Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

09/01/2011

I'll Be There For You - Epilogo

Epilogo

POV Bella

Carlisle voltou a rir, deixando-me mais irritada do que eu já estava.

- Carlisle... – Gemi, agoniada.

- Querida relaxe. – Meu sogro sorriu para mim – É apenas seu casamento.

- Apenas meu casamento? – Ri apavorada – É o sonho da minha vida se concretizando. Desde que Edward e eu namorávamos passávamos horas planejando como seria esse dia.

- Então o que te aflige?

- Não sei. – Rolei os olhos – Tipo... A hipótese de eu chegar lá e meu noivo ter fugido.

Eu não achei a mínima graça, mas Carlisle voltou a rir.

- Ele estaria louco caso isso aconteça. – Ele arregalou os olhos percebendo o que havia dito – Claro que ele não iria fazer isso, de maneira alguma. Querida, fique tranqüila, meu filho te ama muito. – Seu braço enlaçou meu ombro.

- Obrigada... – Deitei minha cabeça em seu ombro, com cuidado para que meu penteado não desmanchasse. – Eu também o amo muito.

O carro parou. Carlisle beijou minha testa.

- Eu sei disso garota, é por isso que estamos aqui, certo?

POV Edward

- Desse jeito você vai fazer um buraco no gramado... – Meu irmão bufou uma risada. Eu apenas o ignorei.

- Ela está atrasada! – Gemi passando meus dedos por meus cabelos.

- Querido, acalme-se. – Minha mãe sorriu, aproximando-se de mim e arrumando minha gravata – É normal a noiva se atrasar.

- É isso ou ela fugiu com o papai. – Emm brincou.

Cerrei os olhos. Seria possível?

Minha mãe socou meu ombro rolando os olhos e rindo.

- Edward não deixe seu irmão te influenciar.

Assenti. Minha mãe tinha razão. Bella e eu nos amávamos.

Não pude deixar de sorri quando olhei para o jardim todo decorado. Alice havia conseguido reservar o jardim e o salão do Hotel Palace, onde aconteceria a festa e também nossa lua de mel. Enfim, nosso casamento estava sendo da maneira com sonhávamos. Bella e eu havíamos concordado em fazer uma simples cerimônia – que não deixaria de ser linda – afinal, os convidados eram algumas pessoas do hospital, minha família e alguns colegas meus.

Infelizmente não seria hoje nossa lua-de-mel, quero dizer, teríamos apenas uma noite para nós dois, e isso não pode ser considerado uma lua-de-mel.

O motivo? Bom, o motivo era a coisinha linda que se mexia agitada no colo de Alice. Lizzie estava com apenas 6 meses e já podia se notar o quão parecida com Bella ela era. Seus cabelos, sua boca... Linda como a mãe. De mim, ela só tinha a cor dos olhos.

Quando voltei a olhar para o fim do tapete vermelho meu coração disparou.

Minha futura mulher estava lá, de braços dado com meu pai. Sorri. Ela estava incrivelmente linda. Seu vestido era simples, mas isso não interferia em nada, eu podia jurar que ela estava mais bonita do que... ok, ela sempre está bonita.

- Eu ainda acho que ela não devia usar branco... – Meu irmão-padrinho sussurrou – Branco é para pessoas puras...

Eu não ouvi mais nada do que Emmett balbuciava. Minha concentração estava em Bella que caminhava em minha direção ao som da marcha nupcial.

- Bella é pura... – Rosalie fingiu que tossia – Pura sacanagem.

Mais tranqüilo por saber que agora não havia mais jeito dela fugir me permitir rir.

- Comportem-se crianças. – Minha mãe ralhou.

Bati o pé impaciente. Quantos metros tinham aquela porra de tapete? Porque raio Bella estava demorando tanto? Lancei um olhar mortal para meu pai que torceu os lábios e passou a guiar Bells um pouco mais rápido.

Alguns segundos depois ela estava a minha frente. E eu? Bem, eu não conseguia mexer minhas pernas.

- Vai pegar ela manezão. – Emm me empurrou.

Dei dois passos em sua direção, sorrindo como bobo.

- Cuide dela filho... – Meu pai entregou-me sua mão.

- Eu cuidarei pai. – Prometi. Voltei a encará-la e me aproximei colando meus lábios em sua testa. – Oi amor.

- Oi – Ela sorriu ruborizando.

Lizzie deu um pequeno gritinho quando viu a mãe.

- Não sou apenas eu que estou com saudades... – Toquei a bochecha dela – Você está linda.

- Você também. – Bella mordeu os lábios tocando minha gravata. – Mas... isso é...

- É. – Assenti – O presente que você me deu quando morávamos em Forks. Eu só a uso em ocasiões especiais e bom, hoje é um dia especial.

Peguei sua mão e entrelacei nossos dedos. Antes de encarar o padre eu a admirei por mais alguns segundos.

Como podia existir criatura tão linda?

POV Bella

Edward escorregou seu polegar por minha bochecha e eu fiz o mesmo, enxugando as lágrimas que molhavam seu rosto. Depois, segurou minha mão esquerda e deslizou em meu dedo a aliança de ouro que Thony havia trazido para nós.

Meu marido beijou minha aliança e sorriu.

Peguei sua mão e repeti o ato de deslizar o pequeno aro de ouro por ali a beijando em seguida.

E então, o padre finalmente pode selar nossa união.

-... Eu vos declaro marido e mulher. Rapaz pode beijar sua noiva.

Os braços de Edward fecharam-se em minha cintura, imediatamente joguei meus braços ao redor de seu pescoço, puxando-o para mim.

Beijamo-nos lentamente, afinal, não precisávamos ter pressa.

[...]

Suas mãos deslizaram por minhas costas, colando nossos corpos. Deitei minha cabeça em seu ombro e fechei os olhos.

- Está como nos sempre sonhamos... – Sorri.

Edward afastou-me de seu corpo e fez com que eu girasse.

- Você sabe que agora não tem como fugir mais. – Ele voltou a me abraçar.

- Eu nunca fugi de você. – Enlacei seu pescoço. Paramos de dançar. Estiquei-me na ponta dos pés e colei meus lábios nos dele. Um beijo calmo e delicioso.

- Ei, não monopolize a noiva. – Separamo-nos para olhar Carlisle. – Deixe-me dançar com minha nora.

Depois de Carlisle dancei com Emmett, Jasper e Jacob. Agora, eu estava dançando com o segundo homem da minha vida.

- Se você não fosse minha mãe, eu pegava fácil. – Anthony abraçou minha cintura, dançando comigo. – Mas não conte isso para Karine, ela é ciumenta.

- Desculpa meu anjo, mas eu não daria muita bola para você – Alisei seus cabelos – Seu pai ainda continuaria sendo o único para mim.

- Eu sei. – Ele sorriu para mim – E você seria acusada de pedofilia.

- Aham.

- Vou dançar com minha mina. – Meu filho beijou minha mão e correu até uma das mesas onde Karina estava sentada com os pais.

Sorri ao ver Edward se aproximando de nós, com Lizzie no colo.

- Oi minha lindinha. – Abracei Edward e colei meus lábios na bochecha dela. Suas pequenas mãozinhas agarraram meu rosto.

Eu a peguei do colo de Edward e seguimos juntos para a mesa,onde nossa família estava. Dei uma piscada maliciosa para Jasper que babava em Alice. Ele mordeu os lábios prendendo o riso e voltou a conversar com ela.

Sentei-me ao lado de minha mãe e Edward ao meu lado. Esme se apressou em puxar minha filha do meu colo, quando eu disse que ela a mimaria eu não estava enganada.

Edward inclinou-se beijando meu pescoço. Meu corpo tremeu, fazendo-o rir.

- Será que podemos cortar logo o bolo? – Ele indagou em um sussurro. – Estou louco para tirar esse seu vestido.

Fechei meus olhos e abafei um gemido em seu ombro.

POV Edward

- Joga logo essa merda amor... – Sussurrei pelo canto dos lábios.

- Espera Edward! – Bella respirou fundo e se preparou para jogar o buquê.

Ela o arremessou e um bando de mulher encalhada tentou pega-lo. Gargalhei quando vi a cara de Jacob quando Tânya ergueu o braço segurando o buquê e correu até ele, beijando-o.

Todas as pessoas bateram palmas. Aproveitei que todos estavam dando atenção a Tânya e Jacob que ainda estavam agarrados e sai puxando Bella em direção ao elevador. Assim que ele abriu eu a empurrei para dentro, prensando-a contra no canto. Enterrei uma de minhas mãos em seu cabelo, enquanto a outra deslizava por seu vestido azul e curto.

- Amor! – Ela me empurrou ofegante – Sabia que aqui tem câmeras?

- Então temos que fazer bonito. – Voltei a beijá-la, mas ela voltou a me empurrar.

- Aqui não.

- Ok.

Esperei o elevador parar e sai arrastando-a em direção a nossa suíte. Meus lábios estavam colados isso dificultou um pouco quando tente abrir a porta.

Bella se afastou, retirou o cartão da minha mão e abriu facilmente. Antes que ela entrasse, eu a peguei no colo, chutando a porta.

- Edward... – Ela resmungou rindo.

- Amor, isso é tradição, vamos seguir. – Caminhei com ela até a cama, deitando-a ali.

Voltei até a porta, fechando-a. Encostei-me nela enquanto admirava minha linda mulher na cama. Bella mordeu os lábios enquanto começava a deslizar a alça de seu vestido.

Levei minhas mãos ao meu cinto, abrindo-o, depois retirei meus sapatos, minha meia e minha calça.

Voltei até a cama, ajoelhando-me no colchão, de frente para ela. Agarrei a barra de seu vestido retirando-o, Bella ergueu os braços para facilitar. Afrouxei minha gravata enquanto ela empurrava meu palito para o chão e se apressava em abrir os botões da minha camisa.

- Depois de um ano e pouco, vamos fazer amor sem ter medo de acordar alguém... – Ri enquanto deslizava minha mão por suas costas, procurando pelo feixe daquela lingerie sexy e a abrindo.

Bella gemeu uma risada. Sentei-me na cama e a puxei para meu colo, afundei meu rosto naquelas duas coisas maravilhosas fazendo-a suspirar. Enquanto sugava seus seios desci minha mão para sua bunda, apertando.

- Edward... – Seus dedos prenderam-se em meus cabelos e seu quadril roçou contra meu pau.

Contornei seu mamilo com a ponta da minha língua. Eles ficaram mais rígidos que já estavam.

- Você amamentou Lizzie? – Lambi os lábios, sentindo o gosto – Está com um gosto de leite.

- Você nem me deixou falar. – Ela sussurrou arfando.

- Amor, lamento. Essa noite você não vai falar nada, só gemer. – A deitei na cama, encaixando-me entre suas pernas – A não ser que seja algo como Edward, Edward, mais forte gostoso.

- Vem logo.

Minha mulher riu enlaçando minha cintura com as pernas. Corri minha mão por toda sua coxa, até alcançar o cós de sua calcinha e a descer. Mordi os lábios admirando aqueles lábios vermelhinhos e molhados. Ela retirou as pernas da minha cintura para que eu pudesse passar sua calcinha por seus pés.

Lambi os lábios enquanto segurava seus quadris e me inclinava, provando seu gosto.

- Oh Deus...

Meus cabelos quase foram arrancados por ela. Pressionei meu dedão em seu clitóris enquanto escorregava minha língua por sua gruta até chegar a sua entrada e a penetrar. O corpo de Bella tremeu e seu gozo jorrou em minha boca.

- Essa foi rápida amor. – Sorri sentando-me na cama, sobre minhas próprias pernas, enquanto ela desfalecia na cama. Levei minha mão ao meu membro e o massageei sem tirar os olhos da minha gostosa. Bella se apoiou nos cotovelos e mordeu seus lábios, analisando o que eu fazia. – Me da uma mãozinha aqui amor.

Minha mulher engatinhou até eu arrancando minha mão do meu amiguinho.

- Deixe-me brincar um pouquinho também.

Ela se sentou em meu colo, deslizou a cabeça do meu pau por sua gruta molhada e se contraiu.

- Vem... – Tentei abaixar o corpo dela, mas ela me tirou de seu interior.

- Edward você já fez o que quis agora é minha vez.

Passei a mão por sua cintura ao ver ela se encaixar em mim novamente. Sua boceta apertada engolindo meu pau e ela, novamente, contraiu aquela belezura. Cerrei os olhos entendendo o que ela pretendia com aquilo.

- Não me maltrate assim amor...

- Shhh...

Sua sessão de tortura durou mais alguns minutos já que eu gozei rapidamente. Bella me colocava dentro dela, se contraia ao redor do meu pau e depois o retirava de dentro dela.

- Eu te maltratei e você me maltratou. – A deitei na cama, deslizando meu membro para dentro dela – Agora me deixe te amar um pouquinho?

- Não precisa pedir amor.

Comecei a me mover em um vai-e-vem frenético. Minha mulher rebolava sob meu corpo, pedindo por mais.

- Ed... Mais... Oh... Assim...

Mordi sua boca abafando nossos gemidos. As unhas dela deslizavam por minhas costas nua e soada.

- Vem delicia, goza comigo.

Nossos corpos estavam próximos demais, eu via em seus olhos o prazer e o desejo que ela estava sentindo. Colei minha testa na sua.

- Eu te amo, Bella. – Sussurrei. Seus olhos se fecharam e voltou a abrir logo em seguida. Um pequeno sorriso cresceu em seus lábios.

