Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

01/03/2011

I Never Told You - Capitulo 7


Capitulo 7 - É uma honra ser a primeira 


Entornei a porra da bebida que estava no copo.

- Edward, vai com calma. – Emmett puxou meu copo – É amanhã que você tem prova, certo?!

- Sim. – Respondi, sem tirar os olhos da maldita mulher que há dias dominava meus pensamentos, e que agora dançava com um cara na pista.

- Você está bem Edward?!

Desviei os olhos de Bella e encarei Rosalie.

- Melhor do que nunca.

- Será que agora Bella finalmente encontrou alguém?! – Emmett apontou para a irmã – Talvez ele a deixe mais calma, minha irmã anda tão estressada, isso é falta de sexo.

Eu posso acalmá-la.

Respondi mentalmente.

Bella e o cara que estava com ela se aproximaram e se sentaram.

Ele era feio, muito feio. Bella só poderia estar fazendo caridade ou algo do tipo.

Por qual outro motivo ela ia se engraçar com um cara feio como aquele.

- Não vai nos apresentar Bella. – Jasper perguntou rindo.

- Quem?!

- Seu... amigo?!.

- Ah, me desculpem. – Ela riu – Gente esse é o Kevin.

- Oi. – O cara feio sorriu.

- Sou Emmett, irmão de Bella.

Eu não podia acreditar, Emmett ia dar papo para o cara?!

Todos o cumprimentaram, exceto eu.

- E você?! – Kevin sorriu para mim e estendeu a mão.

Eu não a peguei.

- Ignore-o Kevin. – Bella me olhou – Edward tem distúrbios mentais.

Emmett riu.

O cara ainda mantinha a mão estendida. Para não me passar por mal educado, eu a apertei, apertei mesmo, com força.

Sim, eu era infantil.

- Sou Edward. – Soltei sua mão – E você Bella, sempre tão educada...

- Sempre querido.

Travei meu maxilar.

Kevin passou o braço ao redor de Bella e a puxou para mais perto de si.

Pela primeira vez naquela noite, o olhar de Bella se cruzou com o meu, mas ela logo os desviou.

Qual era a dela afinal?! Um dia me agarrava, no outro me batia, e agora me desprezava?!

E o que aquele cara tinha que eu não tinha?

Barba no rosto? Se esse for o problema, é fácil, eu deixo de me barbear.

Mas é obvio que não é isso, ela só está com ele para mostrar que não é de seu habito ficar com “garotos”.

Porra! Porque eu não desencanava daquela mulher?! O que tem nela, que faz com que todas outras ao seu redor não me interesse?!

Meus dedos apertaram a borda da mesa quando o cara colou os lábios no pescoço de Bella e subiu até sua orelha, sussurrando algo.

Bella mordeu os lábios, me olhou de relance e logo depois assentiu, colando sua boca na dele.

Meu estomago se revirou. Uma sensação estranha se apoderou de mim.

Pelo sorriso que surgiu nos lábios de Kevin eu podia imaginar o que estavam conversando.

Sexo.

Minha teoria ficou mais firme quando Bella pegou sua bolsa e os dois se levantaram.

- Bom, a noite está ótima, mas a gente já está indo.

- Já amiga? Mas acabamos de chegar...

- Sim Alice. – Bella sorriu – Kevin só vai ao banheiro. Tchau para todos.

- Foi um prazer conhecer você. – O idiota acenou – Espero revê-los em breve.

Eu até diria que foi um prazer conhecer ele, e que queria revelo... SE ELE NÃO TIVESSE PEGANDO A MINA QUE EU QUERO PEGAR.

- Tchau.

Rodei o copo na mesa e bufei.

Inveja? Sim.

Os dois saíram em direção ao banheiro. Alice me cotovelou.

- Porra. – Trinquei os dentes – Não estou com paciência.

- Edward, sua cara está péssima. – Ela sussurrou rindo.

- Por quê? Eu estou ótimo!

- Você é um péssimo mentiroso. – Revirou os olhos – E péssimo em fingir.

- Fica na sua Alice.

- Sabe, Kevin ainda deve estar no banheiro... a fila é grande.

Arqueei uma sobrancelha.

- E?!

- Se você for rápido, talvez consiga mudar os planos de Bella. Sabe, eu sou amiga dela e digo, você tem chances, mas precisa ser rápido.

Sorri tristonho.

- Ela não quer nada comigo.

- Isso é o que ela diz a você. – Alice mordeu os lábios. – Bella me confidencia tudo sabe... tudo o que pensa e sente... tudo mesmo.

- Eu já entendi. – Me levantei.

- Vai ao bar Edward?! – Emmett indagou.

- Aham.

- Traz uma Ice para mim?

- Sem duvida. – Sorri. – Jasper, vem comigo.

- Mas estou com a Alice...

- Jazz, vai com ele.

- Ok.

Ele se levantou e começou a caminhar na direção do bar, mas eu o puxei na direção contraria.

- Ei, o bar é ali.

