Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

07/04/2012

Don't Forget For Me - Capitulo 19


N/A: Demorei, mas voltei HAHA *0* Capitulo mega foda!!! FIC NA RETA FINAL!

Capitulo 19

POV Edward

Olhei para Isabella fazendo sinal para que me esperasse. Corri para fora da lanchonete e vi Tânya. A segui, sem deixar que ela me visse.

Franzi a testa vendo-a ir para o lado do hospital que eu não conhecia direito já que não atuava naquela área... Ala pediatra.

Tânya parou uma médica que eu não conhecia, ou pelo menos não me lembrava. Logo em seguida, entrou em um quarto.

- Oi. – Parei a médica que há segundos falava com Tânya.

- Edward, que bom que está de volta.

Cocei minha cabeça.

- Obrigada... hm... Quem era aquela moça que entrou no quarto?

- Oh, é Jennifer. – Sorriu – Ela andou sumida por algumas semanas, mas agora, como antes, não sai mais do quarto da filha.

- Filha? – Indaguei incrédulo.

[...]

- Eu também soube disso. – Emmett colocou a mão no bolso – A garota tem 5 anos e sofre de leucemia. – Meu cunhado suspirou, virando-se para me olhar. – Estive no hospital e descobri que a menina está lá esperando que a mãe consiga dinheiro para seu tratamento, ou a espera de alguém compatível.

- Será que foi por isso que ela mentiu? Para me roubar e pagar o tratamento da filha dela? – Franzi a testa, sentando-me no sofá.

- Pode ser. – Emmett se aproximou, tocando meu ombro – Deixe isso comigo, preocupe-se em recuperar a memória, e fazer minha irmã e seus filhos felizes.

- Estou trabalhando nisso. – Sorri.

Minha mãe entrou na sala, segurando Anthony pela mãozinha, que tentava dar alguns passinhos.

- Esse menino está muito inteligente. – Esme riu, pegando-o no colo e vindo até nós – E você querido? Rose já foi ao médico? Sabem o sexo?

- Ainda não. – Emmett sorriu torto, com os olhos brilhando. – Acho que de semana que vêm não passa. – Ele beijou a testa de Anthony e a bochecha de minha mãe – Tchau tia Esme, preciso ir. Quando eu souber o sexo te ligo.

- Tudo bem querido, até mais.

Emm se despediu e foi embora. Minha mãe se sentou ao meu lado e Anthony rapidamente veio para meu colo.

- Como foi o dia no hospital?

- Bem. – Sorri, apertando meu garoto contra meu corpo.

- E a memória, como está?

- Melhorando a cada dia. – Suspirei – Já consigo me lembrar de muitas coisas, especialmente de você, do papai, de Alice, Bella, Meg e Thony.

- Isso é bom. – Trouxe sua mão para minha nuca, como Isabella costumava a fazer. – E a vida de casado?

- Hm... Bem também.

Ela mordeu os lábios, sorrindo.

- Não fique bravo com seu pai, mas ele me contou do seu probleminha.

- Oh! Mãe!

Esme riu alto, o que fez Anthony rir também.

- Não fique constrangido bebê. Essas coisas acontecem. – Piscou.

Suspirei, assentindo.

- Acho que ainda me sinto inseguro... Isso acaba atrapalhando tudo. – Bufei, me ajeitando no sofá – Bella é uma mulher, digamos que... Fogosa, eu vejo como ela fica frustrada por eu não conseguir dar a ela o que quer. – Abaixei o rosto. – Tenho medo que ela não me queira mais por causa disso.

- Não diga bobeiras, vou te dar algumas dicas...

POV Isabella

Sai do hospital cedo, era 20h00min quando cheguei a casa. Edward havia saído mais cedo. Eu estava cansada. Queria apenas meus filhos, um banho, cama e os braços quentes do meu marido.

- Cheguei amores. – Anunciei, fechando a porta. Era raro eu chegar esse horário em casa, principalmente fazendo o turno que estou. – Amor? Meg? Thony?

Subi as escadas, abrindo os botões do meu jaleco. A casa estava estranhamente silenciosa. Passei no quarto de Anthony e ele não estava ali, Meg também não estava em seu quarto. Dirigi-me para meu quarto.

Abri a porta devagar, franzindo a testa ao notar a escuridão no quarto. Busquei pelo interruptor, mas minha mão foi pega. Fui puxada contra seu peito duro. Eu o reconheci pelo cheiro.

