Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

07/08/2011

DTA - Bônus – Epilogo Feliz.

N/A: OMG, me perdõem, eu esqueci de postar o epilogo do final feliz :x Ando tão atarefada que to sem tempo pra escrever D: Me perdoem.

Bom, tenho uma fic escrita aqui no pc, com 7 capítulos prontinhos, enquanto não posto em outras fanfics gostariam de aprecia-la? *---* Respondam no comentário! (: Beijocas.


Bônus – Epilogo Feliz.

Assim que as portas do elevador se abriram Anthony soltou um gritinho e saiu correndo para fora.

Edward costuma comparar o andar do nosso bebê com de um potrinho. Ousou dizer que Thony havia puxado esse jeito desengonçado de mim.


- Ei Anthony. – Corri atrás dele, agarrando-o pelos pequenos ombros e forçando-o a parar. – Não corra por ai dessa maneira meu anjo, você pode cair e fazer dodói.

- Papai... – Resmungou chacoalhando seu corpo, tentando se soltar.

- Vamos então...

O guiei até a mesa de Julieta, secretaria de Edward.

- Bom dia Julieta. – Sorri para a velha senhora ali. Para mim, era um alivio saber que a secretaria do meu marido era 40 anos mais velha que ele, por mim, todas as funcionarias teriam essa idade.

- Bom dia Sra. Cullen. Ei Anthony, cada dia mais lindo...

- Diga a ela que você puxou isso do seu pai filho.

- PAPAI!

Anthony se soltou de mim e disparou em direção a Edward, agarrando uma de suas pernas.

- Oi filho.

Edward o pegou no colo, beijando sua bochecha.

- Mamãe!

- O papai viu ela. – Riu aproximando-se de mim – Oi mamãe.

- Oi amor.

Ele sorriu, colocando sua boca na minha.

- Mamãe só Thony. – O garoto se meteu entre nós, forçando-nos a nos separar.

- Papai sabe que a mamãe é só sua. – Edward rolou os olhos e me puxou em direção a sua sala. – Jully, estou ocupado, para qualquer um, ok?

- Sim senhor.

Assim que entramos, Anthony foi colocado no chão e correu em direção à cadeira giratória.

- Eu ia ligar para você. – Edward se sentou no sofá que havia ali e me puxou para se sentar ao seu lado. Coloquei uma de minhas pernas sobre as suas.

- Para que? – Indaguei.

- Convidar vocês para almoçar comigo.

- Eu estava na casa de sua mãe. – Beijei seu pescoço, fazendo-o se arrepiar – Viemos buscar você para almoçar.

- Hmmm... Tivemos a mesma idéia. – Ele resmungou fechando os olhos, enquanto minha boca ainda brincava em seu pescoço - Desse jeito vamos para casa.

- Você quem sabe. – Alisei seus braços – Podemos almoçar lá.

- Acho que é uma ótima idéia... – Seus dedos apertaram minha coxa, daquele jeito que fazia quando estava excitado – Anthony já comeu?

- Sua mãe deu algumas porcarias para ele – Torci os lábios – Mas preciso dar algo que realmente o sustente. – Alisei seus cabelos bagunçados – Podemos almoçar aqui no restaurante.

Foi à vez dele de torcer os lábios.

- Melhor não, lembra-se da ultima vez?

- Claro! – Gargalhei, obvio que eu me lembrava daquele dia...

FLASH BACK ON

Assim que sentamo-nos à mesa Anthony começou a apontar em direção a maquina de refrigerante.

- Naná! – Thony pediu.

- Um dia iremos à falência. – Resmungou Edward – Anthony gastara toda nossa fortuna em balas, salgadinhos e refrigerante.

 - Deixa de ser pão-dura e vá fazer a vontade do seu único filho.

- Ok... – Edward suspirou, pegando sua carteira – Qual refrigerante filho?

 Rolei os olhos. Como se ele precisasse mesmo perguntar.

- Tota!

- Olha ai... Ainda tem que ser o mais caro.

Meu marido se levantou e foi até a máquina de refrigerante, voltando logo em seguida com a lata nas mãos.

Anthony soltou um gritinho e inclinou-se para pegar das mãos do pai a coca-cola.

