Bem vindos ao Fanfics da Cah. Sou Camila Cocenza, futura garota de programa! E não, não é o que estão pensando, apenas pretendo cursar Engenharia da Computação. Para mais informações: cahcocenza@hotmail.com

09/01/2011

I'll Be There For You - Bônus III

Bônus III – I’ll Be There For You

Alguns Dias Depois...

POV Bella

- Nossa, que legal! – Anthony pulou do sofá – Tomara que seja um menino.

- Nós ainda não sabemos disso amor. – Sorri para meu filho. Edward cutucou minha cintura e apontou para Lizzie. Nossa menininha estava sentada na outra ponta do sofá, balançando as perninhas e olhando para o outro lado da sala. Edward e eu nos aproximamos dela, parando em sua frente. – O que foi princesa?

- Não gostou da novidade? – Meu marido se ajoelhou e tocou os cabelos dela.

- Não quelo mais imão.

- Mas pode ser que venha uma princesinha linda, igual a você – Toquei a bochecha rosada de Lizzie.

- Ela está com ciúmes. – Thony se aproximou, sentando-se ao lado da irmã e a abraçando – Sabe Liz, eu também fiquei com ciúmes de você quando papai e mamãe falaram que iam ter outro filho. – Meu mini Edward torceu os lábios – Eu achava que eles iam amar mais você do que eu, e olha só, eles ainda me amam mais.

- NÃO!

- Thony assim você não ajuda...

- Estou brincando Liz.

- Ta?

- Aham.

- Nós amamos vocês da mesma maneira. – Me ajoelhei para beijar a bochecha dos dois – E isso não vai mudar nunca.

- A mamãe está certa. – Edward concordou tocando minha barriga – Amaremos os três da mesma maneira.

- Juram juradinho?

- Juramos princesa.

- Ta bom. – Lizzie pulou do sofá, nos abraçou e foi brincar com Anthony no quintal.

- Ela é ciumenta como você. – Edward levantou-se e me ajudou ficar de pé.

- Ok, tem certeza que só eu sou à ciumenta aqui?

Ele torceu os lábios.

- Talvez eu seja um pouquinho, mas isso é diferente, eu tenho que tomar conta do que é meu.

Rolei os olhos e dei as costas para ele, indo em direção a cozinha.

- Contou para eles? – Minha mãe perguntou assim que eu entrei na cozinha, sendo seguida por minha sombra ciumenta e amada: Edward. Era assim como eu havia apelidado-o ontem. Fazia quase duas semanas que descobri minha gravidez e ele não parava de me seguir e regular o que eu poderia comer ou não.

- Sim. – Puxei uma cadeira e me sentei – Lizzie ficou um pouco enciumada, mas entendeu tudo.

- Já contaram a Esme e Carlisle?

- Ainda não. – Neguei. – Vamos contar amanhã, quando eles chegarem aqui.

- Hm...

Suspirei rindo. Eu estava cercada de ciumentos. Todos sabiam que minha mãe e Esme morriam de ciúmes uma da outra.

- Do que está rindo amor?

O ciumento mais gostoso do mundo abraçou-me por trás.

- Mamãe está com ciúmes.

- Não estou não.

- Todo mundo sabe que você e minha mãe têm inveja uma da outra.

Renée fingiu não ouvir. Joguei minha cabeça para trás rindo, Edward aproveitou a situação para me roubar um beijo. Levei minha mão aos seus cabelos, aprofundando mais o beijo.

- Se vocês continuarem assim poderemos formar um time de futebol.

- Mãe! – Me afastei de Edward rindo – Não é bem assim.

- Mas a idéia é tentadora, imagina amor... – Meu marido se empolgou, puxou uma cadeira sentando-se ao meu lado. – Eu largo o escritório e fundo um estádio CFC.

- CFC?

- Cullen’s Futebol Club.

[N/A: Qualquer semelhança com as inicias da autora é mera conhecidencia: Camila de Freitas Cocenza]

- Você está achando que tenho cara do que? - Rolei os olhos rindo. – Depois de doze filhos eu estaria arrebentada.

- Na verdade seria uns vinte amor, precisamos de reservas.

- Deixando essa idéia totalmente absurda de lado... – Apoiei meu cotovelo na mesa e deitei minha cabeça em minhas mãos – Vou sair do hospital.

- Você gosta tanto do que faz filha – Minha mãe sentou-se a mesa também.

- Sim, mas eu quero curtir mais as crianças. Agora serão quatro crianças em casa – Toquei os cabelos de Edward, fazendo-o rir. – Quando eles estiverem maiores eu posso voltar a trabalhar.

- Isso se nós não tivermos mais... – Edward beijou meu pescoço. – Eu gosto da idéia de ter você em casa só para nós.

- Claro que você gosta, Bella passara mais tempo ainda no quarto contigo – Renée bufou.