- Edward o que...

- Shhh. – Fechei os olhos sendo beijada no pescoço. Edward fechou a porta do quarto, deixando-o totalmente escuro novamente.

- Amor, as crianças.

Ele riu baixinho, me prendendo contra a parede com força.

- Estão na casa da mamãe.

Me agarrei a ele, sentindo minhas pernas amolecerem. Sua boca buscou a minha em um beijo árduo, quente. Suas mãos grandes deslizaram por meu corpo, apertando-me até encontrar a barra de minha blusa branca e puxá-la para cima.

- Ed... – Gemi em seu ouvido. – Porque vai me dar o doce se depois ira tirar?

Ele riu, enlaçando minha cintura e me levando para algum lugar, logo senti a cama macia contra minhas costas e seu corpo quente sobre o meu.

- Dessa vez não irei retirar o doce amor. – Sua língua desceu por meu pescoço, me levando a loucura.

- Deus... – Esfreguei minhas pernas, sentindo meu tesão já começar a escorrer. Deslizei minhas unhas por sua costa nua, vendo-o estremecer. – O que te fez mudar de idéia?!

- Não vamos falar sobre isso agora. – Sussurrou, mordendo meu queixo. – Sabe, hoje lembrei de algumas coisas... – Riu baixinho – Tcs, Tcs, Tcs... Que coisa feia Sra. Cullen, usando minha amnésia para tentar se livrar da aposta que venci?

Estiquei meu braço, acendendo o abajur para olhá-lo. Edward tinha um sorriso torto nos lábios e seus cabelos estavam todo bagunçado.

- Eu... – Mordi os lábios negando com a cabeça e prendendo o riso. – Não foi exatamente assim...

- Sei, mas não importa, você será castigada da mesma forma.

Joguei minha cabeça para trás, abraçando-o com minhas pernas.

- Vem amor, me castigue então.

Logo minha roupa e as dele foram parar no chão. Edward parecia saber o que estava fazendo, como antes... Fechei os olhos, me entregando por completa. Eu sentia muita falta daquele contato intimo, tudo bem que nossa vida na cama sempre foi intensa, apesar de que o sexo nunca foi primordial.

- Está bom? – Indagou com a voz abafada contra minha barriga.

- Sim amor, assim... Continue. – Me contorci, sentindo aquele calafrio gostoso subir por minha espinha. – As caricias se tornaram mais ousadas. Edward me fez gozar antes de se afastar e pegar uma camisinha. – Não precisamos disso, estou grávida.

- Eu sei, mas minha mãe... Ok esquece, apenas deixa eu fazer, está bem?

- Tudo bem.

O observei se sentar na cama e deslizar a camisinha de látex por seu membro rígido. Mordi os lábios ansiosa. Oh Deus, eu tinha que ter um orgasmo hoje, já estava cansada de acordar toda molhada de madrugada depois de sonhos quentes com o meu marido.

- Pronta?

- Sempre amor.

Edward respirou fundo, logo depois se deitou sobre mim, afastando minhas pernas e me preenchendo lentamente.

POV Edward

Fechei os olhos, tentando não perder o controle. Isabella estava deliciosamente quente, molhada e apertada.

- Amor... – Suas unhas quase arrancaram minha pela, enquanto tentava se mover. – Mexa-se.

Assenti. Afastei meu quadril do dela, voltando logo em seguida. Seu gemido saiu alto, muito alto. Agradeci por minha mãe ter se disposto a ficar com Anthony ou Meg, seria constrangedor meus filhos ouvindo nossos gemidos.

- Linda. – Desci beijos por seu pescoço, deixando uma mão sobre seu seio e massageando-o, sem deixar de mover meu corpo de encontro ao dela.

- Isso... – Gemeu, agarrando meus cabelos. – Céus!

Seu corpo estava suando, assim como o meu.

- Bella. – Também gemi. Apenas de não poder sentir sua pele enquanto a penetrava, por conta da camisinha, eu estava louco de prazer. – Vem comigo amor.

Pedi, sentindo que já estava próximo ao meu extremo.

Subi meu rosto, encostando nossas testas e a olhando nos olhos. Bella os revirou, sugando o canto dos lábios e gemendo baixinho.

- Eu vou...

A calei com um beijo, sentindo emoções diferentes me invadir.

- Eu te amo. – Sussurrei, sentindo meu corpo tremer junto com o dela – Eu estou apaixonado por você.