Os movimentos que estavam rápidos voltaram a ser lentos, logo suas mãos deslizaram por minhas costas.

Em nenhum momento ela desviou o olhar do meu, enquanto mantinhamos o contato visual meus movimentos voltaram a se intensificaram. Nós estávamos enroscados de uma maneira tão linda e óbvia de mostrar nosso amor.

Ergui um pouco a cabeça e fechei os olhos, o prazer era inestimável. Nossos gemidos eram um som diferente, o único som que inundava aquele lugar. O mais especial era ouvir meu nome misturado aos seus gemidos. Abri os olhos e a puxei para mim, o beijei fervorosamente, ela correspondeu o beijo e então alcançamos o ápice da relação. Eu me deitei ao seu lado e a puxei para cima de meu peito.

Escorreguei meus dedos por suas costas enquanto tentávamos corrigir nossa respiração acelerada e os batimentos de nosso coração.

Ela ergueu a cabeça com um sorriso estampado no rosto, eu sorri também e a beijei novamente, seus braços envolveram minha cintura. Ficamos ali em silêncio por alguns instantes, apenas apreciando o que tínhamos acabado de fazer.

A encarei seus dentes prendiam seus lábios, sorri e coloquei seu cabelo atrás da orelha.

- Eu te amo Edward.

- Eu te amo mais ainda Sra. Cullen.

(...)

Vi Anthony correndo de Emmett e subindo encima do sofá.

- Pique-picolé saiu na hora que eu quiser. – Meu primogênito exclamou fazendo meu irmão bufar. Não demorou muito para eles saírem correndo e depois voltarem, mas dessa vez foi Emmett quem subiu no sofá. – Sai do pique o pique é meu, foi à onça que me deu.

Meu irmão, sem outra solução, teve que sair do pique.

Voltei minha atenção ao meu notebook e continuei a digitar um processo.

- Oi amor... – Os braços da minha mulher enlaçaram meu pescoço enquanto sua voz sussurrava em meu ouvido.

Virei-me sorrindo.

- Voltou cedo hoje. – Mordi os lábios puxando-a para meu colo.

- Sim, mas é porque eu preciso estar de volta ao hospital mais cedo.

Fiz bico e desci meus olhos por seu corpo.

- Já disse que fico excitado quando te vejo vestida assim? – Minhas mãos infiltraram-se em sua blusa branca. – Fico até com vontade de ficar doente só para você poder cuidar de mim.

- Deixe de ser bobo. – Sua boca se colou na minha, mas ela logo se afastou quando Anthony e Emmett entraram de novo na sala, claro que meu filho foi mais esperto e subiu primeiro no sofá.

- Sai do pique porque ele é meu, não lembro quem, mas me deram. – Meu irmão inventou sua própria frase fazendo Thony gargalhar.

- Não! É “sai do pique o pique é meu, foi à onça quem me deu”.

- Mas foi isso que eu disse.

- Foi não.

- Foi sim!

- Foi nãaooooo!

Bella se levantou do meu colo e foi até o sofá.

- Sai do sofá porque ele é meu, foi o seu pai quem me deu.

- Ah mãaeeeeeeeeee...

- B Thony. – Ela riu pegando-o no colo e o colocando no chão. – Onde está sua irmã?

- Com as vovós, lá na cozinha. Papai fez ela dormir no carinho.

Bella me olhou mordendo os lábios.

- Acho que vou aproveitar e tomar um banho. – Piscou para mim.

Senti meu pau pulsar. Esperei ela subir as escadas e logo salvei os arquivos e fechei meu notebook, disparando escada acima, a alcancei no topo da escada. Enlacei sua cintura por trás e enterrei meu rosto em seus cabelos.

A porta do quarto de Lizzie abriu e minha mãe passou por ela nos olhando com as sobrancelhas arqueadas.

- Eu sei, não vou dizer nada. – Ergueu a mão – Mas por enquanto dois é o suficiente, controlem-se ok?

- Mãe! – Rolei os olhos.

Bella riu.

- Pode deixar Esme.

Esperei minha mãe descer as escadas para forçar o corpo de Bella voltar a andar em direção ao nosso quarto. Ela abriu a porta para entrarmos, soltei-a virando-me para fechar a porta e quando rodei novamente ela já não estava ali. Olhei para o chão sorrindo maliciosamente para suas peças de roupa. Segui cada peça com meus olhos, até que a vi na porta do banheiro, semi-nua.

- Vai ficar ai?

Não importava quantas vezes eu a tivesse para mim, isso só faria com que eu a desejasse mais e mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário