Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

06/12/2011

Always - Capitulo 12.

N/A: Hehe, finalmente, não é?!
Desculpem a demora, a escola acabou mas ainda tenho o FORMARE na Delphi, saiu de ferias só dia 16, ai sim terei tempo para escrever *0* Só para vocês terem dó de mim, tenho 4 trabalhos para apresentar, e essa semana e a próxima é só prova :x Pelo menos tirei 10 hoje em Chicote elétrico hehe. E acho que mandei super bem em manufatura eletromecânica \o/

Bom, aproveitem o capitulo... E só para avisar... A fic logo, logo estará chegando ao fim, mas não se preocupem, tem muita coisa para rolar ainda \o/

==== x ===

- Que bom que voltou para mim. – Sussurrou Edward, apertando a coxa da morena e ouvindo-a gemer baixinho – Já não agüentava mais de saudades.

- Vamos para o seu apartamento.

Afastaram-se sorrindo.

Nem Anthony, muito menos Jacob seriam capazes de separá-los.


Capitulo 12

POV Edward

Sua boca estava encaixada na minha, enquanto nossas mãos percorriam um o corpo do outro.

- É tão difícil ficar longe de você... – Murmurei contra seus lábios.

- Edward...

Escorreguei meus lábios por seu pescoço, arrancando suspiros e gemidos dela. Deslizei minha mão, passando por sua barriga e chegando ao meio de sua perna. Toquei sua boceta molhada, fazendo-a arquear os quadris.

- Senti tanta falta desses nossos momentos princesa... – Beijei seu ventre. – Dos nossos momentos juntos, dos nossos beijos...

Suas mãozinhas alisaram meus cabelos. E logo em seguida o agarraram, puxando-me para cima.

- Me perdoa, eu não devia ter dito aquilo...

- Tudo bem amor. – Beijei seus lábios, abrindo suas pernas e me encaixando ali. – Agora me deixe matar a saudade que estou de você?

POV Narrador.

Isabella tentou evitar, mas não conseguia impedir que aquele sorriso se ocultasse. Ela estava feliz, contente, realizada...

- No que está pensando? – Edward encaixou seu rosto no pescoço de Isabella. Eles estavam naquela posição de conchinha desde que haviam terminado de se amar.

- Em muitas coisas ao mesmo tempo.

A mão dela pousou sobre a mão dele, que estava em sua barriga.

- Coisas boas?

- Não tão boas quanto ao que acabamos de fazer.

Ele riu tirando sua mão da barriga dela e subindo-a até seus seios, massageando-os.

- Se você quiser podemos fazer de novo.

A morena já não conseguia encontrar palavras, seus olhos se fecharam e apenas um gemido rouco escapou de seus lábios. O membro rígido de Edward atrás dela denunciava que ele também estava louco para tomá-la outra vez.

Isabella girou na cama, parando com uma perna de cada lado do corpo másculo e definido de Edward, buscando seus lábios e beijando-o de forma desesperada. Ele retirou os cabelos dela que caia entre seus rostos, agarrando-os de forma possessiva e bruta.

- Você me faz perder o controle... – A morena sussurrou mordiscando a bochecha dele.

Edward sorriu torto, percorrendo o corpo dela com as mãos. Apalpando-a.

- Você pode perder o controle sempre que quiser. – Se sentou, apertando-a em seu colo, roçando seus sexos – Mas só comigo, minha linda.

- Só com você... – Concordou voltando a beijá-lo.

Assim como a ereção de Edward já era evidente, o mel de Isabella contra a coxa do Cullen denunciava sua excitação.

- Vem cá amor, senta em mim. – A ergueu pelo quadril, encaixando-a em seu membro ereto. – Deus... tão quente, molhada e apertada.

Ficaram parados por alguns minutos, mas ela logo começou a se mover, deslocando-se devagar, sem tirar os olhos dos dele.

- Edward...

- Rebola minha linda.

Ela seguiu a ordem dele, ajudando-o, apoiando suas pequenas mãos nos ombros largos e másculos de Edward. Seus lábios voltaram a se encontrar, movendo-se de forma selvagem um contra o outro, como se aquele fosse o ultimo beijo da vida deles.

Edward sorriu contra os lábios dela, forçando a morena a parar de se mover e voltando a deitá-la na cama.

- O que foi?

- Shhh... – Voltou a se colocar sobre ela, beijando-a devagar agora, enquanto a penetrava devagar. – Lembra-se do que eu disse aquele dia?

- Do q-que? – Gemeu ela, com certa dificuldade, mordendo os lábios descontrolada.

- Namora comigo? – Sussurrou, diminuindo suas estocadas, tornando-as lentas e dolorosamente prazerosas.

- Eu... Deus...

Os dedos dela se apertaram na pele dele.

- Responda amor.

- Por favor, mais rápido...

- Só depois que você aceitar.

Ela gemeu frustrada, balançando o quadril em busca de prazer, mas Edward parecia muito determinado.

- Edward... Ok... – A morena sorriu – Eu aceito.

- Você não vai se arrepender amor.

- Eu sei que não...

Voltaram a se concentrar em dar prazer um ao outro, quando não agüentavam mais, explodiram em um orgasmo intenso e devastador. Edward desabou sobre o corpo pequeno dela, abraçando-a, todo feliz.

Ela havia aceitado.
- Bells...?

- Hm? – Resmungou a morena, ainda ofegante.

- Eu te amo.

Isabella abriu os olhos surpresa, encarando o par de orbes verdes dele. Edward suspirou gemendo alto quando sentiu o centro quente e molhado da morena mastigando-o.

- Eu...

- Não precisa. – Ele beijou os lábios dela. – Eu posso esperar.

- Não. – Ela também gemeu baixinho, apertando o ombro dele. – Eu sei... Eu sempre te amei.

Um sorriso torto brotou nos lábios de Edward enquanto se beijavam mais uma vez, apreciando aquele tremor percorrer seus corpos em um orgasmo intenso.

Ficaram abraçados por um longo tempo, apenas acariciando um ao outro, com carinho e amor.

- Sofri tanto quando você foi embora... – Bella sussurrou alisando os braços másculos de Edward. – Eu... – Sua voz sumiu, e um soluço baixo rompeu seu peito. – Eu pensei que nunca mais iria te ver. Foi tão horrível ouvir meu pai dizer todas aquelas coisas, e depois... E depois ver você, Emm, Alice, Carl e Esme indo embora.

O Cullen ergueu a cabeça, encostando sua testa na dela.

- Também sofri, minha linda. Mas eu nunca desisti de você, eu jurei, não jurei? Que um dia ia te achar e te roubar para mim, pra gente se casar.

- É. – A morena concordou, suspirando. Edward beijou a bochecha dela.

- Foi tudo tão de repente... Eu me lembro como se estivesse acontecido ontem...

. x FLASH BACK ON

- Eu sou o melhor do melhor do mundo em fazer o biquinho do seu seio ficar duro! – Edward afirmou, contornando o seio de Isabella com a ponta dos dedos, fazendo-a corar e rir.

- Edward! Seu abusado! Eu não te dei essa liberdade.

O garoto rolou os olhos, rolando pelo feno e parando sobre ela.

Os dois estavam no estábulo, local onde se encontraram para namorar escondido.

- Você me ama, e você me deu sim!

Ela entendeu muito bem o duplo sentido.

- Idiota! – O empurrou, levantando-se e limpando o vestido azul.

Edward se levantou também, rindo a abraçou pela cintura, derrubando-a de volta no feno, mas dessa vez sobre seu corpo minúsculo.

- Eu estava brincando linda, sabe que eu te amo...

Os lábios dele buscaram os dela, beijando-a de maneira terna e calma, no entanto, como sempre, o beijo começou a ficar cada vez mais voraz, daquela maneira que sempre fazia os dois se unir de maneira linda e perfeita.

- Edward, acho melhor não...

- Estou com saudades de você amor. – A boca dele derrapou para o pescoço da morena.

- Mas meu pai está na fazenda hoje... Droga... Edward.

- Shhh, fique quietinha e deixe-me te amar.

Os dois continuaram a se beijar, logo estavam nus, e não demorou para que Edward estivesse penetrando-a.

De certa forma eles sabiam que não era certo ficarem transando pela fazenda, ainda mais quando o pai dela estava por ali e poderia flagrá-los a qualquer instante, mas era um sentimento tão forte, um desejo tão insuportável que não conseguiam se conter.

Além disso, Renée já havia conversado um pouco de sexo com Isabella, no entanto, ainda eram poucas informações, a mãe só havia dito-lhe que aquele ato era para ser feito com alguém que amasse, e de preferência apenas quando se casassem. Por meses a menina se culpou por ter se entregado a Edward, mas logo deixou de se importar, pois o menino certo dia lhe disse que não havia problema naquilo já que iam se casar algum dia.

Amaram-se de forma inocente e linda, mas seus erros foram terem adormecidos ali, nus, abraçados sobre o feno.

Infelizmente foi um deslize que teve sérias conseqüências. Como Isabella não voltou para casa antes as 18h00min, Charlie foi até o pequeno chalé dos Cullen, mas Edward também não estava lá.

- Eles devem estar por ai Charlie. – Carlisle murmurou, enquanto sentia a mão de Esme se apertando contra a dele – Sabe como são essas crianças.

- Vou procurá-los, está tarde, Isabella sabe das regras.

- Vou com você.

Assim que os dois saíram Esme ordenou a Emmett que também fosse atrás do casal, já que sabia muito bem que os dois poderiam estar encrencados, porém já era tarde demais, quando ele pensou em procurar no estábulo encontrou Carlisle segurando Edward por trás, prendendo em seus braços, enquanto Charlie puxava Isabella pelo braço.

- EU QUERO VOCÊ LONGE DA MINHA FILHA!

- VOCÊ NÃO PODE FAZER ISSO CHARLIE! – Edward tentou se soltar, mas seu pai não deixou – EU AMO ISABELLA.

- Eu só não mato você porque tenho muita consideração por seus pais... – O Sr Swan sussurrou, era nítido o ódio em sua voz. – Enquanto a você Isabella... – Charlie voltou a olhar para a filha, que estava usando a camisa de Edward. A morena abaixou os olhos, sentindo seu rosto ainda arder pelo tapa que o pai havia lhe dado. – Conversaremos lá dentro.

- Papai...

- Cala a boca Isabella, acho que você já fez coisas demais... Não é Edward?

- Charlie...

- Edward, calado. – Carlisle suspirou – Charlie, eu... Eu não sei o que dizer...

- Não diga nada Carlisle, vou levar Isabella para dentro, quero você no meu escritório em 10 minutos.

O loiro apenas abaixou a cabeça, assentindo.

Charlie puxou Isabella pelo braço, antes de sair à menina olhou para Edward.

Me desculpe, ele sibilou.

Ela apenas assentiu, enquanto lagrimas molhavam seu pequeno rosto.

. x FLASH BACK OFF

- Não vamos nos prender ao passado. – A voz dele a tirou das lembranças dolorosas. – Vamos pensar que daqui para frente vai ser diferente.

- Será que vai ser mesmo?

- Sim, vai minha linda.

Ela sorriu, alisando o rosto dele.

- Amo quando você me chama assim... De minha linda.

- Eu sei. – Edward tirou a mexa de cabelo que caia sobre os olhos de Isabella. – Você sempre vai ser minha linda.

- Hm... – Ela riu, puxando-o pela nuca e beijando sua boca. Edward puxou o edredom com a mão, cobrindo seus corpos, sem deixar de beijá-la. – Não Ed.

- Por quê? Está friozinho, e me bateu um sono.

- Preciso ir trabalhar.

- Ah não... – O Cullen resmungou, cobrindo-os até a cabeça. – Fica comigo aqui.

- Edward. – Bella riu, tentando sair debaixo das cobertas, mas o corpo grande e pesado de Edward não a deixou fazer o que queria – Amor...

- Não pode pedir uma folga? – Ele indagou, forçando os olhos para tentar enxergá-la na escuridão que estava ali sob o edredom.

- Edward, na minha profissão quase não existe folga.

- E nossa lua de mel? Como vamos fazer? – Edward realmente parecia preocupado, o que a fez rir. – Amor, você terá que se tornar uma mulher do lar, eu posso muito bem bancar você.

- Não seja absurdo Cullen! – Ela riu mais ainda. – Sou uma mulher independente.

- Hm. – Ele torceu os lábios e a beijou. – Fica só mais um pouquinho?

- Só mais um pouquinho?

- Sim, só um pouquinho.

Isabella suspirou, infiltrando seus dedos nos cabelos dele.

- Vou ligar para alguém, talvez alguém me cubra por algumas horas.

- Acho que consigo isso. – Edward se jogou para o lado, pegando o celular que estava sobre o criado mudo. – Talvez papai nos ajude.

- Edward, seu pai deve estar cansado e...

- Shhh Bells.

Ele discou o numero e levou o aparelho ao ouvido, não demorou muito para que o pai atendesse. Felizmente Carlisle aceitou sem questionar os motivos, mas ele não era inocente ou bobo, sabia muito bem que o filho estava com Isabella e o que deveriam estar fazendo.

- Você é o melhor pai do mundo...

- Menos Edward. Mas tudo tem um por que... – Carlisle riu do outro lado – O aniversario de casamento meu e de sua mãe está chegando, Bella terá que me cobrir no hospital também.

- Acho que ela concorda. – A morena havia ouvido o que o Sr. Cullen havia dito e assentiu, concordando. – Então nosso acordo está fechado, meu velho?!

- Sim. Aproveitem o resto do dia. Peça para Bella vir antes das 22h30minmin, pois combinei de jantar com sua mãe.

- Ela estará ai pai.

- Tudo bem, mande um beijo para ela.

- Tchau pai.

Ele desligou o aparelho e piscou para Isabella, fazendo-a rir. Edward se jogou sobre ela, beijando-o, mas logo a morena se afastou.

O rapaz fez bico.

- Nem me olhe com essa cara Edward... – A morena rolou os olhos – E aquele lance de sono?

- Bom, eu iria dormir, mas já que você está aqui.

- Preciso descansar... – Ela resmungou empurrando-o e se enfiando sob o edredom.

- Não me diga que você vai dormir até a hora de ir trabalhar?!

- Bom, essa é uma boa idéia.

- Bells... – Foi à vez dele de resmungar.

- Deixe de ser reclamão Edward.

- Reclamão? – Ele riu.

- Sim. – Bella sorriu – Era assim que eu falava com Anthony quando ele era pequeno e só sabia reclamar das coisas... Se bem que até hoje ele só sabe reclamar das coisas.

Ele sorriu torto, esticando-se na cama e abraçando-a.

- Tudo bem, me contento em ter você, aqui, nos meus braços.

[...]

Isabella abriu a porta de sua casa exausta. Ela olhou para o relógio no pulso, constatando que já fazia quase vinte horas que não dormia, a ultima vez que ela teve um bom sono foi no apartamento de Isabella, mas mesmo assim foi acordada pelo mesmo, que dizia ser impossível tê-la na mesma cama e não usufruir nem um pouco. A morena chegou ao hospital as 22h00min e só conseguiu voltar para casa agora... 18h00min. Tudo bem que essa era uma rotina de médicos e ela já estava acostumada, só que Edward... Bem... Ele a cansou demais.

- Mãe? – Anthony estava sentado no sofá, meio tristonho. – Oi.

- Oi querido, que cara é essa?

Antes que ele respondesse Julie e Katy desceram as escadas.

- Mamãe, que bom que chegou. – A menina sorriu, aproximando-se de Isabella e beijando sua bochecha. – Vamos lanchar, quer nos acompanhar?

- Depois eu desço querida. Preciso tomar um banho e descansar... Estou morta.

- Tudo bem.

- Oi Sra. Black. – Katy acenou.

- Swan querida. – A morena corrigiu sorrindo. Anthony torceu os lábios no sofá. – E deixe o senhora, sou muito nova.

Bella teria que continuar a fingir que estava deprimida, mas isso seria difícil, já que era impossível retirar aquele sorriso de seus lábios. No entanto, se Anthony descobrisse, consequentimente Jacob também ficaria sabendo e tudo iria se repetir novamente. Ela só precisava se controlar.

***

O maxilar do moreno estava travado, e a cada palavra que seus olhos captavam sua raiva crescia mais ainda.

- Vadia, filha da puta! – Jacob grunhiu jogando a carta de pedido de divorcio sobre sua mesa de centro.

- O que houve amor? – A ruiva entrou na sala, indo em sua direção e sentando-se em seu colo. – Algum problema?

- Isabella... – Grunhiu – Aquela desgraçada está mesmo a fim de me afrontar. Porra, meu dinheiro está acabando, se ela conseguir o divorcio vou estar na pior.

- Mas e sua “arma secreta”?

- Não sei, não posso chantagear ela com apenas isso... Bella pode jogar tudo para o alto e contar a verdade para o pirralho. – Bufou, apertando a coxa de Victoria, uma das vadias que sempre estava em sua cama. – Ela Edward sempre tiveram algo forte...

- Bom, talvez você devesse dar um susto nela. – A vadia sorriu maliciosa. – Seduza ela, filme ou algo do tipo, depois mostre para o tal Edward, ou se quiser eu posso me deitar com ele e...

- Nem pensar! – Jacob agarrou os cabelos da ruiva – Não gosto de dividir mulher minha.

Já bastava ele ter dividido o coração de Isabella com o Cullen... Ok, na verdade o coração da morena sempre foi totalmente de Edward, e isso era o que mais deixava Black furioso. Apesar de seu casamento com ela ter sido “planejado” esse havia sido um desejo dele... Jacob sempre foi apaixonado pela garota que vivia atrás do Cullen. – Deixe comigo... Vou fazer Bella mudar de idéia, agora vem, vamos aproveitar, temos poucos dias para ficar juntos, já que nesse final de semana os pirralhos vem para cá.

Os dois riram e se beijaram.

***

Edward sorriu, enquanto sentia o pequeno bebê de sua irmã chutando.

- Isso é fantástico... – Sussurrou, deslizando a mão pela barriga de Alice.

- Quando você vai me dar um neto também? – Dona Esme sentou-se ao lado do filho, alisando seus cabelos rebeldes.

- Não conversei com Bella sobre isso ai. – Ele deu de ombros.

- Mas você quer ter filhos? – Allie indagou.

- Sem duvida. – Sorriu, imaginando como seria o fruto de seu amor com Bella – Uma garotinha, com os cabelos castanhos e olhos como os da mãe. – Edward virou-se para a mãe, desfazendo seu sorriso – Mas não conversei com Bells ainda, sabe... Ela já teve dois, pode ser que não queira mais... Não sei.

- Se Bella realmente te ama, vai realizar esse seu sonho.

- Tomara. – Ele sorriu, inclinando-se para beijar a testa da mãe, depois a barriga da irmã e logo em seguida a bochecha da mesma. – Está na minha hora, preciso ir.

Despediram-se e logo Edward estava em seu carro. O assunto filho trouxe um fato á tona.

- Merda... – Passou a mão pelos cabelos. – Será que...

Ele não sabia se ficava contente ou arrependido.

Nesse instante Isabella podia estar grávida, afinal... Das tantas vezes que transaram, quantas delas se preveniram? Mas já que ela não comentou nada com ele, poderia muito bem tomar anticoncepcionais, afinal, geralmente, mulheres que tem a vida sexual ativa fazem isso, certo?

E a pergunta era... Bella tomava ou não?

Edward precisava descobrir, ou ficaria maluco. Retirou o celular do bolso e discou o numero dela.

- Hmmm...? – Ela atendeu sonolenta. Ele sorriu olhando no relógio.

- Já dormindo princesa? Não são nem onze horas da noite ainda.

- Estou morta amor.

- Hm... – Edward suspirou, ele tinha que ir com calma. – Estou com saudades, podemos nos ver?

- Estou com preguiça, não consigo levantar da minha cama... Ela está uma delicia.

- Quer que eu vá fazer companhia para você? – Indagou.

- Oh sim, vem amor. – Ela estava brincando, mas ele levou a serio.

- Ok, abra sua janela, estarei ai em menos de 5 minutos.

- Edw...

O Cullen desligou o celular, e arrancou com o carro.

***

- Oh droga... – Isabella resmungou, ligando mais uma vez para Edward, que não atendeu o telefone. A morena se levantou, colocou um hobby e desceu as escadas. Anthony estava assistindo a um jogo de futebol na televisão, enquanto Jully estudava na sala de estar.

Edward jogaria tudo para o ar caso as crianças o visse ali, mais especificamente Anthony.

- Algum problema mãe?

- Não querida, só vim buscar um copo de água. – Murmurou um tanto nervosa. – Vão ficar em casa hoje?

- Sim, por quê? – Anthony franziu a testa.

- Bom, só estou perguntando, vou ir dormir e não gostaria de dormir sem saber se vocês sairiam.

- Mãe coruja. – Ele riu. – Não combinamos nada hoje, além disso temos prova.

- Ok. Hm, estou cansada, por favor não me incomodem... Se alguém ligar diga que retornarei.

Isabella pegou um copo de água e subiu novamente para seu quarto, trancando a porta. Ela estava preocupada. Edward viria mesmo?

Caminhou até a porta que dava a sacada e saiu. Apoiou-se na mureta, olhando ao redor. Alguns minutos depois, quando já estava desistindo de esperar, viu um vulto vindo pela rua. Bella estreitou os olhos, tentando reconhecer o individuo que vinha correndo em direção a sua casa.

- Edward? – Indagou chocada.

O Cullen parou no gramado de Isabella, sorrindo. Avaliou a grade que estava presa a parede, por onde achou mais pratico subir.

- Oi. – Ele sussurrou pendurando-se na mureta.

- Seu louco!

- Não me xingue amor, vem me ajuda.

Ela o ajudou a subir, enquanto riam.

- Veio andando?

- Não, parei meu carro na rua de trás, não sou tão burro a ponto de nos entregar a seu filho.

- Hm. – A morena ficou na ponta dos pés, beijando-o com luxuria e desejo – Vem.

Ele tinha uma missão a fazer ali... Descobrir se Isabella usava ou não anticoncepcionais, mas se ela continuasse beijando-o daquela maneira, seria difícil ele realizar aquela façanha.





7 comentários:

Julia disse...

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh!Não sei se fico feliz ou triste.Pow,eles estão juntos e isso é ótimomas,ainda tem a p**** do Jacob infernizando eles.Ai Caah,eu não sei se te bato ou digo que te amo. Poxa,resolve logo a vida deles,vai?Por favor?
Adorando a fc.bjbj

moohcelestino disse...

eeeebâ já estava com saudade daqui, mas eu entendo as suas necessidades de escola, adorei o capitulo mais eu já estou angustiada pra que a Bella conte pelo menos para o Ed que o Thony é filho dele. beijo

dhêê disse...

ehhh, estava com saudades da fic,
agora estou curiosa p/ saber se a bella toma ou não anticoncepcional, por que se ñao já posso consedera-lá gravida. ansiosa para o próximo capítulo. beiijos

evelyn caroline disse...

pelamor... Quando a Bella vai abrir o jogo e despejar a verdade? Eu amo a fic como é, mas esse Jacob me irrita muito; quando não é ele, é o Anthony. Cacete! Mas espero que, enquanto isso, nosso casal preferido possa proveitar muuito

Raphaella Paiva disse...

Ah, que lindos esses dois... Parecem dois adolescentes *___*
HJAUHUAHUAHUAHAUHA
E esse fato de eles terem babies, hein? Nunca tinha pensado nisso, mas seria tão fofo *aperta*
E ainda tem o lance "Anthony"... Hmm, muitos probleminhas à vista, hein?
Posta mais, Caah! Estava com saudades da fic (:
Toodles honey

Renata disse...

já estava com saudade daqui, mas eu entendo as suas necessidades de escola, adorei o capitulo

Anônimo disse...

oooooooooooooooooooown ta linda fic !! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk beejo posta mais ;**

Postar um comentário