Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

07/07/2011

Deixe-me Te Amar - Epilogo (Final Alternativo)

N/A: O COMEÇO É O MESMO, MAS MUDA NO DECORRER DO CAPITULO (:


Epilogo [Fim Alternativo]

POV Edward

Ainda sonolento me sentei em minha cama, esfregando meus olhos.

O choro alto e agudo de Anthony me despertou.

Levantei-me e caminhei até seu berço. Meu garoto chacoalhava os bracinhos e as perninhas enquanto se esgoelava. Toquei seu pequeno rostinho vermelho, fazendo-o se acalmar.

- Shhh... – Sussurrei. – O papai está aqui. – Com cuidado eu o retirei do berço. Suspirei. Isabella fazia tanta falta nessas horas. Peguei o seu cobertor e com Anthony enrolado desci para o andar debaixo, com ele em meus braços. Seu choro havia cessado, agora, ele apenas resmungava baixinho.

Abri a geladeira e tirei seu leite de lá. Peguei a leiteira no armário e acendi o fogo.

Ok, eu estava expert em arrumar mamadeiras.

- Pronto. – Ri baixinho, trazendo-o até meus lábios. – Em poucos minutos você estará com sua mamadeira na boca. – Me sentei numa cadeira e toquei seu narizinho. – Você é tão parecido com sua mãe... – Escorreguei meus dedos por seus ralos cabelos loiros, pelo menos isso ele havia puxado de mim e eu esperava que fosse só isso mesmo. – Lindo como ela.

Seus lábios arreganharam um sorriso. Meu menino sorria 24hrs por dia.

Assim que sua mamadeira ficou pronta subi com ele de volta para meu quarto. Sentei-me na cama apoiando minhas costas na cabeceira. Coloquei-o naquela típica posição de ninar, dando-lhe seu mama.

Seus pequenos olhos azuis se fecharam enquanto seus lábios sugavam o leite morno da mamadeira.

Anthony estava com quase oito meses. Era incrível como aquela criança crescia rápido. Não pude de deixar de imaginar o futuro: Ele grande, forte, lindo, brincando comigo de futebol.

Sorri.

Voltei a admirá-lo. Seus olhos já estavam fechados e sua boca havia parado com as sucções.

Coloquei a mamadeira na mesinha de cabeceira e deitei Anthony ao meu lado. Puxei minhas cobertas para cima de nós e o abracei, apertando aquele minúsculo corpo contra o meu.

Fechei meus olhos e não demorou muito para que eu pegasse no sono.


 ( Ouçam para dar um TCHAM! *-* )


Abri meus olhos um tanto confuso.

Eu estava sentado na grama com as costas apoiada em uma arvore.

Varri o local com meus olhos. Eu o conhecia, sim, aquele era um dos parques que havia próximos a faculdade.

Observei a morena de cabelos castanhos – que carregava um livro embaixo do braço – cruzar o parque e se sentar embaixo de outra arvore. Eu a reconheceria em qualquer lugar. Era Isabella.

Tentei me levantar, mas não consegui. Ergui meus olhos novamente vendo um rapaz com um sorriso sacana ir até ela.

Balancei a cabeça. Aquilo era impossível...

Aquele rapaz era eu quando mais novo. Eu estava vendo de outro ponto de vista o dia em que comecei a botar meu plano em pratica para conquistar Isabella. Eu já a conhecia, afinal, ela era a irmã do meu melhor amigo, Emmett.

Continuei a observá-los. O outro eu se sentou ao lado dela e falou algo, ela assentiu timidamente e ele tocou seu rosto, as bochechas de Isabella tomaram um tom rubro. Ele, eu, seja quem for, puxou o queixo de Isabella, levando-o de encontro aos seus lábios.

Minha vontade era gritar para ela não fazer aquilo, não se deixar envolver por um canalha como eu, mas minha voz não saia...

Eu me lembrava muito bem desse dia, eu me sentei ao lado dela e disse que ela era linda depois perguntei se eu poderia beijá-la, ela concordou um tanto envergonhada.

- Eu não me arrependo por ter deixado você me beijar.

