Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

22/03/2011

Isabella Swan, Minha Perdição - Capitulo Unico.


One-shot – Isabella Swan, Minha Perdição
  
Capitulo Único.

Era mais um dia como todos os outros. Edward estava debaixo de um carro, tentando descobrir qual era o problema do veiculo, vestindo aquele macacão azul todo manchado de graxa e cheirando a óleo.

Tinha 25 anos e sua paixão eram os carros. Ele não trabalhava de mecânico porque precisava, mas sim porque gostava. Sua família era uma das mais ricas de Washington, seu pai médico, sua mãe arquiteta, também havia sua irmã Alice, uma menina-mulher super hiperativa que agora estava casada e acabara de se formar em moda.


Casamento.

Edward nunca achou uma mulher com o perfil para ser sua pelo resto da vida. Mas nunca desistiria, sabia que tudo tinha seu tempo.

- Droga... – Resmungou quando percebeu que havia esquecido sua chave de fenda na caixa. Apoiou os pés no chão, impulsando seu velho rolimã a escorregar, saindo de baixo do carro. Mas o que não esperava era parar ao lado de uma sandália branca.

Edward conhecia bem aquele pé. Aos poucos seus olhos foram subindo. Primeiro pelo tornozelo, depois a panturrilha e a coxa grande.

- Oi Edward...

A voz doce e sexy de Isabella fez com que ele se arrepiasse. Aquela mulher era uma perdição, ou melhor, sua perdição. Surpreendendo o mecânico, a mulher passou uma perna de cada lado de sua cabeça e porra... ela estava... sem... calcinha.

- Deus... – Edward fechou os olhos agarrando o pára-choque do carro e se arrastando novamente para de baixo do automóvel.

Droga, aquela mulher não desistia? Edward já havia caído na tentação uma vez, aquilo não poderia acontecer de novo... era errado...

- Ei...

Isabella abaixou-se, segurando a perna do mecânico, puxando-o lá debaixo.

- Estou ocupado... – Resmungou ele, querendo bater a cabeça no chão até desmaiar.

- Tudo bem, não tenho pressa. – Deu de ombros caminhando até o sofá marrom que havia no canto da oficina e se sentando lá – Eu espero.

Edward observou ela caminhar com aquele vestido justo subindo, quase mostrando seu útero.

Suspirou frustrado.

Tudo bem que sua vontade era ir até ela, deixá-la nua e unir seu corpo ao dela, como fizeram da ultima vez em que ela veio trocar o óleo, do carro.

Mas sua cabeça, a de cima, dizia que aquilo era errado, que Edward não podia tomar aquela morena gostosa nos braços. Ela era noiva de Jacob Black, um dos advogados mais renomeados da cidade.

Mas sua cabeça, a de baixo, bem... ela não pensava, apenas queria agir por impulso.

Isabella não tinha duas cabeças para pensar, mas a única que tinha pensava em varias coisas ao mesmo tempo, como por exemplo, arrancar aquele macacão azul e sentir sua pele em contato com a do seu mecânico gostoso.

Gemeu baixinho, ao se lembrar da ultima vez em que veio trocar o óleo – que não precisava ser trocado.


Flash Back On

Umas das mãos fortes e quentes do seu mecânico apertavam sua coxa, levando a morena ao delírio.

Céus, ela sempre teve fetiches com um mecânico, mas esse... Oh Deus, a tirava do serio.

Enquanto Edward a prensava contra o capo de seu carro e estocava cada vez mais forte, Isabella desalinhava aqueles cabelos já desalinhados naturalmente.

A boca do mecânico buscou a dela e suas línguas se entrelaçaram. Não demorou muito para que eles alcançassem o orgasmo.


Flash Back OFF


Isabella, agora observava Edward limpando as mãos em um pano. Era insano desejar um homem que ela mal conhecia, mas só o olhar dele já a deixava toda molhada.

Ok, era tortura demais estar ali, tão perto e não tocá-lo.

Edward petrificou quando virou-se na direção onde Isabella estava e a viu tirando o vestido. A morena usava apenas um espartilho preto.

Era a visão dos Deuses!

- Sra. Swan se vista, alguém pode aparecer e vê-la assim.

Ela mordeu os lábios aproximando de sua presa. Espalmou sua pequena e delicada mão no peito músculo e forte de Edward, os dedos dela abriam os botões do macacão azul, revelando o peito nu do mecânico.

- Não me chame de Sra... – Ela mordiscou a orelha do rapaz enquanto sussurrava – Bom, acho que já está na hora de você fechar para o almoço querido.

- N-não estou com fome. – Murmurou ele um tanto embriagado.

Isabella revirou os olhos rindo. Colocou sua mão dentro do macacão, escorregando pela barriga sarada de Edward, até o cós de sua cueca.

