmo rapidinho? Dizem que as coisas feitas muito rápidas saem mal-feitas.

Bella apertou suas mãos em meu ombro, enquanto ria e gemia.

- Tudo o que você faz sai bem feito amor.

Desci meus lábios por seu pescoço, sentindo a textura de sua pele em minha língua.

- Amor... Tão gostosa.

Seus dedos enrolaram-se em meus cabelos, puxando-os.

Escorreguei um pouco mais os lábios, chegando aos seus seios e abocanhando um.

- Oh! – Bella jogou a cabeça para trás, gemendo. – Vem logo amor.

- Deixe-me ver se está pronta...

Apertei um braço ao redor dela, mantendo-a firme para não cair, e escorreguei minha mão até seu centro. Úmida. Como sempre. Pronta para mim.

Deslizei meu membro ereto para dentro de seu núcleo quente, úmido, e apertado.

- Oh amor...

Ajeitei seu corpo em meu colo e comecei a sair e entrar de dentro dela. Bella mordeu meu ombro, contendo seus gemidos. Retirei uma mão de sua cintura agarrando os cabelos molhados dela, puxei sua boca do meu ombro e a colei na minha.

- Mais... forte.

Atendi seu pedido. Entrando e saindo mais rápido de dentro de minha mulher.

Sua intimidade começou a me apertar. Não demorou muito para que atingíssemos o ápice.

[...]

Desci primeiro que Bella. Sentei-me no sofá. Bob entrou na sala abanando o rabo, sentou-se aos meus pés e pousou a cabeça em minha coxa.

Comecei a desabafar com o cão.

- Sabe, eu estou por aqui com as mulheres... – Me esparramei pelo sofá – Elas tomam as decisões sem perguntar nossa opinião, e quando perguntam e negamos, elas nos tira o sexo... – Olhei para Bob, que tinha uma cara de cachorro – Desculpa em falar de sexo, deve ser difícil para você ser virgem. – Acariciei sua cabeça – Mas voltando ao assunto das mulheres. Quando elas pedirem alguma coisa vamos dizer: “faça você!”, não podemos abaixar a cabeça para elas, temos que encará-las de frente. Se elas gritarem, vamos mandar elas calarem a boca!

Como se concordasse comigo, Bob latiu.

- Vamos ignorá-las! – Me empolguei. Bob voltou a latir.

- EDWARD, QUANTAS VEZES EU JÁ FALEI QUE NÃO QUERO ESSE CACHORRO NA SALA!!! – Bella ralhou descendo as escadas.

- Desculpa amor. – Empurrei Bob, enxotando-o para fora da sala. E sobre aquilo que eu falei lá encima... esqueçam.

Cruzei os braços e fiz meu melhor bico.

- Porque esse bico?

- Você gritou comigo.

Ela revirou os olhos rindo. Caminhou até mim e se sentou em meu colo.

- Me desculpa? – Sua boca colou na minha.

- Desculpada.

- Vou chamar as crianças. – Bella saiu do meu colo.

- Vou contigo.

Subimos as escadas e paramos enfrente ao quarto de Meg.

Se meus pais vêem isso, eles me matam!

Acha melhor pararmos? Podemos deixar isso para depois!

Não, vamos aproveitar que já estamos melados.

Franzi a testa confuso, olhei para minha esposa, que estava tão confusa quanto eu.

Posso dar uma chupadinha? – Meg pediu.

Meus olhos se arregalaram.

Não, você vai babar!

Coloquei minha mão na maçaneta, pronto para acabar com aquela palhaçada, mas Bella me deteve.

Por favor Seth! Isso ai parece ser gostoso.

Ok, só um pouquinho, mas não morda.

Ok!

Fechei meus olhos. Eu ia matar aquele índio pervertido que estava tentando tirar a pureza de minha filha.

Ei Megzinha, eu falei para você não morder!

Nossa! Você fala como se eu tivesse arrancado um pedaço.

Os dois riram.

Agora é minha vez, mas vou morder também!

Minha mulher ficou pálida ao meu lado.

- Isso tudo é sua culpa! – Acusei – Eu falei para não trazer esse indiozinho-safado para nossa casa.

- Amor, deve ser um mal entendido!

Ai Seth! Que negocio gelado!

Fechei o punho. Abri a porta do quarto possesso.

- Garoto é bom você não encostar esse... esse... picolé? – Minha ira diminuiu.

- Droga! – Margareth se levantou. – Me desculpa. Eu sei que não posso comer doce antes do almoço.

- Tudo... bem querida. – Bella me puxou pela mão – Desçam para almoçar.

Fiz aquele típico gesto para Seth que eu estava de olho nele.

Almoçamos todos juntos na sala de jantar. Meg e Seth contaram sobre a escola, Bella sobre sua manhã na escola. Depois disso, as crianças foram para a sala fazer suas lições de casa. Subi para o quarto junto com Bella e Anthony.

Minha mulher deitou nosso filho na cama e colocou seu corpo sobre o dele. Thony ria para ela enquanto tentava agarrar seus longos cabelos.

- A mamãe sente tanta saudade de ficar agarradinha assim com você... – Bella roçou seu nariz no de Anthony, que riu mais ainda.

Deitei-me na cama e me inclinei para beijar seu ombro nu.

- Na próxima semana seu turno muda. – Sorri para ela – Passara tanto tempo com ele que rezará para seu turno mudar novamente.

Bella me socou. Anthony riu.

- Credo amor, eu nunca vou me enjoar do meu pequeno, não é bebê?

Bella colocou seu corpo entre o meu e o de Thony, me apoiei em meu braço e me inclinei para provar dos lábios de minha mulher. Olhei de esgoela para meu filho, que começava a fazer sua típica birra de criança ciumenta.

- Ed... pare. – Bella me empurrou.

- Qual é... – Resmunguei, voltando a sugar seus lábios. Anthony, passou a resmungar palavras desconexas. Eu o observei ficar de barriga na cama e engatinhar para mais perto de nós e agarrando meus cabelos. Sorri para ele. – Sabe, compartilhar é algo bonito. E eu vi sua mãe primeiro, então, ela é mais minha.

- Amor. – Bells tirou seu corpo debaixo do meu e pegou Thony, desgrudando as mãos do garoto de meu cabelo. – Vocês não vão brigar né? Edward quantos anos você tem?

- 26.

- Pois é, mas não parece!

Rolei os olhos.

Juro que vi Anthony dando um sorriso sacana. Como se estivesse me provocando. Bella deitou de costas para mim, puxando nosso filho para mais perto dela.

Me acomodei atrás de seu corpo, pousando meu braço em sua cintura e escorregando minha mão para sua barriga. Ela estremeceu se apertando mais contra mim. Ri beijando suas costas.

Minha felicidade durou pouco, logo minha mão esta sendo puxada.

Quem podia ser?

Ah sim... Anthony.

Bella riu.

- Filho, não seja mal com o papai, ele está apenas abraçando a mamãe.

Apoiei-me de novo em meu braço, observando Anthony, que agora mamava. O garoto era tão folgado que havia jogado uma de suas perninhas sobre a coxa de Bella, enquanto sua mão direita segurava – por de baixo da camisa – o bico do outro seio de Bella.

- Guloso.

Anthony descolou a boca do peito de Bella e sorriu para mim, mostrando seus poucos dentinhos.

- Durma um pouco amor... – Sussurrei para Bella, que já fechava os olhos – Eu te acordo.

- Uhum.

[...]

Eu acabei dormindo demais, acordei com Anthony me chutando.

- Hmm? – Abri os olhos vendo o quarto vazio. – Cadê sua mãe?

Como se ele fosse responder.

Peguei meu filho e sai do quarto. Encontrei Meg, Seth e Amanda jogados no chão da sala assistindo filme.

- Onde está sua mãe? – Perguntei Margareth.

- Já foi pai. – Sorriu – Ela falou que era para deixar você dormir.

- Hm... – Cocei meu peito e olhei para o relógio na parede, droga, já estava quase na hora de eu ir para o hospital. Coloquei Anthony no seu andador, que estava no canto da sala. O garoto me seguiu até a cozinha.

Era sempre assim. Quando Bella não estava em casa Thony não me deixava em paz um minuto.

Dei a ele sua mamadeira com água e o arrastei até a sala.

- Amanda...

Comecei a falar, mas fui interrompido.

- Eu sei, eu cuido dele.

- Está ficando cada vez mais eficiente garota. – Sorri para ela.

- Ótimo. Aumenta meu salário?

- Não.

Subi as escadas rindo.

[...]

Cocei meus olhos um tanto cansado.

- Bom, acho que vou indo. – Bocejei, pegando as chaves do meu carro em meu armário.

- Ok Edward. – Aro assentiu sorrindo – E a propósito, Feliz aniversario.

Olhei em meu relógio rindo.

- É, já se passa das 00h00min, mas obrigada. – Toquei o ombro dele sorrindo.

Sai do hospital ganhando parabéns dos meus colegas de trabalho. Dirigi rápido para casa. Quem sabe Bella está acordada e adianta meu presente?

A imagem dela vestida como coelhinha da playboy fez com que eu chegasse mais rápido em casa. Mas para minha total infelicidade, ela estava dormindo agarrada a Thony.

Ok, eu poderia esperar mais algumas horinhas, não é?

Subi na cama beijando a testa de Anthony e os lábios de Bella. Fui para o banheiro tomando meu banho, quando retornei, Anthony estava acordado, balançando os bracinhos no ar e batendo as pernas em Bella.

Ok, meu filho estava muito estragado. Bella o mimava demais.

Deitei-me na cama e puxei meu garoto para cima do meu peito. Anthony aconchegou a cabeça em meu ombro.

Fechei os olhos e deixei o sono me levar. Amanhã, ou melhor, hoje será um grande dia, eu tinha que recompor minhas energias para usá-las todas com Bella... minha coelhinha.

<<< Capitulo 1                               Capitulo 3 (Parte I) >>>

Nenhum comentário:

Postar um comentário