Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

24/06/2012

She Will Be Loved - Capitulo 4


Quem leu o Spoiler que eu postei aqui no blog vai ver que nem tudo o que coloquei lá está nesse capitulo. O porque? Bom, aquilo la vai acontecer no capitulo 5. (;

Espero que gostem. Estive sem tempo para escrever, então agilizei o capitulo para vocês!

Boa leitura,

~~~~~~ x ~~~~~~

Capitulo 4

- Querido, não corra. – Isabella repreendeu filho, entrando em sua casa e fechando a porta. A morena viu o menino pular no sofá, chutando os sapatos pela pequena sala. – Anthony, nada disso. Lembra o que conversamos?! Mamãe está cansada...

Ele torceu o pequeno nariz pulando do sofá, pegando as meias e os sapatos.

- Está bem mamãe, me desculpe.

Isabella sorriu, seguindo-o até o quarto do mesmo e colocando a mochila dele sobre a cama.

- Troque-se enquanto vou arrumar algo para comermos.

- Certo.

Ela permaneceu alguns segundos na porta, observando o menino de 8 anos puxando a gaveta de um velho armário onde suas roupas estavam perfeitamente dobradas. Isabella sorriu, soltando um suspiro, no entanto, esse sorriso sumiu quando a realidade a atingiu.

A morena saiu dali, indo rumo a sua cozinha, onde começou abrir os armários enquanto imaginava o que aconteceria se...

- Droga, isso não pode acontecer Bella. – Mordeu os lábios.

- MÃAAAAAAAAAAAE? – O garoto gritou a sua procura.

- Na cozinha querido.

Anthony chegou à porta, parando, abrindo os braços e sorrindo torto.

- Ta bom?

Ela sorriu aprovando a roupa que ele escolhera.

- Está lindo querido, agora, antes de ir para frente da TV, sente-se aqui. – Puxou a cadeira, ajudando-o a se sentar corretamente.

- Como foi o trabalho? – O pequeno indagou fazendo-a rir.

- Parece um homenzinho falando assim.

- Mas eu sou um homem. – Anthony pegou o copo que a mãe colocou a sua frente e entornou, bebendo o Nescau. – Sou o homem de casa.

- Sim meu amor. – Ela concordou – Foi tudo maravilhoso. – Isabella sorriu – Foi mais que maravilhoso.

O pequeno arqueou a sobrancelha e riu, sem entender a felicidade da mãe. Em seguida o menino mordeu o pão amanhecido que Isabella havia comprado no dia anterior.

- Que bom.

- Diga-me como foi sua manhã e a escola.

- Foi legal mãe. Tia Ângela e eu assistimos desenhos, depois eu almocei e ela me levo para a escola. Lá eu fiz um montão de desenhos, pintei, recortei e brinquei bastante.

A morena sorriu, limpando a boca dele que estava com um bigodinho.

- Parece ter sido legal.

- É. Foi. – O pequeno suspirou – Sabe, lá na cantina está vendendo um novo chocolate, aquele que vimos na mercearia do tio Sam aquele dia...

Isabella franziu a testa, sentando-se ao lado dele enquanto sentia seu nariz ardendo. Ela odiava não poder dar tudo que seu filho queria, doía em seu peito aquilo.

- Pode esperar até amanhã? – Indagou, puxando-o da cadeira para seu colo. O garoto assentiu. – A mamãe vai receber e te dar o dinheiro para comprar.

- Tudo bem, sabe, eu nem queria tanto assim.

Ela sorriu, beijando os cabelos dele, sabia que o garoto estava mentindo.

- Agora porque não vai assistir um pouco de TV enquanto a mamãe da uma arrumada na casa e prepara nossa janta?

- Ok. – Ele pulou do colo dela. – Não precisa de ajuda?

- Claro que não meu amor, obrigada.

- Certo, vou assistir Ben 10.

- Vá lá.

***

Edward mordeu os lábios, enquanto corria os olhos pela prateleira, em busca do presente de Isabella.

Era a terceira loja de chocolates que entrava, tinha que achar os bombons que procurava.

- Aqui! – Vibrou, encontrando a pequena caixa transparente com alguns chocolates dentro. Edward sorriu. Sim era aquele. Ele se recordava da pequena caixinha que ficava encima da mesa da madre superior e era idêntica a aquela.

O Cullen se dirigiu ao balcão, pagou rapidamente e entrou no carro em seguida, dirigindo para a casa de sua mãe.

No decorrer do caminho não pode deixar de pensar em Isabella um segundo se quer. A morena estava mais linda como nunca, obvio que ela também era bonita quando criança, mas agora estava mais desenvolvida, e aquelas curvas...

Edward deixou o carro na garagem pegando o embrulho no banco do passageiro e saindo. Entrou em casa, vendo os pais acomodados no sofá e o pequeno Miguel brincando no chão.

- Oi Pai, mãe, vou guardar isso lá em cima e já volto – Ele passou pela sala, acenando para os pais e subiu as escadas, entrando no quarto que estava ocupando e indo até seu closet, deixando lá o presente de Isabella.

Já nas escadas, descendo novamente para a sala, seu celular tocou. Edward o retirou do bolso e ficou olhando o nome no visor por alguns segundos, apertando a ponta do nariz e atendendo-o em seguida.

- Oi meu amor.

- Oi Tânya. – Suspirou. – Tudo bem?

- Estou ótima, claro, tirando a saudade que estou do meu noivinho.

- Hm. Bom... – Coçou a nuca, descendo os últimos degraus e indo em direção a cozinha – Quando vem para cá?

- Ainda essa semana Ed. Também está com saudades, não é?

- É. – Torceu os lábios – É sim.

- Não se preocupe bonitão, quando eu chegar matamos ela.

- Tânya preciso desligar, nos falamos em breve. Tchau.

- Tchau querido, amo você.

Edward desligou o celular sem responder. Depois diria que a ligação havia caído.

- Edward, aconteceu algo?

Ele suspirou, negando com a cabeça.

- Não. – Sorriu torto para sua mãe – Foi apenas muita emoção para um dia só. – Edward beijou sua testa – Vou subir um pouco e me deitar um pouco.

***

- Mamãe?

Anthony entrou no pequeno e simples quarto de Isabella, vendo-a arrumando a cama para dormir.

- Sim querido? – Indagou, virando-se para olhá-lo. A morena sorriu. – Hm, acho que alguém quer dormir com a mamãe hoje.

O menino torceu os lábios, apertando o travesseiro contra o peito.

- Posso?

- Claro meu amor. – Bella puxou o lençol e o garoto pulou na cama, fazendo a mesma estalar. – Thony.

- Desculpa. – Os dois riram.

- Já escovou os dentes? – Ela se aproximou da cama, apertando as bochechas dele, que abriu a boca mostrando os dentinhos brancos. Anthony assentiu – Ótimo, vou escovar os meus e já volto.

Isabella saiu do quarto, seguindo pelo corredor e entrando no único banheiro de sua casa. Rapidamente fez sua higiene bucal, colocou uma simples camisola de algodão e voltou para o quarto, vendo Anthony todo encolhido na cama, olhando para a janela.

- Acho que já sei por que veio dormir comigo. – A morena foi até a janela, fechando-a. – Está vindo uma chuva forte por ai...

- Eu não tenho medo!

- Ei, eu nem disse nada. – Ela se defendeu, apagando a luz e indo se deitar ao lado dele. O garoto rapidamente moldou seu corpo ao dela, abraçando-a. – Estou querendo dizer que você apenas veio me fazer companhia, sabe que eu odeio chuva. – Isabella fingiu estremecer – Morro de medo.

- Morre? Mesmo? Não é feio ter medo de chuva?

- Claro que não meu amor. – Beijou a testa do menino, sorrindo.

- Hm.

- Agora vamos dormir, amanhã temos que acordar cedo.

- Ta bom. – Ele inclinou-se, beijando a bochecha dela. – Boa noite mamãe, amo você.

- Durma com Deus meu pequeno, também te amo.

***

- Edward... Por favor... – Isabella implorou mais uma vez.

O Cullen abriu os olhos, sentando-se na cama e passando a mão pelos cabelos. Ele estava pingando suor...

Fechou os olhos ouvindo o estrondo do lado de fora.

Merda! Ele odiava aquilo... Quase todas as noites aquelas lembranças o perseguiam.

Edward voltou a se deitar, tentando se acalmar, mas as lembranças daquela noite voltavam a atormentar seus pensamentos. O choro fraco de Isabella, a risada grotesca de James e dos outros meninos...

O ruivo saiu da cama, estremecendo com mais um trovão. Calçou os chinelos e desceu para o andar de baixo. Na cozinha, abriu a geladeira e pegou uma pequena garrafa de água, entornando-a. O liquido rasgou sua garganta seca.

Sentou-se em uma cadeira, passando a mão pelo rosto.

Precisava conversar com Bella, pedir desculpas, perdão... seja lá o que for. Precisava retirar aquela culpa que o rondava desde que fugira como um covarde do orfanato. Precisava saber o que acontecera depois... Merda ele a deixou sozinha, indefesa, no mesmo lugar que aqueles monstros.

Ele a conhecia desde sempre! Sabia que a morena tinha sonhos, ela mesma havia compartilhado vários deles com ele. E um deles era ser mulher de um homem só, de seu príncipe encantado, do único cara que a teria, que a amaria...

E agora? Edward não sabia nada sobre ela, a não ser que saiu “cedo” do orfanato, que estava trabalhando como babá de seu sobrinho e que estava linda... Incrivelmente linda.

Isabella estaria casada? Noiva? Com namorado?

- Urgh! – Puxou os próprios cabelos, com raiva de si mesmo. – Eu devia ter me esforçado mais para te encontrar...

- Falando sozinho.

Edward se assustou quando seu pai entrou na cozinha.

- Pai, não, eu... – Franziu a testa – Só estava pensando alto.

- Hm. – Carlisle também puxou uma cadeira, sentando-se. – E no que devia ter se esforçado mais?

O Cullen deu um meio sorriso, olhando para a garrafa que estava em suas mãos.

- Em procurar a mulher que amei desde quando era criança até minha adolescência.

Carlisle riu, fazendo o filho erguer os olhos.

- Tem certeza? – O pai alisou os cabeços loiros – Quero dizer... Se a amou até a adolescência não devia estar com esse sentimento agora... Talvez você sinta algo por ela ainda.

Edward sorriu.

- Impossível não sentir. – Mordeu os lábios – Ela está linda pai, e continua tão simples, simpática e amável como antes...

- E o que você sente por sua noiva?

O rapaz torceu os lábios.

- Eu gosto de Tânya.

- Filho. – Carlisle tocou o ombro dele, enquanto se levantava. – Gostar não é amar. E casar é um passo sério, se realmente não nutri um sentimento forte por Tânya, não a iluda, não a engane e muito menos se case.

- É tarde demais pai, Tânya já começou a arrumar os preparativos.

- Isso não significa nada, apenas que terá que pagar uma multa e gastará uma quantia razoável de dinheiro – Riu – Mas você terá um retorno: O alivio de não ter dado um passo errado e estragando sua vida.

- Tem razão pai. – Edward suspirou. – Obrigado, vou me deitar.

- Vamos.

[...]

Pela manhã seguinte, quando Edward se levantou e foi para a sala onde encontrou Isabella  rindo das gracinhas que Miguel fazia. O pequeno piscava os dois olhinhos quando Isabella pedia, gargalhando em seguida.

Edward notou que aquela poderia ser sua melhor oportunidade.

- Ele gosta de você. – Anunciou sua presença, fazendo-a o olhar sorrindo.

- Bom dia Edward.

- Bom dia Bells. – Beijou sua bochecha e a do sobrinho. – Vocês se dão muito bem.

- Miguel é um amor.

Ele sorriu, sentando-se no tapete também.

- Ontem conversamos tanto, mas de nada sei ainda a seu respeito. – Franziu a testa, vendo-a morder os lábios – Mora sozinha?

A morena demorou um pouco para responder.

- Sim.

- Hm.

Edward desviou os olhos, sorrindo torto, isso significava que casada ela não estava. Rapidamente passou os olhos pela mão dela, não vendo nenhum anel.

- Sozinha tipo... Sozinha?

- Edward o que está querendo perguntar? Seja mais claro.

Ele a olhou com os olhos semi abertos, deu um longo suspiro e começou a brincar com os dedinhos do sobrinho.

- Me desculpe, sei que não é da minha conta mas... – Deu de ombros, voltando a olhá-la – Queria saber se você tem alguém.

- Oh... – A morena arfou, surpreendida pela pergunta. – Eu... – Mordeu os lábios – Não.

Edward deu um pequeno sorriso, erguendo sua mão e alisando a bochecha dela.

- Então tenho chances.

Bella arregalou os olhos.

- Edward! – Levantou-se rapidamente – Você está de casamento marcado, Deus...

