Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

21/01/2012

Always - Capitulo 15.

N/A: Esse capitulo era para ter sido postado há dois dias atrás, me perdoem, mas não conseguir entrar no MSN estou... Porra, minha internet está um inferno HASUAH me desculpem mesmo.

Espero que gostem do capitulo... Ficou um pouco ruim, não estive bem essa semana. Minha irmã foi embora de casa, sou muito apegada aos meus sobrinhos... Chorei litros :(

=== x ===

- Boa noite.

- Boa noite minha linda.

E diferente dos outros dias, dormiram abraçados.

Bella sorriu, agora aquele medo havia sumido, sabia que Edward a amava e tinha esperanças que aquele filho fosse dele... Ela merecia isso, não merecia?

Capitulo 15

Edward sorriu, enquanto saia da escola acompanhado por Jully, Anthony e Katy.

- Vou com você. – Jully falou, enquanto Anthony abraçava Katy pelos ombros. – Não quero ficar segurando vela.

Ele riu assentindo. Ao chegar no estacionamento abriu a porta do carro para que a garota entrasse e acenou para o filho que também abria a porta do carro para a namorada.

- Sei como é. – Sussurrou ele enquanto se lembrava da época em que sobrava entre seus irmãos. – Mas e aquele carinha com quem você fica conversando no intervalo?

- Ah, Taylor? – Ela mordeu os lábios, da mesma maneira que sua mãe fazia – Hm, nós trocamos uns beijos às vezes...

- Adolescentes...

Edward riu, ligando o carro e seguindo Anthony. Não demorou em que chegassem à casa de Isabella.

- Não vai entrar? – Jully indagou assim que o carro parou e apenas ela saltou para fora.

Edward olhou para a garota e saiu do carro, fechando a porta.

Anthony já estava instalado no sofá com a namorada, trocando carinhos e chamegos. O Cullen torceu os lábios sentindo um pouco de inveja do filho.

Com um suspiro subiu para o andar de cima, batendo na porta antes de entrar no quarto da morena.

- Oi. – Ele sorriu, mas franziu a testa ao vê-la se arrumando. – Vai sair?

- Nós vamos. – A morena caminhou até ele, abraçando-o – Vamos ao médico.

- Está se sentindo mal, minha linda? – Prontamente os braços dele a apertaram contra seu peito 


– Há semanas... Essa maldita duvida.

- Amor...

- Por favor Edward.

Ele assentiu, beijando a boca dela.

[...]

Edward inclinou-se sobre a morena, colando seus lábios nos dela.

- Não importa qual seja o resultado, eu te amo e vou amar essa criança, mesmo que ela não seja minha, o que não é verdade. – Ele sorriu, mas no fundo estava com medo do resultado.

Isabella assentiu abraçando-o.

- Então vamos ver como está esse bebezinho... – A senhora de aproximadamente 48 anos, médica de Isabella desde sua primeira gravidez, deslizou o gel pela barriga ainda lisa da morena. – Como está querida?

- Bem, na medida do possível.

- Fiquei surpresa com sua ligação. – A médica de Isabella olhou para Edward – Esse bonitão é o pai do bebê?

- Bom, achamos que sim...

Edward rolou os olhos.

- Sim, eu sou. Edward Cullen, prazer.

- O pai de Anthony. – A senhora completou.

- Sim Marie. – Isabella suspirou.

A doutora deslizou o aparelho pela barriga da morena, olhando para a tela onde Edward apenas via borrões.

- Desculpe a pergunta querida, mas porque tem duvida em relação ao pai da criança? – Edward sentiu a mão de Isabella tremer, e suspirou, beijando a testa dela. – Se for em relação ao que me contou pelo telefone, fique tranquila, seu bebê esta grande demais para ter sido concebido a duas semanas atrás...

- Oh, jura? – Isabella soltou o ar aliviada.

- Eu te disse, não disse amor? – Edward riu, enchendo o rosto dela de beijos.

- Parabéns, o bebê de vocês está com 6 semanas.

- Tudo isso? – A morena indagou surpresa – Mas... Bem, minha menstruação veio mês passado.