Meu coração disparou em meu peito, girei minha cabeça e a vi. Ela estava sentada ao meu lado, com um vestido branco e os cabelos soltos. Seus olhos castanhos chocolate estavam presos em nós dois que ainda nos beijávamos do outro lado da praça.

- Isa... Como... – Neguei com a cabeça – Como isso é possível, você está... Você está...

- Morta. – Ela desviou seus olhos de nós e me olhou sorrindo. - Eu sei.

- Deus... Você está mesmo aqui? – Ergui a mão tocando seu rosto. Bella fechou os olhos e tombou a cabeça para o lado, apreciando meu toque.

- Estou. – Seus olhos voltaram a se abrir junto com um enorme sorriso.

Senti as lágrimas escorrerem por meu rosto.

- Eu... – Apertei meus lábios buscando as palavras certas.  – Me perdoe...

- Eu já te perdoei – Ela continuou a sorrir para mim e pousou o dedo sobre meus lábios, seu toque fez meu corpo estremecer. – Não vamos perder o pouco tempo que temos juntos com você se desculpando.

Assenti.

- Eu estou sonhando certo?

-Sim. – Ela riu movendo seu corpo para cima do meu. Isabella sentou-se no meio de minhas pernas e deitou suas costas em meu peito.

Abracei sua cintura, encaixando meu rosto em seu ombro, puxei o ar aspirando seu cheiro maravilhoso. Eu não conseguia me controlar, quando menos percebi estava soluçando. A culpa seria minha companheira pelo resto dos meus dias.

- Se você não estivesse aceito aquele beijo, você ainda estaria viva.

Ela se virou, segurando meu rosto em suas mãos.

- Como você pode saber disso? Eu poderia ter morrido de várias maneiras. Era a minha hora, já estava escrito.

Neguei com a cabeça.

- Se eu não estivesse entrado em sua vida você seria feliz agora.

Bella negou com a cabeça.

- Não diga isso. Eu fui feliz ao seu lado... – Ela se ajoelhou entre minhas pernas – Não gosto de imaginar como teria sido minha vida sem você. E Anthony? Ele não existiria se o que você disse fosse verdade.

Torci os lábios. Porque ela sempre tinha razão?!

- Me diga, porque estamos aqui? – Perguntei, colocando uma mecha de seu cabelo para trás.

- É você quem devia me responder isso. – Isabella rolou os olhos, rindo. – Mas de certa forma esse lugar é especial para mim.

- Por quê?

- Foi aqui que eu beijei o cara mais lindo da universidade.

Revirei os olhos.

- Mas me diga... – Abri mais minhas pernas e enlacei sua cintura, trazendo-a para mais perto de mim. – Você gostaria de repetir aquele beijo?

- Muito. – Ela mordeu os lábios – Mas não sou eu quem decide, o sonho é seu.

- Vamos fingir que esse é o nosso primeiro beijo... – Sussurrei deslizando meus dedos por suas costas – E eu sou o cara apaixonado pela garota mais linda do mundo.

Isa trouxe seu rosto para mais perto do meu, roçando nossos lábios. Embolei meus dedos em seus cabelos e fechei os olhos. A ponta de sua língua contornou minha boca pedindo espaço. Eu a suguei.

Não consegui conter um gemido, nem ela.

Suas pequenas mãos agarraram meus cabelos, puxando-os.

Como eu amava aquilo, como eu amava ela...

Desci minhas mãos para sua cintura e a puxei para meu colo, fazendo suas pernas abrirem ao redor do meu quadril.

- Eu te amo... – Sussurrei com os lábios sobre os dela.

- Eu também Edward, sempre irei te amar.

Colei minha testa na sua apreciando a maravilhosa sensação que seus dedos me causavam ao acariciar meu coro cabeludo.

- O sonho é meu certo? – Voltei a perguntar, ela sorriu e assentiu. – Então posso fazer o que quiser?

- O que você quiser.

Beijei seu pescoço, sentindo-a se arrepiar.

- Deixe-me Te amar... – Pedi subindo meus beijos para sua orelha.

Ela suspirou pressionando seu quadril contra o meu.

- O sonho é seu meu anjo.

Ri baixinho e me afastei dela.

- Isso não seria pecado né? – Mordi os lábios pegando a barra do seu vestido e começando a retirá-lo. – Bom, se for, é apenas mais um para a minha enorme lista de pecados já cometidos. Só que desse eu não irei me arrepender. – Olhei ao redor e vi que não tinha mais ninguém – Erga os braços amor. – Ela obedeceu. Tirei a peça do seu corpo e suspirei – No céu não se usa roupa intima?

- Edward, fique caladinho... – Ela ordenou sorrindo.

- Quer que eu peça um vinho a minha consciência?

- Edward...

- 0k, eu parei. – Suas mãos desabotoaram minha camisa com uma incrível habilidade. – Espero que não esteja fazendo isso por ai... Entrando no sonho dos outros e os despindo. – Ela me ignorou, estava concentrada demais no que estava fazendo.

Isa levou minha camisa ao seu rosto e a cheirou. Retirei a peça de sua mão e a abri no chão.

Deitei Bella ali. Seus cabelos se espalharam sobre o branco fazendo um belo contraste.

Com suas pernas prendidas ao redor do meu corpo eu me deitei sobre ela, voltando a beijá-la.

Meus lábios passaram por todos os cantos do seu corpo, arrancando suspiros e gemidos de Isabella. Talvez aquela fosse nossa ultima vez eu não sabia se voltaria a sonhar com ela... Restava-me apenas desfrutar e amar a mulher sob meu corpo.

- Eu te amo... – Sussurrei. Completamente nu, me posicionei entre suas pernas. Ela me olhou sorrindo e eu não pude evitar retribuir ao sorriso. – Precisamos de camisinha? – Brinquei, fazendo-a rir de novo. Com uma delicadeza sobrenatural, segurei sua cintura e aos poucos deixei meu membro se afundar dentro dela. Isa jogou a cabeça para trás, fechando os olhos. – Não amor, abra os olhos – Sussurrei com certa dificuldade, imediatamente ela fez o que eu pedi – Quero ver o prazer de ser amada pela primeira vez em seus olhos e me lembrar disso para sempre, me lembrar que fui capaz de te amar, mesmo que tenha sido apenas uma vez.

- Edward. – Ela arqueou as costas, pedindo por mais. – Por favor...

- Shhh... – Beijei sua boca deslocando meu quadril lentamente – Apenas sinta meu amor por você.

Os belos olhos se reviraram de prazer.

Gemi alto quando suas unhas arranharam-me desde os ombros até a base de minhas costas, aquilo realmente doeu, mas eu não estava me importando muito com isso. A emoção de tê-la novamente em meus braços... Não existem palavras para explicar.

- Eu amo você.

- Eu amo muito, muito mais.

O corpo quente e delicado de Isabella teve alguns espasmos, ela tremia em meus braços e seus gemidos tornaram-se mais alto do que antes. Ela havia chegado ao orgasmo.

Meu corpo mole desabou sobre o dela depois de também ter alcançando o meu ápice.

Fechei meus olhos e esperei até que minha respiração voltasse ao normal.

- É tão bom ser amada...

Ergui os olhos para olhá-la.

- É tão bom amar... – Sussurrei, mas logo ficamos novamente em silêncio e eu o quebrei. - Volta para mim amor, eu juro, juro que não irei errar novamente.

- Eu adoraria... Mas não posso, não agora. – Algumas lágrimas escorreram de seus olhos – Meu maior desejo era poder viver ao seu lado e ao de Anthony, sabe... Acompanhar o crescimento dele, poder levá-lo ao primeiro dia na escola, cuidar dele caso ficasse doente e até mesmo conversar sobre sexo quando ele arrumasse sua primeira namorada. Mas eu realmente não posso... – Um soluço escapou dos lábios dela. – Eu gostaria de passar o resto da minha vida com vocês, mas infelizmente minha hora chegou. – Bella sorriu, alisando meus cabelos. – Não se culpe meu amor, a culpa não é sua, nunca foi e nunca será.

- É difícil.

- Eu sei, mas quando se sentir culpado pense em mim. – Ela se inclinou colando nossos lábios – Pode ter certeza que estarei cuidando de vocês, sempre. Agora você precisa voltar.

- O que? Não! Por quê? – Me sentei.

- Nosso menino precisa de você. – Ela também se sentou e me abraçou – Você está sendo um ótimo pai. Quem diria... Edward Cullen trocando fraudas e passando a noite acordado.

Rimos juntos.

- Bom, tive que me tornar um cara responsável para cuidar do meu filho, que é uma parte minha e sua.

- Obrigada.

- É apenas minha obrigação e dever.

- Ele vai se tornar um homem incrível, igual a você. Agora vem cá... – Isa me puxou pelo rosto, colando nossas bocas – Você precisa ir.

- Quando volto a te ver? – Colei minha testa na dela.

- Não sei... Pode ser amanhã, semana que vem, ano que vem ou nunca mais.

- Vou ficar com o amanhã, a semana que vem e até mesmo o ano que vem, mas o nunca eu vou fingir que não ouvi.

- Eu te amo Edward. – Sua boca grudou em meu pescoço e, me surpreendendo, ela deu um chupão ali – Sempre tive vontade de fazer isso.

Ri fazendo o mesmo com ela.

- Você não imagina o quanto eu te amo Isa.

Colei nossas bocas.

- Adeus amor... – Ela sorriu – Edward, você acredita que depois que morremos voltamos em outro corpo?

Estranhamente estávamos de pé e já vestidos, tentei voltar até ela, mas parecia que algo me puxava na direção oposto a que ela era puxada.

Tudo ficou embaçado. As últimas coisas que vi foi seu sorriso e logo depois a escuridão.

E aquela pergunta dela rodava minha cabeça.


- Edward...

Abri os olhos, sentando-me ofegante. Olhei ao redor buscando por Bella, mas eu já não estava mais no parque e ela não estava ali.

Senti uma mão em meu ombro. Fechei os olhos e girei a cabeça. Quando abri os olhos posso dizer que senti uma leve decepção.

Não era minha Isabella ali tocando meu ombro, mas sim minha mãe.

- Sim mãe?

Elizabeth me olhou preocupada.

- Você estava se remexendo na cama, não ouviu Anthony chorando?

- Não. – Neguei com a cabeça. – Ele está bem? Espera! Como ele foi parar lá? Ele estava aqui comigo eu acordei de noite com ele chorando e...

Minha mãe me olhou rindo.

- Você deve ter colocado ele lá e não se lembra. E Sim ele está ótimo, sorrindo no berço, como sempre. – Minha mãe apertou uma mão na outra – Bom,vou descer para arrumar o café dos dois, tome um banho e desça.

- Mãe? – Antes que ela saísse do quarto eu me levantei indo até ela e a abraçando – Eu te amo.

Uma coisa que aprendi com Bella é que devíamos perdoar, mesmo que o que a pessoa perdoada tenha lhe feito algo horrendo.

Só alguém que foi perdoado sabe como é a sensação de paz que desce a nosso corpo quando ouvimos aquelas três palavras.

Bella me perdoou. E eu senti a tal paz quando ela proferiu as três palavrinhas... “Eu te perdôo”

As magoas vão sim ficar para sempre em nossa cabeça, mas o ódio... Bom, o ódio deixara de habitar meu coração. E a magoa é fácil superar quando se tem pessoas que realmente te amam.

Talvez várias pessoas não entendam o porquê de eu ter perdoa minha mãe, mas é isso é porque elas nunca precisaram ser perdoadas, talvez quando isso as aconteça realmente irão entender o verdadeiro sentido da palavra PERDÃO.

Três palavras tão curtas, mas com um significado tão grande... que podem mudar a vida de muitas pessoas.

Caminhei até o berço de Anthony observando-o. Ele sorriu para mim, mas logo desviou os olhos para o meu lado direito.

Olhei para o lado e não havia ninguém.

- Ela está aqui não é? – Sorri tocando a ponta do seu nariz – Tenho certeza que ela sempre vai estar. Diga a ela que eu a amo. – Inclinei-me, colando minha boca em sua bochecha – Papai vai tomar um banho, tenho certeza que ficara bem.

Segui para o banheiro e me despi. Quando estava indo para o Box vi meu reflexo no espelho. Aproximei-me dele, fixando meus olhos na marca roxa em meu pescoço.

Ri.

É. Aquilo havia sido um sonho muito real e eu só esperar ter mais desses.

[N/A: Eu ia finalizar a fic aqui, mas uma idéia absurda veio em minha cabeça].


 Quatro Meses Depois...
New York - EUA


Afrouxei minha gravata e deixei meu corpo relaxar na cadeira. Eu estava exausto, hoje definitivamente não era um dos meus melhores dias. Isa completaria 26 anos hoje e aquele sentimento de culpa ainda me atormentava.

Meu celular começou a vibrar sobre a mesa, eu o peguei afoito quando vi o numero de casa no visor.

- Alô? – Atendi.

- Edward, sou eu querido...

- Mãe? Algum problema? – Me levantei da cadeira – Aconteceu algo com Anthony? Ele está bem? Droga Elizabeth, responda!

- Ei calma. – Ela riu do outro lado da linha – O pequeno está bem.

- Então porque está ligando? – Franzi a testa.

 - É Rosalie querido, já está em casa, podemos ir visitá-la.

- Ah, que ótimo. – Suspirei mais aliviado. – Estou indo para casa.

- Tudo bem.

Desliguei o celular sorrindo. Quase três meses depois de Bella ter nos deixado Rosalie anunciou sua segunda gravidez de mais uma menininha, Emmett não se agüentou de felicidade.

Devo confessar que senti um pouco de inveja deles, afinal, eles ainda estavam juntos, tinham um ao outro e poderiam ter vários filhos ainda, quanto a mim... Bom, eu só tinha Anthony.

[...]

- Emmett. – Sorri para meu amigo.

- Vieram conhecer nossa menininha?

- Sem duvida. – Suspirei, tentando sorrir.

- Cara, estou tão feliz... – Ele pulou no mesmo lugar e cutucou Anthony que riu em meu colo – Vem conhecer sua afilhada mano.

Fomos todos para o andar de cima. Emmett nos guiou até seu quarto.

- Boa tarde. – Rosalie nos cumprimentou assim que entramos.

- Boa tarde querida.

- Rose. – Acenei com a cabeça e me aproximei da cama para observar melhor minha afilhada.

- Dê oi para seu padrinho Isabel.

Vacilei um pouco ao ouvir o nome da pequena menininha.  Emmett havia me contado e eu fiquei emocionado quando soube, mas devo dizer que no fundo, eu ainda me sentia muito culpado pelo o que aconteceu com a minha Isa, só de saber que tudo poderia ter sido diferente... Que eu ainda poderia tê-la ao meu lado...

- Sente-se ao lado da sua tia f Ilho... – O coloquei ao lado de Rosalie – Posso segura-la?

- Cuidado para não deixá-la cair.

Olhei para Emmett e rolei os olhos.

- Você está falando com um especialista. – Apontei para Anthony que olhava a prima com atenção.

- Pegue-a. – Rose me passou a pequenina que estava enrolada em um cobertor rosa.

- Oi princesa... – Sussurrei, beijando os cabelos loiros dela. – Você é muito linda...

- Se esqueceu de quem ela é filha? – Emmett abraçou meu ombro e sorriu como bobo. – Você precisa ver os olhinhos dela...

- Emmett. – Rosalie suspirou. – Ela acabou de dormir.

- Mas Edward precisa ver. - Meu amigo tocou a bochecha de Isabel – São idênticos ao de Bella.

- Bella? – Olhei para Emmett.

- Sim, minha irmã.

Meu coração disparou, voltei a olhar para minha afilhada e todo meu corpo tremeu.

Isabel estava agora com os olhos de aberto... Era impossível não dizer que não eram os olhos da minha Isa.

Os olhos castanhos...

Os olhos da mulher que eu ainda amava.

- Bom, deu minha hora. – Rapidamente a passei para Emmett e peguei Anthony dos braços de Rosalie. – Mãe se quiser pode ficar, eu passo aqui e te pego depois.

- Eu vou com você.

- Edward você acabou de chegar.

 - Me desculpa Emmett. Eu... Eu... – Balancei a cabeça. – Eu preciso ir.

Sai dali e fui para o carro. Coloquei Anthony no banquinho, assumi o volante e encostei minha testa ali.

Fechei os olhos deixando as lágrimas escorreram por meu rosto.

Nem o tempo seria capaz de fazer com que as feridas em meu peito se cicatrizassem, mas eu não queria que aquela dor sumisse, pois ela era o que me fazia lembrar Isa.

A porta do carro abriu. Endireitei-me no banco e passei a mão por meu rosto, enxugando minhas lágrimas.

- Filho...

- Agora não mãe. - Implorei. Elizabeth assentiu trazendo sua mão até meu cabelo e afagando.

Respirei fundo. Rodei a chave e pisei fundo.

Eu precisava sair dali.

Aquela garotinha...

Aqueles olhos...

Droga!


17 Anos Depois...
New York - EUA


Olhei no meu relógio apreensivo. Eu já devia estar em casa há horas.

Retirei meu celular do bolso enquanto caminhava pelo estacionamento da empresa.

- Pai? – Anthony atendeu – Onde você está?

- Fiquei preso em uma reunião filho. – Suspirei. – Seu tio já chegou?

- Estão todos aqui.

- Estarei ai logo.

- Tudo bem pai, até daqui a pouco.

Dirigi para casa o mais rápido que pude. Vários carros estavam estacionados próximos a minha casa. Meus pais, Alice, Jasper, Annie, Thony e sua namorada. Todos estavam ali para rever Emmett, Rosalie, Julie e Isabel.

Há cinco anos eles havia se mudado e desde então não nos víamos mais, apenas nos falavamos por e-mail e telefone. Agora, minha afilhada estava pronta para ingressar na faculdade, como Emmett e Rosalie não puderam se mudar para cá ofereci minha casa para a garota ficar. Afinal, eu tinha um filho de 19 anos, não seria tão difícil cuidar dela.

Abri a porta de casa.

- Desculpem o atraso!

- Edward! – Emmett se levantou do sofá sorrindo – Cara quanto tempo.

- Pois é. – Me aproximei dele, abraçando-o – Droga devo estar todo suado.

- Urgh! – Emm me empurrou rindo.

- Edward.

- Rose. – Abracei Rosalie e Julie. – Fiquem a vontade. – Sorri para meus pais que também estavam ali – Vou subir, tomar um banho e desço.

- Fique tranqüilo filho, o jantar nem está pronto ainda.

 - É pai, eu fico aqui, depois subo para te chamar.

Olhei pela sala e franzi a testa.

- Onde está Isabel?

- Eu a levei até o quarto onde ela vai ficar. – Thony deu de ombros – Ela aproveitou sua ausência para desfazer a mala.

- Certo.

- Vou subir então.

 - Edward... – Emmett segurou meu braço – Depois podemos conversar? A sós?

- Claro. – Dei de ombros.

Eu já imaginava que aquilo ia acontecer. Emm viria me dizer quais regras impor a minha afilhada. Eu já até imaginava o que ele ia dizer... “Nada de chegar depois das 23h00min”, “Nada de garotos”, “Nada de chocolate antes das refeições”, “lembrá-la de escovar os dentes”. Afinal, Isabel ainda era uma menininha.

Lembro-me dos anos em que ela ainda morava aqui em Nova York. Eu sempre pegava ela e Anthony e os levava ao parque... de uma forma estranha, a presença dela me deixava calmo, principalmente quando eu encarava seus pequenos olhos e via ali os olhos da minha Bella.

Subi para o andar de cima, fui para meu quarto e entrei no banheiro despido.

Todo meu corpo relaxou contra a água quente.

Não demorei muito, logo sai do banheiro enrolado em uma toalha. Nesse instante alguém bateu na porta, eu a abri.

- Tio!

Dei um passo para trás enquanto tentava fazer meu cérebro funcionar.

- Isabella?

- Tira o “a”. – A garota loira riu – Sou eu padrinho, Isabel.


- Impossível... – Murmurei incrédulo. Aquela não podia ser Isabel, aquela era... Era minha Isabella, só que loira.

- Tia Esme disse a mesma coisa. – A garota riu – Cresci rápido né?

- Muito. – Corri meus olhos pelo corpo dela. – Isabel, eu... – Passei a mão pela testa, tentando raciocinar – Preciso trocar de roupa.

- Ok, só vim aqui porque meu pai pediu para que eu viesse te chamar pois a mesa já está sendo posta.

- Tudo... Tudo bem.

Dei mais uma olhada para ela, sentindo meu coração acelerado dentro do meu peito.

Quando tentei fechar a porta, sua mão a travou.

- Já que vamos morar juntos... – Ela voltou a abrir a porta – Odeio que me chamem de Isabel, prefiro Isa.

Rapidamente fechei a porta e me encostei nela, sentindo meus olhos arderem.

Lembrei-me do único sonho que tive com minha Isa e do que ela me perguntou...

Edward, você acredita que depois que morremos voltamos em outro corpo?”

Ela havia voltado para mim, mas dessa vez eu não iria me deixar levar, não, eu não podia... Eu não seria capaz de me envolver com ela novamente.


N/A: Então? O que acham de uma pequena continuaçãozinha? HAHA.
Tenho ótimas noticias para vocês, tive um surto de inspiração e uma ideia legal surgiu em minha cabeça... O EPILOGO (FINAL FELIZ) vai ter bonus  (: Aguardem...

COMENTEM SEM MODERAÇÃO HAHAHA

12 comentários:

Izah disse...

Sinceramente achei que ia ser suuuuper deprê, mas foi bem suave perto do que pensei que seria.
Concerteza merece o final alternativo merece uma continuaçãozinha, considere um bônus merecido a suas leitoras que não te abandonaram.
Muito boa a fic, e espero que você post o bônus do final feliz
... A escolha esta em seus dedinhos rs :D

Liihbomfim disse...

Aiin Caah, choreei nesse... Pensei q seria mais "pesado" Depre e td mais, mas foi tãao fofo..
Claroo eu voto 100 vezes na Contitnuaçãozinha .-.

Vanessa Ruguê disse...

sou a favor de vc fazer uma fanfic baseado nesse epilogo "triste" adorei UHASJHAUSHJAHUSHJA

♥nanah♥ disse...

Fofo&Triste,
Não tem palavras para descrever o capitulo.Caah fim nãão.
Faz uma fic com eles ,
Amei,Amei,Amei.

Anônimo disse...

maravilhoso,excelente como sempre!
oba ,mais mais mais ,please ,posta logo a continuação......please

dhêê disse...

gosteiii, mas ainda é prefiro ele com a bella.
estou super ansiosa pra saber a continuação.
beiijoss

evelyn caroline disse...

Nossa... Achei muito lindo! Essa fic realmente faz meus olhos se encherem d'água; Amei saber que vai ter bônus do final feliz *-* Estarei aqui pra ver!

Anônimo disse...

adorei queria uma fic dessa pra continuar!

Nanabella disse...

Amei ficou muito bom
to ansiosa por mais rsrsr
Bjinhos S2

Zenilda disse...

Nossa!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Estou simplesmente, encantada, e maravilhada....
A fic em si foi muito forte em varios pontos, em compensação o final foi surpreendente, como vou dizer isso, deixa eu ver........
Você foi inacreditável, foi incrível, foi maravilhosa, foi única.............
Parabéns querida você merece pelo trabalho lindo que fez pra gente, eu ia dizer pra mim, mas sei que se fosse o caso seria lindo do mesmo jeito....Então parabéns, parabéns, parabéns, parabéns.................
beijusss flor

Anônimo disse...

Ah adorei muito a fic, parabéns!! E gostei muito dos dois finais!!
Ahhh gostei muito da bella ter voltado com Isabel
ah please!! merece mais um bonus de edward e isabel ne!
:D

Carollyne disse...

ahuahuahuahuahuahuahuahuahauh continuaaaaaaaaa simmm mulheeeeeeee ahahahahahaha choreii mttt

Postar um comentário