- Bells, olha para mim. – Também se levantou, segurando-a pelo braço – Eu não vou me casar com Tânya. – Ela mordeu os lábios, desviando os olhos. – Eu não gosto dela, nunca gostei.

- Então porque está com ela? – A morena sussurrou.

Edward sorriu, tocando uma mecha do cabelo dela.

- Ela parece um pouco com você. – Deu de ombros – Bella, por favor, não posso perder essa chance... Eu já te perdi uma vez – Subiu sua mão para o queixo dela – Deus sabe o quanto penso em você, o quanto pensei em você durante todos esses anos. – Ele franziu a testa, reprimindo o choro. – Deus sabe como é horrível acordar todas as noites sabendo o que te fiz antes de ir embora... Só ele sabe a culpa que carrego comigo por ter...

Isabella colocou os dedos sobre os lábios dele.

- Por favor, não quero falar sobre isso.

- Mas eu preciso falar sobre isso. – Afastou a mão dela, esfregando seu rosto em seguida – Eu preciso te dizer que me odeio pelo que te fiz... Porra, você era tão inocente. – Fechou os olhos – Tão pura.

Ela abaixou a cabeça.

- Você se arrepende?

- Bella! Claro! – Edward grunhiu. – Droga!

Isabella deu um pequeno sorriso.

- Foi tão ruim assim?

Ele não acreditou naquilo.

- Não. – Respondeu rapidamente – Você não entende? A situação sim foi horrível!

- Edward... – A morena suspirou, fechando os olhos – Pare, por favor...

- Olhe para mim. – Ergueu o queixo dela. Isabella abriu os olhos, sentindo-os arder... Estava sendo impossível reprimir as lágrimas. – Eu quero você e...

Edward franziu a testa quando seu celular começou a tocar. Enfiou a mão no bolso e retirou o aparelho dali, olhando no visor.

- Atenda. – Isabella desviou os olhos do visor – É sua noiva.

- Isabella...

- Vem querido. – Antes que ele falasse mais algo, a morena pegou o pequeno Miguel e se dirigiu para a cozinha.

- Porra! – Ralhou o Cullen, atendendo o celular que ainda gritava e o levando ao ouvido – O que quer Tânya?!

- Vejo que preciso ir logo para ai. – Ela riu do outro lado – Meu gatinho anda estressado...

Edward apertou o nariz, tentando se acalmar.

- Diga o que quer. – Grunhiu – Estou ocupado.

- Edward, sou sua noiva! Devia me tratar bem! – Tânya resmungou do outro lado.

Isabella estava na porta que dava acesso a cozinha, ainda ouvindo a conversa de Edward com sua noiva pelo celular.

A morena estava tremula. Droga... Ele havia praticamente se declarado para ela.

Bella mordeu os lábios voltando a se concentrar no que Edward dizia a Tânya.

- Realmente preciso desligar. – Ele falou com a voz alterada – Não estou com cabeça para seus chiliques, depois ligarei para você, precisamos conversar seriamente.

 Ela suspirou, inclinando-se para olhar a sala e vendo-o subir as escadas. Sua cabeça estava confusa... Edward havia voltado a sua vida agora, trazendo consigo turbilhões de sentimentos que estavam ocultos dentro dela... Sentimentos que Isabella reprimia a anos.

Deus, ela sabia que o amava. Edward era o pai de seu filho, o único que havia toca-a de maneira tão intima.

A morena sabia que não podia permitir que ele se casasse. Era a chance dela de realizar o sonho de ter uma família... Edward , ela e Anthony.

- Miguel, o que eu faço?

O pequeno riu, agarrando o pescoço dela e tentando morder seu queixo. Ela sorriu, lembrando-se de quando Anthony era um bebezinho e adorava fazer aquilo.

Com um longo suspiro Isabella saiu da cozinha, subindo as escadas. Parou enfrente ao quarto de hospede onde Edward devia estar.  Com uma leve batida pediu permissão para entrar.

- Entre. – Ele sussurrou.

A morena abriu a porta, passando o pequeno garoto para o outro braço. Isabella mordeu os lábios, vendo-o sentado na beira da cama, com os olhos vermelhos e inchados.

- Você a ama? - A morena indagou.

Edward deu um sorriso pequeno e tristonho.

- Nunca a amei.

A morena enxugou as lágrimas que descia por sua bochecha.

- Me desculpe se fui grossa com você.

- Tudo bem, você tem todos os motivos.

Ficaram em silêncio novamente.

- Eu sempre gostei de você. - Ela confessou do nada, fazendo-o a olhar surpreso - Desde pequena para ser mais exata. Eu te achava insuportável, lindo, idiota e... O cara perfeito. – Desviou os o lhos, apertando seus próprios dedos - Se você se culpa pelo aconteceu, por ter "tirado meus sonhos" não se preocupe. - Isabella deu um pequeno sorriu - Aconteceu com a pessoa que eu queria.

- Bella... – Ele começou a falar, mas ela caminhou até a cama, deitando Miguel no meio dela e sentando-se ao lado dele depois.

- Não se case com ela.

Edward tocou o queixo dela, fazendo-a olhar para ele. O Cullen tinha um sorriso torto e lindo no rosto.

- Mesmo que você não me pedisse isso eu não iria me casar com Tânya. – Deixou seus dedos correrem para a bochecha dela. – Eu iria fazer de tudo para te ter para mim, não vou desistir. – Sorriu mais largamente. – Não vou te perder de novo.

Ela apertou os olhos com força, inclinando-se para frente e colando seus lábios nos dele de forma desajeitada, o que fez com que eles batessem a testa.

- Ai, me desculpa! - A morena se afastou, levando a mão a testa.

Edward arqueou a sobrancelha.

- Não se lembra como é? - Ele brincou, mas logo arregalou os olhos quando a viu corar - Não me diga que...

- É. - Ela mordeu os lábios - Eu não beijo há muito tempo. Desculpe, seu dente está doendo?

Edward não aguentou, se jogou para trás, gargalhando. Miguel que estava ao seu lado começou a rir também.

- Isso não é engraçado. – Comentou constrangida.

- Claro que não, mas é... – Ele parou de rir e se sentou na cama novamente. – Surpreendente. – Franziu a esta, tocando a bochecha corada dela. – Você é tão linda, como nunca se envolveu com alguém?

Ela apenas deu de ombros.

Algo estranho aconteceu dentro de Edward quando a ficha caiu... Apenas ele havia tocado-a. Lentamente aproximou seu rosto do de Bella, roçando de leve seus lábios nos dela. Lentamente ele aprofundou o selinho, tornando-o um beijo, calmo, lento, sem pressa para acabar. Isabella suspirou, acariciando a nuca dele enquanto deixava sua língua se entrelaçar com a dele.

Miguel resmungou. Eles riram.

- Está na hora da soneca dele.

[...]

- Você é linda. - Sussurrou, beijando o canto dos lábios de Isabella enquanto enrolava seu dedo nos cabelos castanhos dela. - Você sempre foi linda.

- Obrigada. - Ela suspirou sob o corpo dele, ainda entorpecida pelo efeito dos beijos de Edward. Ele inclinou-se novamente, deixando os lábios deles se encaixarem, enquanto suas línguas entrelaçavam-se. As mãos pequenas de Isabella agarraram os cabelos de Edward, que sorriu contra a boca dela. - Acho melhor pararmos... Miguel.

- Ele está dormindo. - Edward olhou para o berço móvel ao lado de sua cama. - Deixe-me aproveitar um pouco desse tempo com você, logo os outros chegaram... – Assim que ele falou ouvi-se o som do portão sendo aberto e um carro entrando. Edward torceu os lábios, vendo Isabella rir – Bom, acho que não tem problema algum nós dois permanecermos aqui.

- Edward! Claro que tem. – O empurrou – Eu estou em meu horário de trabalho e não é legal ficarmos trancados no quarto enquanto ainda não terminou com sua noiva.

Ele se levantou, passando a mão pelos cabelos.

- Você tem razão. – A ajudou se levantar. – Vou ligar para Tânya.

- Tudo bem. – Isabella mordeu nos lábios indecisa. Edward a olhou e piscou. A morena ficou na ponta dos pés e lhe deu um selinho timidamente, afastando-se em seguida com o rosto corado – Vou legar Miguel para o quarto.

- Precisa de ajuda?

- Não.

Ele sorriu vendo-a sair apressadamente do quarto, empurrando o berço. Edward se jogou na cama, sorrindo como bobo.

Oh Deus... Quantas vezes sonhou com isso? Reencontrar Isabella e se casar? Tudo bem, as coisas estavam indo rápido demais, alias, ele ainda estava noivo... Mas era impossível reprimir aqueles sentimentos.

Em um pulo Edward saiu da cama. Apanhou seu celular e procurou pelo numero de Tãnya enquanto descia as escadas. Cumprimentou sua mãe com um beijo carinho na testa e saiu para o quintal.

Ele não sabe quantas ligações foram exatamente, mas foram muitas... E todas caíram na caixa postal.

Edward pegou o carro e saiu. Se pretendia ficar com Bella precisava ajeitar sua vida ali.

Era quase 16h00min quando voltou. Seus pais estavam sentados juntos na sala. Carlisle lia um jornal, Emmett assistia TV do outro lado e Esme folheava uma revista.

- Estava onde querido? – Sua mãe indagou.

- Resolvendo algumas coisas. – Deu de ombros, sentando-se ao lado dela. – Sabe se alguém me ligou?

- Não. – Esme franziu a testa, pensando, tentando se recordar. – Estava esperando ligação de alguém?

- Tentei ligar para Tânya a manhã toda. – Desviou os olhos da mãe quando viu Isabella passar pelo canto, indo em direção a cozinha. – Só dava caixa postal.

- Pergunte a alguma emprega.

- Ok. Eu já volto, vou beber água e fazer isso. - O Cullen se levantou quando a viu indo para a cozinha. Esme, Carlisle e Emmett não desconfiaram de nada.

Já na cozinha, Edward abraçou Isabella por trás, espalmando sua mão na barriga dela.

- Oi Bells.

- Edward! - O empurrou rindo. - Alguém pode ver.

Ele deu de ombros.

- Logo eles irão saber mesmo.

- Eu sei, mas lembra do que conversamos pela manhã?

Ele suspirou.

- Juro que tentei ligar para ela, mas Tânya não me atende de nenhuma forma. – Roubou mais um beijo dela. – Ei que tal jantar comigo? – Sorriu torto, fazendo-a suspirar.

- Eu não sei... – A morena mastigou os lábios.

- É só um jantar.

- Não tenho roupa Edward.

- Pode ir de qualquer maneira. Até assim. – Tocou a cintura dela. – Você fica linda de qualquer forma, e vamos a um lugar descontraído, prometo.

- Tudo bem. Eu aceito. – Concordou por fim.

- Ótimo. - Edward sorriu largamente. - Passo em sua casa as 19h00min para irmos jantar, agora preciso ir resolver algumas coisas... - Beijou a testa dela. – Tentar ligar novamente para minha ex-noiva.

- O que vai dizer a ela?

O Cullen suspirou.

- Vou dizer a verdade, que reencontrei a mulher da minha vida e que ela nem precisa vir para LA.

8 comentários:

Natalocas disse...

Mais um capítulo fantástico!!:D

Muitos parabéns Caah!;)

Bjocas

Anônimo disse...

Quando tem mais??? Kkkk tá ótimo caah!

AmandaE disse...

*____* Capítulo PERFEITO
aaaaaaaaaaah espero que a vaca da tania nao apareça pra estragar tudo =\

Evie disse...

Ficou lindo demais, eu adorei! Só espero que a Bella não sofra - muito - pelo que está por vir.. Linda demais essa fic; Tô amando!

Anônimo disse...

amei o cap e tenho uma previsao sobre o porque de bella,no cap 2 trabalhar como striper:no cap 5 eles vão para u hotel e bella acorda e ed não está mais lá,fazendo com que ela tenha que pagar,deixando-a sem dinheiro para pagar suas contas,então elaa terá que trabalhar como striper para sustentar ela e seu filho.sera que estou certa?

Julia disse...

Amei Caah.
Não acho que ela tenha sido precipitada mas com relação ao que vai acontecer no próximo,será que ela não deveria se perguntar se o Edward,depois de tantos anos,seria o mesmo do passado?
Acho que só isso flor.bjbj

dhêê disse...

mais um capítulo fantastico, parabéns...

Anônimo disse...

"amei o cap e tenho uma previsao sobre o porque de bella,no cap 2 trabalhar como striper:no cap 5 eles vão para u hotel e bella acorda e ed não está mais lá,fazendo com que ela tenha que pagar,deixando-a sem dinheiro para pagar suas contas,então elaa terá que trabalhar como striper para sustentar ela e seu filho.sera que estou certa?" exatamente oq pensei! tbm estou achando isso, amei o capitulo bjss

Postar um comentário