- Provavelmente não foi uma menstruação, às vezes acontece isso quando o ovulo se prende no útero.

Parecia que uma tonelada havia sido tirada de suas costas. Bella riu, enquanto chorava. Edward acabou se emocionando também.

- Eu te amo princesa.

Marie sorriu, vendo os dois se beijarem. A doutora sabia que era errado, mas como amiga de Isabella, sabia que devia lhe contar.

- Percebi que você não sabia que Jacob, bem... – A senhora mordeu os lábios – É totalmente antiético, mas não tem como esconder isso de você querida. Sabe muito bem que meu marido era médico de seu ex-marido, certo?

- Sim.

- Há alguns anos atrás Jacob operou, ele não queria ter mais filhos.

- Obrigada. – A morena sorriu, enquanto Marie limpava sua barriga.

- Quando poderemos saber o sexo? – Edward indagou animado, ajudando Isabella a se sentar – Ouvir o som do coração do bebê, senti-lo chutando... – Ele franziu a testa e fitou a senhora – Acho que seria bom se receitasse algumas vitaminas para Bella, ela é teimosa, trabalha muito e come pouco, não quero que nada de ruim aconteça ao bebê e a mãe dele.

As duas riram da afobação dele.

- Pode ficar tranqüilo Sr. Cullen, farei isso. Enquanto ao sexo do bebê... Bom, acho que talvez na próxima consulta já consiga ver o sexo e ouvir o coração, já sobre a parte de chutar, isso é só com o bebê, quando ele tiver com vontade e pronto para isso, vai acontecer.

- Ótimo. – Ele sorriu, abraçando a doutora – Eu vou ser pai!

- Edward! – Bella o puxou, rindo – Me desculpe, ele ainda está empolgado.

- Isso é maravilhoso. Edward é um bom homem, está preocupado com você e com a criança, a maioria dos homens que vem aqui com suas mulheres apenas querem saber como será suas vidas sexual durante a gravidez da esposa.

- Hm, em relação a isso, eu queria tirar uma duvida. – Isabella se levantou, ajeitando sua blusa. – Hm, me sinto diferente, em relação ao sexo, na gravidez de Anthony e de Jully... Digamos que eu não senti, hm, tanto... Desejo, como sinto agora. É normal?

Edward prendeu a respiração ao ouvir aquilo. Droga, sentia tanta saudades de Isabella, mas sabia que ela ainda não estava pronta para voltarem a ter uma vida sexualmente ativa, por isso respeitaria seu tempo.

- Oh sim querida, e antes que você pergunte, sim, sexo é liberado.

- Tipo... À vontade? – Edward indagou, coçando a nuca – Sou pai de primeira viagem, seja mais clara, por favor.

- Podem, digamos que, seguir a rotina de vocês.

- Mesmo que nossa “rotina” seja diferente?

- Edward!

- Amor, preciso saber, não quero ser o causador de algum mal ao nosso filho ou filha.

A morena torceu os lábios cruzando os braços e Edward voltou a fitar Marie.

- Digamos que Bella e eu somos muito empolgados, e temos muito fôlego.

- Hm, podem continuar assim, só nos últimos meses que terão de ser cuidadosos.

- Ok.

Edward abraçou Isabella enquanto a doutora caminhava até sua mesa e prescrevia as vitaminas para a morena.

- Espero vocês para a próxima consulta.

- Estaremos aqui.

Sairam abraçados do consultório, no estacionamento Edward abriu a porta do carro para que Isabella entrasse.

- Bells... – Murmurou assumindo o volante – Quero deixar bem claro que fiz aquelas perguntas sobre sexo, mas não era indireta para te pressionar, ok? Só estou preocupado, mesmo, é tudo tão novo.

Ela sorriu, alisando o rosto dele.

- Eu sei, pode ficar tranqüilo.

O Cullen inclinou-se, colando sua boca na dela.

- Vou te levar para sua casa, deve estar cansada. – Puxou o cinto, prendendo-o ao redor dela.

- Sim.