- Edward!

Foi o que bastou para que nós dois alcançássemos o orgasmo. Permaneci abraçado a ela, sob seu pequeno corpo, tentando controlar minha respiração.

Rolei para o lado, puxando-a para meus braços em seguida.

- Hm... – Bella resmungou baixinho, rindo contra meu peito. – Eu estava precisando de uma pegada assim.

Também ri, sentindo meu rosto queimar.

- Bella!

- O que? Ficou envergonhado? – Beijou meu queixo – Não fique assim gostosão, você só está fazendo sua mulher feliz. – Sorri beijando sua boca. A coloquei ao meu lado e me sentei, retirando a camisinha. – Vai me contar agora o porquê disso ai?

Dei de ombros

- Minha mãe disse que me ajudaria a segurar um pouco. – Respondi constrangido.

- Depois irei agradecer a ela.

- Então você gostou? – Enrolei a camisinha, colocando-a sobre o criado.

- Claro. – Sorriu, parecendo sincera. – É sempre perfeito quando é com você meu amor.

Beijei seu pescoço deslizando minha mão até sua barriga.

- E você bebê, espero que esteja dormindo...

Bella riu, colocando sua mão sobre a minha e no mesmo instante sentimos um leve cutucão. Sorri beijando sua barriga

[...]


Continuei fitando o teto, enquanto meus dedos faziam círculos imaginários nas costas de Bella. Sorri, sentindo-a estremecer. Tudo havia dado certo, nossa noite havia sido perfeita... Isso me deixou bem.

Fechei os olhos, me lembrando do seu corpo quente e pequeno sob o meu... Seus sussurros e gemidos. Deus, aquela mulher me enlouquecia.

- Bom dia.

Voltei a abrir os olhos, vendo-a erguer o rosto do meu peito e sorrir para mim.

- Bom dia linda.

Seu corpo nu se arrastou sobre o meu e sua boca encontrou a minha. Girei na cama, parando sobre ela e friccionando nossos corpos.

- Hm, está todo animadinho. – Riu enquanto gemia baixinho, lambendo meu pescoço.

- Você me deixa louco.

Isabella sorriu, me empurrando para o lado e subindo novamente sobre mim. Alisei suas coxas grossa, sem deixar de admirar seus lindos seios. Ergui minha mão, acariciando um deles. Bells jogou a cabeça para trás, arqueando as costas e suspirando.

- Edward...

- Você é tão macia. – Me senti, prendendo-a em meu colo e deixando nossos sexos tocarem. – Quero você.

- Eu sou sua. – Afirmou. Apertei sua cintura novamente, balançando-a sobre mim. Bella mordeu os lábios, gemendo baixinho. – Deus, não sei se tenho forças. – Riu baixinho – Você me esgotou tanto ontem.

Sorri mordendo seu ombro.

- Acostume-se, porque é assim que será daqui em diante.

Ouvi seu resmungo baixinho, enquanto minha boca descia por seu pescoço até alcançar seu seio farto. A mão de Bella subiu por meus braços até minha nuca, agarrando meus cabelos e puxando-me de encontro a sua boca.

Sorrimos um para o outro. Voltei a girar na cama, deixando-a novamente sob meu corpo. Afastei os lençóis que atrapalhavam o contato de nossa pele e prendi suas pernas em minha cintura, subindo uma até meu ombro enquanto me encaixava entre suas coxas.

- Pronta?

- Aham. – Sorri do modo como ela ficava alienada enquanto estava sendo possuída, beijada ou tocada por mim. – Repita o que me disse ontem...

Encostei nossas testas, respirando fundo enquanto me acostumava com seu calor entorno do meu membro.

Fitei seus olhos e foi impossível não suspirar.

- Eu estou apaixonado por você. – Bella jogou a cabeça para trás, fechando os olhos e gemendo alto... Entregando-se para mim. Movi meu corpo de encontro ao seu, ainda fascinado com a deliciosa sensação de estar dentro da minha mulher. Colei meus lábios em seu ouvido, sussurrando baixinho – Amo você.

- Deus... – Seus dedos puxaram meus cabelos, fazendo-me gemer de dor e prazer.

Busquei sua boca, esforçando-me para não alcançar o ápice antes dela. Acariciei seus seios, estimulando-a a vir comigo.

- Vem amor.

- Ed... Oh, assim...

Nossas línguas se entrelaçaram, enroscando-se uma na outra em um beijo sôfrego e delicioso.

Nossa manhã passou rápida, logo estávamos saindo de casa rumo ao hospital, pegaríamos as crianças no almoço. Me despedi de Bella na recepção, eu tinha algumas coisas para fazer.

Parei na porta do quarto. Olhei para os lados e logo em seguida pela pequena fresta, vendo uma pequena garota sentada na cama, rindo sozinha enquanto olhava para uma estante vazia. Abri a porta, chamando sua atenção.

- Olá. – Sorri para a loirinha, sendo retribuída.

- Ah não tio, não quero injeções agora!

Sorri, fechando a porta e me aproximando dela.

- Não vou lhe dar injeções. – Parei ao seu lado, na cama – Como é seu nome?

- Hm. – Torceu os lábios pequenos. – Não posso conversar com estranhos.

- Oh me desculpe. – Estendi a mão. – Prazer, sou Edward, cirurgião. – A pequena hesitou antes de aceitar meu aperto. – Vamos lá, agora já não sou mais estranho.

- Hm, sou Danny.

- E o que uma menina tão linda como você faz aqui sozinha? Onde está sua mãe? Seu pai? – Cerrei os olhos.

- Não tenho pai e mamãe está trabalhando, não pode ficar aqui comigo. – Resmungou chorosa.

Olhei para a estante, onde antes ela fitava e ria.

- Do que estava rindo quando cheguei? – Indaguei.

- Ah, eu tava fingindo que assistia TV. – Deu de ombros – É um téeeeeeeedio ficar aqui sem ter o que fazer.

- Oh, e onde está a TV?

Ela torceu novamente os lábios. Era idêntica a Tânya, ou melhor, Jennifer. Seus cabelos loiros, olhos azuis...

- O moço tirou daqui, mamãe não ta pagando direito o hospital.

Fiquei olhando para a pequena menina que aparentava não ter mais de 6 anos. Ela era inocente, não tinha culpa pelos atos inconseqüentes da mãe.

- Vou providenciar uma TV para você, mas precisamos manter isso em silêncio, que tal?

Ela assentiu freneticamente, começando a comemorar pois ia assistir seus desenhos favoritos novamente.

Me despedi dela, pedindo para que mantivesse em segredo nosso encontro. Sai dali rapidamente, ainda não era hora de encontrar Tânya, ou melhor, Jennifer.

Parei enfrente a sala de Bella. Abri a porta, vendo-a debruçada sobre a mesa, com alguns papeis rente ao rosto.

- Amor? – Ela não se mexeu. Aproximei-me mais, prendendo o riso ao notar que ela estava dormindo. Dei a volta em sua mesa, parando atrás de sua cadeira e beijando seu pescoço – Bella, hora de acordar...

- Só mais um minutinho amor. – Resmungou, soltando os papeis e deitando o rosto na mesa. – Saia do quarto...

- Princesa, não estamos em casa.

- Não? – Abriu os olhos confusa. – Droga!

Ri, descendo minha mão até sua barriga.

- Esse bebê está te deixando muito sonolenta.

- Não é exatamente ele. – Grunhiu baixinho, soltando um suspiro – Eu passei a noite acordada, se esqueceu?

- Claro que não. – Beijei seu ventre. – Impossível esquecer. Mas acho que a senhora se esquece...

Ela riu baixinho.

- Do que fizemos ontem a noite? – Indagou com a voz baixa, rouca, totalmente sedutora.

- Não, confio no meu taco. – Pisquei, fazendo-a rir. – Estou falando da consulta...

- Consulta?

Me levantei, puxando-a comigo.

- Bella, hoje você tem consulta com aquele médico...

- Droga, me esqueci completamente. – Lamentou, deitando sua cabeça em meu peito.

- Vamos, ainda não estamos atrasados.

POV Bella

Minha vontade era rir, mas eu sabia que aquilo o deixaria mais nervoso e irritado.

- Bom, está tudo bem pelo que senti. – Meu médico retirou as luvas e Edward relaxou ao vê-lo longe do meio de minhas pernas. – Podemos ir ao ultrassom?

- Pensei que a consulta de hoje era apenas isso, não tínhamos combinado nada de exame de toque.

- Amor!

- Sem problemas Bella. – O doutor riu, tocando o ombro de Edward – Você perdeu a memória, mas o ciúmes continua o mesmo.

Edward não respondeu, apenas me deu um leve aperto na mão. Rolei os olhos me ajeitando melhor na maca. Com a ajuda do meu marido abri alguns botões do roupão, revelando minha barriga de quase quatro meses.

As mãos dele tocaram minha pele, alisando devagar, como vinha fazendo todas as noites e nos momentos livre que tínhamos.

- Hoje descobriremos se o papai terá uma princesinha ou mais um moleque. – Riu empolgado.

Observei Dr. Kall ligar os equipamentos e deslizar o gel gelado sob minha barriga, espalhando-o com o aparelho enquanto analisava o monitor.

- Como eu disse. O feto está saudável. – Sorriu – Crescendo muito rápido. Olhem aqui os bracinhos, as perninhas...

Ouvi um fungar e olhei para Edward, vendo-o morder os lábios com os olhos vermelhos enquanto tentava prender o choro.

- É lindo. – Meu marido sussurrou.

- Não. – Kall respondeu. – É linda!

- Então...

- Sim. – Sorriu, tocando o monitor – Olhem aqui esse cortinho...

- Ai meu Deus, é uma menina! Bella, precisamos comprar o enxoval dela, além disso ela nem tem um quarto ainda... Droga, nem mobília temos para por no quarto dela... Ai meu Deus, ela nem tem um nome!

- Ei amor, se acalme. – Ri, enxugando minhas lágrimas enquanto o puxava para mim – Ainda temos 5 meses para isso.

- Eu sei mas...

- Shhh. – Beijei sua boca, calando-o. – Se acalme, tudo vai dar certo.

Ele assentiu.

Depois que ouvimos os batimentos cardíacos de  nossa menina, minha barriga foi limpa e Edward me ajudou a sentar.

- Seu irmão vai enlouquecer. – Meu marido sorriu, passando a mão pelos cabelos desalinhados – Nosso bebê é mais novo que o dele e já sabemos o sexo!

Ri com ele. É verdade. O meu sobrinho ou sobrinha não estava facilitando muito nos ultrassom que Rosalie fazia, em todos estava com as perninhas fechada, o que deixava meu irmão frustrado.

- Continue tomando as vitaminas que te passei, siga a dieta e descanse bem.

- Deixe isso comigo, vou monitorá-la.

Rapidamente me troquei e saímos do consultório.

- Então. – Enlacei a cintura de Edward enquanto caminhávamos pelo estacionamento, sendo abraçada pelo ombro – Gostou de saber que teremos uma menininha?

- Muito. – Afirmou, parando próximo ao meu carro e sorrindo para mim. – Que tal pegarmos Thony na casa da minha mãe, Meg na escola e irmos almoçar no shopping?

- Adorei sua idéia... – Beijei seu pescoço – Mc Donalt’s.

- Nada disso Sra. Cullen, não ouviu o que seu obstetra falou.

- Mas...

- Sem mas.

Dei a língua para ele. Edward riu de minha infantilidade. Entrei no carro e tirei peguei meu celular, discando para a casa da minha sogra. Não demorou para que Esme atendesse. Informei que estávamos indo buscar as crianças.

Olhei para Edward e o vi rindo enquanto colocava o cinto.

- Do que está rindo?

- Você fica sexy quando esta brava.

- Céus, o que houve com o Edward tímido?

Ele deu de ombros apertando os lábios de forma engraçada.

- Se foi no momento em que te vi sem roupa.

Liguei o carro fingindo não ter ouvido. OMG, eu havia transformado meu marido em um tarado novamente!

[...]

- Não faça essa cara. – Edward beijou minha boca, enquanto me empurrava contra a pia. Olhei por cima de seu ombro e notei que Anthony observava tudo muito concentrado.

- Amor, Anthony...

- Ele é um bebê Bella. – Sua mão entrou em minha blusa, erguendo-a e alisando minhas costas – Não fuja do assunto, você vai ficar brava se eu ir? Amor, vou com Jasper e seu irmão...

- É claro que não vou ficar brava. – Menti, vendo-o arquear uma sobrancelha e rir – Afinal, você vai jogar bola, não é?

- Sim, apenas jogar bola.

- E lá não tem mulheres, tem?

- Bom, isso não sei. – Franziu a testa pensativo, mas logo balançou a cabeça. – Mas isso não importa, sei que sou irresistível, mas sou apenas seu ok?

- Idiota! – O abracei, sentindo nosso bebê se mexer contra a barriga dele. – Não corra muito...

- Ok, vou jogar bola andando...

- Idiota!

- Amor, você já disse isso.

Desde que tudo havia dado certo na semana passada, quando fizemos amor e Edward retomou sua confiança, ele já não me dava mais sossego, sempre que conseguia me arrastava para o quarto ou para o banheiro, onde me amava com vontade. Não que eu esteja reclamando, obvio que não, eu amava sentir meu marido. E o melhor de tudo é que a camisinha já não estava sendo mais necessária.

- Cuidado.

- Eu vou ter. – Afirmou, beijando meu pescoço. – Volto para você.

Uma buzina soou do lado de fora. Olhei pela janela vendo Emmett e Jasper dentro de um conversível preto... Droga, as mulheres iriam cair matando encima deles.

Peguei Anthony no colo e acompanhamos Edward até o portão.

- Amo vocês. – Beijou minha boca, minha barriga e em seguida a testa de Anthony – Filho cuide das nossas três meninas.

- Papa...

Anthony resmungou vendo Edward sair pelo portão, jogando a mochila encima de Emmett e pulando dentro do carro em seguida. Os três riam como adolescentes.

- Cuidaremos dele mana! – Emmett piscou, ligando o carro e arrancando.

Entrei para dentro, deitando-me no sofá e colocando Anthony sobre meu peito. Meg desceu as escadas correndo, indo até a porta e passando a chave.

- Querida? – A chamei, mas era tarde, a pequena disparou para a cozinha. Me levantei, indo atrás dela, vendo-a encima de uma cadeira, fechando a janela – Meg, porque está fechando a janela?

- É... – Ela me olhou pensativa – Vai chover.

- Está sol meu amor.

- Mãe! – Resmungou, passando o trinco, pulando da cadeira e vindo até mim. – Vem cá, preciso te mostrar uma coisa.

- Margareth, está me deixando assustada querida.

A segui até seu quarto. Antes de ir ao closet e pegar sua câmera ela fechou a janela, dando uma longa olhada na rua.

- Estamos sendo vigiados... – Sussurrou, sentando-se na cama.

- Meu amor, mamãe está cansada, Thony com sono, podemos brincar disso depois?

- Não é brincadeira, ow. – Me passou a câmera.

- O que é isso? – Olhei para o carro preto.

- É o carro que fica todo dia enfrente de casa, olha só as datas, tão ali desde que papai voltou pra casa.

- Meg...

- Mãe, é sério! – Bateu o pé com os olhinhos cheio de lágrima.

- Como sabe disso meu bem? Pode ser um mal entendido, o vizinho pode ter trocado de carro.

- Não é! – Correu até o armário, pegando uma folha e vindo até mim – Peguei o numero da placa e mandei pra tia Caah, ela pediu para a tia Maah ver de quem era esse carro e olha só.

Peguei a folha, vendo a foto do carro que estava no vídeo, descrevendo algumas características e embaixo informando que ele havia sido roubado.

- Quando falou com a Caah?

- Esses dias, pelo celular. – Suspirou. – Eu acho que sei quem é...

- Tânya? – Indaguei.

Meg negou com a cabeça.

- Eu vi um homem esses dias... Parecia com ele.

- Ele quem Margareth?!

- O Robert.

POV Edward

Meu cunhado pagou o cara que havia posto gasolina, manobrando o carro para a pista novamente.

- Foi nessa estrada que sofri meu acidente. – Murmurei, torcendo os lábios.

- Fica tranqüilo cunhado, está comigo está com Deus. Além do mais não tem carros na pista, não precisamos nos preocupar.

- O bom de morar no interior é que não tem transito. – Jasper concordou.

Esparramei-me no bando de trás. Emmett fechou a capota por conta do sol forte. Olhei no retrovisor, franzido a testa e sentindo uma leve fisgada em minha cabeça.

Aquele carro preto...

- Emmett, olha. – Jasper também notou, apontando para o retrovisor – Qual o problema desse cara? Não está vendo que está quase pegando a traseira do carro?

Meu cunhado pisou no acelerador, distanciando-se do enorme 4x4 preto, mas não demorou para que ele voltasse a encostar na Mercedes de Emmett.

- Ah porra, o que esse cara tem na cabeça?

Me virei para trás, tentando ver quem era, mas o insufilm não ajudou muito.

- Que dor. – Abaixei a cabeça, sentindo como se meu cérebro fosse explodir.


N/A:  segue abaixo o ultimo trecho de Edward ainda com memória, antes do acidente dele, mas com mais detalhes ~~


- Oi amor. – Sorri.

- Está falando no celular enquanto dirigi?

Rolei os olhos.

- Estou com o carro estacionado princesa. – Suspirei encostando minha cabeça no banco – Cheguei aqui e acredite só? Não tem reunião alguma, mandaram o email para mim por engano. Estou voltando para casa. Você está na casa da mamãe?

- Sim.

- Ótimo passo ai e almoçamos com ela.

- Estaremos te esperando.

- Amo você gostosa.

- Eu também te amo meu amor.

Desliguei o aparelho e liguei meu carro, eu já poderia imaginar Bella com aquele conjunto de lingerie azul marinho, usando os brincos e o colar que comprei. Oh Deus, eu precisava chegar o quanto mais antes em casa, meu pau já estava dando sinais de vida.

Em minutos eu já estava na estrada que ligava Forks a Port Angeles. Suspirei olhando pelo retrovisor do carro e vendo um carro preto com os vidros com insulfilm. Franzi a testa quando o vi aumentar a velocidade e quase encostar no meu pára-choque.

- Merda. – Pisei no acelerador. Olhei no retrovisor, vendo-o se distanciar, mas voltar logo em seguida com mais força contra meu carro. Segurei o volante com força, tentando manter a calma e o carro na pista.

O carro preto emparelhou comigo, jogando-se contra mim. Por pouco não sai da pista. Acelerei mais, me distanciando dele.

Aproximei-me de uma curva, pisei no freio, mas o mesmo não pegou. Antes que eu pensasse em algo, perdi o controle do carro, indo de encontro à mureta de proteção. Tudo apagou devagar. A ultima coisa que vi foi a água entrando no carro e mãos me puxando para fora.

- EDWARD, EDWARD, VOCÊ ESTÁ SANGRANDO!

Abri os olhos, vendo Jasper me chacoalhando.

- Emmett, não corre! – Me sentei, colocando-me entre os bancos.

- O quê? Ele ainda está na nossa cola.

- Porra, aperta o freio!!!

Meu cunhado arregalou os olhos.

- Não está pegando.

- EMMETT!

- Jasper não está dando!

- Pulem do carro.

- O quê?

- Pulem do carro agora!

Os dois me olharam como se eu fosse louco. Abri a porta de trás, o carro estava em alta velocidade.

- Vamos morrer Edward.

- VOCÊS NÃO PERCEBEM?! ESTÃO ARMANDO PARA NÓS COMO ARMARAM PARA MIM! VAMOS MORRER DE QUALQUER FORMA SE NÃO TENTARMOS!

- Tudo bem. – Meu cunhado e Jasper abriram a porta.

Fechei os olhos e coloquei os braços próximos ao meu rosto, tentando proteger minha cabeça. Saltei, sentindo meu corpo chocar-se contra o asfalto quente, rasgando minha calça e machucando meu joelho. Quando por fim parei de rodar, tentei me mover, mas meu corpo estava doendo demais.

Virei o rosto, vendo Jasper e Emmett não tão longe de mim. O carro preto parou no acostamento, levantando poeira.

Abaixei o rosto, cobrindo meu nariz. Senti algo próximo ao meu rosto. Abri os olhos vendo um sapato preto. Ergui mais os olhos, arregalando-os em seguida.

- V-você?

Ele sorriu torto, passando a mão pelos cabelos.

- Ora, ora Edward, quanto tempo meu amigo... – Eu reconhecia aquele cara, Bella e eu já havíamos falado sobre ele. Robert se abaixou, ficando de coque com o rosto próximo ao meu – Sentiu saudades?

- O que você... – Franzi a testa. – Então foi você!

- Claro Edward. – Riu, passando a mão pelo rosto que estava um tanto deformado. – Não é educado ficar olhando assim para as pessoas Edward... – Voltou a se levantar, com as mãos no bolso – E claro que fui eu quem planejei tudo isso, ou acha que Kristen teria capacidade? Você sabe, mulher bonita e gostosa é burra... Exceto por Bella, claro. – Franziu o cenho, abrindo um largo sorriso – Eu a vi esses dias atrás, está mais gostosa do que antes...

- Seu idiota, não fale isso da minha mulher! – Tentei me levantar, mas ele me chutou.

- Sua mulher? Era para ela ser minha mulher. Estava tudo planejado. Kristen se casaria com você e roubaria seu dinheiro, eu casaria com Bella, daria um jeito de deixar Kristen com as mãos abanando e aproveitaria aquela morena gostosa, mas você estragou tudo... Tcs... Tcs... Tcs... Primeiro porque não era para você nem conhecer Isabella, tivemos que arquitetar tudo novamente dois que cheguei aqui e vi que você atrapalharia meus planos. – Bufou, voltando a me chutar. Senti uma dor forte no estomago. – Era para estar tudo perfeito. Eu casado com Isabella, rico, a empresa do meu pai estaria novamente reerguida e principalmente... Meu rosto estaria normal. Mas graças a você e aquela piranha me prenderam e na fuga acabou acontecendo isso...

- EDWARD!

Olhei para o lado, vendo Emmett e Jasper dominados por dois caras.

Meu cabelo foi puxado por Robert.

- Você me deu muito trabalho Edward. Era para ter morrido quando seu carro capotou, mas não morreu e aquela estúpida da Jennifer te salvou. Aquela vadia não me deixou te matar, então novamente tive que mudar meus planos, pesquisei sobre ela e descobri que precisava de dinheiro porque tinha uma filhinha doente. – Riu, soltando meu rosto contra o chão. – A burra da Kristen teve a fantástica idéia de atingir diretamente Bella, sabe, a kiki ainda é apaixonada por você, mulheres são vingativas e o que poderia mais afetar Isabella se não fosse o lindo e amado marido dela a traindo? Foi um fantástico plano, mas novamente você atrapalhou tudo... – Agarrou a gola da minha camisa, erguendo-me e arrastando-me até o carro. – Você e Isabella irão pagar por tudo...

- Bella?! – Tentei me soltar dele. – Você não vai tocar nela!

Robert riu.

- Lamento caro amigo, mas há essa hora, Kristen já deve estar levando-a para o mesmo galpão na saída de Port Angeles, para onde você também vai com aqueles dois idiotas.

Não. Eu não podia deixar... Bella estava grávida.

Eu tinha que fazer algo, eu tinha que pensar rapidamente. Não suportaria perder Bella, muito menos nossa menininha.

















15 comentários:

CamilaCocenza disse...

Coments?! *0*

Evie disse...

COMO ASSIM??????? Putz, meu coração quase parou agora! Realmente o capítulo ficou muito foda, eu adorei demais. Valeu super a pena esperar <3

Princess's Pervas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Welcome disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Karina disse...

Nossa Caah assim você me mata! Esse capitulo ta muito perfeito, me deixou de queixo caído. Eu bem que desconfiava do Robert e da Kristen.
Já estou louca pelo capitulo 20 hehe.

@Thataa_Cristina disse...

aaaaaaaaaaaaaaaaa Camila você esta muito mal viu , e eu que pensei que seu namorado iria aliviar sua maldade me enganei completamente nee continua maltrata as leitoras :@
como assim você para numa parte SUPEEER TENSA não tem medo de morrer não é ?
A Meg é bem esperta megusta assim :)
aaaaaa mal posso espera pelo próximo capitulo :)

Anônimo disse...

Cahhh, como vc faz isso!!
Para logo ai!!
OMG MEU CORAÇÃO!!! Eu vou ter um AVC!!!!
Quero mais
Posta quando?
Beijos, Daiane Farias

Anônimo disse...

Cahhhhhh como vc faz isso OMG

juuhnicolette disse...

Droga, justo nessa parte que você pára Cah?
Mas estou muito feliz por você ter postado! O capítulo está maravilhoso, quero mais *-*

Anônimo disse...

OMGGGGGGGGGG O Que foi isso?
Capitulo fodastico. I need more please *.*

vivi disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!!!

que capitulo hemmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm!!

posta mais!!!!

Lika disse...

Definitivamente vc tá querendo matar a gente do coração. Só não te processo pq isso iria tomar + do seu tempo e os próximos caps iriam demorar pra sair. Ficou fodástico, perfeito.

Bruna disse...

Você ta querendo ver gente morta, ataques de coração pois é isso que conseguirá como acaba o capitulo aki foi foda muito bom mesmo o capitulo esperando mais capítulos!

elispreta disse...

Definitivamente essa turma precisa de um descarrego, esses fantasmas do passado não saem da cola deles!

Renata disse...

Cahhh, como vc faz isso!!
Para logo ai!!
OMG MEU CORAÇÃO!!!
Quero mais

Postar um comentário