- Eu sei querido, mas não digo nesse sentido... – A língua dela contornou a orelha de Edward – Foi apenas uma indireta, hoje, eu sou sua comida.

Tudo bem que ele sabia que aquilo era errado, mas quem resiste?

- Mulher... – Gemeu, apertando a cintura fina e delicada de sua perdição – O que você quer de mim?

- Gato, você está tão lerdo hoje... – As mãos dela já retiravam os braços de Edward para fora do macacão – Eu quero tantas coisas, mas me contendo tendo você gostoso.

O mecânico a pegou pela cintura, carregando-a até o sofá. Seu juízo já tinha ido para o inferno, onde, sem duvida, quando morresse também iria. Pegando a mulher de outro...

Mas naquele momento, nada mais importava.

Agarrou os cabelos de Isabella ouvindo-a gemer.

Sempre foi delicado e carinhoso com as mulheres, mas essa mulher conseguia fazer com que ele se desconcentrasse.

Isabella sorria, havia conseguido fazer com que aquele homem perdesse o controle.

As mãos grandes desamarravam os laços que prendiam o espartilho. Não demorou muito para que ela estivesse nua e os lábios do mecânico percorresse o corpo dela.

Edward sabia do que ela gostava, toda mulher gostava, então desceu sua boca para a barriga lisa de Isabella contornando seu umbigo com a ponta da língua. Sentiu a morena estremecer e puxar seus cabelos.

Levou uma de suas mãos ao centro dela, roçando seus dedos em sua entrada. Isabella arqueou as contas, ansiando pelo toque, que não aconteceu.

- Onde pensa que está indo? – Ela quase gritou quando sentiu o corpo daquele homem se distanciando do seu.

- Fechar as portas para o almoço. – Lambeu os lábios – Estou faminto.

Isabella se permitiu relaxar no sofá.

O mecânico saiu daquele pequeno cômodo e foi para a parte da frente fechando as portas. Voltou até onde havia deixado Srta Swan. Enquanto andava até o sofá retirou o macacão, ficando apenas com sua cueca boxer preta. Isabella apoiou-se nos cotovelos para admirá-lo.

O mecânico se aproximou mais. Pegou a perna da morena e trilhou beijos até chegar a sua sandália e retira-la, fez o mesmo com a outra. Ajoelhou-se entre as pernas de Isabella e a arreganhou olhando aquela coisa deliciosa, apertada e toda molhada. Não resistindo abaixou-se passando a língua naqueles lábios grandes.

- Porra...

Os dentes dele mordiscavam-na, depois a chupava. Isabella já estava sem ar, quase perdeu os sentidos quando a língua quente a penetrava. Ela não agüentou muito, gozou na boca do mecânico.

Ele a sugou até a última gota. Depois subiu por seu corpo até encontrar os lábios quentes e úmidos de Isabella.

- Gostoso... – Ela sussurrou entre o beijo, apertando-o os ombros de Edward – Vem logo...

As línguas se entrelaçavam, buscando uma a outra. Impaciente, a morena levou sua mão ao membro grande e pulsante de Edward.

- Aperta mais... – Ele implorou. Sentou-se no sofá e a trouxe junto, livrou-se de sua cueca deixando seu membro livre. A morena não demorou muito para abocanhar aquele pau suculento. Edward levou uma mão aos cabelos dela, ajudando-a nos movimentos, com a outra mão apertava aquela bunda e dava leves tapas em sua boceta, excitando-a.

Quando sentiu que estava pronto para gozar afastou Isabella, a pegou no colo levantando-se.

Enquanto o mecânico caminhava Isabella se concentrava-se no pescoço dele, lambendo e sugando. Sentiu ele parando, afastou-se um pouco vendo-o pegar uma camisinha na gaveta da mesa.

Ela gemeu quando notou que ele a carregava de novo, só que agora em direção a um carro preto. Ele a deitou no capô, abriu a camisinha deslizando-a por seu pau duro. Se estimulou por alguns segundos, enquanto fitava a morena nua sob o capo do carro.

Carros já eram sua paixão, e com Isabella encima...

Avançou sobre ela colocando as pernas dela em sua cintura. Segurou seu quadril penetrando-a de uma só vez.

- Deus! – A morena apoiou as mãos no capô, jogou a cabeça para trás revirando os olhos.

- Tão... apertada.

Edward se esforçava para entrar naquela passagem tão estreita. Isabella mordeu os lábios voltando a olhar para o rapaz que agora estocava com força e agilidade. Ele estava olhando para os seios dela que saltavam.

- Edward... oh... – Ela gritou rebolando – Mais...

- Isabella...

- Bella! – Corrigiu gemendo – Me chame de... Bella... Oh Senhor!

Seus corpos suavam, naquela oficina apenas se ouvia os gemidos e o atrito dos dois corpos se chocando, um som molhado, um som excitante. O cheiro de graxa e óleo que exalava do mecânico só serviam para atiçar mais os desejos de Isabella.

Não agüentaram mais, e atingiram o ápice.






Edward a abraçou, esperando sua respiração voltar ao normal.

Bella fechou os olhos e deitou sua cabeça no ombro do mecânico. Não sabia ao certo o que dizer. Sentiu um vazio quando Edward saiu de dentro dela, mas logo seus braços a rodearam, carregando-a de volta para o sofá.

Edward retirou a camisinha, amarrou e a arremessou dentro da lata de lixo, fazendo Bella rir sob ele.

- Sou bom de mira. – Se gabou.

- Percebi. – Ela sorriu, emaranhando seus dedos nos cabelos sedosos de Edward.

O silêncio pairou entre os dois. Ficaram apenas se olhando.

- Eu preciso ir... – A morena sussurrou contornando o queixo de Edward com a ponta dos dedos – Hoje é minha ultima prova de vestido.

O mecânico, automaticamente, saiu de cima dela, sentando-se na beira do sofá.

Ela ia se casar.

Ela ia se casar.

Ela ia se casar.

Ela ia se casar.

A realidade gritava em sua cabeça. Passou a mão pelos cabelos, apertando-os.

- Tudo bem.

Bella também se sentou, beijando o braço dele.

- Meu casamento é daqui alguns dias...

- Hum... legal.

As pequenas mãos de Isabella seguraram o rosto de Edward.

- Eu não queria que isso acabasse.

- Eu também não, mas você vai se casar... – Edward coçou a barba mal feita, que o deixava mais sexy – Mas ainda poderemos nos ver, sabe, como amigos, eu ainda posso concertar seu carro e...

- Não. – Ela negou – Eu vou me mudar.

- O... o que?

Era visível a tristeza e a surpresa nos olhos verdes de Edward.

- Jacob. Ele recebeu uma oferta de trabalho em Londres, já está tudo certo.

Londres... Londres... Londres...

Tão longe.

Edward tentou disfarçar sua insatisfação.

- Que... legal. – Deu um sorriso amarelo – Mas fique tranqüila, por lá deve ter muitos mecânicos.

Mas eles não são você, Isabella pensou em responder, mas preferiu guardar para ela mesma, assim não tornaria as coisas mais difíceis. Então, ela se sentou no colo dele e o abraçou com força, deitando sua cabeça nos ombros largos.

Edward tirou o rosto da morena de seu ombro e trouxe para o seu. Ele sabia que aquela, era a ultima vez que sentiria os lábios quente de sua cliente. Ficaram se beijando por mais alguns minutos, até que Bella saiu do colo dele. O mecânico a observou colocar o espartilho preto, as sandálias e o vestido. Ele colocou apenas sua cueca e levantou-se.

- Bom... – Edward apertou as próprias mãos, como uma criança tímida e nervosa – Acho que então... – Deu de ombros tentando procurar palavras – Adeus?

- É. – Ela se aproximou, beijando suas bochechas – Foi um enorme prazer conhecê-lo.

Ele assentiu, enquanto todo o seu corpo tremia pelo contato.

Isabella virou-se para sair dali, mas foi segurada pelo pulso.

- É... – Ele pigarreou, tentando, estupidamente, esconder a vontade de chorar. Ele parecia um adolescente que acabava de perder seu primeiro amor – Se você quiser vir me visitar, sempre estarei aqui.

Mal sabia ele que Bella fazia o mesmo esforço para não chorar.

Era estranho. Duas pessoas que mal se conheciam, estavam agora se contendo para não chorar. Mas porque essa vontade tola de chorar? Era como se eles se conhecem há tempos e estivessem sendo separados, mas não era isso. Cada um tinha sua vida. Isabella iria se casar e Edward, bem, ele estava confuso demais sobre o seu futuro. Por um segundo visualizou ele esperando Isabella no altar, não Jacob. Ele dizendo sim, não Jacob. Ele a beijando, não Jacob. Ela e ele, não ela e Jacob.

Bella o abraçou, depois saiu dali sem olhar para trás.

Edward pegou a primeira ferramenta que viu e atirou contra a parede.

E assim passou dois dias. O mecânico não abriu a oficina, estava cansado demais. Nos jornais, via manchetes sobre o casamento de Jacob Black, enfim, o melhor advogado de Washington estava se casando.

Edward rasgou o jornal, assim como todos os outros que via.

Deitou-se no pequeno sofá, olhando o teto.

Do outro lado da cidade, a morena se encontrava debaixo das cobertas. Ela estava tão confusa, há 2 meses tinha certeza que era Jacob o homem com quem queria passar sua vida, mas agora... depois de ter provado o mecânico...

Suspirou exasperada. Descobriu a cabeça e fitou o teto.

A porta de seu quarto abriu, e por ela passou Renée.

- Mãe? – Bella sentou-se – O que está fazendo aqui? Como entrou?

- Jacob me ligou, disse que você estava estranha. – Ela se aproximou, sentando na cama.

Isabella deitou a cabeça no colo da mãe.

- Não sei o que está acontecendo comigo... – Confessou.

- Está em duvida? – Renée acariciou os cabelos da filha.

- Sim... não... quer dizer, eu não sei exatamente.

- Minha filha, isso é natural. Você vai se casar amanhã. Jacob é o homem perfeito para você, ele é um ótimo rapaz e será um pai maravilhoso para os seus filhos.

- Eu sei. – Isabella fechou os olhos. – Mas e se isso for um erro?

- Erro?

- Sim, Casar com Jacob...

- Eu já passei pelo que você está passando, eu também fiquei insegura sobre seu pai, mas depois, bem, depois percebi o quão boba estava sendo. Bella, você não vai encontrar outro como Jacob, não desperdice essa sorte que está tendo.

- Você... você tem razão mãe.

Bella se trocou. As duas saíram do quarto e foram para a sala. Jacob estava lá assistindo a um jogo de futebol americano.

- Bom... – Renée pigarreou – Vou indo embora, ainda preciso pegar meu vestido, até amanhã querida.

- Tchau mãe.

Depois que sua mãe foi embora ela sentou-se no sofá, ao lado de Jacob.

- Amor... – Ele sorriu, inclinando-se para colar os lábios nos dela.

Mas eles eram tão gélidos e duros... Não era o que ela desejava.

O rapaz forçou o corpo da morena a deitar-se no sofá, colocou-se sobre ela, aprofundando o beijo. As mãos ásperas caminhavam pela coxa de Isabella, erguendo sua camisola.

- Jacob – Ela o empurrou – Agora não, estou com dor de cabeça.

O rapaz saiu de cima dela. Ele sabia que algo estava diferente, ela nunca havia usado uma desculpa para não transar com ele.

[...]

Edward estava debruçado sobre o carro, conectando os cabos da bateria. Ele estava péssimo! Tudo estava saindo errado.

O motivo? Bem... Isabella se casava hoje.

Há essa hora a cerimônia já deve ter começado, Pensou ele.

Suspirou, voltando sua atenção ao trabalho.

Até o mesmo seu serviço – algo que gostava muito e que sempre o acalmava – não estava ajudando muito hoje.

Sobressaltou ao sentir mãos tapando seus olhos.

- Alice? – Indagou. Sua irmã sempre fazia isso.

- Oh, já tem outra cliente vip?

O mecânico soltou a chave que estava na mão e virou-se surpreso. Ali, na sua frente estava a morena que agora devia estar longe daqui.

- Bella, o que está fazendo aqui?

- Parece até que não gostou da minha visitinha.

Ela fez um lindo bico e deu um passo para trás, começando a desamarrar seu sobretudo.

- Eu... gostei, claro que gostei, mas... você não devia estar se casando?

A morena mordeu os lábios, deixando escorregar o sobretudo, revelando sua lingerie vermelha.

- Casada? Eu? Não! – Riu, se aproximando do mecânico. – Acha mesmo que eu ia casar com um cara e nunca mais poder trocar meu óleo com você? – A boca dela roçou na dele – Agora você terá que me aturar, quero ver sua chave filips todos os dias.

Edward riu da metáfora de Isabella. Não podia esconder a felicidade que transbordava por seus olhos.

- Rompeu mesmo com Jacob?

- Eu estou aqui não estou?

Ele apertou a cintura dela escorregando suas mãos para sua bunda, apertando-a. Mordeu o queixo da morena

- Bem, acho que estou mais para outro tipo de chave de fenda, a Filips é pequena e fina.

Bella gargalhou, enlaçou o pescoço do mecânico, pulando em seu colo.

- Acho que não tem chave grande e grossa o suficiente... – Mordeu os lábios pensativa – Mas o que importa? – Deu de ombros – Você pode fazer um check up em mim?

- Sem duvida.

FIM

Clique aqui para ler Extra I - Isabella Swan, Minha Perdição.

3 comentários:

eloah disse...

Caraca essa fic é um maximo adorei essa Bella danadinha tarada pelo Ed mecanico.
kkkkkkkk
Adororando suas fics.
Bjsss

Bex disse...

uiui...
que hot...
amei a fic..
muito bom, mesmo...
bjinhus

Zenilda disse...

oi linda.
eu já havia lido essa one no blog da Sandry.
eu até votei nela no concurso,pois tinha me apaixonado por ela...
muito linda mesmo voce esta de parabens
beijusss

Postar um comentário