A morena deitou a cabeça no ombro dele, enquanto Edward dirigia tranquilamente, com um sorriso grande ainda em seus lábios.

- Eu volto mais tarde ok? – Edward falou assim que parou o carro. – Preciso resolver algumas coisas.

- Tudo bem. – Ela o abraçou.

[...]

Jacob suspirou, fingindo não ouvir Edward.

- Você está me irritando. – O Cullen passou a mão pelos cabelos e logo em seguida ajeitou a gravata, sentindo-se levemente desconfortável, afinal, há anos não vestia um terno.

- Porque acha que vou facilitar? – O nojento grunhiu. – Não vou deixar você ser feliz com a mulher que eu amo.

- Se amasse teria aceitado a separação e não... – O maxilar de Edward travou, seu peito ainda doía ao tocar naquele assunto – Não faria o que fez. Deixe-a ser feliz Jacob.

- NUNCA!

O Cullen não se deixou irritar.

- Que tal um acordo? – Edward colocou um papel sobre a mesa – Você assina o divorcio e eu facilito para você aqui dentro... Afinal, você deve saber o que fazem na prisão com homens como você, não é?

O moreno sentiu um calafrio percorrer sua espinha. Olhou para o papel e suspirou.

- O que é isso?

- Um acordo. Você assina a separação e prometo pegar leve com você, no mínimo ficará alguns anos pagando cestas básicas.

Black cerrou os olhos, tentado a aceitar a proposta. Sabia que seria feito de menininha na prisão.

- Ok, mas como vou saber se você cumprira com suas palavras.

Edward sorriu, puxando o papel e assinando-o.

- Tem minha assinatura aqui e a sua também. – Voltou a colocar o papel na frente dele. – Assine.

Antes de assinar o moreno fez questão de ler o pequeno contrato e ali estava descrito tudo o que Edward prometera.

- Pronto. – Assinou Jacob.

- Agora o divorcio.

O moreno bufou, assinando também o divorcio.

- Pronto?

- Sim. – Edward se levantou, apressando-se em colocar o contrato em sua pasta. – Foi bom te ver Jacob. – Acenou, caminhando até a porta da pequena sala onde estavam a sós, mas antes de sair, parou na porta – Mentira, não foi bom te ver, e espero que isso nunca mais aconteça. – Um sorriso cintilou em seus lábios – Pode deixar, vou cuidar para que isso não aconteça.

- O que quer dize...

Antes que ele terminasse de falar. Edward amassou o que seria o contrato que aliviaria a pena de Jacob.

- Oooops...

- Seu... DESGRAÇADO!

Antes que ele tentasse algo, os policiais entraram na sala e Edward saiu, caminhando pelo longo corredor, sorrindo. Jacob era mais burro do que ele pensava...

***

- Mãe? – Jully chacoalhou a morena, rindo baixinho – Vai mesmo dormir no sofá?

- Acabei cochilando. – Isabella se sentou melhor no sofá, espreguiçando-se – Eu havia me esquecido de como é estar grávida.

A menina sentou-se ao lado da mãe, tocando sua barriga.

- Lembro-me de quando era criança,vivia te pedindo uma irmãzinha... – Jully suspirou, sorrindo – Tomara que não seja um menino marrento e chato como Thony.

- Ei, eu ouvi isso!

Anthony que estava no outro sofá com a namorada, jogou uma almofada na irmã, fazendo-a grunhir. A morena riu, apesar de tudo, estava muito feliz. E ver seus filhos brigando, só indicava que as coisas estavam voltando ao normal.

- Pare com isso crianças...

- Mãe, o que Katy vai pensar de mim ouvindo à senhora me chamar de criança? – O menino torceu os lábios entrelaçando seus dedos com os da namorada, que ria.

- Ora, não preciso pensar nada, sei como meu namorado é um bebêzão mimado.

Jully riu, revidando a almofadada.

- Viu, até ela sabe!

- Até você amor?

O garoto beijou a namorada, fazendo Isabella sorrir. Ela inclinou-se procurando pelo celular e quando o achou, discou o numero dele.

- Oi minha linda.

- Oi Edward. – Um longo suspirou escapou dos lábios dela, fazendo as garotas rirem e Anthony rolar os olhos. A morena deu a língua, enquanto se levantava e ia até a cozinha – Você disse que ia voltar, já são quase 20hr30min...

- Você quer que eu volte?

Isabella riu.

- Que pergunta retórica Edward, claro que quero.

- Que bom, estarei ai logo.

- Quer que eu prepare algo para você comer? As crianças sem duvida alguma irão pedir pizza...

- Pode ficar traquila, vamos sair para jantar, não quer te ver comendo bobeiras, não faz bem para nosso bebê.

- Tudo bem.

- Convide as crianças.

- Pode deixar.

- Tchau princesa, amo você.

- Eu também te amo.

Ela desligou o celular e sorriu para o aparelho. Há mais de duas semanas não havia trocado nenhum carinho intimo com Edward, e isso estava começando a surtir efeito. Toda vez que se beijavam Isabella queria ir mais além, mas algo dentro dela a fazia se afastar.

Só que não podia continuar assim... Edward era homem, tinha suas necessidades. A morena não podia negar amor, carinho e prazer a ele, porque seu maior medo é que ele fosse buscar isso em outro lugar.

Voltou para a sala, encontrando os filhos e a nora rindo.

- Edward nos convidou para jantar fora, vocês querem ir também?

- Acho melhor não, vamos estragar a noite romântica de vocês. – Jully deu de ombros – Podemos ficar na pizza mãe.

- Jully, se não quiséssemos que vocês fossem, eu não estaria convidando.

- Eu estou super a fim de jantar fora. – Anthony abraçou a namorada – Vem também Katy.

- Hm, melhor não, sabe como meus pais são Thony, e já estou fora de casa desde a escola...

- Ligue para eles, diga que logo depois do jantar você volta para sua casa, ou se quiser dormir aqui...

- Adorei a idéia.

- Anthony!

- To começando a pensar que você não me ama mais...

Isabella rolou os olhos. Seu filho era a copia exata de Edward. Quando eram menor, ele vivia usando o amor de Isabella para fazer com que fizesse suas vontades.

- Não tenho roupa Thony...

- Isso não é problema. Eu te empresto. – Jully puxou a cunhada do sofá – Vamos nos arrumar e Katy liga para os pais dela.

- Ok.

Quarenta minutos depois todos estavam prontos e Edward já havia chegado. Lindo dentro de um terno.

- Será nosso primeiro jantar fora em família.

- Pois é. – A morena deitou a cabeça no peito dele, alisando seus braços fortes – Eu gosto de como isso soa...

- Eu também minha linda, agora vamos, ou os outros pensaram que demos o cano neles.

- Os outros?

Edward riu, alisando a ruga que se formou na testa dela.

- Sim amor, meus pais e meus irmãos também estarão lá.

- Ótimo, vamos então.

Saíram da casa, encontrando Anthony, Jully e Katy já dentro do carro do menino.

- Porque não vamos em um carro só? – Edward indagou ao filho, apoiando-se na janela.

- Vamos nos divertir depois do jantar. – O menino piscou.

- Oh, e nem nos convidaram?

- Mamãe disse que estava cansada para sair.

A morena assentiu quando Edward a encarou, mas era mentira, ela tinha outros planos para essa noite.

- Vem, vamos então amor.

Edward entrou no carro e dirigiu tranquilamente. Sua mão e a de Isabella estavam entrelaçadas sobre o banco do carro e só se soltavam quando ele precisava passar a marcha.

O Cullen estava decidido. Havia passado na casa de seus pais mais cedo, informando-os que o filho da morena era mesmo dele e que hoje era o tão esperado dia... O dia que esperou durante anos... O dia em que a pediria em casamento.

Assim que chegaram, deixaram os carros com os manobristas e entraram no restaurante.

- Pode nos levar a mesa de Carlisle Cullen?

- Sim senhor.

Anthony abraçou a namorada pela cintura. Edward fez o mesmo com Isabella e com Jully, guiando-as.

- Até que enfim chegaram! – Emmett sorriu, assim que viu o irmão se aproximar com a cunhada e três adolescentes.

- Emmett, comporte-se. – Esme o repreendeu se levantando abraçando Isabella e tocando sua barriga. – Oi querida, como está?

- Estou muito bem Esme.

Sorriram uma para a outra.

- Oi. – O garoto acenou meio tímido para todos e foi correspondido. – Essa é minha namorada, Katy.

- Só podia ser meu sobrinho mesmo. – Emmett gargalhou – E que namorada hein.

- Emmett! – Rose o cutucou, suspirando.

- Oi Thony. – A pequena Bia sorriu para o primo, que sorriu de volta. – Mamãe disse que não posso namorar com você porque somos primos.

Todos riram.

- Pois é...

Sentaram-se todos e fizeram seus pedidos. Enquanto os pratos não chegavam, continuaram continuando. E o assunto em foque era a gravidez de Isabella.

- Estamos ficando velhos Carl...

- Sim amor, mais um netinho. – Carlisle riu abraçando-a. – Mas fico feliz, só que vou confessar... Foi um baque ao saber. Ganhamos três netos em um dia.

- Três? – Isabella indagou confusa. – Não estou esperando por gêmeos.

- Estou me referindo à menina, Jully. Anthony e o bebê.

- Ah. – A garota riu envergonhada – Legal, ganhei tios, nunca tive tios.

- Os melhores tios. – Emmett piscou.

- Com isso tenho que concordar. – Alice sorriu.

Isabella suspirou ao ver que seus filhos estavam se dando bem com os Cullen, principalmente Anthony, que agora ria das piadas de Emmett.

O menino não havia chamado Edward de pai ainda, mas aos poucos as coisas entre eles estavam ficando cada vez melhores.

- Vou aproveitar que o jantar está demorando... – Edward chamou a atenção de todos, pegando a mão da morena e beijando-a. – Você sabe que eu te amo muito, não é amor? – Isabella assentiu, sorrindo. – Sei que você não deve estar em um de seus melhores momentos e que talvez esse não seja o momento exato para isso... Só que eu não sei mais como seria minha vida sem você, não posso perder a chance de ter você para sempre ao meu lado. Por isso, reuni todos aqui. – Do bolso, ele retirou uma caixinha preta e a abriu – Não posso mais esperar Bells... Case-se comigo?

Por alguns segundos Isabella não soube como reagir.

- Oh... Sim.

Sorriram um para o outro, enquanto os outros que estavam presentes os aplaudiam.

Edward e Bella beijaram-se de forma apaixonada.

- Pensei que ia negar. – Ele riu contra a boca dela.

- Nunca. – A morena alisou o rosto dele e se afastou tristonha. – Mas você sabe... Não podemos nos casar ainda...

- Droga, só porque eu estava começando a planejar tudo. – Esme murmurou tristonha.

- Porque mãe? A senhora não quer?

- Não é assim, vocês sabem, ainda sou casada com Jacob.

- Que droga hein.

Edward riu, acariciando a nuca dela.

- Eu já resolvi esse problema. – Retirou do bolso uma copia dobrado de um dos papeis que Jacob havia assinado – Você está separada, minha linda.

- Edward! – Ela riu, lendo o papel. – Como...

- Shhh, isso não importa. – O Cullen mirou Anthony e sorriu. – Então garoto, concede a mão da sua mãe a mim?

O menino riu.

- Quero ver minha mãe feliz. – Thony piscou. – Ela merece. E você... É o cara certo para isso.

- Eu vou cuidar dela, deixe comigo.

- Mamãe, temos que começar a planejar tudo! – Jully quicou na cadeira – Imagino que será na igreja, não é? Seu sonho sempre foi se casar de branco na igreja!

- Ei, acalme-se querida. – Edward riu, puxando a mão de Isabella e colocando a aliança ali – Não tem mais como fugir princesa.

- Não vou fugir.

- Até porque eu iria atrás de você até no inferno. – Inclinou-se, beijando-a novamente e alisando seu ventre. – Amo você.

- Temos que brindar! – Carlisle propôs, erguendo sua taça com vinho.

- Felicidades. – Jasper piscou, abraçando Alice, que alisou seu barrigão. – Está se sentindo bem amor?

- Sim, foi só um chute.

- Não vejo a hora de sentir nosso bebê chutar! – Edward disse, entusiasmado. – Não pude acompanhar a gestação de Anthony, mas não vou perder nenhum momento desta.

- Enfim, boiolão, acabou se lascando... Queria uma cria e acabou ganhando dois.

- Não fale assim Emmett. – Edward rolou os olhos – E está totalmente errado. Ganhei três. Não é Jully.

- Pois é papai. – Ela piscou, lembrando-se do papo que havia tido com ele logo após sua mãe ter voltado do hospital. A garota havia ficado desolada... Seu pai fez mal a sua mãe. Edward a tranqüilizou, dizendo que ela não tinha nada a ver com o que Jacob fez, e que dali em diante ele cuidaria dela como se fosse sua filha.

Voltaram a conversar sobre qual data seria melhor para o casamento de Isabella e Edward, mas ambos disseram que aquilo seria os dois que escolheriam.

Logo o jantar foi servido e todos comeram. De vez enquanto Edward flagrava Isabella sorrindo para sua mão, onde a aliança dourada cintilava.

Bia comia com a ajuda da mãe, enquanto ria das palhaçadas do pai. Alice conversava com Esme e Jully. Já Carlisle, Anthony e Jasper, conversavam sobre um jogo que teve naquele dia, deixando Katy confusa. Ela não sabia nada de futebol.

- É tão bom ver todos se dando bem.

- Sim. – Edward riu. – Sempre tentei imaginar como seria esse dia, mas nunca consegui visualizar.

- Eu também não. Veja, até Anthony está se interagindo.

- As coisas estão mudando amor, e mudando para melhor, mas prometo que isso é só o começo. Vou fazer de tudo para que você seja a mulher mais feliz desse mundo.

- Eu já sou.

- Bom, sempre podemos melhorar as coisas um pouco mais.

Os lábios dele deslizaram pelo pescoço dela, fazendo-a se arrepiar.

- Edward...

- Me desculpe. – Se afastou, suspirando – Coma, sua comida irá esfriar.

- Ok.

[...]

- Cuide das meninas. – Edward alertou Anthony, enquanto o garoto colocava acenava.

- Pode deixar.

Isabella riu, acenando de volta e entrelaçando seus dedos com os de Edward.

- Vem, está começando a chover, vamos entrar.

Anthony arrancou com o carro quando viu os pais entrarem.

- Está cansada? – Edward a abraçou por trás.

- Sim. Vou tomar um banho rápido, já volto.

Antes que ele perguntasse se ela queria companhia, a morena disparou escada acima, deixando-o sozinho na sala.

Edward se sentou no sofá, retirou o terno e ligou a TV, passando pelos canais em busca de algo que lhe chamasse atenção.

Suspirou ao notar a demora da morena. Sem duvida, seus planos de comemorar o noivado não daria certo.

- Ela deve ter dormido. – Murmurou levantando-se e retirando os sapatos. Logo depois subiu as escadas, entrando no quarto que por noites já o dividia com ela. – Bell...

A voz dele morreu quando a viu saindo do banheiro. A morena estava linda. Os cabelos molhados caiam sobre seus ombros e apenas uma de suas pequenas camisolas cobria seu corpo fabuloso.

- Hm, demorei muito? – Ela riu, indo até ele e o abraçando.

- Não. – Valeu à pena, complementou mentalmente. – Já vai se deitar?

- Se importa?

- Não, não.

- Ótimo, podemos assistir um filme?

- Claro. – Ele se despiu da camisa e caminhou até o sofá, colocando-a ali. Logo depois foi a vez de sua calça, caminhando desnudo até o closet. – Hm, não tem mais roupas minha aqui?

- Coloquei tudo para lavar hoje. – A morena mordeu os lábios, olhando-o de cima a baixo. – Deite-se assim mesmo.

Eu iria tirar tudo mesmo, ela riu de seu pensamento.

- O que? – Ele indagou confuso.

- Nada.

Isabella ligou a TV e colocou em um dos canais assinados, onde apenas se passava filmes. Depois, foi se deitar ao lado de Edward. As pequenas mãos de Isabella deslizavam livres pelo peito desnudo de Edward.

Estava passando um filme de comédia romântica, e Isabella estava mais atenta do que Edward. Esse se virou, fazendo a mão da morena escorregar para suas costas másculas.

Ela ria de algo que acontecia no filme. Estava linda... Mais linda do que antes.

Edward inclinou-se sobre ela, tampando sua visão e procurando seus lábios. Bella não resmungou, pelo contrario, abraçou o noivo, puxando-o para mais perto de seu corpo.

- Você esta mais linda do que de costume.

Isabella sorriu, acomodando-se melhor sob o corpo dele.

- Estou com saudades de você... – A mão dela deslizou pelos cabelos dele. – Entende o que quero dizer?

- Sim. – Ele sorriu, deixando seu corpo pesar sobre o dela. – Pode sentir como também sinto saudades?

- Oh sim. – A morena gemeu, mordendo o pescoço dele. – Vem me amar, vem.

- Estou esperando você dizer isso há dias... – Ele a beijou de forma desesperada, apertando sua coxa grossa.

Embolaram-se entre os lençóis. Se beijavam, se abraçavam, se apertavam... Tentando em vão, saciar aquele desejo louco que os possuíam.

- Eu preciso te sentir tirar aquelas lembranças da minha cabeça. Quero que o único homem que entre dentro de mim seja você.

- E vai ser minha linda.

A camisola dela estava no chão e Edward sugava os seios fartos devagar, sentindo-os enrijecerem contra sua língua. A mão da morena puxou a boxe dele, ajudando-o a se livrar da peça.

 - Edward... Oh Deus.

Os dedos dele a estimulavam, deixando-a mais molhada do que já estava.

- O que você disse a sua médica é verdade?

Era difícil para ela responder enquanto os dedos dele brincavam em seu clitóris.

- Sim, sim, sim...

- Não precisa se preocupar. – Os lábios de Edward estavam na orelha dela. – Seu futuro marido vai estar sempre disposto a te servir... É só pedir.

Isabella suspirou ao sentir que suas pernas eram abertas e postas na cintura dele. Involuntariamente, as cenas daquele fático dia vieram em sua lembrança. Edward a sentiu se enrijecer e a beijou.

- Quer que eu pare?

- Não, apenas... Venha devagar.

- Não irei te machucar. Nunca.

A morena assentiu sendo beijada novamente. Isso a acalmava.

Não demorou para que Edward começasse a penetrá-la, devagar, sentindo o centro pulsante dela apertando-o de forma enlouquecedora.

- Oh sim...

- Princesa, sempre tão... Apertadinha.

Eles não precisavam se conter. Não havia ninguém na casa. Os únicos sons que se podiam ser ouvido era do atrito de dois corpos se movendo. Grunhidos. Gemidos. Sussurros. Confissões. Tudo se espalhavam pelo quarto como melodia.

- Eu te amo.

Edward sussurrou mais uma vez, controlando-se para não machucá-la com o ritmo de suas estocadas.

- Eu também amor, eu também.

- Vem princesa. Goza comigo.

Ela se rendeu com um gemido, que foi abafado pelos lábios dele. Os dois corpos tremeram e foram tomados pelo prazer.

Edward deixou seu corpo cair sobre o dela, abraçando-a com força.

- Hm. – A morena suspirou, alisando os cabelos dele enquanto retirava as pernas do quadril de do rapaz. – Como fui estúpida e fiquei esse tempo todo sem você?

- Pois é, ainda estou tentando descobrir. – Os dois riram e se beijaram mais uma vez. – Como está se sentindo minha linda? Acho que abusei um pouquinho da força.

- Fique tranqüilo, estou muito, muito bem.

- Enjôo, tontura...
- Nada. – Isabella sorriu.

O Cullen tombou seu corpo, ficando de lado com uma mão sustentando sua cabeça e a outra na barriga da morena.

- Amor, você ainda não contou para Renée e Charlie, não é? – Indagou e ela apenas assentiu – Ótimo, que tal irmos visitá-los e dar a noticia?

- Sinceramente? Eu não sei... Sabe, não falo com meu pai desde que me casei com... Você sabe. – A mão dela pousou sobre a dele – Tivemos uma discussão quando ele descobriu que eu estava grávida. Disse coisas que me magoou muito e por isso eu até que já o perdoei, só que...

Edward se desesperou quando Bella começou a chorar. Não gostava de lembrar o que o pai havia lhe proposto.

- Princesa não chore...

- Ele queria que eu tirasse nosso filho.

- Eu... Não acredito. – Os braços dele a apertaram. – Nunca pensei que Charlie fosse capaz de fazer isso.

Já mais calma Isabella voltou a falar.

- Depois, quando ele percebeu o quão absurdo era sua proposta veio atrás de mim, pedir perdão. Só que... Droga. Não consigo me esquecer das palavras dele.

- Ele nunca viu Anthony?

- Nunca o privei disso. – Ela deu de ombros, limpando as lágrimas. – Anthony e Jully sempre iam para o sitio, minha mãe vinha buscá-los.

- Seu pai errou amor. Não pode odiar Charlie... De qualquer forma, nosso filho está bem, está vivo, lindo e saudável.

- Eu sei. Tenho medo que... Você sabe, uma hora todos morrem, mas não queria que Charlie se fosse sem que eu lhe desse um abraço. Há 18 anos não o vejo.

Edward beijou a bochecha da morena e sorriu.

- Deixe comigo. Vou apenas terminar de encaminhar os processos de Jacob e sair da escola, para que possamos viajar para a fazenda dos seus pais. Tenho certeza que eles vão adorar a novidade.

- Eu também acho. Vai ser um bom motivo para revê-los. – Ela sorriu, alisando o peito dele. – Eu te disse como estava sexy naquele terno?

- Não precisa, todas dizem. – Ele foi socado, enquanto ria da cara de enciumada dela. – Estou brincando minha linda. Acha mesmo Sexy? Eu estava me sentindo um pingüim. Há tempos não usava um terno, mas de certa forma foi bom... Já que daqui em diante o usarei freqüentemente.

- Tem certeza que vai parar de licenciar?

- Sim. Cansei de alunos marrentos e chatos. – Brincou, mordendo o nariz dela. – O governo paga muito pouco. Tenho 3 filhos e uma mulher para bancar.

A morena riu baixinho, colando seus lábios nos dele.

- Tudo bem. Vamos para a fazenda dos meus pais.

- Vamos relembrar nossos bons momentos. – Ele piscou, fazendo-a corar e rir.

- Edward!

- Nem estou mentindo. – Sorriu, alisando a barriga dela. – Mudando de assunto... Sabe, to curioso. Será que vem uma menininha ou um menininho?

- Não sei, mas o que vier eu vou amar.

- Podemos começar a fazer aquelas coisas que pais fazem? – Edward se virou na cama, deitando a cabeça na barriga dela. – Discutir sobre o nome do nosso filho ou filha.

- Claro que podemos.

==== x ====

Talvez vocês fiquem nervosa, mas vou continuar postando apenas em ALWAYS esse mês. Preciso finalizar essa fanfic, as ideias fluem facilmente... Depois irei me dedicar as outras.

Beijos ;*

4 comentários:

rayany disse...

amei!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Daiane Farias disse...

Amei a ideia de postar Always esse mes todo!! #tofeliz!!
O capitulo foi lindo, o Antony está muito fofo.
Ansiosa para ver o reencontro da bella com o pai
Beijos

evelyn caroline disse...

Whooaa, posts só de Always *-* adorei!!! Puxa, esse capítulo ficou muito lindo, muito perfeito.

Carollyne disse...

perfeitoo amooo mtttttttttttttttt

Postar um comentário