Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

27/04/2012

Dont Forget For Me - Capitulo 20 Completo



N/A: Mil desculpas pela demora, eu estava travada na "ação do capitulo" e nem ficou tãoooooo "ação" assim, espero que gostem... Fic está chegando ao fim. Agora vou tomar banho e me preparar para ir estudar, estou super estressada hoje por causa desse maldito ciso que decidiu sair D:


Capitulo 20

POV Edward


Toquei o rosto de Bella, marcado por leves arranhões. Olhei para a cama ao lado onde Margareth e Anthony dormiam serenos, como se não estivessem passado pelo stress de hoje.

Minha mulher se remexeu. Olhei para o monitor, onde seus batimentos estavam estabilizados. Sorri levando minha mão a sua barriga e beijando-a em seguida.

- O que...

Me afastei ao ouvi-la. Sorri para ela.

- Que bom que acordou, parece que faz séculos que está dormindo.

Ela franziu a testa, olhando ao redor e em seguida para mim.

- Onde estou?

- No hospital querida, mas não se preocupe, tudo está bem.

- Querida?! – Arregalou os olhos – Quem é você?!

Algumas horas antes...

Olhei para meu cunhado, que cerrou os olhos para mim querendo me dizer algo. Robert me puxou, fazendo-me ficar de pé. Dei dois passos em sua direção, ele apenas riu e tirou algo das costas.

- Não tente bancar o herói. – Apontou a pequena arma para mim. – Fique quietinho, senão... – O celular dele tocou, cortando-o. Dei uma rápida olhada para os caras que seguravam meus cunhados, eles não pareciam estar armados. – Alô? – Voltei a encarar Robert, que sorriu torto enquanto brincava com a arma. – Tudo bem Kristen, eu tinha certeza que você não me decepcionaria... Estamos indo para o galpão, te encontro lá.

- O que ela fez?! – Travei o maxilar.

- O que eu te disse, agora seja bonzinho e entre no carro antes que alguém passe aqui e note tudo isso.

- ONDE ESTÁ BELLA?!

Ele me olhou cético.

- Você não está muito em vantagem aqui, então obedeça, você vai encontrá-la daqui a pouco.

- Desgraçado. – O segui até o carro, percebendo que ele pouco estava se importando comigo livre ali, atrás dele. Robert estava preocupado olhando para o celular enquanto mexia no mesmo.

- AGORA EDWARD! – Emmett gritou, desvencilhando-se do cara que o segurava.

Não pensei duas vezes, antes que Robert se virasse eu o chutei, fazendo seu corpo chocar-se contra o carro e a arma cair no chão, em seguida me agachei, pegando-a e apontando para ele.

- Mande seus capangas soltarem Jasper, por que você Emmett e eu vamos para um galpão. – Rolei os olhos – Você continua o mesmo estúpido e burro de sempre Robert, não é atoa que na faculdade sempre fui melhor que você.

POV Margareth

- Fica aqui Thony... – Sussurrei para meu irmão que estava entretido com um dos sapatos de mamãe.

Sai do closet procurando por ela, mas só vi o quarto bagunçado, algumas coisas no chão. Desci as escadas correndo e vi a mesma coisa... A sala toda revirada.

Ela... Ela havia pego minha mãe.

- Mãe, tem dois homens parados no portão. – Me debrucei na janela do quarto.

- Meg, pegue o telefone para mim. – Pediu, enquanto colocava Thony na cama.

Peguei o telefone e levei para ela. Vi minha mãe digitar alguns números e logo depois bater o telefone na mão.

- O que?

- Está sem sinal. Meg, fique aqui com seu irmão, venha, vou pegar o celular que ficou na sala.

- Mas...

- Meg, obedeça!

- Ta bom.

Ela abriu o closet, e me levou até o fundo, forçando-me a sentar.

- Não saia daqui por nada, espere um minuto. – Mamãe saiu e voltou logo em seguida com Thony, sentando-o em meu colo. – Cuide da sua irmã filho.

Anthony riu baixinho, tentando agarrar os cabelos dela.

Mamãe deu um beijo em nossa testa e saiu em seguida, fechando a porta do closet. Fiquei ali, como ela mandou, mas Thony e eu nos assustamos quando ouvimos gritos e estrondos no andar de baixo.

- Volte aqui sua vadia!

Deixei meu irmão no canto e me deitei perto da porta, olhando por baixo e vendo Kristen segurando mamãe pelo braço.

- Me solte!

- Onde estão os pirralhos? Ande, não temos tempo. Robert está esperando por nós.

- Ro-robert?! Mas ele morreu!

- Eu também queridinha, ou melhor, isso é o que você pensavam. Diga logo, onde estão aquelas pequenas aberrações!

- E-eles não estão aqui. – Minha mãe mentiu – Estão com Esme e Carlisle.

- Ótimo, não precisaremos parar no meio do caminho para nos livrar dos dois. – Riu de um jeito que fez meus pelinhos do braço levantarem. Olhei para Thony, que estava fazendo bico. Fiz careta e ele voltou a sorrir. – Vocês dois, seus idiotas, façam alguma coisa, amarrem ela e a leve para o carro, vou dar uma checada na casa para conferir se o que ela diz é verdade.

Voltei até meu irmão, engolindo meu soluço. Eles não podia nos pegar. Eu precisava cuidar do meu irmãozinho.

Ouvi passos saindo do quarto e o choro de mamãe, o que fez Anthony começar a resmungar. Me apressei em tampar a boca dele.

Achei o celular da minha mãe no chão. O peguei, entrando na lista de contatos e achando o numero da casa da vovó.

- Alô?

- VOVÓ, ELES ENTRARAM AQUI, PEGARAM A MAMÃE, POR FAVOR, NOS AJUDA! Por favor...

- Margareth, querida, se acalme, eu não estou entendendo. Fique na linha, estou indo com Carlisle para ai, não desligue o telefone.

POV Edward

Abri a porta e dei a volta, puxando Robert de dentro do carro.

- Vá na frente e não tente nenhuma gracinha. – O empurrei, colocando a arma apontada em suas costas.

- Edward, cuidado. – Jasper olhou para a arma – Não faça nenhuma loucura, você tem filhos...

Não respondi, apenas fui com Robert em direção a porta de madeira.

- Abra-a. – Mandei.

- Não posso.

Coloquei a arma em sua nuca e a engatilhei.

- Tem certeza?

Ele arregalou os olhos, aproximando-se da porta e dando leves batidas.

- Kiki, sou eu abra a porta.

Fiz sinal para que Emmett e Jasper se escondesse. Coloquei-me na frente de Robert, com as mãos para trás como se elas estivessem amarradas.

- Se dizer a ela, sabe muito bem que eu atiro. – Sussurrei, vendo-o assentir.

A porta se abriu e por ela Kristen passou, com um sorriso presunçoso e superior.

- Ora, ora amor, não é que você conseguiu trazer Edward Cullen? Agora a família está completa.

- Famili... – Mordi os lábios – Onde estão meus filhos?!

- Sinto muito, mas não estavam em casa quando peguei sua mulher.

- Bella...

- Fique tranquilo querido, ela foi muito bem recebida. – Sorriu, se aproximando e beijando meu queixo. – Robert traga-o para dentro.

- O-ok.

Assim que ela se virou de costas vi Jasper e Emmett se aproximando e segurando Robert, rapidamente a puxei pelos cabelos, encostando a arma na lateral de sua barriga.

- Me leve até Isabella e não tente nenhuma gracinha.

Kristen tentou se escapar, mas eu a prendi contra meu corpo.

- Seu... Seu desgraçado!

- Ande logo!

A empurrei, deixando-a sob a mira da arma. Segui a morena até outro cômodo, onde encontrei minha mulher caída no chão.

- BELLA! – Me aproximei, ajoelhando-me ao seu lado e tocando seu rosto suado. – Amor, abra os olhos, olhe para mim...

Colei meus lábios nos dela e me afastei em seguida. Bells abriu os olhos devagar, olhando-me um tanto confusa.

- Tive um sonho estranho. – Sorriu, abraçando-me pelo pescoço. – Que horas são?

- Tudo vai ficar bem. – Beijei sua bochecha – Não vou deixar ninguém te machucar. Consegue se levantar?

- Sim Edward. – A ajudei se levantar. Bella se agarrou em mim quando notou que Jasper e Emmett seguravam Robert e Kristen. – Ai meu Deus...

- Fique calma, não fará bem para nosso bebê ficar nervosa, está tudo sob controle. – A abracei, sorrindo – Onde estão Thony e Meg?!

Ela riu baixinho, ainda nervosa e chorando um pouco.

- No meu closet. – Contou – Meg estava certa desde o inicio, tinha alguém nos vigiando.

- Sim. – Me afastei, enlaçando sua cintura e olhando-a de cima abaixo – Está mancando, aconteceu algo?

Bella deu uma rápida olhada para Kristen.

- Eu estou bem amor.

Assenti, mas sabia que ela estava mentindo.

- Emmett, Jasper, coloque os dois naquela sala e tranque-os, vamos dar o fora daqui.

Eles assentiram. Retirei meu celular do bolso, discando para a policia, informando nossa localização e o que estava ocorrendo. Felizmente eles já estavam a nossa procura, graças a meus pais.

Levei Bella em direção a saída, colocando-a dentro do carro 4x4 e prendendo o cinto ao redor de sua cintura.

Vi Emmett e Jasper saindo correndo de dentro do galpão e correndo em direção a um outro carro que estava ali.

- Vamos logo Edward. – Meu cunhado gritou – Eles não vão ficar muito tempo la dentro.

- Quanto tempo temos?

- Uns 5 minutos no máximo.

- Ok, vão na frente.

Fechei a porta do lado de Bella e dei a volta, entrando e ligando o carro em seguida. Ouvi um barulho de dentro do galpão e em seguida a porta sendo aberta abruptamente por Robert, acompanhado de Kristen.

- EU VOU MATAR VOCÊ EDWARD!

- Ande logo Edward! – Bella me apressou.

Passei a marcha e pisei no acelerador no mesmo instante que ouvi um disparo.

- Abaixe-se Bella!

Sai rápido dali. Olhei para trás, não vendo mais os dois em meu campo de visão. Meu celular tocou, retirei do bolso e o atendi.

- Edward onde você está?

- Estamos saindo daqui Emmett.

- Ok. – Meu cunhado suspirou – Jasper, diminua a velocidade, eles já estão vindo. – Ele pediu – Estamos na 203, estamos seguindo em frente devagar.

- Tudo bem Emm, logo estaremos ai. – Desliguei o telefone e voltei a segurar o volante com as duas mãos.

- Edward, olhe.

Olhei para o retrovisor, vendo um conversível vermelho, guiado por Robert.

- Desgraçados...

- EDWARD, CUIDADO!

Voltei a olhar para a estrada, mas já era tarde demais para que eu conseguisse desviar do carro que vinha na contramão.

Algumas horas depois...

- Vocês tiveram muita sorte. – Carlisle fechou os olhos por alguns segundos, abrindo-os em seguida – Você sofreu apenas essas escoriações nas costas e nos braços.

Me sentei na cama, sentindo meu corpo protestar.

Fechei os olhos, me lembrando de ter visto tudo girando enquanto o carro capotava e os gritos de...

- E Bella? Nosso bebê...  – Mordi os lábios, sentindo meus olhos arderem e minha garganta se fechar.

- Ela e o bebê também estão bem. – Sorriu, sendo sincero. – Ela só perdeu um pouco de sangue, mas tudo está sob controle.

- Graças a Deus. – Relaxei – Não me perdoaria se algo tivesse acontecido a ela e a nossa menininha.

- Se quiser pode ir embora ou se preferir descansar aqui mesmo, não há problema algum.

Assenti colocando minhas pernas para fora da cama e me levantando.

- Quero ver Bells. – Peguei algumas peças de roupa que meu pai havia buscado para mim. Antes de entrar no banheiro me virei – Pai?

- Sim?

- E Robert e Kristen?

- Fique tranqüilo, eles foram presos.

Sorri, entrando no banheiro e me trocando rapidamente.

[...]

Anthony fez um enorme bico e fungou, abrindo os bracinhos em direção a Bella, que dormia na cama.

- Filho, mamãe está descansando. – Beijei sua testa, levando-o até a cama onde Meg estava. – Deite ao lado de sua irmãzinha e durma, quando acordar pela manhã mamãe já vai estar acordada também. – Ele ficou quietinho ao lado da irmã, sugando sua chupeta e aos poucos fechando os olhinhos. – Durma também princesinha.

- Ok pai.

Fiquei acariciando seus cabelos longos e castanhos, até que Meg também se rendeu ao sono. Voltei até a outra cama. Toquei o rosto de Bella, marcado por leves arranhões. Olhei para a cama ao lado onde Margareth e Anthony dormiam serenos, como se não estivessem passado pelo stress de hoje.

Minha mulher se remexeu. Olhei para o monitor, onde seus batimentos estavam estabilizados. Sorri levando minha mão a sua barriga e beijando-a em seguida.

- O que...

Me afastei ao ouvi-la. Sorri para ela.

- Que bom que acordou, parece que faz séculos que está dormindo.

Ela franziu a testa, olhando ao redor e em seguida para mim.

- Onde estou?

- No hospital querida, mas não se preocupe, tudo está bem.

- Querida?! – Arregalou os olhos – Quem é você?!

Arfei, me debruçando sobre a cama e fechando os olhos.

- Não pode ser! – Resmunguei – Não me diga que...

Ouvi seu riso baixo e em seguida suas mãos deslizando por meu rosto.

- Bobinho, eu estava brincando...

Abri os olhos travando o maxilar.

- Isabella! – Bufei, me afastando da cama e levando a mão ao peito. – Nunca mais faça isso!

Ela sorriu.

- Vem cá.

Voltei até a cama, beijando-a devagar. Em seguida encostei nossas testas, olhando em seus olhos.

- Está tudo terminado. Eles foram presos, saímos praticamente ilesos do acidente, a não ser por sua perna... – Alisei o gesso que a cobria – Me desculpe, eu devia ter prestado atenção na pista.

- Tudo bem. – Ela mordeu os lábios, visivelmente nervosa, com os olhos cheios de água. – E nossa menina? Aconteceu algo com ela? Não me diga que...

- Graças a Deus não houve nada.

- As crianças?

Me afastei, apontando para a cama.

- Dormindo.

Dei a volta na cama, deitando-me ao seu lado e puxando-a devagar para mais perto de mim. Debrucei-me sobre seu corpo, beijando sua boca e em seguida descendo por seu queixo e pescoço.

- Edward... – Ela arfou.

- Me desculpe. – Encaixei meu rosto em seu pescoço, fechando os olhos enquanto Bella ria baixinho.

- Te transformei no antigo Edward-Ninfomaniaco.

- Que bom que sabe que a culpa é sua. – Murmurei contra sua pele.

Seus braços me enlaçaram, puxando-me contra seu corpo.

- Estou com sono.

- Durma amor, são os remédios.

- Uhum.

Fiquei abraçado com ela e acabei dormindo. Acordei com o resmungo de Anthony. Me levantei pegando-o, troquei sua frauda e dei a ele a mamadeira que já estava pronta. Deitei-me com ele e Meg, não demorou para que estivéssemos dormindo novamente.

POV Bella

- Filho, assim você vai acabar machucando e acordando a mamãe.

Abri os olhos devagar, ouvindo o resmungo inconfundível do meu pequeno e seu leve peso sobre mim.

- Bom dia meus anjos.

- AAH, mamã!

- Oh, ele disse...

Edward riu, assentindo.

- Anthony está chamando pela “mamã” desde que acordou.

- Você chamou pela mamãe. – Funguei, apertando-o contra meu peito e ouvindo seu riso baixinho. – Chame de novo. – O sentei em minha barriga. Meu pequeno negou com a cabeça enquanto se contorcia em meu colo e ia em direção a minha perna engessada, batendo no gesso com sua mãozinha pequena.

- Dodói, mamã.

- Nossa, quanto tempo eu dormi? – Me sentei devagar, com a ajuda de Edward. – Ele desatou a falar?

- Sim. – Edward sentou-se na beira da cama, beijando meu rosto – Como está se sentindo?

- Bem.

- Que bom.

- Onde está Meg?

Ele sorriu, jogando minha franja.

- Foi com seu irmão comprar algo para comermos na lanchonete do hospital. – Segurou Anthony, que tentava escapar de seus braços e ir novamente em direção ao meu gesso. A porta se abriu, Emm e Meg passaram por ela rindo – Falando neles.

- Mãe!

- Querida. – Margareth veio até mim, abraçando-me apertado. – Hm o que comprou de bom para nós?!

- Hamburguês!

Senti minha boca encher de água.

- Nada disso maninha. – Emmett cruzou os braços e Edward assentiu, puxando uma bandeja de cima do criado e colocando ao meu lado.

- Papai mandou você comer isso aqui.

- Oh, mas isso é tão pouco... – Olhei para a xícara de café, um minúsculo pedaço de bolo e a uma gelatina, que devia estar sem açúcar. – Não quero isso.

- É isso ou nada.

- Edward!

- Bella!

Anthony riu esticando a mãozinha e pegando minha gelatina, meu pequeno colocou na boca e cuspiu em seguida.

- Ewww!

- Viu, olha só, nem Thony gostou.

- Não é ele quem tem que gostar. – Meu marido riu, retirando o pequeno copinho que continha a gelatina da mão do nosso filho.

- Thony, olha, tio Emm comprou batatas e Milk sheik também...

Fiz bico, Edward riu me beijando. Anthony se jogou em direção a irmã que o pegou levando-o até a outra cama. Emmett se aproximou, tocando meus cabelos.

- Nos deu um susto maninha. – Sorriu, beijando minha testa – Como está se sentindo?!

- Estou bem.

- Rosalie mandou um beijo. Ela estava um pouquinho enjoada, não pode vir. – Sorriu mostrando as covinhas. – Bom, vou ali comer senão seus filhos vão devorar tudo. Prometo te contar depois o quão gostoso tudo estava.

- Idiota.

A manhã passou rápido. Tivemos algumas visitas, Carlisle passou para conferir se eu estava bem, assim como o meu obstetra. Graças a Deus eu não precisaria ficar muito tempo ali. No fim da tarde meus exames saíram e após serem conferidos fui liberada para ir embora na manhã seguinte.

- Que tédio... – Murmurei, sentada em minha cama trajando apenas minha camisola de grávida , com a perna quebrada elevada sobre um travesseiro.

- Bella. – Edward riu enquanto colocava minha bandeja do café da manhã sobre o criado mudo. Apesar de travada na cama, pelo menos agora eu estava comendo coisas boas na minha casa. – Amor, você não pode ficar descendo e subindo escadas.

- Eu não... – Brinquei com o lençol – Mas o marido que tanto me ama e que tanto amo poderia me levar, sei lá, sabe, para o sofá, ou para a cadeira próxima a piscina.

Ele sorriu torto, se aproximando da cama e sentando-se.

- Não sei o que faço contigo, tem hora que é mais chorona que Anthony, às vezes me esqueço quem é o bebê – Me olhou divertido, pegando a barra da minha camisola e erguendo-a.

- Ei, isso é abuso sexual, não estou em condições de me defender.

- Bella não diga bobeiras, você não quer descer? Então é melhor que não seja de camisola. – Se afastou levando minha camisola com ele, deixando-me apenas de calcinha. Edward foi até o closet, pegando um vestido branco, curto e largo, voltando em seguida e me vestindo com ele.

- Certo. – Ri, vendo-o olhando para meus seios pelo canto dos olhos.

- Do que está rindo?

- Nada. – Dei de ombros, alisando seus ombros – Sabe, acho que acabei de mudar de idéia.

- E o que a madame quer agora? – Rolou os olhos, visivelmente irritado por minha constante mudança de idéias.

- A madame aqui... – Mordi sua orelha, subindo minha mão até seus cabelos – Quer fazer amor com o marido dela.

Ele tentou prender o sorriso, mas não conseguiu.

- Nada disso minha madame. Sua perna está machucada.

- Mas ela está imobilizada. – Rebati. – E não vai atrapalhar em nada.

- Bella, posso te machucar. – Suspirou.

O puxei pela nuca, espremendo meus lábios contra os dele. Edward gemeu baixinho. Desci minha mão por suas costas desnudas até o cós de sua calça de moletom.

Cedo demais ele se afastou, negando com a cabeça enquanto ria. Torci os lábios sendo pega no colo e carregada para o andar de baixo. Edward me colocou no sofá, ajeitando algumas almofadas em minhas costas.

- Você fica bem ai sozinha? Vou acordar Anthony para tomar café comigo.

Virei o rosto ignorando-o. Edward riu beijando minha bochecha e subindo as escadas em seguida. Peguei uma almofada e abracei... Eu estava tão carente.

Liguei a TV em um canal qualquer e tentei me concentrar no programa que passava. Bob entrou na sala, ofegante e com a língua de fora. Eu sabia que ele havia fugido do canil.

- Vem cá grandão. – O chamei, vendo-o se aproximar. Acariciei seu pelo amarelo, fazendo-o deitar a cabeça no sofá e fechar os olhos.

Não demorou para que Edward voltasse com nosso pequeno nos braços, os dois riam e Anthony murmurava coisas desconexas.

- Fique aqui com a mamãe, papai vai buscar o pão e o café.

- Não sei como vocês conseguem comer esse troço nojento.

- Olha quem fala. – Ele riu cerrando os olhos – Sabe, a maioria das minhas lembranças já voltaram, e pelo que sei, você também já comeu pão mergulhado no café.

- Mas foi um desejo de grávida... Grávidas tem desejos nojentos.

- Sei.

Ele saiu da sala em direção a cozinha. Acomodei meu filho entre minhas pernas, enquanto o observava brincar com a orelha de Bob.

- Au-au!

- Filho, não o puxe assim, vai fazer dodói no Bob e ele vai te morder. – Puxei meu garoto, deitando-o em minha barriga e mordendo sua bochecha. Anthony riu, tentando me empurrar. – O aniversário de um aninho do Thony está chegando, vamos fazer uma festa enorme, com muito doce e bolas de bexiga.

- AHH! – Ele soltou um gritinho, babando.

- Não posso sair um minuto que a baderna começa a rolar?! – Edward retornou, enxotando Bob para fora do cômodo e sentando-se no tapete.

 - Papai, ele está comemorando porque o aniversário dele está chegando.

- É verdade. – Edward franziu a testa – Já começou a planejar a festa?

- Sua mãe ficou de me ajudar. – Dei de ombros, alisando seus cabelos enquanto ele puxava Anthony para seu colo e lhe dava um pedaço de pão. – Não vamos fazer nada muito grande, afinal ele está completando um aninho e nem sabe curtir tudo isso.

- Tem razão.

POV Edward

Bella estava ofegante e suada, lambi sua bochecha fazendo-a rir.

- Edward! – Me empurrou.

Cai deitado no chão. Anthony e Margareth não perderam tempo e subiram sobre mim.

- Oh isso é injusto! – Reclamei. – São dois contra o papai.

- Você é mais forte. – Meg rolou os olhos enquanto forçava minha boca a se abrir.

- Meg. – Ri, quando a mãozinha de Anthony entrou por entre meus lábios, agarrando minha língua – Ew!

Meu filho riu. Afastei os dois e primeiro subi sobre Meg, prendendo-a enquanto fazia cócegas em sua barriga, em seguida foi a vez do meu pequeno que havia se refugiado nos braços da mãe.

- Filho, mamãe não consegue te proteger. – Minha mulher riu, sentando-se e escondendo-o atrás de seu corpo. – Edward, sai!

- Vou te fazer cócegas de novo. – Ameacei, cutucando sua barriga. – Me passe o garoto que você não sofrerá as conseqüências...

- Mas amor... – Ela fez um bico lindo, enlaçando meu pescoço – Podemos negociar.

- Eu já estou negociando.

- Ok... – Bella suspirou, pegando Anthony e o entregando para mim. – Desculpa filho, mas a mamãe está grávida e não suportaria mais uma dose de cócegas, acabaria fazendo xixi no tapete. – Riu – Faça o que quiser com ele papai.

Depois de maltratar as minhas crias com mais cócegas, Bella ordenou que subíssemos para tomar banho. Meg foi para seu quarto e eu segui com Thony para o dele. Tirei nossas roupas e entrei com ele em meu colo sobre o chuveiro em seu quarto. Tomamos um banho rápido apenas para retirar o suor, em seguida o enrolei em sua toalha e me enrolei também. Depois de trocá-lo corri para meu quarto com ele enroscado em meu pescoço e gritando por Bella.

Anthony ficou comportadinho na cama enquanto eu me trocava, em seguida descemos para a sala. Bella estava deitada em um sofá, rindo de algo que James e Amanda falavam.

- Oi. – Resmunguei, sentando-me próximo as pernas de Bella – A babá resolveu dar a graça de sua presença.

- Ei eu estava de folga.

- Tome. – Passei Anthony para ela e me levantei. – Amor, quer tomar um banho antes do almoço?

- Por favor.

Peguei Bella no colo e olhei para James.

- Cuide dos dois. – Pisquei para ele, fazendo-o rir.

- Deixe comigo.

Subi as escadas e levei Bella para o quarto. A sentei no balcão da pia e a despi.

- Quando terminar me chame. – Sentei Bella na cadeira posicionada estrategicamente embaixo do chuveiro.

- Tudo bem amor.

Sai do banheiro e aproveitei para separar minha roupa de trabalho.

[...]

Parei em frente à porta e bati. A voz fina e fraca permitiu que eu entrasse.

- Olá. – Abri a porta sorrindo.

- Oi. – Danny estava na cama, um tanto mais corada do que a ultima vez que estive ali.

- Como está? – Me aproximei da cama, tocando seus cabelos loiros.

- Bem tio, e você?

- Também estou bem. – Sorri, olhando para a TV. – Olha, colocaram mesmo uma TV aqui!

- Sim. – Ela riu baixinho, sentando-se na cama. – Agora eu assisto desenhos toooda manhã.

- Desenho é legal, eu assisto com meus filhos. – Contei, puxando uma cadeira e sentando-me ali.

- Você tem filhos?! – Indagou surpresa, com os olhinhos brilhando.

- Sim. Anthony é um garotinho que vai fazer um aninho, e tem Margareth também, que não é nossa filha de sangue como Anthony, mas que a amamos da mesma maneira, ela é um pouco maior que você e está na 3ª série.

- Dois filhos?! Que legal! Mamãe nunca quis me dar um irmão. – Torceu os lábios.

- Na verdade logo serão três, minha esposa está grávida de uma menina.

- Que legal! Quando nascer você trás aqui pra eu conhecer?!

Baguncei os cabelos dela, rindo.

- Eu levo você lá em casa e...

- Danny, querida, eu... – Levantei-me da cadeira quando a porta se abriu. Tânya arregalou os olhos ao me ver ali. – O que você...

- Fique tranquila. – Ergui a mão – Não vim fazer nada demais, só visitar minha amiga.

- A... Amiga?

- Mãe, lembra do tio legal? É ele!

Me voltei para Danny, beijando sua bochecha.

- Vou conversar com sua mãe lá fora, assista desenhos por enquanto.

- Ta bem

Já no corredor fechei a porta, cruzando o braço.

- Como você ficou sabendo? Porque está aqui? Eu não tenho culpa de nada ok? Por favor, você não contou a ela contou? – Desatou a falar.

- Tânya, acalme-se.

- Jennifer, meu nome é Jennifer.

- Eu sei. – Confessei – Já sei de tudo, do que Robert te obrigou, da doença de Danny... Realmente não quero te envolver em confusão.

- Então porque está aqui?! – Grunhiu.

- Porque conversei com minha mulher. – Dei de ombros – E como ela mesma disse, teria feito o mesmo que você por um filho dela, por isso estamos dispostos a te ajudar com Danny.

A loira mordeu os lábios, olhando-me desconfiada, mas eu sabia que ela aceitaria, afinal, já havia se metido em uma confusão para conseguir dinheiro e agora não estávamos propondo nada, apenas oferecendo ajuda a garotinha.


6 comentários:

Evinha disse...

Eita que esse negocio tá bão demais, tava louquinha porque demorou, por favor nao faz mais isso viu Caah, Adorei o capitulo, posta mais please!

MoohCelestino disse...

aaaah que aperto no coração como assim Cah que coragem tem medo de morrer não, deixar a Bella sem memória que susto. rsrs. Capítulo mais que maravilhoso, Ed da carinho pra Bella tadinha. E ai Tania/Jennifer aceita a ajuda é pelo bem da sua filha. Se não vamos acerta nossas cotas.

Bruna disse...

Sabia que Bella tava tirando uma com a cara do nosso Ed, rsrsrs querendo próximos capítulos, Cah não demore tanto dessa vez! Ta parecendo que nossa fic esta enfim entrando nos finais felizes afinal quantos capítulos faltam? Também sinto falta das outras fics! Beijos

Evie disse...

Adorei, Cah, ficou lindo e perfeito demais... Amei mesmo! Mesmo com a fic chegando ao fim, queria muuuuito ver a festinha do Thony, ele é tão lindinho *--*

Lika disse...

Adorei, perfeito como sempre!!! Ed malvado proibir hambúrgueres devia ser crime. rsrsrrs

Renata disse...

Eita que tá bão demais,rsrs
tomei um susto pensando que a bella tinha perdido a memoria,quem bom que nao rtsrs
ate mais

Postar um comentário