Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

01/03/2011

Extra - You Will Come Back To Me


Bônus – You Will Come Back To Me


POV Edward


Entrei no quarto com uma bandeja na mão, caminhei até a cama e a deixei sobre o criado mudo, enquanto me sentava na cama e inclinava-me para beijar as costas de minha mulher.

- Bom dia princesa... – Deitei-me ao seu lado, enlaçando sua cintura com meus braços.

- Hmmm... - Bella resmungou abrindo seus belos olhos. – Bom... dia.

Sorri. Toquei seu rosto acariciando sua bochecha, Bella fechou os olhos apreciando meu toque.

- Como consegui ser tão linda...

- Não sei. – Deu de ombros - Sempre me pergunto isso quando olho-me no espelho.

Joguei minha cabeça para trás, rindo. Bella aproveitou para beijar minha jugular. Apoiei cada braço de um lado de sua cabeça e coloquei meu corpo sobre o seu. Suas mãos alisaram minhas costas desnudas enquanto nossos lábios moviam-se juntos. Arrastei minha mão por sua coxa, erguendo sua pequena camisola. Bella gemeu em minha boca, aprofundando mais nosso beijo.

- Deixa eu te amar...

- Eu...

- O MÃAAEEEEEEE!

Bella e eu nos separamos quando a porta foi aberta abruptamente. Anthony entrou correndo e rindo. Enquanto Nessie vinha atrás com um enorme bico.

- O que houve querida?! – Bella indagou rindo.

- Olha o que esse pirralho fez! – Nessie ergueu sua boneca que estava sem cabeça – ELE A DEGOLOU!

- HAHÁ! – Anthony subiu na cama, pulando sobre mim e Bella – Eu juro que não fui eu.

- Thony o que a mamãe e o papai já te disse sobre destruir os brinquedos de sua irmã?! – O Tirei de minhas costas.

- Não me lembro... – Escorregou dos meus braços para o lado de Bella – Mãe ela disse que ia cortar minha orelha!

- Nessie! – Bella a repreendeu.

- Mas mãe já é há segunda essa semana... – Renesmee choramingou. Sai de cima de Bella e sentei-me na beira da cama, puxando minha princesinha para meu colo.

- Prometo que depois vou lhe comprar outras... – Beijei sua testa.

- Tudo bem. – Bufou.

- Yay! Se o papai comprar mais três da para eu fazê-las de Power Rangers.

- Nem pensar gatinho! – Bella rolou para cima dele.

- Qual é mãe...

Rimos.

- Você fala como se tivesse 12 anos... – Bella o encheu de beijo – Nem parece aquele bebezinho que a 4 anos atrás estava em minha barriga.

- Eu estou glandão! – Se desvencilhou de Bella – Tio Emmett disse que quando eu fo maior as gatinhas vão babar em mim, porque eu puxei a gostosula dele.

Bella e eu rolamos os olhos.

- Bem, a mamãe precisa se levantar e tomar um banho, hoje ela vai passar o dia todo no hospital. – Bella falou enquanto se sentava com Anthony em seu colo.

- Como assim?! – Perguntei confuso.

- Desculpa amor, mas Ângela pediu para eu trocar de folga com ela.

- Mas tinha que ser hoje amor? – Indaguei magoado.

- Por quê?! – Arqueou uma sobrancelha, confusa. – Nós combinamos algo com Esme?!

- Não. – Bufei – Esquece, vamos tomar café.

Puxei a bandeja para a cama. Olhei para Bella enquanto tomávamos café. Será que ela havia esquecido que dia era hoje?!

- Que dia é hoje?! – Perguntei tentando jogar uma indireta.

- Acho que 7 de Agosto. – Minha mulher deu de ombros.

A olhei incrédulo. Ela havia mesmo se esquecido do dia do nosso casamento?!

- E você... bem... não se lembra de mais nada?!

- Devia lembrar?! – Ela riu – Porque tudo isso? – Apontou para a bandeja – Está querendo me agradar?!

Dei de ombros, sim eu estava magoado, ela nunca havia esquecido.

- Talvez...

Ela mordeu os lábios e sorriu.

[...]

Abri um pouco a porta do banheiro e vi Bella tomando banho com os olhos fechados. Tirei minha roupa e entrei no boxe abraçando-a.

- Você precisa mesmo ir? – Perguntei prensando-a contra a parede e beijando seu pescoço.

- Aham... – Respondeu. – Desculpa, mas eu preciso amor. – Suas mãos deslizaram por minhas costas até minha cintura, abraçando-me.

Colei nossos lábios.

- Eu te amo... – Sussurrei.

- Eu também. – Ela sorriu empurrando-me contra a parede oposta e voltando a me beijar.

Eu já podia sentir cada célula do meu corpo queimando por ela, era um desejo incomum, que nunca diminuía, só crescia.

Gemi quando ela se afastou e voltou para de baixo do chuveiro, lavando o rosto e saindo novamente do chuveiro tirando o excesso de água dos cabelos.

- Desliga o chuveiro quando sair. – Me lançou uma piscada e um beijo.

Fiquei como um idiota – excitado – vendo minha mulher sair do boxe. Joguei a cabeça para trás nervoso. Meu plano não era exatamente tomar banho sozinho.

Tomei meu banho – sozinho - rápido, enxuguei-me e coloquei uma bermuda. Sai do banheiro e tive o prazer de ver minha mulher babar em meu peito desnudo.

- Ta calor... – Dei de ombros.


- Muito calor! – Concordou. Virou-se voltando a colocar seus brincos.

Caminhei até ela e a abracei por trás.

- Diz para mim que vai voltar cedo... – Escorreguei minhas mãos até suas coxas – Eu queria passar o dia contigo.

- Eu também, mas eu assumi esse compromisso com Ang.

- Ok então.


# - 14h30min - #



Sentei-me no sofá ao lado de Anthony, que assistia desenho.

- Lembro-me de quando era pequeno e assistia pica-pau... – Contei para ele.

Vi seus dois olhinhos se revirarem.

-... Mas depois começou a repetir, então enjoei.

Ele me olhou de cara fechada, saiu do sofá e correu até a televisão, aumentando-a.

- Porque aumentou?! – Perguntei – Já não estava alto o suficiente?!

- Sim, até você chegar aqui.

- Me desculpa, é que estou solitário.

- A mamãe te deixou na mão. – Falou rindo.

- Literalmente.

- O que é literalmente?!

Olhei para ele percebendo o que falei.

- Nada não. – Suspirei. – O papai está deprimido porque hoje é o aniversario de casamento meu com sua mãe e ela nem lembrou, sabe... – Encostei a cabeça no sofá e fechei os olhos – Ela nunca esquece, nenhum ano aconteceu isso. Mas não posso julgá-la, ela deve estar tão cansada... é difícil dividir o tempo entre trabalho, filhos, marido e cunhada.

Abri um olho e olhei para o lado, Anthony não estava ali.

- Ótimo, me deixou falando sozinho... – Esfreguei o rosto. – Você está perdendo sua moral Edward.

O telefone começou a tocar, o tirei da base e atendi.

- Alô?!

- Edward!

- O que quer Alice, se for Bella saiba que ela na...

- Que Bella o que! Eu queria falar com você mesmo.

Fiz careta.

- Sobre?!

- Lembra que ficamos de ir buscar o presente de Bella na loja?!

- Céus, eu havia me esquecido.
- Pois é. – Riu – Me encontra no Shopping.

- Estou indo.

Desliguei o telefone. Subi as escadas e antes de entrar no meu fui procurar Anthony.

- Ei Thony! – Abri a porta do quarto de Renesmee. Em um movimento rápido meu filho jogou as partes da boneca que estavam em suas mãos para de baixo da cama. – O que está fazendo no quarto de sua irmã?!

- Eu... errei... de quarto.

Ri.

- Vem, se troca que vou te deixar com a vovó Esme, papai tem que sair.

- Ok.

[...]


# - 15h16min - #


- Alice, não era só para buscar o que encomendamos?! – Segurei minha irmã, que já ia entrando em outra loja. – Já pegamos o que queríamos agora podemos ir embora?

- Hellooo, estamos no Shopping, nunca venho aqui e saiu de mão vazia.

- Mas estou cansado em com fome! – Rosnei – Faltam quantas lojas?!

- Não sei... – Deu de ombros – Umas 25...

- Vinte e cinco porra nenhuma!

- Por favor Ed!

- Alice... – Suspirei.

- Ok, ok. – Revirou os olhos – Vamos comer algo primeiro, que tal?!

- Bem melhor. – Sorri agarrando seu braço e a puxando em direção a praça de alimentação.

Quando chegamos ao lugar, escolhemos uma mesa e nos sentamos uma garçonete veio nos atender. Olhei para minha irmã.

- O que vai querer?!

- Deixa eu ver... hm... – Abriu o cardápio. – Quero uma salada, sem azeite, porque azeite engorda. – Explicou sorrindo – E um suco natural de pêra.

Fiz cara de nojo.

- Já eu vou querer um hambúrguer e uma coca cola.

- Ok.

A garçonete saiu. Minha irmã voltou a me olhar interrogativa.

- Você está estranho, me conta. O que está acontecendo?!

- Não está acontecendo nada. – Suspirei – Esse é o problema, era para há essa hora eu e Bella estarmos trancados em nosso quarto, sem roupa e...

- Lalálalálalá! – Minha irmã tampou os ouvidos fuzilando-me. – Eu pedi para você me dizer o que esta acontecendo, não do que era para você estar fazendo ou do que queria estar fazendo.

Rolei os olhos.

- O problema é que minha mulher esquecer o nosso aniversário de casamento!

- O.M.G! – Os olhos de Alice se arregalaram.

- É eu sei... tsc... – Suspirei. – E ela vai passar o dia todo no hospital, garanto que quando chegar à noite vai estar cansada, não vou conseguir exigir nada dela, eu só queria que ela lembrasse sabe, ela sempre disse que esse foi o melhor dia da vida dela e agora está trabalhando enquanto eu estou sozinho aqui.

- Ela não está trabalhando não. – Minha irmã sussurrou convicta e apontou sobre meu ombro – Não é ela ali?!

Olhei sobre o meu ombro e a vi, sim era Bella.

- Será que ela se lembrou e veio comprar um presente para mim?! – Um sorriso surgiu em meus lábios.

- Acho que... não.

- Porque não?! – Encarei Alice, chocado. – Claro que pode sim, e aposto que é isso.

- Bem então você vai perder, já que sua esposa esta se sentando em uma mesa com um... rapaz.

 Virei-me abruptamente, quase caindo da cadeira. Observei o rapaz – que era bem mais jovem do que eu – puxar a deixa para ela.

- Que porra é essa?!

- Edward acalme-se pode ser qu...

- Pode ser que nada! – Levantei-me – Enquanto eu estou aqui como um idiota, rezando que ela se lembre do nosso aniversario de casamento ela está ali com aquele pirralho!

- Você nem sabe, às vezes ela está resolvendo algo ou...

- Ou se encontrando com seu amante! – Vociferei – Vou para casa antes que faça alguma merda.


# - 16h20min - #


Levantei-me e sentei-me no sofá.

Merda! Já se fazia 1 hora e 6 minutos que eu havia encontrado Bella no shopping e até agora nada dela aparecer, a onde ela estaria?!

Um Motel, talvez. Ou no carro do garoto lá mesmo no estacionamento do Shopping.

Levantei-me, mas sentei novamente.

Joguei a cabeça para trás reprimindo a cena da minha mulher sob o corpo de outro homem, arranhando ele e gemendo para ele.

- MERDA!

Peguei o telefone e disquei para o hospital.

- Alô?!

- Jéssica sou eu Edward Cullen... – Limpei a garganta – Queria saber se Ang está ai.

- Está sim. Dr.Cullen deseja falar com ela?!

- Bella também está ai?!

- Não. – Riu – Hoje é folga dela certo?! Lembra, aniversario de casamento...

- Sim, lembro. Obrigada.

Desliguei a merda do telefone.

Até a recepcionista se lembra que hoje é o dia do nosso casamento, mas Bella não.

E falando em Bella... porque ela havia mentido para mim?! A onde ela estava desde cedo?! Com quem?! Fazendo o que?!


# - 17h35min - #


- Pai, ta rolando alguma coisa?! – Nessie indagou. Olhei pelo banco retrovisor e neguei com a cabeça. – Então cadê a mamãe? Sempre que vocês têm folga juntos vem os dois me buscar.

- Sua mãe está meio... ocupada – Apertei os dedos no volante.

- A mamãe esqueceu-se do aniversario de casamento... – Anthony sussurrou para ela.

- OMG.

Soltei uma lufada de ar.

Quando chegamos a casa as crianças correram para o andar de cima, fui para a cozinha e peguei uma cerveja na geladeira voltando para a sala logo em seguida. Tirei minha camiseta a jogando sobre o outro sofá e liguei a TV.


# - 19h50min - #


- Pai, você vai virar bêbado?! – Anthony sentou-se ao meu lado no sofá, enquanto apontava para as latinhas de cerveja encima da mesa de centro.

- Não. – Sorri puxando-o para o meu colo – O papai te ama.

- É. Já esta bêbado.

- Não estou não.

- Ta sim!

- Não estou não.

- Ta sim!

- Anthony vai destruir as bonecas da sua irmã!

- Ok... – Deu de ombros, pulou do sofá e saiu correndo.

Deitei-me no sofá e fechei os olhos. Agora eu sabia exatamente como Bella se sentia a cinco anos atrás, quando ela era no meu lugar e sabia que o amor de sua vida estava com outra pessoa que não fosse ela, talvez fazendo coisas melhores, coisas que ela já havia se enjoado em mim e indo buscar em outros.

[...]

Lábios moviam-se contra os meus. Aspirei o ar, e com ele veio o perfume dela.

Abri os olhos e pisquei, tentando fazer com que eles se acostumassem com a luz da sala.

- Boa noite meu amor! – Bella estava deitada sobre mim beijando meu pescoço.

- Que horas você chegou?!

- Acabei de chegar. – Ela ergueu a cabeça sorrindo – Estou tão cansada.

- Deve ter trabalhado muito... – Ironizei.

- Aham. – Ela assentiu e voltou a me beijar.

Eu queria perguntar a onde ela estava e jogar em sua cara que a vi no shopping, mas não conseguia me controlar com suas mãos soltas. Uma delas puxava meus cabelos, enquanto a outra alisava meu peito nu.

A agarrei pela cintura e retribui ao beijo.

- Hm... – Ela empurrou-me – Eu queria muito terminar isso, mas preciso tomar banho.

E assim ela me deixou, duro, novamente. E com uma puta raiva.


# - 18h30min - #


Alisei meus cabelos enquanto andava de um lado para o outro esperando Bella descer.

Bufei, subi as escadas. Entrei no quarto e quase cai para trás quando Bella virou-se.


- Vai sair de novo?! – Perguntei descrente. – Esse vestido não está muito curto?!

- Vou encontrar sua irmã e não, não tem nada curto aqui. – Ela falou caminhando até mim, colando nossos lábios e saindo do quarto.

A acompanhei até a sala.

- Bella! – A segurei pelo braço.

- Sim?! – Ela virou-se sorrindo.

- Eu sei que você NÃO vai sair com Alice, eu sei que você NÃO foi trabalhar hoje.

- Vou sair sim. – Ela afirmou – Claro que trabalhei, o dia todo.

- ENTÃO COMO EU TE VI NO SHOPPING COM UM OUTRO HOMEM?!

- Eu... – Ela deu um passo para trás, mordendo os lábios.

- Você nada! – a cortei – Eu acordei tão animado, preparei seu café da manhã, queria fazer tudo para que nosso dia ficasse perfeito, mas você nem se quer lembro que HOJE é nosso aniversario de casamento. – Joguei os braços para o ar – Então descubro que você mentiu para mim, que não foi trabalhar, não adianta negar eu te vi com aquele rapaz. – Cuspi – Qual o problema? Eu já não te faço gemer alto o suficiente todo dia?! Você não me quer mais?! DIZ!

Bella fechou os olhos.

- JÁ CHEGUEI, JÁ CHEGUEI! – A porta foi aberta e Alice passou por ela.

- Alice eu vou TE MATAR! – Bella virou-se para a porta e fechou os pulsos – Eu disse que isso não ia dar certo!

- Parece que deu sim, olha a cara dele de desespero. – Minha irmã apontou para mim rindo.

Agora virei piada?!

- O que você quer aqui?! – Perguntei ríspido.

- Nervosinho... – Revirou os olhos – Vim ficar com as crianças.

Bella virou-se com a maquiagem borrada.

- Amor eu nunca esqueceria nosso aniversario. – Sussurrou com a voz embargada – Jamais te trairia... Céus! Estou me sentindo tão péssima por ter aceitado essa idéia doida da sua irmã.

Virei-me para Alice.

- Você...

- Sim. Eu sou do mal.

Bella excluiu o espaço entre nos e me abraçou, colando seus lábios nos meus.

- Me desculpa... – Ela choramingou contra meus lábios.

- Amor. – Apertei meus braços ao redor de sua cintura e voltei a beija-lá.

Pude ouvir risadas vindas da escada. Bella e eu nos separamos para ver Anthony e Nessie.

- Ele disse que você o deixou na mão. – Anthony apontou para mim – Literalmente.

- Edward! – Bella me empurrou.

- Vocês dois também sabia disso?! – Perguntei.

Os dois riram e assentiram.

- Foi divertido ver o papai andando de um lado para o outro.

- Agora vai tomar seu banho ou perderemos a hora no restaurante. – Bella sorriu, mordendo os lábios.

- Pensa pelo lado bom. – Alice entrou no meio de nos dois, separando-me de Bella. – Com as coisas que eu e Bella preparamos vocês vão ter quase uma segunda lua de mel.

Sorri.

- Mãe, ta coçando! – Anthony desceu as escadas e veio até nos.

- Parece mordida de pernilongo. – Toquei a pequena pelota em sua bochecha.

- Amor vai tomar banho. – Bella pediu pegando Anthony no colo – Enquanto eu passo um repelente nele.

- Tudo bem.

[...]

Bella e eu saímos do carro. Capturei sua mão quando cheguei próximo a ela. Entreguei minhas chaves ao manobrista, e entramos no restaurante.

- Sr e Sra. Cullen. – John sorriu – Pensei que não viriam esse ano.

- E deixar de comemorar nosso aniversario de casamento a onde o pedido foi feito. – Bella riu – Nem pensar.

Sim, eu me lembrava de quando pedi Bella em casamento, foi nesse mesmo restaurante, e desde então sempre jantamos aqui.

Passei meu braço ao redor da cintura de Bella, enquanto seguíamos John até nossa mesa.

- Tenham uma ótima noite. – Sorriu para nós. – E parabéns.

- Obrigada. – Sorri para ele.

Puxei a cadeira para Bella se sentar. Olhei para a que eu ia sentar, ela estava tão longe...

- Edward o que está fazendo?! – Bella perguntou rindo enquanto eu colocava minha cadeira próxima a dela. [leia-se: ao lado]

- Não acha que eu já fiquei tempo demais longe de você?!

Ela mordeu os lábios e inclinou-se para beijar-me.

- Eu te amo...

- Eu sei.

- Não parecia muito confiante. – Ela riu – Alice me disse que você quase chorou no Shopping.

- Eu?! – Me fiz de inocente – Que nada, confio no meu taco, Alice é quem exagerou.

Bella riu.

- Ciumento.

- Gostosa.

Puxei-a pela nuca, deixando a ponta de minha língua deslizar para dentro de sua boca. Deslizei minha mão por sua coxa. Bella gemeu contra meus lábios e me empurrou.

- Edward, comporte-se!

Endireitei-me na cadeira e acenei para o garçom.

- Senhor. – Ele sorriu enquanto se aproximava, ou melhor, sorriu... para Bella.

- Não, ela é senhora.

- Edward...

- Amor ele está dando encima de você!

- Oh não...

O rapaz pareceu amedrontado.

- Tudo bem. – Bufei – Traga-nos um vinho, o melhor vinho.

- Sim senhor.

Antes que ele saísse puxei Bella pela nuca, mostrando quem era o dono.

- Só isso?

- Estou com a boca ocupada... – Murmurei para ele.

- Edward! – Bella me empurrou. – Só isso sim, obrigada.

- Por nada.

O rapaz sorriu e se retirou. Olhei para minha mulher que estava rubra.

- Amor... – Comecei, mas ela me cortou.

- Porque tratou o rapaz assim?! – Ela puxou minha orelha.

- Ai! – Resmunguei.

- Ele te cantou! – Me defendi. Olhei para o seu corpo e suspirei. – O pior é que nem posso brigar com ele... – Aproximei-me colando meus lábios em sua orelha – Como pode chegar aos 4.0 e continuar gostosa?!

- Edward! – Bella me beliscou.

- O que falei de errado?!

- Minha idade!

- Eu errei sua idade?!

- Eu NÃO tenho 40 anos!

- Não?!

- Não!

Ela cruzou os braços um tanto chateada.

- E quantos anos você tem então?

- Trinta e... – O ultimo numero ela sussurrou em um tom inauditivo.

- Trinta e?!

- Trinta e oito!

- Nossa... grande diferença. – Revirei os olhos – Só falta dois!

- Idiota! – Resmungou – Nem sabe a idade da sua mulher...

- Ah, com o tempo a gente para de contar... – Soltei sem querer, mas achei melhor corrigir – Para que contar se você fica mais gostosa a cada ano?! É tipo Benjamim Button, ao invés de envelhecer você parece rejuvenescer.

Ela mordeu os lábios. Ponto pra mim.

O vinho logo chegou, quando o garoto ia servi-la, puxei a garrafa de sua mão.

- Pode deixar que eu mesmo sirvo minha mulher.

- Como o senhor desejar.

- É como eu desejo.

Ele saiu de nossa mesa, olhei para Bella sorrindo.

- O cliente sempre tem razão.

Ela revirou os olhos rindo. Peguei sua taça e a enchi de vinho.

- Edward você sabe que eu não sou boa com bebida.

- Sei... – Sorri maliciosamente. – Estou tentando te embriagar.

- Eu não sei se isso seria uma boa idéia eu não pos...

- Relaxa Bella, hoje é nosso aniversario de 10 anos de casado. – Beijei seu rosto enquanto lhe passava a taça – Merecemos um brinde. – Ergui minha taça. – A nós.

- A nós.

Nossas taças se chocaram, para logo depois bebermos.

- Antes que você fique bêbada...

- O que não vai acontecer.

-... deixa eu te dar o meu presente. – Tirei a pequena caixinha do meu bolso.

- Você quis dizer o meu presente. – Ela corrigiu piscando.

- O meu presente para você. – Abri a caixinha – É um anel de estanho. – Ri – Entendeu?! Bodas de estanho.

Bella riu enquanto puxava-me pelo queixo e colava nossos lábios.

- Obrigada. – Sussurrou mordendo meus lábios.

- Você merece muito mais. Afinal, são 10 anos me agüentando. - Segurei sua mão direita e coloquei o anel em seu dedo, beijando-o logo em seguida. – Olha que legal agora você é minha mulher-namorada.

- Bobo. – Bells pegou sua bolsa e a abriu, tirando de lá uma pequena caixinha. – Esse éum dos seus três presentes.

- Amor não precisava... – Falei a típica frase. Ela fez menção de puxá-lo de volta – Ok, precisava sim! - Peguei a caixa e abri, era um relógio. – Bells é lindo... Não tanto quanto eu, mas ainda sim é lindo.

- Ingrato! – Ela socou meu braço, para logo em seguida pega-lo arregaçar a manga e colocar o relógio. – Ainda continua o mesmo engraçadinho, nesses dez anos isso é o que ainda não mudou.

- Confesse Bells, você acha super sexy meu senso de humor.

- É...

- Eu te amo.

- Eu também.

Passei meu braço ao redor de seu ombro e a puxei para um beijo apaixonado.

- Beba mais um pouquinho.

- Edward é melhor nã...

Peguei a taça e levei até sua boca.

- Isso, bebe tudinho. – Sorri para ela - Prometo cuidar de você.

- Não vai ser necessário.

Não demorou muito para fazermos nossos pedidos. Bella entornava os copos de vinhos como se fossem água, e eu fazia questão de enchê-lo quando ela o esvaziava. Suas bochechas estavam levemente coradas e agora ela me olhava sorrindo, mas não era um sorriso normal ou carinho... aquele sorriso era maligno.

- Amor... – Ela encostou-se em mim e lambeu minha orelha – Posso brincar?!

A olhei espantado.

- Brincar?! – Ri – Brincar com o que?!... OW!

Assustei-me quando senti sua mão no meio das minhas pernas, as pessoas que ainda estavam no restaurante viraram-se em minha direção, dei um sorriso tremulo.

- Bells...

- Quer que eu pare?! – Ela indagou com a voz um pouco embargada.

- Sim... quero dizer não... Oh merda. – Segurei sua mão – Vamos embora?!

- Sim, mas não para casa, tenho a surpresa dois, para você.

Rapidamente ergui a mão para garçom.

- A Conta, por favor.

- Sim senhor.

Entrelacei meus dedos com os seus.

- Você não parece estar bêbada... – Toquei seu rosto.

- E não estou. – Deu de ombros.

- Então da onde veio essa coragem toda?!

- Só estava a fim de te provocar. – Sorriu – Na verdade eu não poderia nem estar bebendo.

- Por quê?!

- Depois conversamos sobre isso.

Dei de ombros. A conta chegou, eu a paguei e saímos do restaurante. Abracei Bella por trás enquanto esperava o manobrista trazer nosso carro.

- Para onde vamos agora? – Beijei seu pescoço.

- Você logo saberá. – Virou-se me abraçando pela cintura – Temos que recompensar o tempo que perdemos.

- Pode ter certeza.

[...]

Olhei pela janela e voltei a encarar minha mulher.

- No Motel?! – Indaguei surpreso.

- Não! – Ela revirou os olhos e apontou para o lado dela. – Tem um hotel desse lado aqui. – Riu – Por quê?! Tem vergonha de entrar com sua mulher em um motel?!

- Claro que não. – Desliguei o carro – Só estava surpreso, eu sempre soube que você nunca entraria em um lugar como esse.

Ela revirou os olhos.

- Claro que entraria. Com você, claro.

Ri.

- Vamos.

Sai do carro e dei a volta para abrir a porta para ela.

[...]

Bella e eu saímos do elevador nos beijando loucamente. Com dificuldade achei nosso quarto e o abri.

Fechei a porta e a prensei contra ela.

- Que saudades! – Toquei suas coxas e ergui um pouco seu vestido. Retirei sua bolsa de sua mão e a coloquei sobre um pequeno sofá que havia ali.

- Nunca mais aceito as... hm... idéias doidas de sua irmã.

- É bom mesmo! – Afastei-me para olhá-la – Acho que meu coração não agüenta mais um susto como aquele.

- Eu nunca te trairia.

- Que bom.

Enlacei sua pequena cintura e a ergui do chão. Seus lábios devoravam os meus enquanto caminhava com ela até a enorme cama redonda que havia ali no meio do quarto.

Delicadamente, deitei Bells na cama. Afastei-me para olhá-la.

- Linda... – Sussurrei sentando-me e puxando-a para meu colo.

Ocupei meus lábios em seu pescoço cheiroso, enquanto deslizava o zíper de se vestido e o abaixava. Suas pequenas mãos trabalhavam em minha blusa, desabotoando-a. Quando consegui abaixar um pouco seu vestido tive a bela visão da sua linda lingerie vermelha.

- Delicia! – Gemi.

- Presente numero três. – Puxou-me pelo cabelo, tirando meus olhos de seus seios para encará-la. – Você não se importa que eu use o seu presente, certo?!

- Corretíssima. – Deslizei as postas dos meus dedos pela suas costas chegando até o feixe e abrindo-o. – Mas prefiro você sem eles.

Bella riu afrouxando minha gravata.

- Já disse que você fica sexy de gravata?!

- Aham...

Ocupei minhas bocas com meus lindos e perfeitos seios.

- Amor... – Bella gemeu tirando minha camisa.

Suas mãos deslizaram arranhando-me desde os ombros até a base de minhas costas. Circulei minha língua em seus mamilos, mordiscando-os. Eu sabia que ela ficava doida com isso. Minha língua escorregou por entre seus seios, a deitei entre minhas pernas – enquanto as suas enlaçavam a minha cintura -, mordi sua barriga e lambi seu umbigo.

Puxei seu vestido para cima, retirando-o.

Apoiei um braço de cada lado de seu corpo e voltei a colar minha boca na sua. Bella retirou meu cinto e desabotoou minha calça. Ajoelhei-me para abaixar minha calça, coloquei as pernas para fora da cama, deixando a peça cair no chão.

Bella engatinhou até mim e sentou-se em meu colo, pondo uma perna de cada lado do meu corpo.

- Acho que é o momento idéia para te dar seu presente... – Sussurrou colando nossos lábios, mas o beijo agora não era feroz, era calmo.

- Mais um?! – Indaguei descrente – Não preciso de mais nada, você já me deu tudo o que eu queria.

Ela mordeu os lábios. Saiu do meu colo e caminhou até o sofá, onde estava sua bolsa e retirou de lá um papel.

- Um papel?! – Perguntei rindo. Ela voltou para o meu colo e entregou-me o papel.

- Para mim, é um papel muito especial.

Olhei a folha, meus olhos foram se arregalando.

- Oh meu Deus, você...

- Sim amor, vamos ter mais um bebê.

Desci meus olhos para sua barriga e sorri.

- Certo, esse presente é melhor que todos. – Levantei-me com ela em meu colo – Ou talvez empate com a lingerie – Brinquei.

- Amor! – Bella me socou.

- Brincadeirinha.

Seguei sua cintura e girei.

- EDWARD!

A coloquei na cama e me deitei por cima dela.

- Eu te amo mulher!

Pressionei meu membro contra seu ventre, ela gemeu.

Segurei o cós de sua calcinha e puxei para baixo, tirando-a. Desci beijando todo seu corpo até chegar entre suas pernas e abocanhar seu sexo.

- Oh! – Bella agarrou meus cabelos, puxando-os com força.

- Seu gosto continua o mesmo amor.

Pressionei seu clitóris com meu polegar, enquanto a penetrava com minha língua.

Não demorou muito para suas pernas tremerem, denunciando que seu orgasmo estava próximo. Então me afastei.

- Ed... – Bella resmungou.

- Calma amor. – Tirei minha cueca boxer – Quero que você chegue comigo dentro de você.

- Oh... - Ela mordeu os lábios, enquanto eu me encaixava nela.

- Não reprima amor. – Beijei sua testa – Não estamos em casa, ou seja, não precisa ter medo de gemer alto e acordar as crianças.

- O..k.

Sai de dentro dela, para voltar logo em seguida, com força e agilidade.

- Céus! – Bella afundou suas unhas em minhas costas. – Isso amor...

Apoiei um braço de cada lado de seu corpo buscando apoio para dar a ela mais prazer.

Seus olhos reviraram enquanto ela gemia loucamente. Sim, Bella tinha levado a serio a possibilidade de gemer alto.

Deitei-me ao lado e a puxei para cima de mim, deixando ela no controle, como ela gostava como eu gostava.

Não demorou muito para que nos dois chegarmos sincronizados em um delicioso orgasmo.

[...]

- Acho que é espinha... – Bella murmurou enquanto olhava meu rosto. – Está entrando na puberdade?

- Engraçadinha. – Apertei a espinha – Vou estourar.

- Edward! – Bella puxou minha mão. – Você sabe que não pode estourar.

- Mas eu quero.

Ela me olhou com a cara fechada.

- Ainda são 3 horas, vai querer fazer amor ou ficar discutindo sobre sua mais nova espinha.

Fingi pensar.

- Ok. – Me levantei da cama e entendi a mão para ela. – Vamos tomar um banho bem gostoso.

- Ótima escolha. – Pegou minha mão.

Eu a puxei para meu colo e beijei seus lábios, enquanto seguia para o banheiro. Quando chegamos lá, a coloquei no chão e liguei torneira, deixando a água cair e encher a banheira. Virei-me para falar com Bella, mas ela já não estava ali.

- Amor?! – Chamei.

- Já estou de volta.

Entrei na enorme banheira redonda e encostei-me à borda.

Fechei os olhos deixando a água quente relaxar meus músculos. Ouvi a porta de o banheiro ser aberta e logo em seguida fechada. Abri meus olhos vendo Bella entrar na água e se sentar de costas para mim, entre minhas pernas.

- Pelo que eu saiba você não devia beber... – Peguei uma das taças que estavam em suas mãos.

- É só hoje. – Deu de ombros deixando seu corpo encostar-se a meu peito.

Beijei seu pescoço e pousei minha mão livre em seu ventre. Bells deixou sua taça na borda da banheira e virou-se de frente para mim. Arrastei-me para frente, deixando espaço para ela me enlaçar com suas pernas.

- Estou excitada... – Sorriu, enquanto prendia o cabelo em um coque.

- Adoro quando você fica safada. – Apertei seu corpo contra o meu.

- Eu sei.

Ri em sua boca, enquanto nos beijávamos.

Suas mãos agarraram meus cabelos, puxando-os. Bella tirou a taça de minha mão, bebeu um pouco e logo depois a colocou junto a sua.

- Faz tempo que não fazemos amor dentro de uma banheira... – Sussurrei.

Bella afastou-se rindo.

- Edward faz dois dias só!

- Dois dias para mim é muito. – Dei de ombros. Escorreguei minha mão por seu corpo, até chegar a sua intimidade – Hm... já está pronta.

- Aham... – Bella rebolou em meu colo, deixando-me imediatamente duro, ela riu – Você também.

Não respondi, ergui seu quadril encaixando-me nela.

Suas pequenas mãos agarraram meus ombros, enquanto começava a subir e descer sobre mim.

Abocanhei um de seus seios e belisquei o outro. Bells jogou a cabeça para trás, urrando.

Agarrei sua cintura, ajudando ela a subir e descer em um ritmo mais acelerado. Apoiei minha testa em seu busto quando senti nosso orgasmo chegando. Minhas pernas amoleceram, Bella tremeu em meu colo enquanto explodia junto comigo.

- Céus... eu estou... cansada.

- Um dia você me mata mulher.

Sorrimos um para o outro. Segurei seu rosto em minhas mãos beijando seus lábios lentamente.

Terminamos nosso banho e fomos para o quarto, desabando na cama. Puxei o lençol para cobrir nosso corpo nu. Bella aconchegou-se em meus braços, enlaçando minha cintura com seu braço e jogando sua perna direita sobre as minhas.

- Eu te amo meu amor, durma bem... – Ela murmurou em meu ouvido.

- Eu também te amo princesa. – Beijei sua testa – Durma bem.

- Eu vou...

Sorri.

Virei-me de lado, apertando Bella em meus braços. Então, de repente, uma pergunta se formou em minha cabeça.

- Bells...

- Hmmm?!

- Quem era aquele rapaz do Shopping?

Ela riu contra meu peito.

- Alice o contratou. – Deu de ombros.

- Certo.

- Não precisa ter ciúmes meu amor... – Ela empurrou-me e deitou sobre meu peito. – Eu amo só você.

- Promete que vamos envelhecer juntos?

- Prometo.

- Vai me amar para sempre?

- Para sempre!

- Até quando meu amiguinho não subir mais?!

Ela gargalhou.

- Isso eu não posso te prometer. – Falou brincalhona.

Revirei os olhos rindo. Bella enterrou sua cabeça em meu pescoço e beijou o local. Fechei os olhos sentindo o sono começar a chegar.

- Ed?

- Hmm?

- Eu prometo.

- Promete o que?!

- Te amar até você não subir mais. – Mordeu meu pescoço – Você ainda vai ter dedos e boca...

- Pervertida. – Ri – Sabe, eu tava pensando aqui...

- O que?!

- Que tal uma segunda lua-de-mel?! Nós dois em um lugar distante, de preferência em um quarto e sem roupa.

- Adorei a idéia.

[...]

# - No outro dia - #


POV Bella


- Bells, desliga esse celular! – Edward Implorou.

- Espera...

Sentei na beira da cama e retirei o celular de Edward do bolso de sua calça – que estava jogada no chão, ao lado da cama.

Olhei o aparelho e arfei.

25 Chamadas não atendidas do celular de Alice

O celular voltou a tocar em minha mão.

- Alô?! – Atendi um pouco grogue.

Bella?!

- Alice? Aconteceu algo?! – Indaguei preocupada. Edward sentou-se na cama, esfregando os olhos.

Bem... – Ela pausou – Digamos que não é algo grave.

- Nada grave?! Você me ligou 25 vezes. – Falei descrente – Conte-me.

- É que Anthony e Renesmee estão com... febre.

- Tem certeza?! – Indaguei rindo, da ultima vez que você ficou com Anthony e me ligou disse que ele havia feito um corte enorme e achava que ia precisar amputá-la. – Revirei os olhos lembrando-me do desespero que passei – Quando cheguei ai era só um PEQUENO CORTE no joelho.

- Talvez eu tenha exagerado um pouco naquele dia. – Ela riu – Mas eu coloquei o termômetro neles, e sim eles estão com febre.

- Obrigada Alice, estaremos ai o mais rápido possível.

- Pode ficar tranqüila que eles ainda estão dormindo.

- Certo. Obrigada de novo Lice.

- Por nada cunhada. – Ela riu – Mas me diz como foi sua noite?!

- Longa e... prazerosa.

- OMG, depois quero saber os detalhes.

- Tchau Alice.

Desliguei o celular rindo.

- O que houve?! – Os braços de Edward fecharam-se em minha cintura.

- Anthony e Nessie estão com febre. – Suspirei. – É melhor irmos embora.

- Só depois do meu beijo de bom dia.

Sorri virando para beijá-lo.

- OMG. – Tampei minha boca ao ver o rosto de Edward.

- O que?! – Perguntou nervoso – Você está me olhando como se eu estivesse deformado...

- Amor vamos embora.

- Bella o que tem em meu rosto? – Ele pulou da cama e foi até o espelho – O.M.G.F.

[...]

[N/A: Eu pesquisei e fiquei sabendo que isso é possível ok?!]

- Como eu imaginei. – Murmurei rindo.

- Lembro-me de que só Alice ficou com catapora. – Esme falou.

- Certo. – Suspirei – Vou cuidar dos meus três pintadinhos.

- Se precisar de algo me liga Bella.

- Pode deixar. Até mais Esme.

- Beijos querida.

- Beijos.

Desliguei o celular e voltei a olhar para cama.

- Isso só pode ser brincadeira... – Edward resmungou – Estou me sentindo uma criança.

- Mãe, isso vai ficar pra sempre em mim?! – Anthony perguntou enquanto coçava a ferida em seu pescoço.

- Amor, não coce. – Caminhei até a cama e tirei sua mão do pescoço – Se você coçar vai ficar marcado.

- Mas coça muito! – Renesmee esfregou as costas na cama.

- É Bella, coça muito.

Revirei os olhos rindo.

- Edward você já não é mais criança. – Sentei-me na beira da cama – Eu sei que catapora com a sua idade é a pior, então seja maduro e não coce.

- Até aonde esse troço nasce?! – Anthony perguntou.

- Em todo o corpo.

- Bells... – Edward olhou-me com os olhos serrados. – O que você quis dizer com “em todo o corpo”.

Mordi os lábios prendendo um riso.

Os olhos de Edward se arregalaram, ele pulou da cama e correu para o banheiro.

- MERDA! – Ele gritou de lá de dentro.

Não demorou muito para um Edward carrancudo sair do banheiro e vir se deitar na cama.

- Eu não acredito nisso... – Resmungou.

- Amor, vai passar.

-... Oh meu Deus, eu vou morrer...

- Edward.

-... o que vai ser de mim sem poder me aliviar com minha mulher gostosa...

- Amor.

-... Deus sabe quando tempo essa merda pode durar.

O único modo de calá-lo foi jogar-me sobre ele colando nossos lábios, Nessie e Anthony riram.

- Pronto?! – Descolei nossos lábios e continuei deitada sobre seu peito.

- Pronto. – Bufou. – Mas e nossa segunda lua-de-mel?!

- Fica para a próxima. – Dei de ombros.

- O que é lua-de-mel?! – Anthony arrastou-se pela cama, sentando ao nosso lado. – É de comer?!

- Digamos que sim.

- Edward! – Puxei os pelos de seu braço.

- Ai Bella.

- Que gosto tem pai?! Eu quero!

- Viu o que você fez?! – Murmurei chateada para Edward. – Bebe... – Sai de cima de Edward me deitando ao seu lado e puxando Anthony para meus braços – Digamos que lua-de-mel é uma viajem...

- EBA! – Nessie jogou os braços para o ar – Quando nós vamos?!

-... que marido e mulher fazem, sozinhos. – Edward terminou minha frase, enfatizando bem o “sozinhos”.

Anthony e Renesmee fizeram um bico idêntico ao de Edward.

- Talvez o papai não se importe de ir à família toda... – Falei tentando alegrar meus dois bebês.

- Eu acho que ele se importa sim.

- Edward!

- Bella!

Ignorei meu marido e voltei a olhar para minhas crias.

- Nas férias nós cinco vamos viajar.

Anthony vibrou, Nessie franziu a testa e começou a contar nos dedos.

- Cinco?!

Mordi os lábios e olhei para Edward.

- Você ainda não... – Ele gesticulou com a mão.

- Não. – Neguei – Você foi o primeiro a ficar sabendo.

Ele sorriu e passou seus braços por cima de mim, abraçando todos nós.

- O papai e a mamãe têm que dar uma noticia a vocês. – Edward falou.

- O que?!

- Bem... – Sorri – Digamos que em breve nossa família crescerá.

- OMG! – Nessie gritou – Mamãe você está grávida?!

- Exatamente!

- Que... demais! – Ela falou empolgada e depois cotovelos Anthony – Só espero que dessa vez venha uma menina, ela vai ser delicada com MINHAS bonecas.

- Quem sabe você também não acerta dessa vez. – Toquei sua bochecha.

[...]

 # - 4 meses depois - #


POV Edward


- Nessie, cuidado com a água! – Bella alertou novamente.

Anthony e Nessie rolavam pela areia da praia. Sim, Bella havia conseguido me convencer a trazê-los conosco.

- Eles estão crescendo tão rápido... – Minha mulher resmungou enquanto sentava entre minhas pernas e descalçava sua cabeça em meu peito.

- Sim. – Ri abraçando ela pela cintura e pousando minhas mãos em sua barriga – Essa aqui também.

- Nossa pequena Marie. – Suas mãos pousaram sobre as minhas.

Beijei seu pescoço sentindo o cheiro de seus cabelos. Encostei minha testa em seu ombro apertando-a em meus braços.

- Bells?!

- Sim? – Ela virou-se rindo.

- Eu te amo.

Antes que ela respondesse, a deitei no lençol - que estava nos protegendo da areia quente - e colei meus lábios nos seus. Lábios dos quais sempre seriam meus e de mais ninguém. Era impossível descrever o amor que eu sentia por aquela mulher, não existem palavras para explicar. Eu era tão grato por esse amor ser correspondido, por ela nunca ter desistido de mim e principalmente jamais ter deixado de amar-me.

- OW SURUBA!

Bella empurrou-me e se sentou para olhar Anthony que já corria.

- VOCÊ ESTÁ PROIBIDO DE FICAR PERTO DE EMMETT! – Ela gritou – E SE FALAR ISSO DE NOVO VAI FICAR SEM A LINGUA!

Ri puxando-a para meus braços.

- Edward não ria. – Bella resmungou. – Isso ele puxou de você.

- Aham, safado como o pai.

- Sim. – Ela sorriu colando seus lábios nos meus – E só para lembrar... Eu te amo.

Abracei com força.

- Eu também te amo.


  * FIM *

2 comentários:

Anônimo disse...

lindooooooooooooooo

dhêê disse...

adoreiiiii

Postar um comentário