- Mãe!

- Está com ciúmes sogrona?

- Você ainda é minha menininha Bella, quero ver quando Lizzie trouxer o primeiro namorado em casa...

- Quem disse que ela vai ter namorados? – Edward rolou os olhos – Lizzie vai ser freira.

- Edward!

- Charlie dizia a mesma coisa sobre Bella e vocês acabaram fazendo Anthony.

- Ei vocês dois, parem! – Me levantei aturdida – Estão me dando dor de cabeça, ciumentos.

Sai da cozinha e fui atrás dos meus filhotes. Liz e Thony estavam sentados no sol. Minha menininha ria de algo que meu garoto sussurrava para ela.

Dois braços enlaçaram minha cintura. Deixei meu corpo relaxar contra o do meu marido.

- Que tal subir um pouquinho? – Ri quando seus lábios sugaram minha orelha, fazendo cócegas.

- Se eu subir não sei se vou conseguir descer. – Resmunguei fechando os olhos – Estou com menos de dois meses, mas estou com tanto sono...

- Prometo te manter acordada.

Gemi abrindo os olhos.

- Não faz assim...

- Por favor...

- Ed...

-... Vamos fazer amor bem devagar, do jeitinho que você gosta. – Sua boca desceu para meu ombro tirando toda minha concentração. – Faço uma massagem bem gostosa em você, te beijo e mordo todinha. Imagina amor, nos dois gemendo baixinho no quarto, nossos corpos suando, seus dedinhos em meus cabelos, meu pau entrando e saindo de você.

- Oh Deus! – Eu me afastei rindo. Edward sorriu para mim, puxando-me de volta para seus braços.

- Imaginou, não é?

- Aham. – Girei, ficando de frente para ele. Encostei minha boca em sua orelha. – Quase gozei.

- Thony, toma conta da sua irmã. – Edward me pegou no colo enquanto gritava para nosso garoto – Sua mãe está cansada, vou levá-la para o quarto.

 - Sim senhor. – Anthony fez sinal de positivo com a mão.

- Não devíamos deixá-los sozinhos. – Me segurei nele.

- Bella, você anda passando mais tempo com eles do que comigo. – Um bico lindo se formou em seus lábios – Também quero um pouquinho de você.

- Tão manhoso.

[...]

Os dias se passaram tão rápido que quando menos percebi já estava na hora de ir embora. Meus sogros haviam vindo para Forks, mas já retornaram e agora era nossa vez.

- Bom, vou ficar triste em ir embora. – Anthony chutou uma pedrinha e abaixou a cabeça – Pronto, já passou, vamo embora, quero meu Wii.

 E eu realmente estava começando a ficar com dó dele.

- Vamos para o carro filho, ou iremos perder o vôo.

Entramos no carro e dei uma ultima olhada para trás.

- Voltaremos mais vezes. – Edward pousou a mão em minha coxa. – Não é mesmo crianças?

- Ta loucão pai? Nunca mais quero vir para o meio desse mato, né Lizzie?

- Aham. Aqui é muitooooooo chato.

POV Edward

- Princesa, acorde. – Beijei o rosto de Lizzie, acordando-a devagar. – Chegamos.

- Já?

- Sim minha lindinha.

 -To com sono papai.

Sorri me levantando de minha poltrona e inclinando-me para pega-la no colo. Bella, Renée e Anthony já estavam no corredor, logo saímos do avião e fomos pegar nossas bagagens.

Meu carro estava ali mesmo no estacionamento, não demorou muito para que eu guardasse nossas malas e manobrasse o carro para fora dali.

Pelo retrovisor flagrei Anthony cutucando Lizzie. Minha garotinha dormia tranquilamente em sua cadeirinha.

- Anthony... – O repreendi.

Ele retirou a mão dela.

- Desculpa pai.

No banco ao meu lado minha mulher estava com as pernas dobradas sobre o banco, sem os sapatos, com o vestido em sua coxa. Desde que descobrimos sua gravidez ela andava sonolenta e cansada.

Logo estávamos em casa. Renée foi para seu quarto, Bella e eu colocamos as crianças na cama e seguimos para o nosso quarto.

- Cansada? – Indaguei, retirando minha blusa.

Ela torceu os lábios sentando-se na cama.

- Nem tanto, dormi bastante no avião.

Caminhei até ela e a beijei.

- Deite-se um pouco e descanse, vou preparar algo para você comer.

Bella riu negando com a cabeça.

- Não preciosa amor, estou sem fome. – Seus dentes mordiscaram seu lábio inferior, enquanto retirava o vestido – Mas aceito uma carona até o banheiro, estou com uma preguiça de andar.

- O que fará lá?

- Preciso de um banho.

- Só te levo se eu puder te acompanhar. – A fiz se deitar na cama e coloquei meu corpo sobre o dela – Antes disso, podemos suar mais um pouquinho, o que acha?

- Você sempre tem idéias fantásticas amor.

- Que bom que você acha isso.

Rimos enquanto nos embolávamos na cama, girando de um lado para o outro nos beijando de forma engraçada e desesperada.

- Tive outra idéia fantástica... – Me afastei dela, deixando-a respirar um pouco – Que tal assistirmos um filme?

- Você? Trocando sexo por filme? – Ela parecia incrédula.

- Não exatamente amor. – Me levantei da cama e caminhei até a TV, ligando-a e colocando no canal que eu queria.

- O.M.G! – Bella engasgou quando viu o nome do canal. – Edward!

- Qual o problema? – Voltei até ela, sentando-me com as costas na cabeceira da cama. – Vamos nos divertir um pouco princesa.

- Acha mesmo que vou fazer amor com você enquanto você olha para outra mulher pelada? – Minha mulher grunhiu, sentando-se também. – Desligue a TV, agora!

Rolei os olhos e inclinei-me para beijá-la. Bella tentou fazer manha e não abriu os lábios para nossas línguas se encontrarem. Escorreguei minha mão por sua coxa, apertando-a.

- Princesa, vai ser bom... – Mordisquei seu queixo. – Vou estar pensando apenas em você, como sempre.

- Não, não e não... – Ela resmungou, empurrando-me.

Cai para o lado bufando. Quando voltei a olha-a para tentar convencê-la que ia ser legal a vi olhando fixamente para a TV.

Tava no papo!

- Um tango em paris? – Ela indagou. – Passou há dois meses atrás, que porcaria de TV é essa que fica repetindo esses filmes?

- Bells... – Meu queixo caiu. Levantei-me da cama magoado. – Você? Assistindo isso? Sem mim?

- Não amor! – Ela riu, demonstrando nervosismo. – Eu... Foi sem querer, sabe... Estava mudando de canal e ai caiu nesse.

- Estou magoado. – Cruzei os braços e fui para o banheiro.

Era só o que me faltava, minha mulher assistindo filmes pornôs, detalhe: sem mim! O que meus amigos iriam dizer se soubessem disso?!

“Edward, frouxo”

“Ele não consegue dar prazer pra mulher dele, ela recorre ao pornozão”

- Amor... – Bella bateu na porta, com aquele tom de voz persuasivo. – Abre a porta.

- Não. – Resmunguei, abaixando a tampa do vaso sanitário e me sentando. Pousei meu queixo em minhas mãos – Estou pensando em uma maneira de me matar, me ajude a escolher uma das seguintes opções: A) Cortar minha artéria com o presto barba. B) Me afogar na privada...

- Amor, deixa de drama... – Me interrompeu.

- Drama? – Joguei meu corpo para trás, me encostando na parede. – Eu peço pra você assistir um filme comigo e você diz que não, e eu ainda acabo descobrindo que você assisti filme pornô. É algum problema comigo?

- Ed... – Ela resmungou.

-... Quando estávamos em Forks você fingiu que não sabia do canal hot? E ainda fez todo aquele drama, então me deixa sofrer minha dor em paz.

Ela não respondeu. Será que havia ido dormir? Ou assistir o filme sozinha?

- Bella, sua safada! – Me levantei do vaso e abri a porta do banheiro. – Pode ir virando para o canto, não quero mulher minha assistindo filme pornô!

Para minha total surpresa a televisão estava desligada, o quarto clareado apenas pela luz fraca do abajur e minha mulher estava ajoelhada na cama, usando um hobby de seda vermelho.

- Foi só uma vez... – Ela soltou o laço da peça e a retirou, exibindo sua lingerie azul marinho. – E juro que depois daquele filme nunca mais comi pão com manteiga. – Bella fez cara de nojo. – Vem amor, olha só o conjunto que eu achei no fundo do armário.

- Ok. – Corri até a cama, agarrando-a e deitando-me sobre ela. – Mas isso não significa que eu esqueci aquilo.

- Vem cá. – Suas mãos agarraram meus cabelos – Vou te fazer esquecer rapidinho.

- Vai?

- Vou.

Ela me empurrou, subindo sobre mim e me beijando. Escorreguei minhas mãos por suas costas até achar o feixe de seu sutiã.

- Me desculpa princesa. – Torci os lábios – Fui infantil.

- Foi mesmo. – Bella riu, mordendo meu queixo – Eu também fui, só queria te provocar...

- Certo, vamos deixar isso pra lá, quero amar você.

Fechei os olhos sorrindo. Joguei minha cabeça para trás dando livre acesso para ela fazer o que quisesse.

Eu a amava muito, e as únicas coisas que eu queria era que esse amor entre nós nunca deixasse de crescer, que nossos filhos cresçam saudáveis.

Se Bella e as crianças estivessem comigo, superaríamos tudo, juntos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário