Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

24/05/2012

Dffm - Epilogo


N/A: Pois é, infelizmente chegou ao fim. Sei que falei que talvez postasse mais um capitulo antes desse, mas eu estava sem ideias então achei melhor parar de enrolar, dar um ponto final na fic e bola pra frente! (: Bom, agora é com vocês... Qual fic vou finalizar agora? 

Desculpa se eu te amo

ou

Short-Fic - Deixe-me te amar

(Logo posto a enquete ali do ladinho >>>> 

She Will be Loved não vai entrar na votação porque ando inspirada para ela e irei postando os capítulos quando esses estiverem escritos :P

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Epilogo


POV Edward

Puxei o ar devagar e sorri ao sentir o cheiro maravilhoso de Bella. Abri os olhos enquanto bocejava e me esticava todo na cama.

Não devia ser muito tarde, já que era perceptível a movimentação no andar de baixo, as crianças deviam estar se preparando para ir à escola.

Sai da cama e fui para o banheiro, lavando o rosto, escovando os dentes e voltando em seguida para o quarto. Peguei minha calça de moletom que estava no chão e a vesti. Subi na cama novamente, beijando o rosto de Bella e cobrindo seu corpo.

Desci para a cozinha, encontrando Anthony debruçado sobre a mesa, quase dormindo. Jully estava preparando algo no fogão.

- Bom dia. – Baguncei os cabelos de Anthony, que resmungou, abrindo os olhos.

- Pai... – Grunhiu passando a mão no rosto – Bom dia.

- Bom dia pai.

Fui até minha princesa, beijando-a.

- Bom dia minha linda.

- Mamãe ainda está dormindo?

- Sim. – Me servi do café que ela devia ter feito. Normalmente Bella acordava antes e fazia tudo, mas como havia chegado de madrugada, perdeu a hora. – Ela chegou muito tarde, está desmaiada. E vejo que ela não foi a única. – Bati na cabeça de Anthony, que quase dormia sentado.

- Sai com o pessoal. – Deu de ombros.

- Vou subir para acordar o irmão de vocês. – Tomei o café rapidamente, deixando a xícara na mesa e voltando para o andar de cima. Parei no quarto do meu filho mais novo, abri a porta e franzi a testa quando não o vi na cama. – Filho? Está ai? – Fui até o banheiro e nada.

Já no corredor, ouvi o riso baixo vindo do meu quarto. Abri a porta e o vi enrolado em Bella na cama.

- Bom dia. – Fui até a cama. Beijando a bochecha de Joey e os lábios de Bella.

- Bom dia papai.

- Bom dia amor. – Bella esfregou os olhos – Porque não me acordou?

- Você chegou tarde ontem. E a intenção era deixar você dormir um pouco mais. – Olhei para Joey, que sorriu passando a mão pelos cabelos.

- Eu cordei ela papai.

- Percebi filho. – Me deitei ao lado dele, apoiando o cotovelo na cama e o rosto na mão.

Ele sorriu, mostrando os dentinhos de leite, e a falta de um deles. Joey havia completado 4 anos, mas parecia que foi ontem que ele nasceu... A mesma correria e o desespero de sempre. Apesar de ter passado três vezes por isso, se Bella engravidasse novamente, eu sabia que sempre seria como da primeira vez.

- E as crianças?

- Estão tomando café. – Dei de ombros. – Então, como foi ontem no hospital?

Indaguei, enquanto puxava a coberta para cima de Joey e o prendia sob ela.

- Bem. – Bella rolou os olhos, puxando a coberta e livrando nosso pequeno. – Amor, não maltrate meu bebê.

- Mãe, eu num so bebê! – Resmungou, vindo se sentar em minha barriga – Papai, faz de novo?

Ri puxando o cobertor e o cobrindo de novo. Bella fez careta. Aproveitei que nosso filho não estava vendo nada e a beijei na boca. Ultimamente Joey andava nos impedindo de fazer aqui na frente dele, dizendo que era nojento e tudo mais... Eu queria só ver daqui alguns anos.

- Ceis tão bejando?

- Não. – Resmunguei contra a boca de Bella, que riu puxando-me pelo cabelo e colando nossos lábios novamente. Suspirei, deixando nossas línguas se encontrarem.

- Ew! Que nojoooooooo! – Joey escapou de baixo das cobertas com cara de nojo, torcendo o naris para nós. – Ceis... baba na boca um do oto.

- Vem cá. – Bella o puxou pelos braço, fazendo-o cair sobre ela. – Deixe-me babar em sua boca.

- NÃOOO! – Joey resmungou, enquanto Bella distribuía beijos por seu rosto. – PARAAAA!

- Bella, está judiando do nosso filho... – Neguei com a cabeça, e Joey abriu os braços para mim, pedindo ajuda. – Como você faz isso e nem me chama?

Comecei a beijá-lo também, fazendo seus gritos aumentarem. Depois de muita judiação o soltamos. Joey saltou da cama, limpando o rosto vermelho e todo molhado.

Ele bufou irritado.

- Ew! Odeio baba! – Resmungou, olhando-me – Baba de homi é pió ainda!

- Aaah. Acho bom você correr.

Ameacei em me levantar e Joey disparou porta a fora.

- Ele está crescendo rápido. – Bella suspirou, sentando-se e encostando na cabeceira.

Virei-me na cama, sentando-me ao lado dela e de frente para ela. Apoiei meu braço ao lado das pernas dela, inclinando-me para frente e beijando sua boca.

- Está na hora de fazermos mais.

- Ed! – Ela rolou os olhos suspirando. – Acho que eu não daria conta.

- Por quê? – Mordi seu queixo, sentindo-a se arrepiar. – Nem estamos tão velhos assim...

- Eu sei, mas não quero ter mais um filho e não ter tempo para ficar com ele, entende? O hospital ocupa a maior parte do nosso tempo...

Sorri, alisando sua bochecha.

- Tudo bem, só achei que seria legal sabe? – Dei de ombros – Eu amo ser pai e sinto falta de um bebê em casa.  – Ela sorriu lindamente, alisando meu ombro – Ensinar o bebê a falar, andar, fazer coisas... Rir das gargalhadas, acordar no meio da noite com ele se esgoelando...

- Falando assim você me convence. – Bella mordeu os lábios, levando sua mão aos meus cabelos. – Vou pensar no seu caso Sr.Cullen.

Pisquei para ela, beijando-a em seguida.

- Ewwwww!

Nos separamos rindo.

[...]

Peguei Joey pelas pernas, atirando-o dentro da piscina. Meu garoto caiu na água e em seguida subiu, balançando os cabelos e rindo.

- Faz de novo papai.

- É melhor não, você pode se machucar. – Me aproximei da borda, pulando para dentro em seguida. Meu filho não perdeu tempo e se pendurou em meu pescoço. Apesar de pequeno ele sabia nadar super bem, ao contrario de mim, que ainda não sabia e nem queria aprender. – Você ainda é pequeno.

- Não so não! – Resmungou, abraçando meu pescoço. – Mamãe disse que so homi.

- Sim, mas um homem não tão homem como eu e o Anthony.

- Hm... Quando vou ser homenzão?

- Daqui alguns anos. – O sentei na borda da piscina. Meu filho tirou a franja dos olhos e torceu o nariz.

- Vai demora muito?

- Não muito filho. – Apertei seu nariz. – Mas o tempo passa rápido e você não deve se preocupar com isso agora.

- Ta. – Ele se levantou e tomou distancia. Veio em minha direção logo em seguida, correndo e gritando, pulando encima de mim.

- Filho, não faz assim, lembra o que combinamos? Nada de gritos senão a mamãe acorda. Ela trabalhou quase 2 dias seguidos sem dormir, ela precisa descançar.

Nós dois olhamos para cima, fitando a sacada do meu quarto. Bella estava lá, debruçada nos olhando, com os olhos pequenos.

- Agora podemos? – Ele indagou, acenando para ela.

Rolei os olhos.

- Acordamos você? – Perguntei a Bella.

- Eu já estava acordada há algum tempo, estava apenas com preguiça de levantar, podem continuar a brincar. – Piscou, ajeitando seu roupão. – Vou me vestir e já desço.

- Tamo esperando mamãe. – Assim que ela sumiu eu joguei Joey na água, correndo para longe dele. Correndo mesmo, já que eu não nadava nada. Meu filho riu, vindo até mim rapidamente. – Cê é muito ruim de nada papai.

Quando Bella chegou ali, eu estava sendo afogado por nosso filho, que empurrava minha cabeça contra a água.

- Joey, vai machucar o papai. – Ela o repreendeu retirando o roupão e revelando um biquíni que eu ainda não havia visto. Ele era pequeno e tentador demais para o horário, principalmente tendo nosso filho perto... Droga, eu precisaria me controlar. – A água está quente?

Se antes não estava, agora estava fervendo.

Merda Edward, seu filho está ai, pare de pensar bobeiras!

- Ta sim mamãe. Vem!

Bells assentiu, prendendo os cabelos em um coque. Assim que ela entrou Joey saiu de minhas costas e foi até ela, agarrando-a.

- Boa tarde. – Me aproximei, enlaçando a cintura dela e sorrindo – Dormiu bem?

- Muito bem. – Bocejou, inclinando-se em seguida para me beijar.

- Ew! Já começou! – Nosso pequeno bufou, indo para a borda e saindo da piscina com dificuldade, jogando primeiro uma perna e arrastando o corpinho. – Vou joga vídeo-game.

- Filho, enxugue-se com o roupão da mamãe, não quero ver a casa molhada hein.

- Ta mãe. – Bufou, correndo em direção a cadeira, vestindo o enorme roupão de Bella e indo para a porta.

- Ele está entrando na fase da má educação. – Resmungou minha mulher. Eu a abracei por trás, rindo contra sua nuca. – Tudo o que falo é motivo para bufar.

- Coisa de criança amor. – Beijei seu pescoço – Se ele continuar tiramos o Xbox dele.

- Ok.

A arrastei para uma parte mais funda da piscina que ainda me dava pé, mas para Bells não. Ela mordeu os lábios, apoiando os cotovelos na borda e pegando impulso para enlaçar minha cintura com suas pernas.

- Você fica linda quando acorda. – Mordi sua bochecha, fazendo-a rir.

- Desista, não vamos fazer amor aqui. – Resmunguei baixinho, segurando sua cintura e esfregando-a em mim. – Edward, Joe pode sair aqui para fora a qualquer momento, agora se comporte.

- Podemos dar uns amasso pelo menos?

- Sim. – Sorriu, abraçando meu pescoço e beijando minha boca.

Ficamos grudadinhos ali, namorando um pouco. Até que Joey começou a gritar que estava com fome. Saímos da piscina e tomamos um banho rápido e descendo em seguida para a cozinha.

- Pare de fazer perguntas assim piralho. – Anthony resmungou enquanto colocava um sanduíche na frente de Joey.

- Por quê?

- Não é algo que se deva perguntar?

- Por quê?

- Porque... – Anthony franziu a testa – Bom, porque não.

- Eu vi na cultura que “porque não” não é resposta! – Nosso filho mais novo bateu as mãos na mesa – EU QUERO SABE AGORA!

- Vou te meter uns cascudos garoto chato.

- Anthony. – Minha mulher o repreendeu – Joey... – Bella se moveu, indo até ele, que bufava. Realmente o pequeno estava entrando na fase onde seu pior lado estava vindo átona. – Não faça assim querido. Diga para a mamãe, o que quer saber?

- Por que ceis dois tomam banho juntos? – Se ajoelhou na cadeira, enquanto Bella engolia em seco. – Ce disse que eu num podia mais toma banho cum você puque to virando homi, mas o papai é homi, ele num pode também!

- É...

- Filho, não estava com fome? – Me aproximei da mesa, pegando o sanduíche, retirando um pedaço e colocando em sua boca. – Mastigue devagar.

- Mas pai...

- Obedeça Joey.

Ele cruzou os braços e ficou nos olhando com sua melhor cara de mal. Ri baixinho e Bella me cotovelou.

- Ai amor – Resmunguei, esfregando minha costela. Ela me olhou torto e eu entendi sua indireta. – Vou assistir TV.

Sai da sala ainda esfregando o local. Bella era muito bruta...

- Vai ser fácil. – Anthony puxou uma almofada, deitando-se na poltrona e a colocando sob sua cabeça – A menina é caidinha por mim Sam, acha mesmo que não vou conseguir? Vá separando meus 50 dólares, pego contigo amanhã. – Ele ficou quieto por alguns segundos, rindo em seguida. Senti um toque em minhas costas e vi Bella, olhando-o. – Claro que me garanto. Pode ter certeza que essa é a aposta mais fácil do mundo. Vou pegar a feiosinha hoje à noite. Ok, preciso desligar, vou ligar para ela e marcar.

- Sobe. – Sussurrei para ela, vendo seus olhos marejados. Bella assentiu, mordendo os lábios. – Ei, não faz assim... – A puxei para um abraço, beijando sua boca. – Eu te amo.

A soltei. Bella subiu as escadas correndo. Fui até o sofá, retirando o celular da mão de Anthony.

- Pai! – Exclamou surpreso. – O que foi?

- Não posso deixar você fazer isso. – Coloquei o aparelho no bolso, puxando a mesa de centro e me sentando nela.

- Isso o que? – Ajeitou-se no sofá, sentando-se. – Pai, me devolva.

- Eu não te criei assim. O que está acontecendo com você hein? – Passei a mão por meus cabelos – Tudo bem que está na fase onde reputação é algo importante, mas não faça isso...

- Qual é pai. – Rolou os olhos. - É só uma nerdzinha. Só vou dar uns beijos nela, nada demais.

- E se você se apaixonar por ela?

- Sai fora. – Riu, negando com a cabeça. – Está louco? A menina é um dragão.

- Não fale assim. – Sorri, sem humor. – Não cometa o mesmo erro que eu cometi.

Anthony arqueou as sobrancelhas surpreso.

- Você...

- Sim. E não me orgulho disso. – Senti o peso em meu ombro. O peso que sempre carreguei pelo que fiz – Ela andava amontoada de livros, usava um suéter estranho, óculos e aparelho. – Suspirei, deixando escapar um sorriso ao me recordar. – Era uma verdadeira nerd, só que a irmã do meu melhor amigo. Fiz uma aposta com um cara, de que a conquistaria.

- E você conseguiu?

- Sim. – Passei a mão pela nuca. – Não sei dizer se me arrependo ou não. – Dei de ombros – Foi ali que eu descobri que realmente a beleza não importava. Ela era gentil, engraçada e atenciosa. Foi meu primeiro amor. – Mordi os lábios – A garota começou a gostar de mim e para me impressionar deu uma mudada geral. Trocou os óculos por lentes, retirou o aparelho, trocou as roupas... – Fechei os olhos – Era a garota mais linda da escola.

- E o que aconteceu? – Indagou curioso, curvando o corpo um pouco mais para frente.

- Comecei a levar a serio nosso relacionamento. Eu já não sentia atração por outras mulheres, pensava nela toda noite e arrumava maneiras de encontrá-la. Nos acabamos nos envolvendo de verdade e eu consegui atingir meu objetivo sem pensar nisso... Eu a levei para a cama. – Minha voz morreu, senti meus olhos arderem. – Eu sei que isso soa meio gay, mas foi a primeira vez que me senti completo. Sai de lá disposto a quebrar aquela aposta, só que não sei ao certo o que aconteceu, uma hora eu estava conversando com Jake e a vi atrás da porta, ouvindo tudo. Foi horrível, apanhei do irmão dela e a perdi, ela foi embora.

- Uau, não sabia disso. – Murmurou surpreso, coçando a barba em seu queixo. – Mamãe sabe disso? – Sussurrou – Tipo, você parece sentir algo por essa menina, sabe como mamãe é ciumenta e...

- Ela sabe. – Sorri tristonho. – A garotinha nerd e feia era Bella.

Ele riu, pensando que eu estava brincando, mas logo ficou sério.

- Está falando sério?

- Eu não brincaria com isso Anthony. – Travei o maxilar. – Não cometa o mesmo erro que eu. – Toquei seu ombro – Felizmente, depois de muitos empecilhos eu e sua mãe conseguimos ser feliz, consegui o perdão dela, mas ainda não me perdoei pelo que fiz. – Dei um leve tapa em seu queixo, fazendo-o sorrir – Não magoe essa menina. Elas são sensíveis. Pode ser que seja o primeiro beijo dela, isso elas nunca esquecem... É algo importante para elas, entende?

- Sim. – Anthony assentiu, se levantando – Você tem razão. Não posso fazer isso. A menina nunca me fez nada, sempre fez meus trabalhos e lições de casa...

- Anthony. – Passei a mão pelo rosto.

- A ultima parte era brincadeirinha. – Sorriu, socando de leve meu ombro – Bom, vou dar um jeito nisso tudo.

Me levantei também.

- Agora vamos subir, sua mãe ficou um pouco triste pelo que ouviu aqui.

- Certo.

POV Bella

- Não consigo te imaginar nerd... – Anthony murmurou, deitado ao meu lado em minha cama.

- Pois é. – Alisei o rosto dele. – Que bom que desistiu dessa aposta.

- Papai contribuiu para isso. – Sorriu torto, igual ao pai, abraçando-me bem apertado – Desculpe mãe, eu não sabia...

- Sem problemas. – Beijei sua testa – Graças a Deus deu tudo certo entre mim e seu pai, mas poderia não ter dado. Não gosto de ficar me lembrando dessas coisas. Não tem como seguir em frente se ficar vivendo o passado.

- Tem razão.

- OWWWW MÃAAAAAE!

- Acho que seu irmão está me chamando. – Resmunguei.

- Aposto que os vizinhos ouviram. – Meu filho beijou minha bochecha – Eu era chato assim quando pequeno?

- Não tanto quanto Joey... – Suspirei – E seu pai ainda quer mais um.

- Filho?

- Sim.

- Se for menos chato que Joe eu aceito.

Rolei os olhos me levantando da cama e secando minhas lágrimas.

- Vamos ver o que ele quer.

Lavei o rosto no banheiro e descemos para a sala, encontrando Joey gritando e correndo para lá e para cá.

- Deus, para que tanto barulho?

- A MEG TA AI! – Subiu em meu sofá, pulando. – A MEG TA AI, A MEG MAMÃE!

- Oh! – Fui até a porta, vendo-a abraçada a Edward enquanto seu noivo retirava a mala do carro. – Filha!

- Mãe, Thony!

Minha filha largou do pai e veio até mim, me abraçando.

- Querida, que saudades... – Me afastei, tocando seu rosto – Como está diferente!

- Mãe, faz só 2 meses desde minha ultima visita. – Ela rolou os olhos, rindo.

- Parece anos. Agora venha vamos entrar, deve estar cansada.

- Sim, a viagem foi um pouco longa.

- Tia Bella... – Seth veio até mim, abraçando-me – Como está?

- Ótima querido, e você? Cuidando direitinho da minha menina?

- Sempre. – Ele sorriu, a abraçando pelos ombros. Edward fez careta nas costas de nosso genro. Apesar dos anos terem se passado e nossa garotinha ser agora uma mulher de 26 anos, casada e independente, Edward ainda não havia se acostumado com a situação.

Meg e Seth tiveram um curto romance entre os 15 e 16 anos, mas não durou muito, talvez por ambos serem imaturos. Ela decidiu estudar fora e nós apoiamos, e só 4 anos depois reencontrou o antigo namoradinho, agora um lindo homem que fazia até a mim suspirar.

- Não sabíamos que vocês viriam, deviam ter avisado. – Murmurei, indo até Meg e a abraçando novamente – Preciso ajeitar um quarto para vocês.

- Não precisa fazer isso agora mãe, na verdade estou faminta. – Pousou a mão sobre a barriga.

- Sei como é estar grávida. – Suspirei, alisando sua barriga de leve, ainda não tão perceptível, mas ali estava meu primeiro netinho.

[...]

Me enfiei de baixo das cobertas e aconcheguei-me contra o peito de Edward, que havia acabado de chegar do hospital.

- Como foi no hospital? – Indaguei, colocando uma de minhas pernas sobre as dele.

- Cansativo. – Sorriu, alisando meus cabelos – Me desculpe por ter te acordado, tropecei em um carrinho de Joey que estava no chão.

- Tudo bem. – Dei de ombros, sorrindo – Eu não estava dormindo e estava com preguiça de ir ao banheiro, se eu não tivesse me assustado não teria levantado.

Ele torceu os lábios, inclinando-se e beijando minha bochecha.

- Bells...

- Hm? – Murmurei contra seu peito nu.

- Lembra quando conversamos a respeito de nos mudarmos para Nova Iorque? Já que Anthony e Jully foram aprovados na faculdade de lá e não queríamos ficar longe deles?

Franzi a testa, me afastando e assentindo.

- Sim, o que tem?

- Bom... – Ele sorriu torto, do jeito que tirava meu ar. – Eu recebi uma oferta tentadora. – Alisou minha coxa, enquanto eu arqueava minhas sobrancelhas, surpresa.

- É?

- Sim. – Edward riu – Bom, me convidaram para trabalhar como Diretor do hospital central de NY.

- OMG!

- Pois é, também fiquei surpreso.

- Amor, parabéns! – O abracei.

- Podemos nos mudar, ficaremos perto dos nossos três filhos, eu terei um emprego melhor e... – Mordeu os lábios, fitando-me com os olhos verdes.

- E... ? 

- Você não precisaria trabalhar, e poderíamos por aquela outra idéia em prática... – Piscou, rolando na cama e ficando sobre mim.

Fechei os olhos, apreciando o peso e o calor de seu corpo contra o meu. Levei minha mão a sua nuca, enquanto agarrava seus cabelos e tinha minha boca devorada por seus lábios. Senti meu corpo se arrepiar quando sua mão gelada subiu por minha coxa.

- Ed...

- Diz que sim. – Pediu, dando longos selinhos em minha boca – Você vai ter tempo para curtir Joey, nosso bebê e nosso neto.

Suspirei, abrindo os olhos. Era um proposta tentadora. O que eu mais queria era passar um tempo com meus filhos. Eu amava minha profissão, mas de um tempo para cá não estava me agradando muito ficar longe de casa.

- Tudo bem.

Edward sorriu, convencido, voltando a me beijar.

- Vai ser bom, você vai ser uma ótima dona de casa.

Ri contra seus lábios.

Quase 2 anos depois...

POV Edward

Joey suspirou impaciente.

- Será que posso ver meu irmão agora? – Indagou.

- Filho, os médicos acabaram de levá-lo para o berçário, quando pudermos ir lá eu te falo, está bem? Porque não tenta dormir um pouco? – Me sentei, segurando sua cabeça contra meu ombro – Está tarde, deve estar com sono.

- E agora?

- Agora o que filhão?

- Já podemos ir ver meu irmão?

Ri, negando com a cabeça.

- Ainda não filho.

- Você viu ele papai?

Sorri. Joe estava mesmo ansioso para ver o irmão, para falar a verdade ele estava assim desde que Bella descobriu estar grávida, o que só piorou essa semana, quando contamos a ele que seu irmãozinho poderia chegar a qualquer hora.

- Vi sim meu amor. – Sorri, me lembrando do pequeno bebê chorando junto comigo e Bella. – Ele é lindo, igual a você e a seus irmãos quando nasceram.

- Doeu na mamãe? Sabe, o Steve tava dentro dela.

- Creio que ela não sentiu, mamãe estava com um remédio que não a deixava sentir dor.

Ele retirou a cabeça do meu ombro, sorrindo pra mim.

- Que bom né papai.

- Sim filho. – Olhei no relógio, que apontava 01:23 da manhã – Assim que seu irmão voltar você irá com ele para casa está bem?

- Ah pai...

- Você precisa dormir filho.

- Dr. Cullen. – Uma enfermeira se aproximou, sorrindo para nós. – O senhor já pode ir ao berçário.

- Ok. – Sorri – E quando poderei ver Bella?

- A Sra. Cullen já está no quarto, pode ir vê-la quando quiser.

- Posso também tia Eliza?

- Claro Joey.

- Obrigada Eliza. – Sorri para ela. Me levantei, com Joey nos braços. – Vamos filho?

- Sim papai.

Seguimos pelo longo corredor, cumprimentando alguns amigos que trabalhavam aqui, já que a maternidade era ao lado do hospital que eu dirigia e dividíamos o mesmo refeitório/lanchonete.

Quando finalmente chegamos ao berçário, Joey grudou o rosto no vidro, tentando encontrar o irmão.

- Eles são tudo igual... – Resmungou, torcendo os lábios. – Cadê meu irmão pai.

- Olha, vamos entrar em um lugar onde tem vários bebês dormindo, alguns meio dodói, então fale baixinho ok?

- Ta.

Abri a porta, sendo recebido por uma enfermeira que rapidamente nos levou até Steve. Joe e eu nos inclinamos, vendo o pequeno bebê todo embrulhado em cobertas azuis, ressonando tranquilamente.

- Você mentiu papai. – Meu pequeno sussurrou – Ele é feio!

- Joe! – O repreendi, rindo baixinho – Não diga assim, ele ainda não se desenvolveu como nós. Ele estava dentro da mãe. Daqui alguns meses estará lindo e forte.

- Oi irmãozinho. – Sussurrou. Toquei os pequenos dedos do meu bebê, sentindo sua pele lisa e quente. Joey fez o mesmo, tocando com o indicador a mãozinha do bebê. – Ele é tão pititico pai, da medo de machucar.

- Sim filho, agora vamos deixar Steve descansar ok? Vamos ver a mamãe, logo ele irá para lá também.

- Beleza.

Saímos dali e fomos rumo a ala onde Bella repousava. Joey foi o percurso todo fazendo planos para se divertir com Steve.

- Ele ainda é pequeno, não vai fazer isso tudo.

- Nem joga bola? Pula na piscina?

- Não.

- Que chato.

Ele cruzou os braços, fazendo um lindo bico. Parei enfrente ao quarto de Bella e abri a porta.

- Será que podemos entrar, mamãe mais linda do mundo?

Minha mulher nos olhou, sorrindo.

- Claro meus homens.

Entrei, fechando a porta e indo até a cama.

- Oi mamãe.

- Vem cá pequeno. – Ela se sentou devagar, evitando fazer caretas de dor. Coloquei Joey na berrada da cama e logo ele já estava agarrado a Bells. – Não está com sono?

- Pouquinho. – Ele coçou os olhinhos, sorrindo para ela, que lhe beijou a testa. – Eu vi meu irmãozinho e ele é muito feio mamãe. – Fez uma careta lindinha – Tem a testa enrugada, assim como todo o corpo, ele é um pouquinho vermelho e é careca! – Torceu os lábios – O papai disse que não vamos poder jogar bola nem pular na piscina.

- Seu irmão ainda é muito pequeno. – Alisou os cabelos lisos de Joey – E quanto a aparência dele.  – Riu – Você também foi como ele, todooo amassadinho e sem cabelos.

- Eu era?

- Era sim. – Afirmei, inclinando-me para beijar Bella nos lábios. Ela sorriu para mim – Eu o vi amor. Ele é lindo, forte...

- Como você.

- E você. – Ri acariciando sua nuca, enquanto olhava dentro de seus olhos. – Você me faz mesmo o homem mais feliz do mundo.

Antes que ela respondeu a porta do quarto foi aberta. Me endireitei, voltando a ficar de pé.

- Licença.

Jully, Anthony e Meg entraram sorrindo.

- Aqui está pai. – Thony me entregou a bolsa que eu havia esquecido em casa. – As coisas da mamãe e de Apple estão ai.

- Apple?

Ele riu, ajeitando a camisa.

- Sabe, Steve... Jobs, Apple...

- Anthony!

- Qual é, foi só uma brincadeirinha. – Riu, aproximando-se e beijando o rosto de Bella. – Como a senhora está se sentindo?

- Cansada e muito feliz. – Piscou.

- Desculpe mãe, não pude vir quando papai me ligou eu estava em casa com Eric e Seth não havia chegado ainda.

- Tudo bem querida.

- Acho que alguém dormiu. – Jully apontou para Joe, que estava com o rosto contra Bella, desmaiado.

- Pode levá-lo e ficar com ele lá em casa querida? – Indaguei retirando minha blusa de frio e a colocando sobre ele.

- Claro pai.

- Com licença. – A enfermeira que estava no berçário entrou, com um Steve chorão nos braços – É aqui que pediram um bebê.

Bella riu.

- Sim. – Mordeu os lábios franzindo a testa em forma de choro e abrindo os braços. – Está com fome?

- Exatamente.

Me aproximei, pegando meu filho dos braços dela.

- Oi filho, não chore, shhh... – Beijei sua testinha, tocando seu macacão azul.

- Tão fofo!

- Ele é lindinho pai.

- Oi Apple.

Ri, deixando-os se debruçar sobre meu filho, logo o bebê começou a chorar mais alto e eu o passei para Bella, ajudando-a a ajeitá-lo em seus braços.

Observei minha mulher, pela quarta vez, dar a primeira mamada a um filho nosso. Era emoção demais ver meu pequeno garoto aproximar seu rostinho do seio dela e abocanhar o bico com a boquinha, sugando desesperadamente em seguida.

Olhei para Bells e a vi me olhando. Seus olhos estavam marejados, assim como os meus deviam estar. Eu sabia exatamente o que ela estava sentindo. Aquela sensação deliciosa no peito, que me fazia sorrir como um idiota.

- Mais um presente para nós... – Ela enxugou uma lágrima.

- Sim amor. Agora são 5.

- Se você quiser podemos chegar a 10. – Pisquei, fazendo-a arregalar os olhos e arfar.

- Oh, eu não sei... – Franziu a testa de maneira engraçada, nos fazendo rir – Acho que 10 é muito amor.

- 8?

- 5 está bom.

Sorri, beijando sua boca.

É, cinco estava bom... por enquanto.

~ Fim ~ 

N/A: Foi muitoooo bom escrever essa fic para vocês!
O pessoal pediu continuação da fanfic e infelizmente não vou fazer, já que essa já é continuação de I'm Sorry e eu to com umas ideias maravilhosas na cabeça para fanfics novas, mas antes disso quero finalizar essas que já postei.

ESPERO QUE TENHAM GOSTADO. NOVAMENTE, PEÇO DESCULPA PELA DEMORA COM OS POST, MAS A VIDA ESTÁ DIFICIL PARA TODO MUNDO, E AGORA QUE ANDO COM A CABEÇA LOTADA - trabalhos, namorado, e muito mais trabalhos - ESTOU SEM INSPIRAÇÃO.

MAS NÃO ME ABANDONEM D:

<3

10 comentários:

Lika disse...

Ameiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!
Ficou perfeito como sempre Caah.

MoohCelestino disse...

aaaaaaaaah tristinha por mais uma fic maravilhosa terminada Cah adorei cada capítulo, adorei te atazanar pelos capitulo. beijo

rany disse...

Adoreii caah obrigado por me fazer rir,chorar com a bella e o Ed gostoso muitíssimo obrigada mesmo
e nós nunca vamos te abandonar...
Beijinhos.

Paulinha disse...

Caah, que lindo esse epilogo. *-*
Amei a fanfic, confesso que quando você disse que faria a continuação de I'm Sorry eu fiquei pensando no que mais você poderia escrever. Porque, cara I'm Sorry ja tinha sido tãaaao complexo que, sl, não conseguia imaginar mais nada. rs'
E ai vem você e surpreende a todos com essa continuação incrivel. *-* Cara, eu AMO as suas fanfics, você é uma das poucas autoras que eu li praticamente todas as fics e gostei. > <
Sei que eu não comento muito, mais, eu te admiro muuito pela autora incrivel que você é. :)
Bom, to super ansiosa pra She Will Be Loved, esse segundo capitulo me deixou meio confusa, mais foi incrivel. *-* Nós nunca vamos abandonar você. <3

Anônimo disse...

e a primeira vez que comento,mas quero dizer que amei a sua fic,voce tem dom para isso.so li i´m sorry e forget forget for me,mas pretendo,assim que acabar a que estou lendo.
mas,dizendo novamente ameeeeeeeeeeeeeeei.e fiquei muito triste por ter acabado,mas valeu a pena ter lido.
agora deixa eu parar de falar senao vou ficar falando ate amanha.by by

Bruna disse...

Fim? Que pena, quando temos que esperar capitulos parece tao longe para atualizações mas agora que chegou o final feliz vem o pensamento " mas já" so quero que saiba Cah que não é so vc que fica feliz com a fic terminada todas nos leitoras que te seguimos com pedidos também. Fique despreocupada nunca te abandonaremos! beijos

Anônimo disse...

ahhh!eu esqueci de falar uma coisa.

obs:sou a mesma pessoa da antes que a ultima comentou.
deu para entender?

entao,eu fiquei triste por voce nO ter feito a caah,jacob,maah e o namorado da maah voltarem e eu realmente stava muito deles.eu sei que voce ja disse que nao postara mais nenhum capitulo de dffm,mas eu imploro,eu beijo os seus pes se voce colocar mais um capitulo e fazer os 4 voltarem.

cris_21503103@hotmail.com disse...

olá cah, tem kk coisa errada neste final, pk no inicio fala de july e anthony, mas devia ser margareth e anthony, e desculpa ficou confuso esse final, no capitulo 20 tinha ficado edward a falar com jennifer e aki começou confuso talvez se revisar o capitulo fike melhor. desculpa tar a deixar este alerta mas realmente este inicio de capitulo leva-me para a fic de always, é estranho... bjinhos adoro suas fics acabe por falar Deixe-me te amar. bjs

cris_21503103@hotmail.com disse...

ah e aki bela teve um joey, mas estava gravida de uma menina,n percebo k aconteceu voce se enganou a editar este capitulo na fic errada? e margareth anda na 3ºserie, e tony tinha 1 ano, por isso tem mesmo de revisar e ver se colocou no sitio certo este epilogo... bjinhos grandes

tah cullen disse...

addddddddddooooooooooooorrrrrrrrrrreeeeeeeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii.........

linda fic vc e fantastica.

Postar um comentário