Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

28/09/2013

She Will Be Loved - Capitulo 8

Capitulo 7

O carro de Edward parou enfrente a casa de seus pais.

- Vamos. – Abriu a porta de trás, dando espaço para o menino saltar.

- Carro maneiro.

- Esse é do meu pai, mas tenho um bem legal na minha casa, agora vem, vamos entrar.

Anthony segurou a mão que Edward oferecia e juntos atravessaram o jardim. Edward abriu a porta, adentrando na casa.

- Bom dia mãe. – Acenou com a mão livre para Esme que se encontrava sentada no sofá, lendo um livro.

- Oh querido, onde se meteu? E... – Olhou para o menino.

- Oi. – O pequeno acenou, limpando o nariz em seguida. – Prazer, sou Anthony Swan.

- Cullen. – Edward completou.

Antes que Esme esboçasse alguma reação, a ex noiva de Edward apareceu no topo da escada.

- Edward? Amor!

Ele rolou os olhos.

- O que faz aqui ainda? Pensei que tivesse mandado você embora...

- Quem é essa moça pai?

- PAI?! – Esme e a Tânya praticamente gritaram.

Edward sorriu, passando a mão pelos cabelos do moleque.

- Ela não é ninguém filhão. Agora, porque não se senta ali com sua vovó enquanto vou pegar algumas roupas lá encima?

- Ta certo.

Ainda paralizada, Esme observou o menino se aproximar dela, pedindo licença e se sentando com certa dificuldade no sofá alto, balançando suas pequenas pernas que mal alcançavam o chão.

Edward subiu as escadas, passando pela ex e indo para seu quarto. Logo, a morena estava no quarto também.

- Que loucura é essa Edward? – Perguntou, vendo-o colocar algumas peças de roupa em uma mochila velha.

- Não interessa a você, eu mandei pegar suas coisas e sumir, sua... – Apertou os lábios, evitando soltar o que realmente pensava dela.

- Não fale assim comigo! – Grunhiu ela – Sou sua noiva!

- Deixei bem claro ontem que já não era mais! – Levantou-se, agarrando-a pelo braço – Não se faça de ingênua ou louca, me esqueça, não te amo, nunca te amei, poderíamos ter terminado tudo numa boa porque eu realmente acha que você era uma mulher decente, mas depois do que vi... – Suspirou – Você me decepcionou, mas pra mim tanto faz, nunca foi para ser você mesmo.

- Mas...

- Sem “mas” Tânya. Agora vou indo, meu filho está lá embaixo, esperando por mim para voltarmos para a mãe dele.

A boca dela se abriu de surpresa.

***

Anthony suspirou entediado, vendo Esme ao seu lado completamente quieta, admirando-o.

- Tudo bem com a senhora? – Perguntou – Ta tão quetinha.

- Eu... Eu... – Balançou a cabeça – Você me mesmo... Filho... Filho de Edward?

- Sim. – Ele sorriu. – Maneiro, né? Eu não sabia, ontem ele entrou em casa e beijou minha mãe, como eu não sabia, eu já falei isso né? Então, como eu não sabia que ele era meu pai acertei ele com meu taco. – Os dois riram – Pensei que ele tinha morrido, mas quando acordei fui ver TV na sala e vi ele saindo do quarto da minha mãe. Ele comprou um monte de coisas gostosas, pão, bolo, suco e a gente tomou café da manhã, mas antes mamãe me contou que ele era meu pai! – Seu sorriso era enorme, o que emocionou Esme. – Sabe eu sempre quis ter um pai, todo mundo na minha sala tem, menos o Joseph, ele tem duas mães, meio estranho né? – Parou para puxar o ar. – Alguns amiguinhos não brincam com ele por isso, mas eu brinco, Joseph é legal, tem os 3 novos carrinhos da hotwells, além disso mamãe disse que me daria uma surra se eu o descremenasse.

- Discriminasse. – Esme o corrigiu.

- Sim, isso.