- Eu sei. – Respirei fundo. Desvencilhei-me de umas pessoas que dançavam e olhei para o outro lado do salão. Bella e Kevin se agarravam próximo ao banheiro. Sim a fila estava grande. Virei-me para Jasper. – Você é forte?!

- Por quê?!

- Porra! – Grunhi – Consegui manter Kevin no banheiro?

Jasper riu.

- Deixa comigo.

- Ótimo. – Sorri. Virei-me para olhar Bella, e agora Kevin já entrava no banheiro. – Vai lá, tranque-o.

- Boa sorte. – Ele tocou meu ombro.

Jasper foi em direção ao banheiro masculino, ele passou por Bella sem ser notado. Perfeito.

Esfreguei uma mão na outra, agora era comigo.

Abri espaço entre as pessoas e quando estava perto o suficiente de Bella, agarrei seu braço e a puxei para um canto mais escuro, encostando-a na parede.

- SEU LOUCO, O QUE ACHA Q...

Antes que ela terminasse de me insultar, grudei meus lábios nos seus. Era nauseante saber que agora eu estava pegando baba do feioso, mas... Fazer o que?!

Tentei colocar minha língua em sua boca, porém, Bella teimosa como sempre, manteve os lábios fechados.

Encaixei meu rosto em seu ombro.

- Vamos lá Bella... – Sussurrei contra seu pescoço.

- Edward, não! – Ela me empurrou, dei um passo para trás, mas a trouxe junto comigo. – Eu estou com Kevin, ele deve estar me procurando, me solte!

- Kevin, Kevin, Kevin... – Cantarolei rolando os olhos.

Bella tentou escapar de meus braços, mas eu voltei a prendê-la entre meu corpo e a parede. Entrelacei meus dedos com os seus e abri seus braços na parede. Com Bella tão vulnerável, escorreguei meus lábios por seu pescoço, fazendo-a arfar.

- Droga garoto. – Ela ofegou – O que você quer de... mim?!

Tirei minha boca de sua pele para encará-la.

- Eu quero tanta coisa. – Rocei meus lábios nos seus. – Eu quero te beijar, te tocar... – Escorri meus dedos por sua bochecha. – Qual é Bella, me de uma chance?! Você não consegue notar que estou tentando mudar e que tudo isso é por você?


POV Bella


Droga. Aquele garoto só piorava as coisas. Quanto mais eu tentava me afastar, mais ele me perseguia.

- Eu quero tanta coisa. – Seus lábios roçaram nos meus. – Eu quero te beijar, te tocar... – As pontas de seus dedos correram por minha bochecha. – Qual é Bella, me de uma chance?! Você não consegue notar que estou tentando mudar e que tudo isso é por você?

Eu cheguei a pensar naquilo varias vezes...

Me mantive calada.

Edward soltou meus braços, enlaçou minha cintura e colou nossas testas.

- Edward...

- Shh... – Seus olhos se fecharam – Você não sabe como fiquei mal vendo aquele cara beijando sua boca como eu quero beijar, dançando com você como eu queria dançar... tendo a chance de sair daqui com você como eu quero ter...

Suspirei. Seus olhos se abriram e se prenderam nos meus.

Sua mão subiu por meu braço até minha nuca, puxando-me contra sua boca. Dessa vez não resisti. Quando sua língua tocou meus lábios eu os abri, dando-lhe passagem.

Porque resistir se era aquilo o que eu queria?!

Enlacei seu pescoço com meus braços e agarrei seus cabelos, puxando-os. A mão de Edward saiu de minha nuca e escorregou pela lateral do meu corpo, chegando até minha coxa direita e a erguendo. Ele se encaixou entre minhas pernas e pressionou sua ereção contra meu ventre. Céus...

- Edward... – Gemi.

- Não negue algo que você também quer. – Sussurrou contra meus lábios.

- Mesmo eu querendo ou não, isso é errado.

- É errado duas pessoas se desejarem?

Encostei minha cabeça na parede e fechei os olhos.

- Quando o desejado é seu aluno, e é bem mais novo, sim é errado. – Escorreguei minhas mãos por suas costas e as infiltrei em sua blusa. Edward se arrepiou. – Droga, porque você tem que ser tão gostoso? Isso só torna as coisas mais difíceis.

- Foi você mesma quem disse que não mistura a vida daqui de fora com a profissional, quando estivermos em horário de aula, prometo me comportar... – Sua mão que prendia minha perna em sua coxa, entrou em meu vestido, acariciando minha pele.

Mordi os lábios. A quem eu queria enganar? Eu queria aquele garoto em minha cama desde a primeira vez que o vi.

- Edward, olha o que você está conseguindo me convencer a fazer... – Eu o apertei contra mim. Talvez eu devesse deixar as conseqüências de lado e me arriscar, mas no fundo eu sabia o que aconteceria se eu ficasse uma vez com Edward. Eu ia passar a querer mais e mais, até que novamente meu coração fosse deixado em pedaços. Mas eu já passei por isso uma vez com Jacob, e estou inteira agora não estou?! Não custa arriscar... – Vamos para minha casa.

Ele deu um passo para trás, surpreso.

- Hein?!

Mordi os lábios.

- Vamos para minha casa. – O puxei pelo colarinho da camisa – Você me encheu tanto que conseguiu me convencer a fazer algo que eu sei que é errado, tentei evitar, mas ando desejando há tempos. É bom que você não desista agora.

Ele sorriu.

- Você está falando serio?!

- Muito serio.

- Mulher... – Seus braços se fecharam ao redor de minha cintura. – Você não vai se arrepender.

Eu sabia que não ia.


POV Edward


Assim que Bella fechou a porta de sua casa, eu a puxei contra meu corpo e busquei seus lábios. Ela enlaçou minha cintura, enquanto suas mãos erguiam minha camisa.

Eu a ergui, enlacei suas pernas em minha cintura e a prensei na parede.

Sua boca devorava a minha, nossas línguas dançavam sensualmente buscando uma a outra.

- Suba as escadas... – Bella desgrudou seus lábios do meu e gemeu – Meu quarto é a ultima porta do corredor.

Fiz o que ela ordenou.

- Droga. – Resmunguei, subindo as escadas.

- O que?!

- Você é... pesadinha.

- Seu... seu... seu IDIOTA! – A revoltada socou meu peito e desceu do meu colo. – Eu não sou gorda!

Merda, porque fui abrir a boca?!

- Bella... – Toquei sua cintura. – Eu não disse que você é gorda.

- Você estragou tudo seu crianção! – Ela bateu o pé no chão revoltada.

- Eu não sou criança.

- Crianção, crianção, crianção! – Começou a cantarolar.

Travei o maxilar e a joguei contra a parede arrancando de si um gemido.

- Você vai ver o que a criança aqui pode fazer.

Minha professora mordeu os lábios e se agarrou em mim.

- Vamos para meu quarto, antes que eu desista e te mande para fora da minha ca...

Calei sua boca com a minha e a peguei no colo novamente, sem reclamar do seu peso. Assim que chegamos ao fim do corredor, Bella abriu a porta para que entrássemos e logo em seguida a fechou. Caminhei com ela até sua cama e a deitei ali. Suas mãos me agarraram, puxando-me para cima do seu corpo.

Cai sobre ela.

Meu coração estava disparado e minha respiração irregular, droga, eu estava nervoso e Bella notou isso.

- Algum problema?

- Não.

Voltei a colar nossas bocas. As mãos de Bella abriram os botões de minha camisa, a peça foi jogada em algum canto do quarto. Agarrei a barra de seu vestido e o levantei, ela ergueu o quadril para me ajudar a retirar a peça.

Me afastei um pouco para admirá-la.

Sua lingerie preta era totalmente sexy, moldava-se em todas as curvas perfeitas de seu corpo.

- Vai ficar só olhando?! – Bella gemeu arranhando minhas costas.

- Você é linda... – Escorreguei meus dedos pela borda de seu sutiã.

Ela sorriu, colocou as mãos em meus ombros empurrando-me para o lado e pondo-se sobre mim.

- Mudou sua opinião sobre mim? Há alguns minutos atrás eu era a gorda.

Deslizei minha mão pela lateral de seu corpo.

- Me desculpe. – Mordi os lábios e, ousadamente, apertei sua bunda.

Bella projetou seu corpo para frente até que seus lábios alcançar meu peitoral nu e começar a distribuir beijos molhados por toda minha pele. Meu coração disparou mais ainda, Bella se afastou.

- Algum problema?! – Indagou, segurando meu pulso e erguendo minha mão no ar. – Você está tremendo?!

Foi mais uma acusação do que uma pergunta.


POV Bella



Ele estava ruborizando ou eu estava bêbada?!

- Talvez eu esteja um pouco... nervoso...

Franzi o cenho.

- Não me diga que você é... é virgem?! – Perguntei surpresa.

- Não. – Ele respondeu rapidamente.

- Então... qual o problema?!

Edward suspirou, sentou-se na cama comigo em seu colo.

- É que... bem, eu posso ser um galinha e pegar todas, mas isso não significa que eu leve todas elas para cama.

Mordi os lábios surpresa.

- Mas se você não é virgem, pra que todo esse nervosismo?!

Edward passou a mão pelos cabelos.

- Bella, eu tenho 19 anos e tenho pouca experiência, já você é mais velha e evidentemente gosta de caras experientes, eu não vou te agradar.

Ri.

- Acho que quem tem que dizer se você vai ou não me agradar sou eu. – Me apertei em seu colo – Garoto, com um volume como esse tenho certeza que não vou me arrepender.

Um sorriso cintilou em seus lábios.

- Outra coisa... – Suas mãos percorreram minhas costas, até o feixe de meu sutiã – Não me chama de garoto.

- Porque não posso te chamar de garoto, garoto?

Seu maxilar travou. Meu sutiã caiu.

- Porque não sou gar... – Sua voz morreu assim que seus olhos se fixaram em meus seios.

Prendi o riso. Ele estava deslumbrado com meus seios ou era impressão minha?!

- Em Edward?

Ele desviou os olhos dos meus seios e me encarou confuso.

- Do que a gente tava falando mesmo? – Franziu o cenho, tentando se lembrar – Droga, não quero conversar.

- Certo. – Enlacei seu pescoço com meus braços – O que você quer fazer?

Edward mordeu os lábios com cara de safado, me deitou na cama e veio para cima de mim, levando sua boca até meios seios.

Fechei os olhos apreciando suas caricias. Que boca gostosa era aquela?

O que uns segundos antes tinham sido umas lambidas se convertiam agora em sucções, enquanto sugava um seio, Edward levou sua mão ao outro, um gesto que fez que uma sensação quente de deleite estalasse no meio de minhas pernas.

- Droga... – Gemi, puxando seus cabelos.

Tão cedo, seus lábios deixaram meus seios e desceram trilhando rastros por minha barriga, coxa, panturrilha, até chegar a meus pés.

Edward se ajoelhou na cama e desamarrou minhas sandálias, depositando beijos em meus pés. Depois, levantou-se da cama e livrou-se de seus sapatos e de sua calça.

Desci meus olhos por seu corpo malhado.

Ele voltou para a cama, deitando-se sobre mim e unindo nossos lábios novamente. Deixei minhas unhas arrastarem por suas costas. Edward gemeu contra minha boca.

Suas mãos desceram pela lateral de meu corpo, até o cós da minha calcinha, puxando-a para baixo.

Arqueei minhas costas, ajudando-o a se livrar da peça.

Mordi os lábios, sentindo Edward desceu os lábios até meu umbigo. Ele abaixou-se e me beijou ali naquela região do abdômen, levando a mão até meu centro. Eu já tinha passado da fase úmida para a fase ensopada há séculos e a cada centímetro que ele se aproximava do meu centro, eu ficava mais louca.

- Procurando... alguma coisa... aí embaixo...?

- Uhum...

Acha logo, acha logo, acha logo!
Ele me lançou um olhar para ver minha reação e sorriu satisfeito, enquanto lambia os lábios.

Ele beijou minha virilha, dos dois lados, apreciando a tortura que praticava comigo.

- Edward...

- Oi.

Suspirei, mexendo meu quadril ao vento, com a intenção que ele fizesse logo o que queria. Senti um dedo seu deslizando pela minha abertura, mas sem penetrar os lábios. E então, ele me beijou ali, fazendo o mesmo caminho que fizera com o dedo, mas dessa vez com a língua. Deixei um gemido escapar quando a ponta dela entrou, tocando meu clitóris.

- Estou me saindo bem professora?

Eu não quis responder, até porque era óbvia a resposta, né? Ele riu e ficou de joelhos na cama, levando sua mão mágica até ela e tocando-me com perfeição, circulando meu clitóris, deslizando um dedo até minha entrada e me penetrando.

Um volume apertado pela cueca apareceu para mim e eu imediatamente puxei aquela maldita coisa justa, encontrando o paraíso logo em seguida. O membro duro e suculento de Edward me encarava, mas eu não pude ficar muito tempo apreciando-o, pois seu dono soltou seu peso em cima do meu corpo me deixando sentir aquela coisa gostosa roçando em minha entrada.

Edward inclinou-se para fora da cama, pegou sua calça e retirou de lá um preservativo, vestindo seu membro.

Abri minhas pernas para recebê-lo e cruzei-as nas suas costas.  Puxei seu rosto para beijá-lo urgente e senti ele começando a me penetrar.

Ele entrava e saía devagar, sem deixar de beijar minha boca, enquanto me mata com aquela sensação de... tortura.

- Edward, mais rápido...

- Apenas sinta Bella...

- Droga garoto, você...

Tive que parar meu raciocínio com a reboladinha que ele deu dentro de mim. Daquelas que faz a pessoa morrer de prazer. Ele beijava meu queixo e eu ainda continuava de boca aberta, gemendo.

- Eu?

- Você está me maltratando.

Apertei seus ombros que começavam a suar, me deliciando com aquela pele.

Ele riu e veio morder minha orelha, passando a ponta da língua em volta dela enquanto aumentava o ritmo das estocadas. Eu mordia meus lábios e apertava suas costas agora com aquela fricção alucinante que fazia o barulho molhado ecoar pelo quarto.

Talvez ele fosse forte o suficiente para agüentar o tempo que fosse preciso, se não fosse, iria passar a ser.

Quando apertei-o com minhas unhas, marcando-o nas costas, ele puxou ar pelos dentes, me olhando sedento e ergueu o corpo, me segurando pela cintura e me levantando enquanto levantava também. 

- E alegou ser inexperiente...
- Bom, eu sei de algumas coisas, espero que te agrade.

- Eu também espero.

Edward riu, ficando de joelhos na cama e passando minhas coxas pela sua cintura, voltando a me encaixar em seu membro, guiando-me pelo quadril. Meu corpo agora quicava sobre o dele e eu me apoiava nos seus braços, descendo e subindo aquele membro grosso.

- Isso...

Nem sabia mais o que estava saindo da minha boca. Eram expressões desconexas, totalmente sem sentidos. Ele era um pouco mais centrado do que eu, então extravasava todo seu tesão em gemidos que me faziam surtar mais ainda. Quando ele jogou sua cabeça para trás, apertando minhas carnes para aumentar o ritmo com o qual meu corpo encaixava-se no seu, eu me joguei para frente. Era a minha vez de lamber alguma coisa ali, eu estava tão entregue que me esqueci de algo... o garoto merecia prazer.

Deslizei minha boca e língua por toda a extensão do seu pescoço e senti o orgasmo chegando, me fazendo apertar seu membro dentro de mim.

- Isso, Bella... Me aperta...

Ele levantou a cabeça e envolveu minha cintura com um braço para segurar meus cabelos com a outra mão. Aumentei o ritmo da minha subida e descida, sem tirar meus lábios de sua pele.

Meu corpo estava em combustão.

Minhas pernas tremeram e espasmos me invadiram anunciando meu orgasmo. Eu deixei meu corpo pesar em seu braços, enterrando minha cabeça no seu ombro e apertando-o com meus braços.

Edward ofegou, ele também havia chegado ao seu máximo.

- Foi razoável para você? – Ele tinha virado o rosto para falar com a boca roçando em minha orelha, me deixando arrepiada.

Eu ri e me joguei para trás deitando novamente e trazendo-o para cima de mim.

- Se fosse uma prova, eu te daria uns... sete.

Olhei para ele rindo, que estava extremamente sério, com os olhos fixos em minha boca. Enfiei meus dedos pelos seus cabelos, puxando-o para um beijo e descendo-os por sua nuca até suas costas.

- Só sete?! 

- Lamento. – Ri – O nervosismo sempre atrapalha.

- Eu posso aumentar minha nota... – Suas mãos desceram por minha coxa. – Deixe-me passar a noite aqui.

- Se você se esforçar para isso... – Escorreguei minhas mãos por suas costas. –... e me fizer gemer bem alto, talvez eu deixe você ficar.

Edward riu.

- Certo professora. – Mordeu os lábios – Vou aumentar minha nota e como premio quero dormir aqui. Só me de dez minutos para me recuperar.

- Dois minutos.

- Cinco.

- Ok. – Ri – 5 minutos para você se recuperar garoto.

Ele se sentou na cama, retirou a camisinha, deu um nó nela e a deixou ali no chão, e voltou para cima de mim.

- Acho que não é necessário todo esse tempo.



POV Jasper  

[N/A: POV Especial, mostrando o que aconteceu lá na boate, jaja tem mais Beward]


Entrei no banheiro, Kevin estava próximo a uma cabine. Sem que ele me visse, eu o empurrei para dentro e fechei a porta.

[...]

EI ABRAM A PORTA!


Já se havia passado uns dez minutos que eu havia trancando Kevin. Sai do banheiro e dei uma olhada ao redor. Vi quando Bella agarrou a mão de Edward e o puxou em direção a saída.

Pois é, o garoto conseguiu.

Fiz minha melhor cara de pobre coitado, voltei até o banheiro e destravei a porta do banheiro.

- Kevin?! – Levei a mão ao peito, fingindo estar surpreso.

- Cara, valeu. – Ele tocou meu ombro – Alguém me prendeu aqui, não sei o que seria de mim se você não tivesse aparecido.

- Como podem existir pessoas tão más nesse mundo? – Joguei as mãos para o ar.

- Pois é. – Kevin torceu os lábios. – Estou indo, Bella deve estar me procurando.

- Claro, ela deve estar louca trás de você.

- Até depois.

- Até.

Sai do banheiro rindo, voltei até a mesa e me sentei ao lado de minha pitchuquinha.

- Ei, cadê o Edward com minha Ice? – Emmett perguntou.

- Fica esperando, jaja ele volta...

- Desgraçado deve ta pegando alguma gostosa por ai.

Ri. Dei de ombros.

Se ele soubesse que a gostosa é sua própria irmã...

- Ei, alguém de vocês viu a Bella?! – Kevin chegou afoito.

- Ela saiu com você.

- é, mas eu fui preso no banheiro.

Alice e Rosalie olharam para mim.

Passei o braço ao redor da minha amada e pisquei para ela.


POV Edward


Desabei sobre Bella. Droga, aquela mulher era tão gostosa que chega a ser viciante.

Ainda ofegante, ergui a cabeça para olhá-la. Bella estava com os olhos fechados e mordia os lábios sensualmente.

- Eu te fiz gemer bem alto... posso dormir aqui?

- Eu cumpro com a minha palavra. – Ela riu – Acha que eu ia deixar você pegar um taxi a essa hora da madrugada? Seu carro ficou em Port  Angeles.

- Se ia me deixar ficar, porque me fez aquela proposta.

Bella ainda mantinha os olhos fechados, mas agora ria muito mais.

- Só queria apreciar um pouco mais... – Ela abriu os olhos, pegou meu aparelho celular que estava no criado ao lado da cama e o estendeu para mim – Ligue para sua mãe, avise que vai dormir fora.

Revirei os olhos.

- Acha que eu, com 19 anos, vou ligar para mamãe avisando que vou dormir fora? Ela está já acostumada com isso, quando saiu e bebo demais sempre fico em um hotel.

- Se quiser ficar, vai ter que ligar. – Bella mandou. Nunca fui de obedecer nenhuma mulher, e não seria agora que isso ia mudar. – Ande logo.

- Ok, ok. – Puxei o lençol e o prendi em minha cintura. – Posso usar seu banheiro antes?

- Fique a vontade.

Sai da cama, peguei a primeira camisinha que eu havia usado e fui até o banheiro, jogando-a fora junto com a que eu acabara de usar.

Voltei para o quarto. Me sentei na cama e mantive o lençol em minha cintura. Bella riu, revirando os olhos. Qual é o problema? Eu estava envergonhado ok?!

- Eu tinha outra imagem de você... – Ela confessou, enquanto eu discava o numero do celular de minha mãe.

- A é? – Arqueei as sobrancelhas, curioso.

- Aham. – Bella riu puxando o lençol que tampava minha parte intima, senti meu rosto esquentar – Você cora... eu pensava que você era mais um adolescente safado.

- Eu sou safado. – Torci os lábios.

- Sim, você é, mas não é tanto como eu pensei.

Dei de ombros e levei o celular ao ouvido. Não demorou muito para que minha mãe atendesse.

Edward? Algum problema? Você está bem? Está vivo? OMG, não me diga que foi preso, eu vou te bater garoto! Porque não está falando nada? Diga alguma coisa!!!

Afastei o celular da orelha. Bella abriu a boca horrorizada.

Exagerada... – Sibilei para ela. E voltei a por o celular no ouvido. – Mãe, respire... – Pedi, e ela respirou – Não há problema algum, eu estou bem, estou vivo e não, não fui preso. – Gargalhei – Só estou ligando para avisar que... que eu vou dormir fora.

Ai meu Deus! Agora estou mais preocupada ainda... você nunca liga para avisar que vai dormir fora!

- Eu fui obrigado. – Olhei para Bella, que encarava o teto risonha.

E sua prova? Você não pode faltar na escola amanhã!

- Mãe, fique tranqüila, eu vou pra escola.

Certo. – Ela pigarreou – Estou no hospital, preciso desligar. Eu te amo filho.

- Eu também mãe.

“Eu também” o que?!

Revirei os olhos.

- Eu também te amo mãe. – Ela riu e desligou o celular. Coloquei o aparelho de volta ao criado mudo e deixei meu corpo moldar-se sobre o de Bella.

- Prontinho. – Mordi a ponta do seu nariz.

Suas pequenas mãos subiram por minhas costas até minha nuca, agarrando meus cabelos e puxando-me contra seus lábios.

A língua de Bella explorava minha boca despertando sensações deliciosas.

Era tão diferente estar na cama com aquela mulher... Cada toque que ela me dava era um motivo para meu corpo se arrepiar. Eu nunca me submeti à experiência melhor...

Nosso beijo estava voraz e repleto de desejo, não demorou muito para que meu membro voltasse a ficar rígido entre suas pernas.

- Quanto fôlego... – Bella gemeu, me empurrando para o lado e subindo sobre mim – Mas acho que agora é a sua vez de sentir prazer.

- Eu também acho.

- Vamos tomar um banho. – Ela se levantou. Fui atrás dela. Bella abriu o boxe e ligou o chuveiro, depois virou-se chamando-me com o dedo. – Vem.

Eu caminhei até ela. Bella me puxou para baixo do chuveiro.

Empurrei-a contra a parede. Eu a peguei no colo, passando suas pernas em volta do meu corpo. Cravei minhas mãos em sua cintura e puxei seu corpo contra o meu penetrando-a com força e rapidez, unindo nossos corpos. Depois de alguns segundos, comecei mover meu corpo contra o seu. O som dos nossos corpos se chocando ecoava pelo banheiro.

- Era para... mim te dar prazer. – Ela resmungou em meu ouvido.

- Você está... me dando prazer.

Suas mãos desceram por minhas costas e apertando minha bunda. Safada! Eu sempre desconfiei... Ok, concentre-se Edward! Ela mordia os lábios deliciosos, gemendo baixinho para mim e apertando as pernas no meu corpo. Eu sentia-a quente, mesmo com a água fria caindo sobre nossos corpos. Talvez eu até estivesse sendo grosso demais, mas meu instinto pedia algo mais selvagem, mais animal. Então eu aumentei mais ainda o ritmo, deixando-a ofegante, puxando meus cabelos e chamando pelo meu nome. Gostosa para caralho! Brinquei com seus mamilos que pareciam querer quebrar de tão durinhos. Ela agora abria a boca e fazia cara de sofrimento. Puro tesão! Senti seu corpo tremer no meu, se contrair comigo dentro e ir relaxando aos poucos, enquanto eu segurava-a e chegava também ao orgasmo.

Coloquei-a em pé no chão e aproveitei para dar-lhe um banho. Claro que não iria desperdiçar a chance de dar umas apalpadinhas aqui e ali. Sim, eu havia perdido toda a vergonha. Segurava com força sua nuca para lhe beijar, enquanto passava o sabonete pelas suas costas, descia até sua bunda maravilhosa e entrava pelo meio das suas pernas.

- Você não cansa, né?

- Não...  – Mordi sua orelha. Ela riu e se apoiou no meu pescoço, esperando eu lavá-la.

Assim que terminei, a peguei no colo e voltamos para a cama.


POV Bella


Puxei o lençol para cima do meu corpo. Eu estava exausta, aquele garoto havia acabado comigo.

Senti o corpo quente de Edward atrás de mim. Seu braço enlaçou minha cintura e seus lábios colaram em meu ombro.

- Eu nunca dormi com uma mulher... – Confessou com a voz um pouco mole. Virei meu rosto para encará-lo. Edward estava com os olhos fechados, quase caindo no sono – Depois que fazíamos sexo íamos embora.

- é uma honra ser a primeira. – Brinquei.  Fechei os olhos e bocejei. – Boa noite...

- Boa...

Me surpreendi quando a mão de Edward escorregou por minhas coxas e se encaixou entre elas. Sabe quando estamos com a mão fria e a aquecemos ela entre as coxas?! Pois é. Era isso que estava parecendo.

Esperei alguns segundo, para ver se Edward estava com outras intenções, mas não, suas mãos permaneceram ali.

- Edward? – Sussurrei. Ele não respondeu – Edward?!

Sua respiração fraca contra minha nuca denunciava que ele já estava dormindo.

Certo, até que não era tão ruim ter uma mão grande e quente entre suas coxas. Coisa estranha, eu sei, mas quem era eu para retirá-la de lá?!

[...]

Rolei pela cama esperando encontrar o corpo de Edward ali, mas não o senti.

Abri os olhos e me sentei na cama.

Os primeiros raios de sol já entravam pela janela, olhei o quarto e não vi as roupas de Edward.

Decepcionada, voltei a me jogar na cama. Era obvio que depois de ter transado três vezes comigo ele ia ir embora sem nem ao menos dar um tchau, ele já havia conseguido o que queria certo?!

Puxei o lençol cobrindo minha cabeça, rolei pela cama me embolando toda, talvez assim morresse asfixiada.

Eu não devia ter cedido a Edward... Tornei-me mais uma de sua lista.

Droga, eu sabia que aquilo ia acabar assim e q...

- Ow, múmia?!

Surpresa, me sentei na cama e livrei-me dos lençóis.

- Edward?! – Meu queixo caiu. Edward estava ali na porta, vestido, e sorridente. – O que... o que você está fazendo aqui?!

- Uau, isso foi um convite para me retirar de sua casa?

- Não! Sim! Quero dizer... não sei. – Balancei a cabeça, tentando reorganizar os pensamentos – Eu só pensei que você...

- Que eu fosse embora assim que acordasse?! – Completou. Eu apenas assenti. Ele se aproximou da cama e sentou-se ao meu lado. – Demorou uma semana para eu conseguir fazer que você confiasse em mim, eu não ia ser tão grosseiro e infantil para sumir assim de uma hora para outra.

- Me desculpa, eu me precipitei. – Suspirei.

- Vamos deixar isso para lá. – Edward inclinou-se colando nossos lábios e se levantou da cama – Vamos tomar café, preciso que você me de uma carona até a escola.

- Droga, vou arrumar algo rápido para nós. – Me levantei da cama embolada no lençol. – Eu só preciso de cinco minutos.

Por algum motivo ele riu.

- Fique tranqüila Bella, eu tomei a liberdade de preparar tudo.

Com isso, acredito eu, até vocês ficaram pasma.


POV Edward


Bella me encarava como se eu fosse um tipo de mongol.

- Você... você preparou nosso café?!

Sorri.

- Bem, meu pai sempre disse que o modo mais fácil de um homem seduzir uma mulher é pelo estomago.

Bella riu.

- Certo, pode dar licença para eu me trocar?!

Me joguei na cama, cruzando os braços atrás da cabeça.

- Na verdade não. – Mordi os lábios – Não tem nada que eu já não tenha visto ai.

- Edward! – Ela corou.

- Sou safado, se esqueceu?!

Bella deu de ombros e deixou o lençol cair no chão. Gemi observando cada movimento que ela fazia... caminhar até o closet, procurar sua roupa e começar a se vestir.

Eu toparia acordar todo dia bem cedo, se fosse para ver isso, juro que nem reclamaria.

- Posso te fazer uma pergunta?! – Indaguei, sem tirar os olhos do seu corpo.

- Faça.

Ela já havia colocado sua lingerie, mas mesmo assim, estava muito gostosa.

- Você... é... – Tentando explicar minha pergunta, eu levei minhas mãos aos meus próprios peitos. – Usa silicone?!

Bella arqueou as sobrancelhas e riu.

- Não, são naturais mesmo. Por quê?!

- Parabéns... – Gemi, lembrando de quando os tive em minha boca. – Eles são perfeitos.

- Obrigada. – Ela corou. Colocou um vestidinho branco e o deixou cair por seu corpo. – Vamos tomar café.

[...]

Bella parou o carro na frente da escola, todos viraram o rosto para ver quem sairia do carro, alguns estreitavam os olhos para tentar ver através do vidro.

- Obrigada. – Sorri para ela.

- De nada. – Mordeu os lábios – Depois passo aqui para te pegar, vamos a Port Angeles e pegaremos seu carro e... Boa sorte com sua prova.

- Certo. – Soltei o cinto e me debrucei sobre ela, roubando um selinho. – Agora sim vou ter sorte.

- Você é tão bobo...

- E você é tão gostosa...

- Edward, sai logo do carro.

Ri. Puxei ela pela nuca mais uma vez, só que agora deixei a ponta de minha língua invadir sua boca. Bella agarrou minha camisa – que por sinal, era a mesma que usei na balada de ontem –, puxando-me para mais perto dela. Mordi seus lábios e me afastei.

- Sorte em dobro. – Brinquei – Saiu 12h30min.

- Estarei aqui.

Sai do carro sorridente, todos pareciam surpreso. Não dei à mínima, eu estava feliz demais.

Entrei na escola, peguei meu material e fui direto para a sala de aula, minha primeira aula seria matemática e eu ia dar o melhor de mim nessa prova não iria decepcionar Bella nem meus pais.

[...]

- Como foi à prova?

Foi à primeira coisa que Bella perguntou quando entrei no carro.

- Primeiro meu beijinho... – Fiz bico. Ela revirou os olhos e me deu o dedo do meio. – Posso saber o porquê da revolta?!

- Você não respondeu minha pergunta...

- Certo, certo. – Ri – Foi fácil, tive um pouco de dificuldade em algumas questões, mas tenho certeza que me sai ótimo. – A puxei pelo queixo e colei meus lábios nos seus.

Bella negou algo com a cabeça e riu.

- Não se acostume garoto.

- Por quê? Acha que eu vou parar de correr atrás de você só porque dormimos ontem?! Nada disso, acho que viciei. – Colei minha boca na sua mais uma vez.

- Edward, comporte-se... – Ela se afastou e fechou os vidros do carro – Alguém pode ver.

- Ok, vou me comportar...

Prendi o sinto.

Bella arrancou com o carro. Fomos até Port Angeles almoçamos lá e depois voltamos para Forks, eu no meu carro e ela no dela.

- Até as quatro. – Sorri para ela, quando paramos no sinal e nossos carros ficaram lado a lado.

Por conta do meu mais novo – e único – trabalho, o horário de minhas aulas com Bella havia mudado. O bom era que nesse novo horário meus pais estava trabalhando, sim, a casa toda para nós dois.

- Sim. – Ela sorriu – Te vejo mais tarde e bom serviço.

- Obrigada.

O sinal abriu. Bella virou para a direita e eu para a esquerda. O campo de futebol não ficava tão longe, demorou aproximadamente cinco minutos para mim chegar.

Deixei o carro no estacionamento. A pirralhada toda estava no campo me esperando. Querendo ou não, eu estava me apegando a eles.

- PEGUEM ELE!!! – Jonathan, o garoto mais velho do time, gritou, apontando para uma das crianças.

- VAMOS PUXAR A CUECA DELE!

Era um complô. Todas as crianças perseguiam o garotinho que vinha correndo na minha direção, quanto mais ele se aproximava, mais eu o reconhecia.

Era Drake.

Antes que ele chegasse a mim dois garotos o derrubaram e puxaram sua cueca.

Doeu até em mim.

Caminhei até eles e retirei os garotos de cima dele.

- Ai que dor... – Drake resmungou. Eu o ajudei a se levantar.

- Eu sei como é... – Torci os lábios – Quando eu tinha a sua idade eu passei por isso...

- O que você fez pra eles pararem de fazer isso? – O garoto indagou, colocando sua cueca para dentro.

Me abaixei para sussurrar em seu ouvido.

- Parei de usar cueca.

<<< Capitulo 6                                    Capitulo 8 >>>

3 comentários:

Izah disse...

qe fofo ele faz cafe damanhã e ainda curti criança

Zenilda disse...

Nossa esse sem sobra de duvida é o capitulo mais lindo dessa fic ate aqui;;;
parabens lindo estava perfeito
beijusss

Erika disse...

-O que você fez pra eles pararem de fazer isso?
-Parei de usar cueca.
HAHAHAHAHA,só podia ser o Edward Safadenho Cullen pra fala uma coisa dessa!!!!HAHAHAHAHAHA

Postar um comentário