Estávamos almoçando no restaurante da empresa, já que infelizmente Edward teria uma reunião. Seria difícil ele sair daqui para ir almoçar conosco em casa e logo depois voltar.

Assim que terminamos de comer coloquei Anthony no chão, meu filho ficou de pé, apoiado na cadeira brincando com um canudinho. Edward aproveitou a ausência do nosso garoto em meu colo, me puxou para um calmo beijo que se tornou longo.

- Desculpe atrapalhar... – Edward afastou-se de mim e encarou o funcionário que nos atrapalhara – Sr. Cullen, seu filho está correndo para lá.

Olhei para onde o rapaz apontava e vi meu pequenino correndo todo desengonçado em direção a máquina de refrigerante e a abraçando.

Ri alto, acompanhada por Edward e algumas pessoas que observavam a cena.

- Filho, o que você quer ai? – Edward perguntou, fazendo Thony se virar para nos olhar.

- TOTA!

- Mas olhe a sua aqui Anthony. – Ergui a lata.

- QUÉ OTA!

Uma mulher se aproximou da máquina. Anthony deu alguns passinhos para trás e a observou atentamente: colocar o dinheiro, escolher o refrigerante e a lata de coca-cola cair.

- AH! – Gritou todo contente.

O que aconteceu a seguir me deixou totalmente constrangida. Meu filho empurrou a mão da mulher, pegou a lata e veio correndo até nós.

- Anthony Swan Cullen...- Meu marido resmungou levantando e indo até a mulher – Me desculpe Jey, temos um mini-cocoólatra em casa.

- TOTA MEU, MEU TOTA! MAMÃE, TOTA OW!

FLASH BACK OFF

 Obvio que Edward pagou outro refrigerante para a mulher, mas aquilo o deixou bem constrangido, porém sabíamos que Anthony era uma criança e não tinha consciência de nada. No entanto, meu filho ficou famoso na empresa como “Cullen da coca”, Edward não gostou muito, mas eu (tentando amansar a fera) o fiz compreender que era até um apelido verdadeiro já que Thony era um Cullen louco por refrigerante.

- Sabe que poderíamos inscrevê-lo para fazer propaganda da coca-cola?

Ri abraçando sua cintura com um dos meus braços, enquanto ele carregava Anthony no colo.

- Ele é muito pequeno ainda... – Suspirei. – A fama trás muito assedio.

Edward arqueou as sobrancelhas.

- Eu sou famoso, mas não sou assediado.

- Não? – Ri, tentando ocultar a pontinha de ciúmes que estava em minha voz – Você praticamente é estuprado com os olhos daquelas piriguetes.

Ele não rebateu, sabia que eu estava certa.

Chegamos até seu carro, abri a porta de trás para Edward colocar nosso garotinho na cadeirinha.

- Não é só comigo que acontece isso... – Murmurou ele sentando-se no banco ao meu lado – Odeio quando você vai comigo em algum evento e aqueles velhos babões não tiram os olhos de você. – Ele fechou os olhos, inflando as narinas – E ainda por cima tem a mídia que publica coisas muito legais sobre você... - Edward sussurrou depois – Legais até demais para mim.

 - Ciumento! – Gargalhei, jogando-me sobre ele, alcançando seus lábios vermelhos. Eu adorava quando ele demonstrava ciúmes. – Amo você.

- Também te amo.

[...]

- Edward... NÃO! – Dei um gritinho enquanto era empurrada contra a parede da sala. A boca do meu marido esmagava a minha e suas mãos apertavam minha cintura. Olhei para o tapete da sala por cima de seu ombro onde nosso filho brincava. – O Anthony...

- Só mais um pouquinho, ele está quietinho.

 Suas mãos prenderam a minha sobre minha cabeça. Sem ter como me defender ele passou a mordiscar meu maxilar, seguindo para meu pescoço.

- Amor... – Fechei os olhos gemendo. Joguei meu pescoço para trás, dando livre acesso a ele – Vamos para a cozinha.

Edward se afastou rindo e me puxou em direção a cozinha, mas antes de ir dei uma rápida olhada para meu garotinho que estava concentrado brincando com dois carrinhos.

- Ele vai ficar bem. – Edward me ergueu, sentando-me na mesa – Papai só precisa ficar um pouquinho com a mamãe. – Sorriu, fazendo meu coração disparar, como a louca apaixonada que sempre fui. Agarrei seus cabelos trazendo-o para mim. Minha boca encontrou a sua, nossas línguas buscavam uma a outra em desespero. Tínhamos pouco tempo, logo Anthony sentiria nossa falta e começaria chorar. – Estou tão... Excitado, e você amor? Está molhadinha para mim?

Não consegui responder. Sua mão escorregou por minhas pernas, alisando-a e erguendo meu vestido, indo até meu centro pulsante.

- Oh Deus...

- Tão molhada Bells. – Gemeu mordendo minha bochecha – Faz Thony dormir um pouquinho, ele acordou cedo...

- Aham...

- Depois faremos amor.

- Aham...

Edward riu do meu estado e retirou as mãos de mim quando ouviu o grito de Anthony, anunciando que ele estava se aproximando.

- MAMÃAAAAAAAAAAAAAAAAA!

- Na cozinha filho.

Meu marido gritou de volta, enquanto me descia da mesa. Anthony entrou no cômodo nos olhando meio desconfiado.

- O que pequeno?

Ele não respondeu, correu até a geladeira e bateu na porta.

- Nem sonhe garoto. – Edward foi até ele o jogou sobre seu ombro e saiu da cozinha comigo os seguindo – Não é hora para se entupir de refrigerante.

- Papai... qué!

Meu marido colocou Anthony sobre os ombros e saiu da cozinha.

- Está na hora do Thony mimi.

- Nanão...

- Sim, sim.

Acompanhei Edward pelas escadas, enquanto eles discutiam. Meu bebê fez bico e começou a choramingar.

- Mamã...

 - Ela não vai passar por cima da ordem do papai.

- O papai tem razão filho, está na hora do bebê da mamãe dormir um pouquinho.

Abri a porta do quarto para Edward entrar com Anthony.

Deitamos um em cada beira da cama, deixando nosso garoto no meio de nós. Suspirei observando Edward envolver Thony com os braços e começar a contar uma historinha para ele.

Era impressionante o modo como Edward continuava a mudar todos os dias. Ao contrario daquele homem agressivo e frio, agora, existia um homem amável, carinhoso e prestativo.

Não posso afirmar que esqueci o quanto sofri no passado, mas como eu disse: No Passado. Hoje, era outro dia, meu marido era outra pessoa, nossa vida era outra. Nada, nada interferiria em nossa felicidade.

- Ei tchutchuca.

Tirei meus olhos do teto para olhar Edward.

- Já disse que não quero que me chame assim... – Resmunguei.

- Por quê? – Ele sorriu – É bonitinho.

Suspirei torcendo os lábios.

- Idiota.

- Vamos para o quarto.

Foi só então que eu percebi que nosso filho já havia caído no sono.

- Vamos.

Mordi os lábios sorrindo.

POV Edward

Isa estava com as pequenas mãos emboladas em meu cabelo, rindo da minha piada.

- Eu já havia ouvido essa. – Afirmou sorrindo.

Torci os lábios magoado.

- Droga, essa era minha melhor piada. Quem te contou?

- Você.

Franzi a testa.

- Eu?

- Sim, mas já faz muito tempo. – Ela suspirou, desviando os olhos – Eu tinha acabado de descobrir que estava grávida. Você bebeu muito e conheceu Jake, bom e naquela mesma noite você me contou essa piada do pintinho que se chamava relam.

- Hm. – Torci os lábios percebendo que Isa ficou um pouco triste em se relembrar daquela época. – Ok, mas eu já te contei a do TRO?

- Trom?

- Não amor, T-R-O. – Beijei sua boca. Isa estava sentada na cama com as costas apoiada na cabeceira, e eu entre suas pernas. Era quase 01h00min da madrugada e ainda estávamos insaciados, curtindo um ao outro. Apoiei meus braços ao lado de seu corpo e ergui meu tronco para dar mais emoção à piada – Eu tinha um pintinho...

- Pintinho amor? Não seja modesto...

- Princesa, estou falando da piada, não de mim.

- Ah... sim. – Ela corou, rindo baixinho – Mas outro pintinho?

- Deixe-me continuar. – Bufei - Eu tinha um pintinho que se chamava TRO, quando chovia TROVOAVA.

Fiquei feliz em vê-la soltar uma deliciosa gargalhada.

- Oh meu Deus. – Isa respirou fundo, tentando se controlar – Eu já disse uma vez, e volto a dizer. Você é péssimo em contar piadas.

- Assim você me magoa amor. – Me ajoelhei na cama, puxando Isa pelas pernas, forçando-a a cair deitada na cama. Rapidamente me pus sobre ela, retirando o lençol branco que cobria seu corpo delicioso. – Posso ser ruim em contar piadas, mas sou muito bom em te fazer gemer.

- Você também já disse isso, naquela mesma noite.

- Bom, não menti. – Sorri, inclinando-me para morder seu seio esquerdo.

- Edward... Amor...

- O que princesa?

Tirei minha boca dela. Eu sabia que ela ficava tão desorientada quanto eu quando estávamos muito próximos ou fazendo coisinhas gostosas.

- Preciso dormir, amanhã tenho plantão de 24horas.

- Oh merda! – Me joguei para o lado, fechando os olhos – 24 horas longe de você?

Isa riu, rolando para cima de mim e beijando minha boca.

- Deixa de ser dramático, você sabe muito bem que no dia que fico o dia todo em casa no outro faço plantão.

- Tipo são 24horas sem fazer amor contigo. – Gemi inconformado.

Bella torceu os lábios, ela sabia que eu estava certo e concordava comigo.

- Então acho que amanhã vou trabalhar com sono.

- Essa é minha mulher. – Giramos na cama, mas dessa vez eu fiquei sobre ela.

Deixei meus dentes brincando com seu beiço, fazendo-a rir.

- Amor, assim não. Quando você começa assim tudo fica mais demorado.

- Demorado é gostoso.

Ela suspirou alisando minhas costas.

- Mas eu preciso acordar cedo.

- Ok, prometo fazer tudo rápido e gostoso.

Antes que ela falasse alguma coisa eu a beijei.

Anthony e essa mulher são minha vida, só tenho que agradecer por ter feito as escolhas certas, mesmo que essas escolhas tenham demorado a ser feitas.

Como prometi, fizemos amor rapidinho e gostosinho, e acabamos assim... Eu deitado e Bella em meu peito.

- Boa noite princesa.

- Bom dia Edward. – Ela corrigiu rindo. Isa inclinou-se para abaixar a luz do abajur.

O que mais eu poderia desejar? Claro, eu só poderia querer que continuássemos a viver assim... Juntos, felizes, se amando cada dia mais.

- Isa?

- Hm?

- Quero ter mais um filho.

= x =

N/A: Bom, tenho uma fic escrita aqui no pc, com 7 capítulos prontinhos, enquanto não posto em outras fanfics gostariam de aprecia-la? *---* Respondam no comentário! (: Beijocas.

Capinha aqui embaixo:


Obs: É 100% BEWARD

9 comentários:

CaahCocenza disse...

Então? ahauhaa

Thais disse...

AMEIII!!Mas esse final me fez querer mais caps cah!!!!Que maldade!!!!

Quero fic nova!!!!!

Thata disse...

Claroooooooooooo neeee Caaaaah !
para de ser Má e posta e sua nova finc Please *-*
PS: ameio bonus kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Caaaaaaah ,essa fic tá excelente demais pra terminar assim .....que tal uma 2ªtemporada de DTA,please, e de caminho posta a nova ,please please!!

Mariana disse...

Eu amaria muitooooooooooooooooooo mais, se tivesse uma segunda temporada dessa fic.Do que uma outra fanfic Isabel/Edward.Também acho que faria bem mais sucesso!

Anônimo disse...

queria muito!

Vanessa Ruguê disse...

eu amaria flor, mas a idéia da "MARIANA" é tentadora em ter a segunda temporada dessa fic *-*

evelyn caroline disse...

Concordo...Seria demais uma segunda temporada... E eu amei o Anthony ♥. Muito fofo e merece mais

♥nanah♥ disse...

Ameei , coca colaa adoroo.
segunda temporaada caah, faz faz.

Postar um comentário