A matriarca Cullen continuou parada, apenas tentando ouvir e entender o que o menino dizia, mas era difícil, ele falava tão rápido que ela já estava ficando tonta, além de que o fato de ter descoberto agora que era avó também a impedia de raciocinar direito.

-... Eu não tenho nenhum carrinho da hotwells, sabe? Mamãe disse que ia comprar, mas é caro e a gente tem pouco dinheiro.

- Anthony, não é? – Esme indagou, e ele assentiu – Quem é sua mãe?

- Bella.

Não foi o pequeno que respondeu, mas sim Edward que descia as escadas.

- Bella?! – Arfou, surpresa – Mas... Como?!

Ele se aproximou, sentando-se entre os dois e puxando o pequeno para seu colo.

- Lembra que eu te contei o que aconteceu no orfanato? – Ela assentiu – Pois bem, resultou em Anthony. – Sorriu orgulhoso – Ele é lindo, não é?

- Sim e muito falante. – Completou, rindo enquanto sentia seus olhos arderem. – Oh, eu tenho um neto.

- Pois é. – Edward concordou, tocando o ombro do menino – Vamos Thony?

- Sim!

- Mas já?! – Esme enxugou as lágrimas, rindo com as bochechas corada.

- Mãe, Bella está esperando por nós. Viemos apenas pegar algumas coisas. – levantou-se, colocando Anthony no chão. – Assim que tudo se resolver vamos vir os três aqui te ver, pode ser?

- Tudo bem, mas venha aqui querido, posso te dar um abraço?

Anthony olhou para Edward que piscou. O pequeno sorriu indo até ela e encaixando-se em seus braços.

- Foi um prazer conhecê-la.

- Oh...

Edward riu.

- Vamos garoto, voltaremos amanhã, depois que Tânya for embora.

- O que houve filho?

Ele negou com a cabeça.

- Outra hora conversamos mamãe.

- Tudo bem.

Depois de mais um abraço Anthony e Edward voltaram para o carro.

- Sua casa  é tão bonita como essa? – Indagou o menino quando Edward virou-se, prendendo o cinto nele. Precisava arrumar uma cadeirinha.

- Bom, não moro exatamente em uma casa, moro em um apartamento.

Viu o garoto franzir a testa pelo retrovisor.

- E o que é isso?

- Um monte de pequenas ou grandes casas, mas em um prédio.

- Uau, um prédio alto?

- Bem alto e eu moro quase no topo.

Anthony arregalou os olhos.

- E como chega lá encima?

- Já andou em elevadores?

- Uma vez – Sorriu – Que maneiro!

- Pois é, você vai andar todos os dias, só precisamos convencer sua mãe.

- Deixa comigo, ela nunca resiste a mim. – Passou a mão pelos cabelos, me fazendo rir.

Edward dirigiu com tranquilidade, apreciando a presença do menino que não parava de falar. Não demorou para chegarmos a casa de Bella. Assim que passamos pela porta a morena se levantou do sofá, preocupada.

- Thony! – Resmungou.

Edward rolou os olhos.

- Bella, você age como se tivesse medo de eu fugir com ele.

Ela se desculpou com os olhos e Edward sorriu. Sabia que não tinha a confiança dela, mas iria conquista-la de qualquer maneira.

- Vocês... Demoraram um pouco.

- Mas já voltamos.

- Mamãe de Deus, eu tenho uma vó! A casa dela da 29 da nossa!

Os pais riram.

- Vinte e nove meu amor? Como chegou a esse resultado?

O pequeno rolou os olhos, fazendo o pai rir mais ainda. Seu filho era adorável!

- Mãe é só probabilidade sabe eu só quero dizer uma coisa que mostrasse que a casa é grandona. Entendeu?

- Sim meu amor. – Isabella balançou a cabeça. – Probabilidade... – Sussurrou baixinho. Ela não tinha nem feito faculdade e seu filho era tão inteligente.

- Está em que ano mesmo? – Edward o pegou apertando-o contra seu peito

- Faculdade! – Mentiu – Vou ser veterinário!

- Eu sempre quis ser veterinário, sua mãe também.

- Mãe posso ser veterinário?

A morena assentiu, aproximando deles e abraçando-os.

- Você pode ser o que quiser, mas precisa estudar muito.

- Pode ser. – Grunhiu animado – Pai me põe no chão, tenho que ir estudar.

Edward o colocou no chão, vendo o pequeno disparar em direção a seu quarto.

- Veterinário? – O loiro a abraçou pela cintura.

- Bom, ele é uma criança, não vou desiludi-lo agora.

- E porque o desiludiria? – Sentou-se no sofá, puxando-a para seu colo.

- Edward. – Bella suspirou, colocando uma mexa de seu cabelo atrás da orelha – Faculdade... Sabe, eu nunca poderia pagar.

Edward rolou os olhos tirando-a de seu colo e se levantando.

- Qual é Bella? Que parte de tudo o que eu disse você não entendeu?! – Andou de um lado para o outro, passando a mão pelo cabelo. – Olha, você não está mais sozinha, eu estou aqui, com você, com Anthony, para você e para ele. Olha. – Voltou a se sentar ao lado dela – Nosso garota vai ser o que ele quiser, até filosofo se ele escolher. Sabe porque? Porque o pai dele quer e vai dar tudo o que puder a ele e a mãe dele.

- Edward...

- Shhh – Negou, calando-a com seus lábios – Pare de ser chata, vamos lá Bells...

- Está bem, mas... – Suspirou, mordendo o lábios – É constrangedor, tudo bem que você é pai dele, mas... eu... eu queria poder fazer isso.

Ele sorriu torto, beijando a boca dela.

- Sempre tão dona de si, tão cabeça-dura... – Forçou o corpo dela a se deitar no sofá, cobrindo-o em seguida com o seu – Fique tranquila meu amor, porque antes do nosso filho ir para a faculdade você já vai ter feito a sua e... – Tampou a boca dela com sua mão quando ela estava prestes a negar. – Você vai ter feito sua faculdade, devolvido o dinheiro que “emprestei” e pagaremos a do nosso garoto juntos. Compreendeu?

Ela assentiu, abraçando-o e puxando para mais perto. Edward riu destampando a boca dela e beijando-a arduamente em seguida.

- O que estão fazendo?

Edward riu quando a morena o tentou afastar, mas manteve-se sobre ela, apenas descolou seus lábios e virou o rosto para o menino.

- Estamos namorando.

- Hm. – Franziu a testa, um pouco confuso.

- Edward...

- O que? – Ele rolou os olhos – Bella ele tem que se acostumar, daqui em diante, enquanto estivermos no mesmo ambiente não desgrudo mais de você.

Ela sorriu um pouquinho, ainda com as bochechas coradas.

- Isso é... Nojento.

O garoto resmungou, indo se sentar no sofá enfrente ao que os dois estavam deitados.

- Filho, quando crescer vou te lembrar dessas palavras. – Edward piscou, fazendo-o torcer o nariz.

- Garotas são nojentas.

- Ei! – Isabella rebateu.

- Mãe você não é garota, é minha mãe!

- Eu achava sua mãe nojenta quando era menor. – Edward confessou.

- Edward! – A morena o socou e logo os três riram.

Ele mordeu o queixo dela, fazendo-a suspirar.

- Casa comigo? – Pediu, fazendo-a sorrir de canto - A festa já está pronta, o Buffet já foi feito e contratado. Você só precisa escolher outro vestido e entrar na igreja comigo.

Isabella torceu o nariz.

- Me desculpe, mas... – Desviou os olhos.

- Você não quer?

- Não é isso Edward, é claro que eu quero, mas a festa... a festa foi sua noiva quem planejou e eu não quero nada tão grande... – Voltou a encara-lo – Queria que nós dois planejássemos algo juntos, algo simples, mas nosso.

Ele assentiu.

- Vendo por esse lado. – Riu, dando de ombros – E ex, ex-noiva. – Piscou – Podemos começar a planejar agora?

- Não. – Negou, puxando os cabelos da nuca dele – Acho que devíamos esperar.

- Mais?

- Mais.

Edward se jogou para o lado, quase derrubando-a do pequeno sofá e bufou, cruzando os braços e encarando o teto.

Anthony riu, vendo seu pai numa atitude tão infantil.

- Edward.

- Tudo bem. – Disse por fim – Casar mais tarde eu aceito, mas que eu vou levar vocês para morar comigo, a isso eu vou e você não vai me impedir.

[...]

-- ALGUMAS SEMANAS DEPOIS --

Edward abriu a porta de seu apartamento e suspirou parando na porta. Havia carrinhos espalhados por todo o tapete.

Puxou a gravata soltando outro suspiro pesado, mas acabou sorrindo quando viu o filho.

Apesar de ter dias como esse, que chegava exausto em seu apartamento e  só queria tomar um banho e cair em sua cama, ver Isabella e Anthony o dava animo para sair na manhã seguinte e voltar para eles a noite.

- Papai!

- Anthony, já juntou sua bagunça? – A morena gritou de algum cômodo.

Edward rolou os olhos rindo, olhando para o tapete e para o menino que corria em sua direção.

- Garotão! – O pegou quando se aproximou, puxando-o para seu colo e ganhando um beijo na bochecha. – Como foi seu dia?

- Chato. Fui pra escola, estudei, cheguei em casa e mamãe me fez fazer lição.

- Aposto que o meu dia ganha do seu. – Gemeu baixinho, lembrando-se que o trabalho andava o estressando demais.

Caminhou devagar, tomando cuidado para não pisar ou escorregar em um dos brinquedos do filho e se jogou no sofá, deixando Anthony sobre ele.

- Ta cansadão?

- Bastante. – Fechou os olhos.

- Anthony, estou indo ai!

O pequeno bufou, saindo dos braços do pai e se ajoelhando no chão para pegar seus brinquedos. Edward abriu os olhos e também se agachou no chão, ajudando-o.

- Leve-os lá para seu quarto, antes que ela venha. – Aconselhou. – Vou lá distraí-la.

- Ta certo pai.

Edward se levantou, deixando o blazer sobre o sofá e indo para a cozinha. Encostou na parede, vendo Bella cozinhando. Adorava aquilo.

Ela se virou e abriu um lindo sorriso para ele.

- Oi. – Sussurrou a ele.

- Oi meu amor. – Caminhou até ela, abraçando sua cintura e beijando-a de leve. – Como está?

- Ótima. – Respondeu, buscando os lábios dele novamente – Com saudades.

Edward sorriu, mordendo o lábio dela e puxando-o devagar, fazendo com que ela gemesse.

- Estou vendo mesmo.

A morena riu, empurrando-o e passando a mão pelos cabelos.

- Porque não toma um banho? Nosso jantar está quase pronto.

- Ótima ideia gatinha.

Aproximou-se, roubando mais um beijo e saindo dali em seguida. Seguiu pelo corredor e entrou em seu quarto. Uma calça de moletom, uma cueca e uma camisa já estavam sobre a cama, pegou a roupa e se dirigiu ao banheiro, livrando-se da que estava no corpo e adentrando no Box.

Tomou um banho relaxante, deixando a água quente correr por seus músculos.

Quando se sentou a mesa para jantar com Isabella e Anthony já se sentia melhor, relaxado. Anthony e ele conversaram do inicio ao fim, rindo e gargalhando. Isabella sorria admirando-os. Havia sido uma mudança drástica se mudar para outro pais e morar com Edward, uma vida bem diferente da que ela costumava ter.

- Bella? Bells?

- Hm? – Piscou algumas vezes, virando-se para o ruivo.

- Estava dormindo amor?

- Claro que não.

- Acho que ela estava sim pai.

- Também acho filho.

A morena rolou os olhos, dando a língua para os dois.

- O que estava falando?

- Só queria perguntar se está afim de sair amanhã, sabe, o pessoal do escritório vai se reunir em um pub. – Deu de ombros – Queria que eles te conhecessem.

- Você... Tem certeza? – Mordeu os lábios.

- Claro amor.

- Então tudo bem.

Depois de terem colocado o garoto na cama, Edward e Isabella foram seus quarto. A morena se acomodou embaixo dos lençóis e logo Edward estava ali também, abraçando-a e beijando seu ombro.

- Boa noite amor. – Ela sussurrou, fechando os olhos.

- Hm. – Ele resmungou, debruçando-se sobre ela. – Esta com muito sono? – Indagou, deixando uma de suas mãos correrem o corpo dela – Seu noivo está precisando de carinho.

Ela riu, rodando na cama e ficando de frente para ele.

- Pensei que você estivesse cansado.

- Pra você? Nunca minha princesa...

Colocou-se sobre ela, beijando-a devagar. Os braços dela rodearam seu pescoço, puxando-o mais para ela.

Bella riu contra a boca dele, sabendo onde aquilo ia dar.

Após se amarem lentamente, permaneceram acordados, abraçados e conversando.

- Então, animada? – Edward deixou os dedos deslizarem pelas costas macias e desnuda, parando na base onde o lençol começava a cobri-la e sobindo novamente.

Isabella sorriu, erguendo a cabeça do peito dele e encarando-o.

- Muito. – Riu baixinho – Sempre quis terminar os estudos.

- Fico feliz por você estar feliz. – Mordeu os lábios, sentindo os seios macios e intumescidos contra seu tórax. – Não que eu queira, mas acho melhor você colocar sua camisola, porque senão eu vou te agarrar novamente ou corremos o risco de Anthony entrar de madrugada e vê-la nua.

- Mas eu gosto de dormir assim com você. – Resmungou, voltando a deitar a cabeça no peito de Edward.

- Eu também gosto amor. – A colocou ao seu lado, ouvindo o protesto dela e se levantou, caminhando até a porta e trancando-a. – Pronto.

- Ótimo!

Voltou para a cama, puxando Isabella para cima de seu peito novamente e cobrindo-os com o lençol. A morena mordeu os lábios, encarando-o e esfregando-se contra ele.

- Bells...

- Não estou fazendo nada.

- Está sim.

- Não estou não.

Edward rolou na cama, ficando sobre ela e a beijando.

- Ah está sim Sra. Cullen.

Bella riu, tendo o riso abafado pelos lábios dele, que cobriam os dela afoito. A morena rapidamente o enlaçou com as pernas, mas Edward a afastou, inclinando-se para o lado e pegando uma camisinha de dentro da mesinha que ficava ao lado da cama.

- Amor você precisa ir ao médico. – Disse, rasgando a embalagem e deslizando a camisinha sobre seu membro.

- Eu sei, já marquei.

A morena havia parado de tomar seu anticoncepcional quando o mesmo começou a lhe fazer mal.

- Não vejo a hora de te amar sem isso. – Gemeu, voltando para cima dela e focando agora os seios empinados que pediam por sua boca.

- Oh...

Edward sorriu, descendo uma mão ao centro das pernas dela e estimulando-a.

- Você fica molhada tão fácil princesa. – Riu, saindo de seus seios e beijando a boca macia.

- Eu vivo molhada por você – Piscou safada, corando logo em seguida, o que o fez rir mais ainda.

- Deus, você está virando uma safada. – Abriu as pernas dela, encaixando-se ali e penetrando-a devagar, vendo a morena fechar os olhos devagar enquanto apreciava o momento. – E eu estou amando isso.

Era isso. Sempre foi para ser assim. Sempre foi esse o final destinado a ambos. Edward e Isabella juntos. Seria sempre o amor puro que surgiu desde a infacia.









Um comentário:

Gabrielly disse...

Ain Meu Corassaum......kkkkkk Cahhhhhh!!!!! Ela esta viva meu povo o/ !!
To muito feliz por vc ter finalizado a ficc, tava com saudades.. pra mim vc é a melhor escritora de fics, rs eu tenho um relacionamento serio com suas historia.. kkkkkk bjão, tava com saudade!

Postar um comentário